História Mistake - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Bambam, Boysxboys, Drama, Got7, Homossexual, Jackbam, Jackson, Jaebum, Jingyeom, Jinyoung, Jyp, Kunpimook, Mark, Markson, Romance, Yaoi, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 24
Palavras 3.152
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Why this is so hard?


 

— Mark? Posso ir ai? — Youngjae telefonou para o amigo assim que saiu da casa de Jaebum, sentia o coração acelerado e todo o seu corpo tremer, não queria ficar sozinho.

— É claro que pode, vou deixar a porta aberta e você só entra! — Mark respondeu e Youngjae sentiu que seu peito iria explodir de felicidade.
 

Ao chegar na casa do amigo, Youngjae entrou e foi para o quarto de Mark, andando de um lado para o outro estralando os dedos, Mark revirou os olhos.

— O quê? — Mark sabia que o amigo não iria falar caso ele não demonstrasse interesse, então ele se mostrava inquieto e impaciente até você por algum motivo perguntar o porque ele esta agindo daquela maneira.

— Fui jantar com Chaewon, ela me beijou eu enlouqueci bebi demais desmaiei acordei na casa do Jaebum e to quase infartando desde então meu Deus o que eu faço eu não consigo pensar em nada Mark me ajuda! — Com tanta afobação, Yougjae mal respirou enquanto começou a falar, atropelando as palavras e deixando Mark confuso.

— Que? — Mark fez careta, ele realmente não havia entendido nada de tão rápido que o amigo falou.

— Eu fui jantar com meus futuros sogros e "meus pais", certo? — Yougjae aguardou Mark assentir e continuou. — Chaewon e eu saimos para beber, ela começou a desabafar e me beijou...

— Beijou? Botou língua, passou mão na bunda e tudo? — Mark estava segurando ao máximo para não cair na gargalhada.

— Nossa, não! Foi apenas um selar... — Youngjae revirou os olhos. — Mas eu comecei a me sentir estranho, sei lá, uma coisa ruim.

— Talvez seu passado esteja voltando... — Mark disse, rindo em seguida da expressão de nojo que apareceu na cara de Youngjae. — Ah Youngjae, você amava mulher antes, lembra?

— Lembro! — Youngjae se lembrava, se descobriu homossexual com dezessete anos, antes disso tinha um relacionamento com uma garota de sua sala até trai-la com um rapaz e descobrir que gostava da fruta. — Um erro que jamais será cometido outra vez...

— Tanto faz, você beijou Chaewon e então?

— Eu fiquei no bar, enchi a cara por estar confuso, descontei na bebida e tudo... Mas então... — Youngjae parou de falar e suspirou, relembrando o acontecido. — E então, eu desmaiei, não lembro de nada à não ser estar bebendo e de repente acordar na cama de Jaebum com outras vestes e tudo.

— Vocês transaram? — Mark parecia chocado, com uma mão tampando sua boca.

— Também achei isso quando acordei, mas então ele me disse que eu estava desmaiado na rua no frio e estava com febre...

— Você desmaiou no meio da rua? Youngjae você está bem! — Mark se levantou e encostou a mão na testa do amigo. — Está tentando se matar?

— Eu estou bem Mark, foca na história por favor? — Youngjae tirou a mão do amigo da própria testa.

— Certo, ele te ameaça e depois cuida... Entendi, ele é doido e quer te enlouquecer, fim da história!

— É também acho ele doido, mas o maior problema é o que senti após isso, Mark eu estava me sentindo bem e então comecei a me sentir culpado, e ele começou a me tratar mal no minuto seguinte.

— Ele cuida, depois trata mal? Youngjae ele quer te enlouquecer, ta na cara! Essa é a vingança dele, te enlouquecer e te botar em um manicômio.

— Eu não sei o que ele quer, eu sei que ele já me enlouquece Mark! E ele disse que Jackson falou com ele e por isso ele me ajudou e...

— Jackson falou com ele? Quando? — Mark interrompeu o amigo.

— Ele não deu muitos detalhes, não tive tempo de perguntar já que eu estava atrás de um buraco para me enfiar e esquecer que tudo isso está acontecendo!

— Ele disse o quê exatamente?

— Que não me deixou morrer porque conversou com "Jason" — Youngjae fez aspas com os dedos, e Mark riu do novo apelido que arranjou para Jackson.

— Eu estou com fome e não comi nada ainda, vamos sair para almoçar, então você me explica melhor essa história e se distrai um pouco... Pode ser? Você merece. — Youngjae assentiu e apanhou seu casaco, saindo com o amigo para o restaurante mais próximo.

Por mais que Mark tentasse dar atenção ao amigo, e estivesse aparentemente focado no que o mesmo falava, Youngjae percebeu que o mesmo estava um pouco aéreo, e conhecia o amigo bem demais para diferenciar seus verdadeiros sorrisos dos sorrisos falsos.

— Mark, vamos lá converse comigo... — Youngjae tocou a mão do amigo por cima da mesa. — Você não tocou na comida e está distante, o que houve?

— Você já tem problemas demais Youngjae, não precisa se preocupar com os meus! — Mark suspirou, sentia que iria desabar a qualquer momento.

— Vai ser bom me distrair dos meus próprios problemas por algum tempo... Você me trouxe para isso, afinal... Me conte, o que te aborrece?

— Ah, uma longa história... — Mark suspirou, e pensou um pouco no que exatamente falar para o amigo. — Tem um garoto que eu conheci cerca de quatro meses, eu não contei nada nem para o Jackson nem para você. — Mentiu.

— E o que tem? Ele é bonito? — Youngjae sorriu para o amigo, achando que seu mal estar era por não ter contado que se envolveu com alguém.

— Ele é lindo, é incrível, seu sorriso, seus olhos... A maneira como cuida dos amigos, tudo... Mas tem um problema. — Mark disse, vendo Youngjae revirar os olhos.

— Sempre tem, ninguém é perfeito, para de enrolar e conta logo... — Youngjae estava agonizando de curiosidade.

— Ele não quer nada sério, ele sabe que eu gosto dele e vivia dizendo que não queria relacionamento, cansado de ser feito de bobo "terminei com ele" — Mark fez aspas com os dedos. — E eu juro para você Jae, na mesma noite ele estava com outro!

— Mas que babaca! — Youngjae elevou o tom de voz. — como você pode se interessar por alguém assim?

— Eu não sei, eu sinto que ele sente algo... Não é possível! — Mark bateu na mesa, tentando evitar as lágrimas de cair mas foi meio impossível.

— Mark, entenda que não é só porque a pessoa parece que gosta de você que ela realmente gosta, entendeu? Nunca mais volte a vê-lo ok? Prometa!

— Eu prometo! — Disse Mark, pensando em como iria cumprir tal promessa ao amigo. — E não é porque alguém parece preocupado, que realmente está!

— Certo, vou guardar isso no coração!— Youngjae deu-se por vencido, assentiu ao que o amigo havia dito sorrindo em seguida.

Os dois continuaram conversando até ficar tarde, Youngjae sentia-se bem por estar com Mark, o amigo realmente o distraiu e pôde perceber que estava sendo de grande ajuda para ele também. 

Quando acharam que estava tarde, decidiram ir embora, Youngjae prometeu a Mark que o levaria até sua casa e assim o fez, andando abraçado com o amigo, sabendo da dor que o mesmo carregava no peito.






 

✖️
 

 

— Você está tão quieto, está tudo bem? — Perguntou Kunpimook, que estava deitado observando Jackson sentado em frente a janela do motel.

— Estou! Por quê? — Jackson nem se deu o trabalho de encarar o companheiro, que revirou os olhos diante tanta secura.

— Isso é por causa do ruivo escandaloso de ontem? Você é apaixonado por ele, mas não consegue largar a vida de solteiro por isso traiu? — Kunpimook se levantou e caminhou até Jackson, que se virou para ele e riu fraco, o puxando para se sentar em seu colo.

— Não é isso, é que ele é meu melhor amigo, sabe? Sempre que o imaginei chorando por outro homem, me imaginei indo até ele tirar satisfação, nunca pensei que o homem pudesse ser... Eu! — Jackson beijou o ombro do mais alto, que assentiu com o que dissera.

— Está se sentindo culpado? Você deveria se sentir culpado apenas se tivesse iludido, pelo que me disse, sempre deixou claro que não passava de diversão, não é?

— Sim, mas mesmo assim, ele ainda é meu amigo e eu o magoei... É complicado, deixe para lá! — Jackson empurrou Kunpimook levemente para o mesmo se levantar e colocou sua roupa, dando-lhe um beijo de despedida e saindo do motel em seguida.

Caminhava com seu olhar baixo, desde que Mark tivera o encarado com um olhar tão magoado não conseguia esquecer suas palavras, o amigo parecia tão triste, Jackson havia o magoado mais uma vez, mas dessa vez sentia que havia sido pior do que outras.

Não sabia se devia seguir até a casa do mesmo para conversarem, por algum motivo sentia-se receoso em ir até sua casa e encara-lo nos olhos, sentia que nunca mais seria capaz de fazê-lo, mas engolindo qualquer medo ou orgulho que estivesse sentindo, em passos largos foi até a casa de Mark.

Deu três batidas na porta e não recebeu resposta alguma, esperou mais uns dois minutos e novamente deu três batidas, ainda nada. Por achar que o garoto não queria vê-lo tampouco falar consigo, Jackson se virou para ir embora.

— O que faz aqui? — Deu de cara com Mark com os braços cruzados e o pior olhar de desdém que poderia dar, atrás dele estava Youngjae, que não entendeu o clima pesado que ficou no ambiente tão de repente.

— Vim falar com você, sobre o assunto de ontem... — Jackson acenou para Youngjae enquanto tentava disfarçar sua vontade de segurar Mark pelos braços e manda-lo parar de criar caso.

— Ah sim, não se preocupe com isso, já falei com Youngjae e já estou melhor! Obrigado. —Mark sorriu pequeno para Jackson e o mesmo o olhava com os olhos levemente arregalados.

— Falou com Youngjae? — O olhar de Jackson se alternava entre Mark e Youngjae, enquanto Youngjae sorria.

— Sim, ele desabafou comigo sobre o cara que ele gosta, ele já está melhor não se preocupe! Passamos a tarde juntos conversando sobre e trocando conselhos! — Youngjae deu um leve tapa no ombro de Jackson, que apenas concordou. — Ah, e se você souber quem é, me conte! Esse falso não quis me falar nada.

Jackson sorriu e suspirou aliviado, enquanto Youngjae se despedia dos amigos e ia rumo à sua casa. O "sorriso" de Mark ainda estava lá, em uma mistura de nojo e raiva, como se Jackson estivesse com alguma doença contagiosa. Mark se virou para entrar em sua casa mas fora impedido por Jackson que o segurou pelo braço.

— Por favor para de fazer esse show, certo? Vamos conversar como dois adultos, Mark! — Mark virou para Jackson e revirou os olhos, puxando seu braço das mãos do mesmo.

— Claro! Você tem dois minutos. — Mark sorriu falsamente e entrou em sua casa, dando espaço para Jackson e, assim que o loiro entrou, fechou a porta mas não a trancou, na esperança de expulsa-lo o mais rápido possível.

— Eu entendo que esteja magoado, mas a culpa não é minha Mark, eu deixei bem óbvio que não passaria de sexo! Você se iludiu sozinho, já disse. — Jackson coçou a nuca com certa raiva, estava apreensivo.

— Tá bom. — Jackson encarou o amigo que mantinha um olhar sereno. — Você está certo, me iludi sozinho... Por isso vou te esquecer, acabou tudo mesmo. — Mark abriu a porta enquanto Jackson mantinha-se parado o encarando sem entender.

— É só isso? Só vai dizer que acabou? Está tudo bem entre nós? — Jackson aproximou-se do menor em passos lentos, com medo de levar um tapa ou algo do tipo, se bem que, seria melhor do que essa atitude de indiferença que estava recebendo.

— Não está tudo bem porque ainda gosto de você, mas ainda somos amigos... Apenas isso Jackson, apenas amigos. — Mark sorriu abertamente para o loiro e o empurrou delicadamente para fora de sua casa. — Agora se me da licença, irei tomar um banho pois antes de me encontrar com Youngjae eu tive uma noite conturbada. Até mais, amigo!

Jackson entendeu a ironia de Mark, só não entendeu o porque dela ser necessária. Agora Mark estava disposto a esquece-lo e seguir sua vida, seria melhor para os dois certo? Sim! Então porque Jackson sentiu uma leve dor no peito quando ouviu Mark o chamar de Amigo? Foi para sua casa e a todo momento sua cabeça estava em Mark, ele estava agindo estranho e Jackson não gostou nada do tom que foi usado consigo. Mas se Mark precisava de espaço para as coisas voltarem ao normal então, bom, esse espaço seria dado.




 

✖️







 

— Youngjae onde você estava? Está a quase dois dias fora! — Minhee gritou, assustando o garoto que havia acabado de entrar dentro de casa.

— Onde está meu pai? — Youngjae revirou os olhos e seguiu para a escada, para ir ao seu quarto.

— No hospital, irá ter um plantão pelas proximas 48 horas... — Minhee seguiu-o, levemente alterada.

— E ele te perguntou onde estou? — Youngjae parou no topo da escada e se virou para a mulher, que bufou.

— Não... — Ela voltou a atenção ao Youngjae após ter revirado os olhos pela birra do garoto.

— Então, você também não precisa saber.

Youngjae sorriu cínico e entrou em seu quarto trancando a porta em seguida, se jogando na cama, não conseguia esquecer o mais velho o olhando tão profundamente enquanto se aproximava, muito menos o misto de sensações que sentira em talvez seis horas que passou dentro daquela casa.

 

— VOCÊ QUER ME MATAR GAROTO? Jaebum gritou, assustando-o um pouco.

— Não, você empurrou a porta porque quis. — Atreveu-se a dizer, e não havia mentido em momento algum.

— É MEU BANHEIRO, E VOCÊ SE TRANCOU! VOCÊ NÃO ME RESPONDIA, ACHEI QUE TIVESSE FEITO ALGUMA COISA COM VOCÊ MESMO! — Jaebum levantou-se em um pulo e ao encara-lo, mudou sua expressão e o tom de voz — Achei que tivesse feito besteira... Vá embora Youngjae, suas roupas estão secas!

 

Só então Youngjae percebeu que estava sorrindo, pela possível preocupação de Jaebum. Sabia que o mesmo estava magoado e não queria de fato o matar, por mais que isso fosse menos doloroso que todo olhar de ódio que recebia. Mas o olhar de preocupação, suas ações cuidando de si, definitivamente quase apagou os momentos ruins, quase...

 

— Eu sou fraco, Youngjae... — Jaebum disse quase em um sussurro, aproximando-se mais do mais novo, que deu um passo para trás. — Se eu fosse forte, teria o deixado lá para morrer!

Lembrou-se do que sentiu quando Jaebum lhe disse tais palavras olhando fundo em seus olhos, as palavras de Jaebum o cortavam mais fundo que uma faca, lhe atingiam em cheio o estômago e tinha a sensação de estar sangrando. Será que Jaebum não poderia dizer que perdoa Youngjae? Tudo o que Youngjae mais quer é que o outro sorria e diga-lhe que aceita suas desculpas.

Jaebum estava sempre de cara fechada para Youngjae, mesmo que ele entenda o motivo ainda sonha em vê-lo sorrir. Ah, o sorriso de Jaebum deve ser encantador, o garoto era lindo isso Youngjae não podia negar, seus olhos lhe tiravam o fôlego e vê-lo tão perto, mesmo que para soar ameaçador fez com que Youngjae perdesse as estribeiras, não por sentir medo, na verdade Youngjae não sabia dizer o porquê de ter perdido o fôlego por alguns segundos quando pôde olhá-lo tão próximo.

Quando se tratava de Jabeum, Youngjae tinha sentimentos misturados, ele não conseguia explicar como o mais velho o fazia se sentir amedrontado e seguro ao mesmo tempo, pois, nunca sentiu-se tão bem cuidado quanto o tempo em que esteve em sua casa, Youngjae balançava entre o medo e o aconchego com o garoto, mas um sentimento era óbvio, remorso.

Youngjae sentia remorso em apenas se lembrar de Jaebum, não conseguia sorrir sem pensar no mesmo, sentia-se egoísta por estar sorrindo enquanto outros estavam chorando por sua culpa, na verdade Youngjae se pegou pensando em uma resposta para ainda estar respirando, mas era covarde demais até para cometer um suicídio de fato, tudo o que disse para Jaebum não foi da boca para fora, realmente quer morrer, mas não pelas suas próprias mãos, não teria coragem para fazê-lo.

Tentando afastar tais pensamentos, o garoto tentou forçar-se a dormir, não queria mais que sua mente lhe traísse de tal forma, mas ao fechar os olhos e tentar pensar em outra coisa, sua mente voltou a levá-lo até Jaebum, voltou a lembrar-se do mais velho e sentiu seu peito falhar algumas batidas.

"Que droga de sentimento é esse?" Pensou Youngjae, batendo em seu peito em seguida em uma tentativa falha de esquecer aquilo. Bufou e cobriu a cabeça, fazendo assim, ficar mais escuro e quem sabe mais fácil para pegar no sono.

"Que merda eu estou sentindo? O que está fazendo comigo? Você realmente quer me enlouquecer, Jaebum" Youngjae apertou os olhos mordendo o lábio, sentia-se estranho, aquilo doía como jamais havia sentido antes e ele apenas queria esquecer. Até que então finalmente sentiu o sono tomando-lhe conta, estava adormecendo aos poucos, mas não antes de imaginar Jaebum sorrindo-lhe e com um sorriso fraco, relaxar e finalmente se entregar ao mundo dos sonhos.







 

✖️











 

Mark estava com uma dor de cabeça insuportável, estava chorando e se sentindo um lixo a pelo menos três horas, havia contado para Youngjae e por mais que o mesmo estivesse ali lhe confortando, sabia que na verdade não estava sendo cem por cento confortado, se Youngjae soubesse que o "cara babaca" era na verdade seu melhor amigo, será que a atitude teria sido a mesma?

E para piorar, Jackson havia aparecido em sua casa. Tentou a todo custo não desabar na frente dos dois, sentia que iria explodir a qualquer momento. A cara de pau de Jackson repetindo as mesmas palavras de novo, e de novo, e de novo.

"Eu deixei bem claro que era apenas sexo, você se iludiu sozinho."

— Eu já sei seu babaca, você já falou isso mais vezes do que posso contar! — Mark gritou, em meio as lágrimas, arremessando um travesseiro na parede.

Sua vida girava em torno de Jackson, desde que começaram com seja lá o que tinham, era apenas eles dois... Corta-lo da sua vida tão de repente o quebrou por completo, mas não tanto quanto ter a confirmação de que realmente não valia nada para o loiro, que não passava de diversão. Isso não fazia sentido, tudo o que viveram, todos os momentos, Mark jurava que em cada beijo havia algum significado, que cada toque ia além do sexo, tocavam a alma um do outro. Pelo jeito, apenas ele se sentia dessa forma. Cansado de pensar demais, com sua cabeça latejando de dor, Mark sentia que iria morrer, pegou um travesseiro e escondeu o rosto nele, gritando até ficar sem ar, levantando a cabeça apenas para respirar e enterrando-a de volta no travesseiro, gritando novamente.

Repetiu o processo por pelo menos três vezes, só assim para finalmente se acalmar e decidir ir tomar um banho. Sentia-se quebrado da cabeça aos pés, lágrimas ainda saiam de seus olhos e ele não tinha mais forças para impedi-las.

Deitou-se olhando para o teto, tentando achar uma solução para esquecer o Jackson, e decidiu que iria se enterrar nos problemas de Youngjae, assim pelo menos, esquecia o quão miserável sua vida era por pelo menos alguns minutos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...