História Missão Cupido - Taekook - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Alô, alô rs

vocês estão prontos?? kk

nesse capítulo tem de tudo um pouco, e me digam por favor se não aconteceu tudo muito rápido.

e lá vamos nós rs

Capítulo 21 - Capítulo 19


💘 Jungkook 💘

— Então você e o Yoon estão namorando? — Soomin pergunta com surpresa evidente em sua feição. Jimin assente concentrado em seu celular.

Ele está tão focado em suas ações que nem percebeu que eu terminei o meu café e estou comendo o dele.

— Me passa o bacon — Nando pede e como sou legal entrego a ele e somos fuzilados pela Soomin.

— Parem de comer o café dele. Jimin, come ou vai acabar passando mal no colégio — ordena tirando o celular das mãos dele.

Ele ia reclamar, só que ele olhou pro prato e sua expressão tinha um ponto de interrogação.

— Ué, cadê meu café? — Perguntou confuso. Nando fez cara de paisagem.

— Nunca nem vi — digo já fugindo da bronca — te espero no carro — saio praticamente correndo.

***

— Oii doce... — ouço uma voz atrás de mim dizer.

— Oiiiiiii — falo fingindo interesse — tchau — digo curto e grosso me desviando dele.

— Ei, eu fiz alguma coisa errada? — Segura o meu braço com uma expressão perdida.

Ao longe vejo Taehyung entrando pelo portão principal e seus olhos chegam a cena e ele empaca no lugar.

— É que estou com pressa — digo impaciente.

— Ultimamente você anda com muuita pressa — diz tocando meu cabelo carinhosamente, mas sua voz soa seca.

— É-é — gaguejo, puta merda isso foi sinistro — eu realmente tenho que ir — tento me soltar, mas ele continua a me segurando.

— Isso tem a ver com o Taehyung? —  Pergunta com um 'V' formado em sua testa — olha acredite, ele mente muito... não quero que ele atrapalhe o que nós temos com mentiras... — ele me olha e fico impressionado em como ele é um bom ator, a sinceridade em seus olhos é bem convincente — eu sei o que ele fala de mim para seus amigo e, é muito injusto, fui eu que apresentei nossos pais, eu nunca faria mal a Annabel, eu realmente a considerava como uma mãe... — ele finge pesar, tentando me convencer em suas palavras.

Por um momento eu senti a dúvida me preencher, ele parecia tão sincero, mas por outro lado Taehyung não mentiria. Não pra mim.

Olho de novo na direção do Kim que ouvia tudo, pois não estava muito longe e sua cara de decepção era notória. Ele viu a minha dúvida. Ele girou os calcanhares dando meia volta e saindo por onde entrou.

— Droga...

— Oi? — Yug pergunta confuso. O ignoro me soltando, indo em direção a saída, mas sou barrado.

— A sala de aula fica pro outro lado Senho Jeon — a professora de história fala me puxando com ela.

— Mas... — ela me corta.

— A aula vai ser muito interessante hoje — diz e por fim desisto de ir atrás do Tae, a mulher não deixaria mesmo.

Se eu prestei atenção na aula? Obviamente não. Peguei meu celular e liguei pela milésima para o contato 'Loirinho', chama, chama,chama e cai na caixa postal.

Ai que ódio. Bato na mesa causando um som estrondoso.

— Algum problema Jeon? — A professora arqueia a sobrancelha.

— Problema? — Ironizo — É claro que há problema, o problema é a senhira barrando a minha saída — me estresso. Pobre mulher, ela não tem culpa se o Kim não se dá ao luxo nem de visualizar minhas mensagens.

A sala inteira começa a cochichar.

— Já passou da hora do diretor te castigar severamente, essas atitudes não podem ser ignoradas — fala arrogante.

— Ótimo — me levanto pegando minhas coisas — fala isso pra ele — digo saindo pela porta, ela me olhando incrédula.

***

Ando pelas ruas, passando pelos lugares favoritos do Taehyung, mas não o encontro em lugar nenhum.  Me sento no banco da praça onde conversamos pela primeira vez. Eu estava tão frágil e mesmo assim ele conseguiu me fazer sorrir...

Sinto um aperto no coração. Como eu pude ter dúvida? é claro que ele disse a verdade. Se eu me sinto decepcionado comigo mesmo, imagina ele...

Pego meu celular e disco seu número mais uma vez.

— Oi loirinho, sou eu de novo — digo assim que cai na caixa postal, sorrindo amargurado  — liga pra mim, eu estou te procurando tem quase uma hora... por favor me deixa explicar, eu preciso explicar... só... me liga tá? — Desligo.

Fico ali sentado me lembrando de tudo que aconteceu nos últimos meses, eu cheguei querendo ir embora e quando chegou a hora, eu não quis mais ir...

Tantas amizades, pessoas que eu aprendi a amar. Mesmo todos eles tendo seus defeitos, as qualidades ainda superam.

Ainda que dôa a saudade do meu pai, sei que em algum lugar ele está feliz, por ver tudo o que conquistei.

Sim. Pra mim é uma conquista ter uma família, por que apesar de tudo, somos uma família. Tenho amizades verdadeiras, mesmo que alguns roubem meus doces... mesmo assim eu os amo.

E tem ele...

— Droga... — Meus olhos ardem.

Meu celular vibra e atendo sem olhar o visor.

LIGAÇÃO ON

— Chim, eu to bem, não se preocupe — digo tentando disfarçar a voz embargada.

— Não é o Jimin, Kookie — a voz calma e aveludada sopra e meu coração se descompassa.

— Nã-não pode ser... E-e-eu... — susurro pra mim mesmo, confuso. Era a minha imaginação pregando mais uma peça?

— Está tudo bem, Jungkookie... está tudo bem... — susurra.

LIGAÇÃO OFF

Desligo o telefone aos prantos, ignorando a chamada escrita Loirinho. Clico na discagem automática.

LIGAÇÃO ON

— Alô...? — atende com sua voz sonolenta.

— Gil... E-e-eu... — o choro não me deixa falar e as pessoas que passam começam a se preocupar.

— Jungkook... o que está acontecendo? — ele parece acordar instantaneamente ao perceber minha voz chorosa.

O tio do carrinho de cachorro quente, que assistia o meu desespero um tanto preocupado, pega o meu celular, sendo bem legal na verdade, já que eu não me encontro em condições de falar alguma coisa.

— Alô? Senhor, o garoto está aos prantos... — ele pausa afagando meu ombro tentando me acalmar — sim — pausa — a praça principal da cidade — pausa — ok, pode deixar — e desliga.

— Obrigada — é a única coisa que consigo dizer.

Não demora muito e Gil chega, ele pergunta o que aconteceu, mas o meu estado de choro é tão grande que não consigo dizer nada. Ele agradece ao tio por ter cuidado de mim e me leva até o carro, seguindo pra minha casa. Ele me ajuda a descer e meu estado é o mesmo. Eu simplesmente não conseguia parar de chorar, meu corpo todo tremia enquanto travava uma guerra na minha cabeça sobre aquela ligação.

Ele bate na porta da casa, logo em seguida me olhando preocupado, por nunca ter me visto assim. Nem no funeral do meu pai.

Quando Jimin abre a porta ele já vai soltando a língua.

— Você sabe que horas são? Você devia estar em casa faz horas, a mamãe ta uma fera e... — para pra saber por que estou soluçando — e... por que você tá chorando? — Seus olhos se tornam tristes e preocupados.

— ChimChim — choro baixinho — isso não tem graça... — susurro e mais soluços saem — seja qual for a brincadeira — murmuro — por favor para...— solto o ar cansado.

Minhas pernas se enfraquecem e Jimin ajuda Gil a me apoiar, os dois me carregam até o sofá me colocando sobre o mesmo.

— Do que você tá falando Kookie? —Susurra com fraqueza na voz, como se compartilhasse da minha dor.

— Da ligação... — susurro baixinho não contendo o choro — era ele — soluço — a voz... — as lágrimas descem como cachoeira no meu rosto — era o papai Chim... — choro mais alto.

A dor era tanta, a saudade... e ouvir a voz dele, mesmo que tenha sido fruto da minha imaginação, fez a sensação ficar pior.

— Shiiii — afaga meus cabelos me abraçando forte — vai passar... — ele suspira, repetindo aquilo como um mantra.

Chorei muito, mas o cansaço foi me vencendo e ao som das batidas do seu coração acabei dormindo.

***
💘Jimin💘

WHATSAPP ON *Creche Squad*

Momó Pirada: Chim seu merda, o kookie apareceu?

Hobi ciumento: Até eu to preocupado
Responde essa porra.😬

Jin 6 aninhos: Se tu nn responder
Eu vou aí.😟

~Ele apareceu...


Momó Pirada: Ele ta bem?😓


~Não...


Namorado: O que rolou?

Sr. Chulé: Mano, oq aconteceu?
To preocupado real.

Jennie: RT no Nam

Jisso: RT no Nam


~Ele chegou passando mal aqui em casa... acho que a mente dele não está bem... Hangil tava pensando em leva-lo pra Busan de novo😓 ele disse que lá, poderá cuidar dele melhor...


~Ele tava tão... mal. 

Odeio vê-lo assim... 

Ele disse que recebeu uma ligação do alex....😢 eu... eu, não sabia o que fazer, ele não parava de chorar... 



Namorado: Chim calma...😢


~Você não tá entendendo Yoon... 

Eu to perdendo ele, de novo😢 


Taetae: To indo aí😓

WHATSAPP OFF

Encaro Jungkook dormindo, passo a mão pelos seus cabelos.

— Talvez você precise ir embora... — supiro — pra melhorar. — meus olhos ardem — mas... promete que volta tá? — sorrio enquanto um biquinho se forma em seus lábios e o deixo descansar.

Desço as escadas e vou até a cozinha beber uma água e enquanto penso no Jungkook a campainha toca.

Abro a porta e Taehyung entra de supetão.

— Como ele está? — Pergunta exasperado. Parece que veio correndo de tão ofegante que está.

— Mal — digo simples.

— Ele, ele vai mesmo embora? — Pergunta em um susurro.

Se um dia eu tive dúvidas do Tae gostar do Jeon, essas dúvidas se acabaram agora.

O olhar é tão triste, quanto o meu.

Suspiro.

— É... acho que sim — bufo — ele ouviu o Alex, Tae — falo desacreditado — e ele está morto! — começo a andar de um lado para o outro — isso, isso é impossível... — falo em um fio de voz.

Kim fica em silêncio por alguns segundos, com o olhar perdido.

— Posso vê-lo? — Pede com o semblante triste.

— Ele está dormindo — dou de ombro.

Ele começa a subir as escadas e eu o chamo:

— Kim — ele se vira na minha direção — não deixa ele chorar tá, evite o quanto puder — peço cabisbaixo e ele assente.

***
💘Jungkook💘

De olhos fechados posso sentir uma mão acariciando meus cabelos, poderia ser o Park, mas esse perfume é bem conhecido pelo meu coração. Por que ele se acelera toda vez que sinto esse aroma.

Clichê isso? É. Também achei...

— Jimin me contou o que aconteceu... — susurra sem perceber que estou acordado — estoj tão preocupado contigo... não quero que vá embora, mas sua saúde fica em primeiro lugar amor... — suspira e meu coração se acelera.

Ele me chamou de amor?

— Eu não estou doente, então não tenho que me preocupar em pôr minha saúde em primeiro lugar — digo ainda de olhos fechados apreciando sua carícia.

Kim se sobressalta um pouco surpreso, mas logo se recupera.

— Tá a quanto tempo acordado? — Pergunta descendo o polegar por minha bochecha.

— Acabei de acordar — suspiro.

— Kookie... olha pra mim — pede — eu percebi uma coisa... — diz mordendo os lábios.

— O que? — Pergunto um tanto perdida.

— Eu, bom... nunca disse que te amo... — olha nos meus olhos.

— Bom... você não é obrigado a dizer certas coisas, só por se sentir pressionado — digo com calma tocando suas mão que estavam no meu rosto.

— Eu não me sinto pressionado — fala como se fosse óbvio — hoje quando vi você com Yugyeom e a dúvida nos seus olhos... eu me senti muito mal com aquilo... — ele desvia os olhos dos meus.

— Você tem razão se estiver chateado comigo, eu não deveria ter dúvidado de você loirinho...

— Ele não sabia que minha mãe tinha filho, ele seria o único sabe... ele não ficou muito feliz em ter que dividir a atenção da minha mãe comigo — suspira — fiquei com raiva na hora, me senti... sei lá, traído. Mas agora já está tudo bem — sorri fraco.

— O que foi? — Vejo tristeza em seus olhos.

— Eu... Eu te amo — susurra fazendo careta como se aquilo fosse muito difícil de dizer.

Aquilo me fez paralizar, meu coração se descompassou, ele olhava nos meus olhos esperando minha reação. Mas eu não tinha...

— Jeon, fala alguma coisa porra — ele reclama agitado, sem saber o que fazer. Tímido.

Um sorriso foi surgindo nos meus lábios sem que eu percebesse, me aproximei dele e o abracei escondendo meu rosto em seu pescoço, sentindo assim, mais forte seu perfume inconfundível.

— Também amo você — susurro e ele devolve o abraço me apertando mais em seus braços — loirinho... — chamo depois de um tempo abraçados.

— Hum? — Começou a brincar com algumas mechas do meu cabelo.

— Por que resolveu dize isso agora? — Pergunto me afastando pra olhar em seus olhos.

Ele pareceu pensar por alguns segundos e suspirou.

— Por que você vai embora... e não queria que você fosse sem saber... — diz cabisbaixo — Sei lá, talvez pra tu ter um motivo pra voltar... não sei — susurra.

— Não pretendo ir embora — digo firme.

— Kookie... — ele toca minha mão e a segura firme — você não tá bem... — fala com delicadeza.

Tento soltar sua mão irritado, mas ele me impede.

— Jungkook, você sabe que estou certo... — suspira — Não tinha possibilidades de ser o Alex... — ele usa o tom mais cuidadoso e ainda assim meus olhos começam a arder — Deus sabe como eu gostaria que fosse ele, mas não era meu amor — toca meu rosto — você tem que deixa-lo ir Jungkook... — uma lágrima desce pelo meu rosto e ele a limpa.

Ele está certo, isso tudo só me destrói mais... tenho que aceitar que foi a minha imaginação pregando uma peça em mim... Suspirei assentindo em concordância ao que ele falou.

Mas...

Meu celular começa a tocar, penso em não atender, no entanto a pessoa é insistente.

Pego meu celular e noto ser um número desconhecido.

"Alô?" Disfarço a voz, para a pessoa não perceber o meu estado.

"Jungkook, por favor não desliga..." meus olhos se inundam ainda mais.

É só minha imaginação... é só minha imaginação... é só...

"Filho, meu anjinho... eu sei o que deve estar passando pela sua cabeça" fecho os olhos com força pra vê se acaba essa alucinação "mas por favor me escuta..." implora.

Respiro fundo, mas mesmo assim sai tremida.

"Seja quem for, isso não tem graça eu posso chamar a polícia..." me corta.

"Jungkook, eu não tenho muito tempo... preciso que passe minha localização pro Hangil por favor... acredita em mim..." Pede com uma voz agoniada.

"Jeon, quem é?" Kim pergunta, me fazendo perceber que ele ainda está ali. Como não obtém resposta ele toma o celular da minha mão.

"Quem está falando?" Taehyung pergunta nervoso vendo que estou em lágrimas de novo. Colocando a chamada no auto falante.

"Jeon Alexander, por favor eu sei o que está parecendo, mas eu preciso falar com o Hangil..." fala um tanto quanto desesperado.

Kim me olha confuso, como se também não acreditasse.

"Ok... qual a sua localização?" Taehyung pergunta ainda perdido.

"Buenos Aires, La Plata. Estou no Hopital San Martín... Kookie... Você não sabe o quanto eu senti falta de ouvir sua voz" suspira "o tempo da ligação ta acabando, eu te amo anjo...tu tu tu tu" a ligação cai.

Meu rosto está bainhado em lágrimas silenciosas.

Olho para Kim e ele está perplexo.

— Por favor loirinho, diz que você também ouviu isso? — Seguro seu rosto o fazendo olhar nos meus olhos.

Ele assenti ainda desacreditado.

— Jungkook temos que falar com o Hangil — fala me entregando o celular — liga pra ele, eu vou falar com o Jimin — ele sai apressado do quarto e eu início a ligação, não demora muito e Kim chega arrastando o Park.

— Nossa pra que tanta pressa? E... Jungkook você tá bem? — Percebe minhas lágrimas — eu disse pra não fazê-lo chorar seu imbecil — fala entredentes para o loirinho.

— Tae eu... eu não vou conseguir — Kim pega o celular da minha mão colocando no alto falante.

— Jungkook? Eu disse pra descansar pestinha... — Gil atende

— Hangil, lembra da ligação que o Jungkook recebeu do suposto Alex? — Taehyung o corta.

— Tae? Sim, sim claro que lembro...

— Acontece que... não é coisa da cabeça dele —  diz fazendo com que Jimin prestasse atenção na conversa com o semblante um pouco confuso.

— Como assim? — Gil parece tão confuso quanto Jimin.

— Ele acabou de ligar e eu estava com o Jungkook, eu falei com ele... — disse um pouco exasperado.

Jimin ficou tenso do meu lado.

— Não pode ser... ele, ele está morto... — Gil susurra — ele disse onde estava? — posso imagina-lo caminhando de um lado para o outro tentando entender o que está acontecendo.

— Sim, ele passou a localização. Mando por mensagem — Taehyung disse já mandando.

— Ok, vou tirar essa história a limpo — Diz  — Jungkook... Você tem certeza que era ele? — Pergunta com tom de esperança.

Penso numa resposta e digo:

— Sim, a voz era idêntica... eu... tem que ser ele Gil... — digo com a voz embargada.

— Kookie, meu anjo, não crie expectativas ok? Pode ser apenas um trote... — diz a última palavra com receio.

***


Notas Finais


Obrigada por adicionar esse livro a sua biblioteca, espero não decepciona-lo(a).

PRÓXIMO CAPÍTULO ▶️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...