1. Spirit Fanfics >
  2. Missão Rank S (SasuSaku) >
  3. Treinamento

História Missão Rank S (SasuSaku) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus amores, não me matem. Sei que estou super atrasada com o capítulo, mas eu realmente não tive tempo de escrever ou postar nessas últimas semanas.

Porém, junto com esse capítulo vem uma notícia boa: Voltei a minha rotina e agora tenho mais tempo para me dedicar a essa história linda.


Então, não desistam de mim e nem dessa belezinha.

Capítulo 3 - Treinamento


Fanfic / Fanfiction Missão Rank S (SasuSaku) - Capítulo 3 - Treinamento


Sakura acordou sentindo o corpo dolorido, as noites dentro daquele esconderijo pareciam ainda mais frias e úmidas do que o dia. Sasuke permaneceu boa parte do tempo fora do quarto resolvendo questões com seu mestre, fazendo a Haruno permanecer mais tempo em alerta do que precisava. Quando ele finalmente voltou para o quarto, deitou em uma parte contraria da cama a fazendo permanecer imóvel como uma estátua.

Durante as horas que demorou a dormir,  Sakura pensou em todo seu plano e no risco que corria. Se morresse antes de conseguir afetar o Uchiha,  tudo aquilo teria sido em vão. Porém,  se sua aproximação desse resultado teria que enfrentar bem mais do que seus conflitos internos. 

— Vamos treinar — Ouviu a voz autoritária do rapaz assim que saiu do banheiro. 

— Vou precisar de roupas, as que eu tinha foram brutalmente cortadas pelo fio de uma katana. 

Ele não se incomodou com a pequena indireta e apenas foi até  a cômoda e retirou de lá uma camiseta branca e shorts azul marinho.

— Isso vai ficar enorme em mim — disse colocando a camisa que mais parecia um vestido — Mas acho que posso dar um jeito.

— Se troque logo,  irritante. 

Ela pegou a roupa e voltou ao banheiro. Não havia a menor chance de usar o shorts do Uchiha,  era largo nas coxas e seria um empecilho no treinamento. Então permaneceu com o seu próprio short preto e transformou o que antes era uma camiseta como tope. A camisa branca que Sasuke usava, ficou no cumprimento de suas coxas grossas. Amarrou outra tira na cintura com os retalhos de roupa que davam para ser reaproveitados e finalizou seu novo look  com um rabo de cavalo alto.

— Se nada der certo, posso ser uma estilista — riu ao admirar seu reflexo pelo espelho. 

Tinha que admitir, aquela roupa mostrava bem mais de seu corpo do que estava acostumada,  mas não tinha o que fazer. Revirou os olhos e saiu do banheiro, Sasuke a encarou de cima a baixo enquanto polia sua katana, surpreendeu-se com a menina que costumava correr atrás de si anos atrás,  Sakura podia ser tudo, menos a garota que conhecia.

— Foi o melhor que consegui.  Como funcionam os treinamentos aqui?

Por um minuto, o Uchiha se esqueceu completamente do que havia planejado para o dia. Nunca pensou que o corpo feminino pudesse chamar tanto sua atenção. Desde que saíra de sua aldeia, sua única motivação era treinar e se tornar mais forte para derrotar Itachi, nada além disso fazia sentido. 

Até agora…

 — Sasuke-kun? 

— Hm — Levantou-se e saiu do quarto sem dizer uma palavra, não podia admitir que estava tentado a ficar no quarto para continuar admirando aquelas coxas fartas e corpo curvilíneo. 

Caminharam em silêncio entre os corredores iluminados apenas por algumas velas até chegar a uma porta que dava para o interior de uma cachoeira. 

— Uau — encarou a paisagem magnífica. 

— Vamos.

Sasuke usou a katana embebida de chakra para "cortar" o fluxo de água abrindo uma pequena fresta. A Haruno se impressionou com aquele poderoso controle de elementos passando por ele e encarando o enorme descampado. 

— Vamos treinar — disse deixando a espada no chão. 

— Certo.

Não precisava pensar muito para saber que o Uchiha iniciaria com taijutsu para avaliar sua nova força. Desde o momento em que o reencontrou naquela terrível missão com Sai, sabia que o nível de força de Sasuke era absurdo, mas ela também havia sido treinada por um dos Sannin lendários. Sentiu toda a musculatura aquecer ao sentir a corrente de chakra percorrendo seu corpo e descarregou a quantidade necessária para desferir socos precisos em direção ao Uchiha.

Sasuke conseguia ser ainda mais rápido do que se lembrava nos treinos do antigo time sete. Embora em determinado momento os golpes precisos e contínuos o obrigassem a ativar o Sharingan.

— Você melhorou — disse após encurralá-la contra uma das árvores.

— É claro que melhorei — confirmou ao desaparecer em uma nuvem de fumaça. Sasuke arqueou a sobrancelha e depois sorriu de canto, sentia a aproximação da Haruno há poucos metros de distância desviando da kunai segundos antes de ser ferido.

— Jutsu de distração? Desde quando treina com Kakashi? — disse voltando a golpeá-la com força.

— Ele ainda é meu sensei — sorriu — Mas esse não foi o único truque que aprendi com ele.

Aquela informação ambígua fez o Uchiha se distrair por alguns segundos, deixando o campo livre para Sakura acertar seu rosto. O impacto o lançou até a árvore mais próxima, o fazendo sentir o gosto metálico do sangue em sua boca. Riu com a ousadia da ex-companheira de time, poucos tiveram a oportunidade de acerta-lo daquela forma e isso o impressionou.

— Controlou sua força.

— Se usasse todo meu potencial você estaria morto — colocou as mãos na cintura dando mais charme a sua fala provocativa.

— Hum.

Levantou-se e se aproximou.

— Eu quero ver.

Sakura riu um pouco nervosa, ele queria mesmo que ela o golpeasse com toda sua força?

— Eu não acho prudente.

— Contra a rocha — disse cruzando os braços e a encarando.

Sakura concentrou a maior quantidade de chakra que podia em seu punho e socou o chão abrindo uma enorme cratera. O poder de destruição foi tanto, que uma pequena parte do esconderijo ficou visível. Enquanto a poeira baixava, a Haruno sentia a aproximação de outros ninjas, inclusive o Uchiha. Ouvia vocês surpresa e frases desconexas, a maioria acreditava que tratava-se de um ataque inimigo. Talvez alguma nação Shinobi os tivesse encontrado.

— Mas… o que significa isso? — Kabuto encarou a destruição à sua frente perplexo.

— Sasuke-kun? — Orochimaru apareceu encarando seu pupilo. Não precisou muito para entender que a destruição havia sido causada pela pequena rodada. Tinha que admitir que aquele poder de destruição era bem interessante e se usado da forma correta trariam grandes benefícios.

— Estamos treinando.

— Treinando? — Kabuto encarou a rosada — Quantas parte do esconderijo pretende destruidor enquanto brinca?

A Haruno cruzou os braços e riu.

— Estou apenas seguindo as orientações de Sasuke.

— Kabuto, alguns de nossos aliados têm a dominação de terra, peça que arrumem nosso esconderijo.

— Mas mesmo…

— Sasuke-kun, pode me encontrar em meu escritório mais tarde?

— Hm.

Permaneceram em silêncio até que o sannin se afastasse. Sasuke notou a irritação de Kabuto e seguiu para o lado oposto.

— Vamos, Sakura.

— Ainda vamos treinar?

— Só acaba quando eu disser que acabou.

Sakura revirou os olhos, aquele Uchiha havia se tornado ainda mais metido e presunçoso do que nos tempos da aldeia da folha. Precisava continuar sua evolução com o selo de renascimento e pensar nos próximos planos para sua missão de infiltração, mas por enquanto seguiria as orientações de Sasuke.

Horas depois, eles estavam sentados próximos ao riacho. Sasuke molhava o cabelo na água após uma sessão cansativa de treino enquanto Sakura concentrava seu chakra em determinado ponto na testa. 

— O que está fazendo? — ouviu a voz de Sasuke próxima a si e abriu os olhos o encontrando há poucos metros.

— Faz parte do meu treinamento com minha mestra. 

— Hm.

Ele se deitou em uma parte do gramado e encarou o céu. Aquele pequeno gesto a fez reviver lembranças antigas, quando ainda eram crianças e saiam em missões pelo país do fogo. Sentiu o estômago roncar e riu, sabia que pela proximidade o Uchiha também havia ouvido e não se importou, seus treinos pareciam tão puxados quanto os que fazia na aldeia da folha.

— Destruiu a cozinha — disse ainda de olhos fechados.

Sakura encarou a mata à sua frente e respirou fundo.

— Seria mais fácil se eu tivesse minhas pílulas de comida aqui. Elas não tem um gosto muito agradável, mas são extremamente nutritivas.

— Sua comida é péssima.

Os olhos verdes se arregalaram assim como a boca que abriu em completo espanto. 

— Você não sabe como é a minha comida.

— Poucas coisas são difíceis de esquecer irritante. E o gosto amargo de suas comidas quando saíamos em missão é uma delas.

Sakura se levantou irritada.

— Pois eu vou atrás de algo para comer, você pode permanecer aí com fome em uma tentativa de punir seu corpo em busca do ódio eterno.

Saiu pisando firme demonstrando sua raiva fazendo o Uchiha arquear a sobrancelha. Desde quando o temperamento de Sakura era tão inflamável assim? Obviamente se lembrava das explosões de ódio de anos atrás, mas elas sempre foram destinadas ao Uzumaki e não a ele. Estranhamente, achou interessante aquela nova personalidade, algo dentro dele queria saber o que mais aquela nova Sakura tinha a oferecer.

Por fim, decidiu levantar-se e seguir a rosada, ela ainda era sua responsabilidade.



.

.

.


Konohagakure.

Tsunade observava os relatórios da junta médica a sua frente, o estado da jovem Uzumaki não era nada bom, porém sua capacidade regenerativa contribuia para o corpo continuar lutando.

— Mandou me chamar? — Kakashi apareceu próximo a porta. Ambos estavam no quarto branco observando a ruiva em cima da cama hospitalar.

— Preciso que me conte novamente sobre o que encontraram no local.

— Uma sequência de árvores caídas sobre o corpo de quase sete shinobis. A assinatura do chakra de Sasuke é inegável, porém…

— Porém?

— Também senti o chakra de Sakura.

Tsunade levantou o olhar para o jounin e aguardou em silêncio. Sabia exatamente o motivo daquela cabeça dura estar ali, mas contava que fosse mais esperta. Ninguém além dela poderia saber que a Haruno estava infiltrada no esconderijo de Orochimaru.

— Sakura está em missão na vila da Grama.

— Na verdade, ela não está — disse colocando as mãos nos bolsos — Mas tenho a sensação de que a senhora já saiba disso.

— Não quero ouvir sermões, Hatake.

— E quem sou eu para dar sermões a Godaime… — disse com ar de riso — Essa informação não está em relatório, mas achei importante repassar a você.

— Ótimo. 

Kakashi voltou-se para a porta novamente com a intenção de deixar o cômodo, porém deteve-se por alguns instantes.

— Ela também é minha discípula — Surpreendeu a mais velha — Aqueles três serão minha responsabilidade até que eu morra.

— Eu sei disso. 

Assim que o jounin saiu do quarto a Godaime ficou pensativa. Confiava em Sakura, confiava em suas habilidades, contudo sentia-se receosa que o coração apaixonado da Haruno pudesse colocar a missão em cheque. Queria confiar que havia tomado a decisão certa em permitir que a pupila seguisse por esse caminho, mas sentia seu coração aflito.


.

.

.


Em algum lugar dentro da Vila do Som…

Sasuke e Sakura andavam pelo pequeno comércio sem chamar a atenção das pessoas à sua volta. A pequena aldeia fundada por Orochimaru estava sempre cheia de nukenins, ladrões ou baderneiros. O comércio era constituído em sua grande maioria por tavernas e casas de mulheres. Era um lugar escuro, cheio de entradas sinuosas e esconderijos subterrâneos.

Sakura apertava a capa ao redor de seu corpo, sentia uma vontade absurda de socar o rosto de Sasuke por tê-la arrastado até aqui. Ele não a disse o motivo, apenas ordenou que pegasse suas coisas e o seguisse.

— Esse lugar é tão agradável — comentou tentando ignorar o olhar de alguns homens sobre isso.

— Não saia de perto de mim.

— Se eu me aproximar mais estaremos usando a mesma capa — tentou rir, mas ele ficou em silêncio.

— Chegamos.

Sakura encarou o local e franziu o cenho, a placa indicava uma pequena casa de troca. Assustou-se com o homem de dois metros e uma enorme cicatriz no rosto que surgiu em sua frente.

— Carne nova… Orochimaru está sendo bondoso com seus lacaios.

Sakura estava pronta para atirar aquele nojento por metros, quando sentiu a mão de Sasuke a puxando.

— Eu disse para não sair do meu lado.

Ela arrumou a capa e bufou.

— Eu estava bem.

— Se desse um de seus socos aqui chamaria atenção, irritante.

— Onde estamos afinal de contas?

— Cumprindo ordens.

Sasuke seguia o corredor sem parecer se importar com os pedaços de membros retalhados nas prateleiras.

— Sasuke-kun! — Uma mulher o saudou na bancada. Ela parecia ser uns dez anos mais velha do que ambos, e vestia roupas insinuantes — O que o trás aqui novamente?

— Preciso disso — Entregou uma pequena lista.

— Hum… ingredientes interessantes. O que o mestre Orochimaru está planejando? — sorriu notando a presença da Haruno — Onde está a Karin-chan?

— Não é da minha conta. Não me faça esperar.

— Esta bem — disse arrumando a postura — Trago tudo em alguns minutos.

Sakura encarou a sua volta e arqueou a sobrancelha, aquela era uma realidade sombria e estranha. Não conseguia imaginar como Sasuke havia se habituado a isso com o passar dos anos.

— Não é sempre assim — disse a tirando de seus pensamentos.

Ela se voltou a ele.

— Não entre na minha mente, Uchiha.

— Não preciso entrar, existem coisas em você que nunca mudam.

A Haruno sentiu seu coração pular algumas batidas. Podia ser pouco, mas sentia que ali estava mais uma prova de que seu amado Uchiha pudesse ser salvo.


Notas Finais


Enfim.... Espero conseguir trazer a sequência até sábado hahahahha torçam por mim ( ꈍᴗꈍ)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...