História (Mis)Take (BTS - Jungkook) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 437
Palavras 1.061
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


continuando...

Capítulo 3 - A consequência (Parte 2)


Fanfic / Fanfiction (Mis)Take (BTS - Jungkook) - Capítulo 3 - A consequência (Parte 2)

Peguei estrada, cortando caminhos que nem eu sabia que existiam, com a dor no peito só de pensar no estado em que Angel deve estar neste exato momento, e tudo isso por culpa minha, por não ter deixado ela se explicar, e o pior de tudo ter falado aquelas coisas para a minha ômega. E sem perceber, eu tinha finalmente chegado ao hospital onde a ambulância tinha colocado minha pequena. Estacionei meu carro e logo sai do mesmo entrando no ambulatório já não aguentando tanta angustia.

 

 

-Por favor, moça, eu sou o noivo de Angel Queen Salazar, ela sofreu um acidente ainda pouco, um dos ambulantes me ligou, pelo amor de Deus me deixa ver minha pequena? – Pedi aos prantos, e ela logo me chamou para uma outra sala, onde um dos enfermeiros me deu um copo com um comprimido dizendo que era um calmante próprio para alfas, já que meu cheiro estava forte.

 

 

-Agora que já se acalmou, peço que preencha apenas essa pequena ficha e assine logo em baixo e logo verem quem é o médico de plantão que atendeu sua esposa – A recepcionista disse logo depois de uns minutos que meu cheiro e meus nervos se acalmaram.

 

 

-Muito obrigada moça – Disse com um fio de voz.

 

 

 

[...]

 

 

 

Estava fitando o relógio que estava pendurado na parede a minha frente, vendo que já se passaram 3 horas desde que cheguei aqui e quando vi um homem com um jaleco de medico e no mesmo estava escrito o nome dele mais ainda estava muito longe de ler e ele estava fitando seriamente uma prancheta que continha uma ficha, que era a de Angel. Como eu sabia disso? Meu instinto alfa.

 

 

-Parente de Angel Salazar? – O mesmo disse o nome da minha pequena e meu coração se encolheu por alguns segundos dentro de meu peito.

 

 

-Eu senhor – Disse já de pé e bastante aflito.

 

 

-Acompanhe-me por favor – Disse logo me deu as costas e eu apenas abaixei minha cabeça e segui-lo.

 

 

 

Já chegando à sala do medico e vi que ele sorriu de consolo para mim. E logo eu já me encontrava quase enlouquecendo dentro daquela sala para tentar arrancar alguma informação do estado da minha pequena.

 

 

-Bom, pelo que ficamos sabendo, sua noiva estava dirigindo seu carro perto do cruzamento e um caminhão a bateu fazendo com que o carro capotasse três vezes. Os ambulantes logo foram chamados pelas testemunhas que estavam ali e o corpo de Angel sofreu vários traumas, quebrou cinco costelas sendo três não tendo mais esperança de restauração, hemorragia cerebral, três paradas cardíacas durante a cirurgia de emergência e seu corpo tem carência de sangue O- e vitaminas que protegem seus ossos já que a pequena ômega tem uma falha no seu organismo que não produzem naturalmente essas vitaminas – O medico disse enquanto riscava a ficha onde tinha todas as informações de minha pequena Angel.

 

 

-O que isso significa doutor? – Perguntei já chorando.

 

 

-Não sabemos exatamente como Angel reagirá – Ele disse e eu deixei ainda mais meu lobo mais desesperado que eu.

 

 

-Como assim? – Perguntei aflito.

 

 

-Angel está em coma profundo, por mais que conseguíssemos medica-la com as devidas vitaminas, reabastecer seu corpo com o sangue, estancarmos a hemorragia e reanimar seu coração, Angel perdeu seu bebê de três meses, o acidente a deixou totalmente impossibilitada, o pequeno ou pequena era forte, porém, a gravidez que ela estava era de risco, o senhor não sabia disso? – O doutor disse e eu estava ficando cada vez mais magoado e angustiado.

 

 

-Não... – Respondi ainda perplexo.

 

 

-Bom você é um alfa lúpus certo? – Ele perguntou e eu apenas acenei com a cabeça olhando para qualquer ponto, pois não queria olhar para ele – Bom, quando um lúpus cruza com uma fêmea, sua ligação, caso fosse marcada, só aumentaria fazendo o bebê nascer mais forte que nunca, os lúpus conseguem transmitir força para suas crias, mesmo que ele ainda esteja dentro da barriga da fêmea, e pelo fato de a pequena ômega ter escondido isto de seu próprio alfa por três meses, sua saúde baixou exageradamente fazendo seu corpo, que já é frágil de natureza, ficar como se fosse um algodão – Ele disse e eu apenas assenti.

 

 

-E-eu quero vê-la, eu posso? – Perguntei ainda com um fio de voz.

 

 

-Claro, me acompanhe – Disse o doutor e logo saímos da sala, seguindo pelo elevador, onde tinha os leitos nos andares de cima. E logo atravessamos um longo corredor, e quando vi que estávamos chegando aos leitos onde tinha casos de linha vermelha, meu coração ficou do tamanho de uma formiga quando ele parou na ultima porta vermelha do corredor – Bom, como você foi à única pessoa que veio, vou autoriza-lo a ser o acompanhante dela, porém, não a alarme muito, por mais que seu corpo estava em coma, alguns sentidos ainda estão acordados, ainda não sabemos como está sua saúde emocional, Angel é uma hibrida rara, seus sensores são diferentes de ômegas comuns. 

 

 

 

Assim que o medico foi embora, eu fitei a porta suspirando pesadamente e coloquei minha mão na maçaneta gélida e abri. A cena que eu poderia considerar a pior e a que me deixou totalmente destruído é a que estou tendo agora.

 

 

 

Angel estava totalmente enfaixada e com várias maquinas ligada ao seu corpo e vários remédios pendurados que ela estava tomando em suas veias. Tubos que estavam a mantendo viva e maquinas que regularizavam sua pressão, batimentos cardíacos e vários cobertores cobrindo seu corpo que devia estar tão acabado que não sei se teria coragem de ver, pois seu rosto todo inchado, pálido, magro e totalmente cheio de hematomas me fez chorar que nem uma criança bobona.

 

 

-Meu amor – falei aos prantos ajoelhado ao lado da sua cama tentei tocar seu rosto, mas não tive coragem, apenas fiquei ali olhando para seu rostinho – O que foi que eu fiz? Céus Angel, eu... Por favor... Não me deixe meu bem, você sabe que tudo o que eu falei não era verdade, eu sei que você não teve culpa nenhuma, eu que tenho, eu devia ter me contido e te escutado, tentar te compreender, mas eu mais uma vez fui estupido e agora você está aqui, por culpa minha – Disse e apenas abaixei minha cabeça entrelaçando nossas mãos e vi que tinha um objeto ali no seu dedo e vi que era nossa aliança de namoro.

 

 

 

Foi tudo culpa minha.

 


Notas Finais


agora o bixo pega.
Eai? Estão gostando? me contem seus sentimentos aqui em baixo.
até o próximo

~Kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...