1. Spirit Fanfics >
  2. Mistaken >
  3. O Começo

História Mistaken - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi!!
Essa é a minha primeira fanfic, então estou bem nervosa, haha.
Mas, bom, espero que gostem.

Esse primeiro capítulo dedico a uma amiga maravilhosa que tem me apoiado e ajudado bastante durante a criação dessa fanfic: @_filmesserieshd !! Feliz aniversário atrasado!! Espero que você possa aproveitar muito esse novo ano e que realmente, possamos comemorar mais aniversários juntas! Muito obrigada pela sua ajuda e pelo seu apoio, e novamente, parabéns!!

Boa leitura!

Capítulo 1 - O Começo


Eu me lembro de ser feliz. De sentir felicidade genuína.

 

Quando eu tinha seis anos, meu pai ficou muito doente e morreu. Lembro de ter chorado bastante. Minha mãe também estava arrasada e de coração partido, mas ela se esforçou para nunca me mostrar o quanto estava quebrada por dentro, e me criou para ser amável e gentil não importasse a situação ou a quem.

 

 

Dois anos depois, quando eu tinha 8 anos, a minha mãe voltou de viagem e convidou um homem, chamado Choi Junwoong para jantar no nosso casarão. Isso não era um acontecimento novo, pois como mamãe era uma dama de negócios, ela costumava levar vários homens e mulheres para jantar em casa e fazer negociações. O que diferenciou esse homem dos outros que a minha mãe já fez negócios, é que esse continuou vindo para nossa casa. No começo, era uma ou duas vezes por mês, mas depois eles começaram a se ver algumas vezes durante a semana.

 

 

Quando eu fiz nove anos, minha mãe decidiu fazer uma pequena festa de aniversário para mim, convidando todos os criados a descansarem e aproveitarem o dia comigo. Como nossa mansão ficava longe da cidade, eu raramente via outras crianças da minha idade, então acabei fazendo amizade com os criados, que gostavam muito de mim. No dia do meu aniversário, Choi Junwoong veio para me presentear, e ele também trouxe duas crianças consigo, que eram os filhos dele: Choi Saerom, e Choi Sanghyun. Os dois eram quase completos opostos. Saerom, uma menina de dez anos, linda, forte, mas egoísta, que parecia me odiar assim que me viu. Sanghyun, um menino de onze anos, quase idêntico à irmã, e também parecia que não gostava de mim, mas as semelhanças terminavam por aí. Ele era quieto, magro, e também muito bonito, mas resolveu me ignorar assim que me viu. Assim, acabei brincando só com os meus amigos criados, e com o filho de uma delas, chamado Jimin, que era um ano mais novo que eu. Eu e Jimin éramos melhores amigos. Brincávamos de luta com espadas de madeira, cavalgávamos, e nos divertíamos demais quando estávamos juntos.

-Yoongi!! Vem aqui! Tenho uma surpresa para você! - A minha mãe me chamou.

-Já estou indo mamãe! - Fui correndo ao alcance dela, que me abraçou e encheu meu rosto de beijinhos. Juntos fomos andando ao estábulo, e lá, ela me mostrou o cavalo mais bonito que eu já tinha vista na minha vida.

-Feliz aniversário, Yoongi! Eu te amo demais, e sei que você ama cavalgar no Charles, mas acho que você vai amar ainda mais cavalgar no seu próprio cavalo. O que você acha!?

-Obrigado mamãe!! - Eu disse, enquanto abraçava ela. -Ele é lindo e muito forte! Eu amei! O nome dele vai ser... Denes!

-Que nome bonito! Agora, quer ajuda para subir nele? - Perguntou, já querendo me ajudar.

-Não, mamãe! Eu já consigo sozinho! - Com calma e devagarinho, fui subindo no Denes pela primeira vez. Denes soltou um relincho feliz, e eu saí do estábulo cavalgando nele. -Obrigado, mamãe!! - Gritei, olhando para trás. -Eu te amo!

-Eu também te amo, filho! - Minha mãe gritou e foi andando para perto dos criados, que estavam me assistindo dar minhas primeiras voltas pelos campos da mansão com Denes.

Denes e eu passamos correndo ao lado dos criados, da minha mãe, Junwoong seus filhos, e depois de dar mais algumas voltas, chamei Jimin para cavalgar com Denes e comigo.

-Claro que quero andar no seu cavalo com você, Yoongi! Me dê sua mão e me ajude a subir! - Jimin rapidamente respondeu, e estiquei minha mão para alcançá-lo e ajudá-lo a subir. -UAU! Esse cavalo é bem alto, né!? Ele é tão rápido quanto eu vi, ou ele pode correr ainda mais rápido!? - Jimin disse, quase me desafiando.

-Só para você saber, Jimin, o nome dele é Denes. E é claro que ele pode ir mais rápido, não é, Denes!? - Falei, olhando para baixo, e acariciando a crina do meu novo cavalo. -Se segure, Jimin! - E atravessamos os campos mais rapidamente do que qualquer outra pessoa já tinha feito com qualquer outro cavalo. Esse com certeza foi o meu aniversário favorito.

 

 

Um mês depois do meu aniversário, minha mãe me chamou para conversar no escritório dela.

-Mãe? Muyin me disse que você me chamou. Precisa de alguma coisa? - Perguntei assim que entrei no escritório. Minha mãe estava de costas para mim, virada de frente para a escrivaninha, sentada em uma cadeira marrom e escrevendo em alguns papéis.

 -Sim, Yoongi. Quero conversar com você. - E se levantou, indo até mim. -Venha se sentar comigo no sofá. - Então fomos os dois em direção à parede com quadros, que tinha um sofá grande que combinava com a decoração do escritório. Assim que nos sentamos, ela começou a explicar o porquê de ter mandado me chamar.

-Yoongi, você sabe que eu te amo muito. Eu ainda amo muito o seu pai, mas acho que você precisa de uma figura paterna na sua vida. Bom...- Fez uma pequena pausa, inspirando e expirando profundamente. -Você sabe que eu tenho me encontrado muito com Choi Junwoong. Você já o conhece, e já falou várias vezes com ele. Inclusive, já conheceu os filhos dele no seu aniversário, lembra? - Concordei.

-Eles são legais, não são!? - Eu não gostei muito dos filhos dele, na verdade, mas talvez isso só fosse por causa das primeiras impressões. Talvez eu tenha entendido os filhos dele de maneira errada, talvez Saerom e Sanghyun fossem legais! Nós só precisávamos nos encontrar novamente, e talvez iríamos nos dar bem e até sermos amigos! Então, com esses pensamentos em mente, concordei com a minha mãe novamente. -Sim mamãe, eles são legais.

-Que bom que você gosta deles, filho! A grande notícia que eu quero te dar é... Eu quero me casar com Junwoong. Eu me apaixonei por ele, e acho que está na hora de trazermos mais pessoas para essa família. Se nos casarmos, seremos você, eu, Junwoong, Saerom e Sanghyun, uma família. Mas eu não vou me casar a não ser que você queira, Yoongi. Não importa o quanto eu ame Junwoong e também seus filhos, você é a pessoa que eu mais amo. Yoongi, meu filho, você apoia meu casamento com Junwoong?

Nesse momento, eu fiquei sem reação. Claro, eu tinha acabado de ter ideias sobre ser amigo dos irmãos, mas ser irmão deles? E sobre Junwoong? Será que eu gostaria de que ele fosse o meu padrasto? Ele nunca foi rude comigo, só era um pouco frio. Apesar de tudo isso, eu poderia dar uma chance a eles. Talvez eles só sejam do jeito deles mesmo. E, se a minha mãe estava feliz, então eu também estava. Afinal, a melhor maneira de fazer novos amigos seria ser irmão deles!

 -Sim mamãe! Se você está feliz, então, sim. Vai ser muito legal!! Vou ter irmãos! - Falei animadamente com um sorriso no rosto.

-Que bom que você está feliz com a minha escolha, filho! Agora, quer me ajudar a fazer o planejamento do casamento, e arrumar a casa para os três novos moradores? - Ela perguntou, olhando para mim, com um sorriso lindo estampado no rosto.

-Claro, mamãe! - Eu respondi, abraçando minha mãe com força.

 

Três semanas mais tarde, minha mãe e Junwoong se casaram. O casamento foi grande, e muitas pessoas, várias que eu nem conhecia, vieram. Logo após o casamento na igreja da vila, todos os convidados se encaminharam para suas carruagens e foram para a nossa mansão para a festa. Minha mãe, meu padrasto, meus irmãos e eu fomos na primeira carruagem, que era branca e dourada, a mais bonita de todas as carruagens ali. Depois de uma meia hora na carruagem, chegamos na mansão. Mamãe e meu padrasto desceram primeiro e foram imediatamente recebidos pelos criados com felicitações e comprimentos. Todos estavam tão felizes!

-YOONGI!! - Jimin gritou, correndo até mim e me abraçando. -Parabéns pelos seus pais, Yoongi!! Eu espero que seja muito legal! E agora nós temos mais pessoas para brincar! -Disse, olhando para Saerom e Sanghyun que estavam saindo da carruagem.

-Sim, Jimin! Vai ser ainda mais divertido! Ei, quero te apresentar para os meus novos irmãos! Venha, Jimin! - Chamei, puxando a mão dele.

-Saerom, Sanghyun! Esse é o meu melhor amigo, Jimin! - Falei, apresentando Jimin a eles. -Jimin, esses são Saerom e Sanghyun, meus novos irmãos!! Espero que todos nós possamos ser amigos!! - Exclamei, olhando para cada um deles e sorrindo.

-Yoongi! - Chamou Saerom. -Nós não vamos ser amigos. Eu não quero ser amigo seu, e muito menos amigo do filho de uma criada. - Disse, falando como se estivesse com nojo de Jimin e da mãe dele. Eu olhei para os lados, querendo saber se mais alguém estava ouvindo isso, mas todos os adultos estavam conversando entre si.

-E, Yoongi! Nós não somos irmãos, entendeu!? Nós somos irmãos-postiços, e isso é muito diferente! - Sanghyun falou, me olhando como se eu tivesse acabado de cometer um crime. -Aliás, Jimin, você não deveria estar trabalhando!? - Então os dois nos empurraram e seguiram o caminho até a entrada da mansão, onde estava acontecendo a recepção dos convidados.

Olhei para o lado e vi Jimin com lágrimas nos olhos.

-Jimin! Não chore! Eu tenho certeza de que eles só não estão acostumados com a ideia de ter outros amigos! Talvez eles nunca tiveram amigos antes! - Falei, tentando acalmar Jimin um pouco e abraçando ele.

-Não estou triste! Estou com raiva, Yoongi! Como eles podem chegar em um lugar e já agir como se mandassem em tudo? Eles são maus, Yoongi! - Jimin afirmou, se soltando do meu abraço e olhando para mim. -Você não quer ser amigo deles, né!? O Sanghyun praticamente me mandou ir trabalhar, mas eu quero continuar aqui com você!

-Jimin, eu ainda quero dar a eles uma chance. Você sabe disso. Ainda assim, o Saghyun é só uma criança como nós, e você não tem que obedecer a ele e ir trabalhar. Além disso, hoje foi o casamento da minha mãe e meu novo pai, e eu quero comemorar esse dia com você! Você é o meu melhor amigo, ChimChim!! Nada nunca vai mudar isso! - Expliquei para ele.

-Você também é o meu melhor amigo, Suga!! - Exclamou, sorrindo.

-Já falei para não me chamar assim, Jimin!! - Falei, empurrando Jimin de leve para trás como brincadeira.

-Mas você é tão branquinho como açúcar!! Não vou parar de te chamar de Suga! Ei! Sabe o quê!? - Perguntou, chegando bem perto de mim.

-O quê? - Perguntei, curioso para saber o que meu melhor amigo estava fazendo.

-TE PEGUEI! - Gritou, encostando em mim e fazendo força para me empurrar e me deixar cair para trás, antes de sair correndo. -AGORA ESTÁ COM VOCÊ, YOONGI!! VEM ME PEGAR, SUGA!!! - Gritou de novo, sem parar de correr.

-AAAH, EU VOU TE PEGAR, CHIMCHIM!! - Gritei de volta, levantando e correndo atrás dele.

 

No final do dia, depois que Jimin e eu estávamos exaustos de tanto brincar e comer, nos despedimos, já que Jimin dormia com a mãe na casa dos empregados, que ficava perto do estábulo e atrás da mansão. Os convidados foram saindo aos poucos, e no final, minha mãe me pediu para mostrar a Saerom e ao Sanghyun o novo quarto deles, e depois me arrumar para dormir.

-Saerom, Sanghyun! - Chamei, e logo achei os dois comendo no salão Oceano, que usávamos para festas por ser bem grande, e que chamávamos assim por causa do chão e paredes de Turquesa, detalhes em dourado e decoração de madeira fina. -Mamãe me pediu para mostrar o novo quarto de vocês! Querem ver? - Perguntei.

-Não dá para ver que estamos ocupados comendo, Yoongi? - Saerom falou com raiva.

-Ah, venham, vocês podem comer mais depois ou amanhã! Eu tenho certeza que vocês vão amar o quarto! - Tentei de novo.

-Uh, tudo bem. Venha, Sae. - Sanghyun respondeu.

Eu guiei meus meio-irmãos pelas escadas e corredores, e chegamos ao corredor dos quartos da família. Paramos assim que chegamos a uma porta marrom bonita, perto da porta que dava ao meu quarto. Eu abri a porta e ouvi um “Oh!” vindo de Saerom.

-Esse é o novo quarto de vocês! Tem duas camas, com mesinhas pequenas do lado, duas escrivaninhas com cadeiras bem confortáveis, dois armários grandes e uma vista linda dos campos e do portão principal da mansão! Aquela porta ali – Eu disse, apontando para ela  -Dá para o banheiro, que também é bem grande. Além disso tudo, esse quarto tem até um pequeno sofá em baixo das janelas! E vocês ainda podem trazer suas coisas para cá amanhã! Vocês gostaram do quarto? Eu que ajudei a decorar! - Falei tudo animada e rapidamente.

-É... aceitável. - Disse Saerom, passando por mim e sentando na cama com cobertores rosa claro e bordô.

-...- Sanghyun não disse nada ao passar por mim e se direcionar à outra cama, com cobertores verde e cinza claro.

-Bom, eu... vou indo. Tchau, Saerom, tchau Sanghyun! - Eu disse, saindo do quarto e fechando a porta.

Logo após sair do novo quarto dos irmãos, entrei no meu quarto e fechei a porta. O meu era igual o deles, mas com mais espaço sobrando, já que só tinha uma coisa de cada que os irmãos tinham em dobro. Peguei no sono enquanto pensava sobre os vários acontecimentos do dia: O casamento, as várias pessoas que eu não conhecia, a felicidade da minha mãe, os meus novos irmãos, ou meio-irmãos, todos os momentos de diversão com Jimin, a comida, e com alguns pensamentos de esperança. Talvez, só talvez, eu só ia precisar de um tempinho para me acostumar com uma família maior, e então iríamos todos nos dar bem e sermos muito felizes juntos.

 

 

Cinco anos mais tarde e alguns meses depois de eu completar quatorze anos, minha mãe saiu para uma viagem novamente. Ela prometeu que voltaria em duas semanas, e eu fiquei muito contente porque isso significava que eu não iria sentir saudades por tanto tempo, já que geralmente as viagens eram de um mês, e também que meu padrasto iria fazer menos festas em casa. Não que eu não gostasse de festas, mas as dele sempre tinham pessoas demais, pessoas desconhecidas, que falavam e agiam como se mandassem em casa, e que me ignoravam. Além disso, sempre que tinha uma festa, Jimin tinha que trabalhar, mesmo quando eu protestava para deixá-lo fazer qualquer outra coisa. Todos os convidados sempre me ignoravam, e meus meio-irmãos, que com o tempo descobri que realmente não gostavam de mim, também não faziam esforço nenhum para ver que eu estava ali. Se Jimin estava trabalhando, com quem eu deveria ficar então? Eu geralmente sempre ia para a cozinhar oferecer ajuda, e com isso aprendia muitas receitas, mas em dias de festa, por mais que eu fosse só mais uma presença, eu deveria estar com todos os convidados no salão Oceano.

Estranhamente, minha mãe não apareceu depois das duas semanas. Nos dois primeiros dias, eu não me preocupei, já que isso acontecia às vezes por conta de atrasos, desvios, ou paradas inesperadas no caminho, mas no final do terceiro dia eu já estava bem preocupado. Finalmente, depois de cinco dias, alguém trouxe notícias da minha mãe. Infelizmente, não eram aquelas que eu queria ouvir, e também não me aliviaram de forma alguma.

-Yoongi? - Muyin perguntou, batendo na porta do meu quarto. -Eu sei que já está escuro, mas tem um homem lá fora que quer conversar com você!

-Já estou indo! - Respondi.

Assim que eu terminei de descer as escadas, me dirigi a porta da frente e encontrei um homem. -Boa noite, senhor! - Cumprimentei.

-É Choi-Min Yoongi? - Perguntou.

-Sim, sou. - Respondi.

Então o homem tirou o chapéu e o segurou na frente do corpo, de maneira solene.

-Meus pêsames, jovem Choi-Min Yoongi. - Eu paralisei. -Jovem, a sua mãe sofreu um acidente com a carruagem quando estava voltando. Os médicos tentaram reanimá-la, mas já era tarde demais. Minutos antes de morrer, ela me pediu que entregasse isto a você. - Devagar, estiquei o braço e peguei a pequena flor com um laço de fita azul pendurado nela.

-... Obrigado. - Respondi, com a voz falhando.

O homem se virou de costas e saiu, e eu fechei a porta de modo devagar. Assim que me virei, encontrei meu padrasto e meus irmãos encarando a porta e a mim.

-Por que o homem não trouxe o meu pedido? Ele poderia ao menos ter trago os chapéus novos que pedi! - Questionou Saerom.

-Filha, não vê que isso não importa mais? Não teremos mais uma fonte de renda! Não teremos mais do que viver! - E, dizendo tudo isso, saiu de perto da entrada de casa, em direção ao escritório da minha mãe, com seus filhos indo logo atrás.

Assim que eles saíram, corri para o jardim. E então, vendo que eu estava sozinho e não conseguindo mais me segurar, chorei. Chorei porque sabia que a minha mãe não voltaria mais. Chorei porque sentia a falta dela mais do que nunca. Chorei porque lembrei do meu pai, e chorei por causa que sabia que todos os momentos felizes que tive com eles agora não passavam mais de memórias e lembranças. Chorei, e não me lembro em que momento parei de chorar, entrei na mansão, fui em direção ao meu quarto, me deitei na cama e comecei a chorar de novo.

 

 

No dia seguinte, quando consegui reunir forças para levantar e comer algo, já passavam do meio-dia. Estranhei, mas não prestei muita atenção nisso. Assim que terminei de descer o último degrau nas escadas, vi que tudo em casa estava uma bagunça. Haviam malas em todo canto. Resolvi ir para a cozinha, e assim que cheguei lá, alguém me chamou.

-Yoongi! - Jimin e Muyin me chamaram ao mesmo tempo -Sim? - Respondi de maneira triste.

-Eu sinto tanto! - Jimin falou, chegando mais perto de mim e me abraçando.

-Vou sentir falta dela, Yoongi. Todos nós iremos. - Muyin confessou, também chegando perto de mim e me abraçando pelo outro lado.

-Eu... É real. A... minha mãe... não vai mais voltar. - Admiti, mais para mim mesmo do que para os meus amigos, quase engasgando com minha própria saliva. Lágrimas silenciosas começaram a escorrer pelas minhas bochechas.

-Yoongi, ah, Yoongi querido... Nós sentimos tanto... Sempre vamos estar aqui para você, está bem? Você pode contar conosco...- Muyin prometeu.

-Obrigado... - Respondi. Nós nos soltamos do abraço lentamente, e quando eu olhei para os dois, perguntei:

-Por que tem tantas malas lá em cima? Tem malas em todo canto... Nós vamos nos mudar? - Perguntei, tentando mudar o tópico da conversa.

-Yoongs, seu padrasto mandou a maioria dos criados embora. - Jimin disse olhando para mim com rosto triste.

-Vocês vão embora também? - Perguntei surpreso, e com a voz falhando.

-Nós não. - Respondeu Muyin. -Jimin, a mãe dele, e eu, vamos ficar aqui por mais um ano.

-Pelo menos vocês ainda estarão aqui por mais um tempo. - Expirei aliviado. -Mas eu sentirei tanto a falta dos outros...

-Nós também... mas vai ficar tudo bem. Venha, Yoongi, comer alguma coisa. - Muyin me chamou, puxando a minha mão. -Sente-se na mesa, eu já volto com algo para você comer.

-Obrigado, Muyin. - Agradeci. Jimin se sentou ao meu lado, e não falamos mais nada, nem quando Muyin voltou com a comida.

Naquela tarde, todos os criados com exceção de Jimin, a mãe dele e Muyin, se despediram de mim para sempre. Alguns choravam, sabendo que talvez não nos veríamos mais. Nos dias, semanas e meses que se seguiram, a cada dia que passava, meu padrasto e meios-irmãos pareciam me odiar cada vez mais. Assim, passei muito mais tempo ajudando meus amigos nas tarefas da casa e dos campos. Lá pela metade do ano, meu padrasto vendeu todos os cavalos exceto Denes, pois ele seria útil para puxar carroças e coisas pesadas por ser tão forte. Com o passar do tempo, ele vendeu algumas mobílias que não usávamos mais. Com o tempo que passava ao lado dos meus amigos ajudando, aprendi tudo que se podia aprender sobre arrumar e limpar a mansão. Os momentos que Jimin e eu tínhamos brincando um com o outro com espadas e cavalgando se tornaram cada vez mais raros, mas ainda assim, conversávamos bastante e a amizade apenas crescia.

 

 

Um ano depois da morte da minha mãe, Jimin, sua mãe, e Muyin, fizeram as malas. Quando vieram se despedir de mim, a mãe de Jimin e Muyin estavam chorando.

-Prometa que você ficará bem, Yoongi, por favor - Pediu Muyin. Eu prometi. -Yoongi, antes da sua mãe falecer, ela uma vez disse para mim que ela se orgulha muito de você. Que ela ama muito o filho que criou, e que não importa o que acontecesse, você sempre seria a maior causa da felicidade dela. - Muyin disse, com um pequeno sorriso no rosto. -Yoongi, eu sentirei muito a sua falta. - Ela confessou, e me abraçou fortemente.

Logo depois, a mãe de Jimin me abraçou também e se despediu, dizendo que estava orgulhosa pelo pequeno garotinho que ela viu crescer, e que também sentiria minha falta.

-Yoongi! - Jimin chamou baixinho a minha atenção. Então começou a sussurrar na minha orelha: -Yoongs, os seus irmãos, o seu padrasto... eu não acho que a sua vida vai ser fácil com eles. Venha comigo e com a minha mãe! Nós vamos para a casa de um avô, e podemos trabalhar, você não precisa viver com eles, e, e... venha!

-ChimChim, eu não posso ir. Eu sei que a minha vida não vai ser fácil, mas essa é a casa da minha família. Tudo o que eu conheço está aqui, e eu não quero deixar isso com meu padrasto ou os meus irmãos. Eu preciso ficar aqui, Jimin. - Susurrei de volta.

-Eu sentirei falta do meu melhor amigo, Suga. Espero que um dia nós possamos nos encontrar de novo. - Jimin disse, esperançoso, mas com a voz falhando.

-Eu também, ChimChim. - Respondi, agora com lágrimas nos olhos.

Acompanhei eles até o portão.

-Adeus Yoongi!! Sentiremos a sua falta! - Os três disseram ao mesmo tempo.

-Adeus! - Gritei de volta. -Eu também sentirei a falta de vocês!

 

Então eles se viraram e foram embora.

 

E foi aí que tudo mudou para pior e quase não me lembro mais de ser feliz.


Notas Finais


E aí!? O que acharam?
Esse capítulo cobre o passado do Yoongi... Basicamente, o capítulo está aí para contexto, é tipo um prólogo.
Desculpa por quaisquer erros gramaticais/ortográficos. Eu revisei, mas alguns erros sempre acabam passando.

Obrigada por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...