História Mister Policeman- Imagine Kim Seokjin - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jin, Kim Seokjin, Seokjin
Visualizações 152
Palavras 1.073
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura, bolinhos❤❤❤

Capítulo 17 - Capítulo 17.


 "Meu coração nasceu fora do fogo.
Eu perdi o amor mil anos atrás,
E ainda, eu não consigo encontrá-lo.
Agora eu não te amo como eu costumava
Mas eu tenho histórias que eu poderia te contar se eu quiser." (Dark Star)




S/N

-Você é louca? Nunca conheci alguém tão fria, você me dá... - ele parou de falar, mas eu completei.
-Nojo? É isso não é? Você diz que nunca conheceu ninguém tão frio, mas e o seu avô? Você sabe o que ele fez com a própria família, mas está aqui agora. Quando vai ser honesto com seu irmão e com seus primos? - ele fechou os olhos e praguejou baixinho.
-Me conte o porquê de você ter matado as pessoas que você devia gostar, e pode ser que eu te perdoe.
-Você acha mesmo que eu quero seu perdão? Pra mim, agora você é um tremendo tanto faz. Tô pouco me fodendo pra você e o seu perdão.
-Ok... mas mesmo assim poderia me contar? Não confio nas versões do meu avô. - assenti.
- Eu tinha 15 anos quando tudo aconteceu, desde muito pequena meu pai me tocava de uma forma nojenta que eu prefiro não falar. Ele dizia que eu gostava daquilo. - ri sem humor. - Minha mãe também era policial como ele, mas quando se casaram, ele a fez sair da polícia. Ela foi domesticada por ele. Ela amava trabalhar, mas desistiu de tudo por um cara que não valia nada.
-Oh... Eu...
-Sente muito? - Eu ri. - Não sinta, porque eu não sinto mais nada. Eu não deixei minha mãe morrer. Eu tinha apanhado também, e ele estava batendo na minha mãe, na minha frente. A pobre mulher apanhou até morrer. E num ato completamente desesperado, peguei o revólver que estava na gaveta, e disparei vários tiros contra ele, mas já era tarde ela já estava morta, por isso me arrependo de não ter matado aquele monstro antes. Saí como inocente perante a justiça, e depois disso eu fui morar no Japão com a minha madrinha que também já morreu.
-E o seu namorado? - Eu ri.
-Bom, eu contei essa mesma história pra ele pensando que ele pudesse entender, mas ele ficou furioso comigo, quis me "domesticar" como um cavalo, porque eu tinha que ser boa pra ser mãe dos filhos dele, e pra isso eu precisava apanhar, aí eu mandei ele pro inferno pra ele tentar domesticar o capeta. - Jin riu.
-Perdão.
-Pelo que? Por me trair? Por me fazer amar você? Por me julgar? Não, não perdoo.
-Te entendo. - Jin olhou pra minha perna.- Você levou um tiro?
-Garanto que o cara que atirou tá muito pior. Não tem menor necessidade fingir se importar com isso, Seokjin.
-Mas eu me importo, S/N.
-Saia daqui, e vá para o inferno se possível.
-Eu já estou no inferno. - lancei um olhar de interrogação para ele. -Minha mãe está ameaçada de morte, S/N. O Jimin ficou aqui com o senhor Kim, porque ele o convenceu que a minha doce mãe tinha sabotado aquele maldito carro que matou meu pai e meus tios. Eu nunca acreditei nisso, e fui embora com a minha mãe dando as costas pra esse ninho de cobras que chamam de máfia.
-Você acha que ele, o seu avô... vai poupar a vida da sua mãe, Seokjin?
-Ele vai.
-Você é muito inocente. Você não percebeu que todos são descartáveis pra ele? O Jungkook, o Jimin, o Taehyung e você também. Agora imagina sua mãe que não é nem do sangue dele.
-Ele não pode... Eu cumpri o combinado.
-Pense o que quiser, só não diga que eu não avisei. Agora saia daqui. - Ele bateu a porta ao sair.


JIN

Eu não sei o que fazer.
Amo tanto aquela marrenta que chega a doer e agora ela está machucada tanto por dentro quanto por fora.
Me joguei na cama e chorei em puro desespero.
-Jin... - Jimin entro no quarto e ficou me observando.
-Não quero conversar agora, Jimin, sai.
-Não vou sair, eu sou seu irmão lembra?- me sentei e olhei pra ele.
-Eu nunca esqueci.
-Eu ouvi a sua conversa com a S/N, lamento ter me enganado tanto com o vo... com o senhor Kim. - ele parecia muito triste. - Falei com os meninos, contei a verdade... eles estão mal, mas decidiram esperar e ver o que vão fazer.
-Imagino... nem eu sei o que fazer.
-Você ama ela, né? - assenti percebendo que ele se referia a S/N. - Nossa mãe... ela está bem?
-Ela sente sua falta. - sorri.
-Vamos nos reunir um dia e fazer um almoço em família?
-Vamos. - nos abraçamos forte, depois Jimin se dirigiu a porta.
-Você... ainda tem raiva da S/N? Se tiver, pense melhor, ela tentou defender quem ama assim como você está fazendo.

"""""""""""""

S/N

-Oi. - dessa vez era Jimin.
-Oi.
-Você está bem? Meu Deus você está branca feito papel.
-Normal depois de ter perdido uns quatro litros de sangue, mas eu estou bem, não precisa ficar nervoso.
-Eu posso cuidar de você? - ele saiu e voltou com uma caixa de primeiros socorros, constatei. Park se sentou no chão à minha frente e tirou o "curativo" que eu tinha feito.
-Por que está fazendo isso? - perguntei.
-Porque eu gos... Porque não quero te ver morta por uma infecção nem nada parecido. Tenho uma coisa pra lhe falar.- dizia enquanto limpava o ferimento. - Você tirou a bala?
-Tirei. - ele arregalou os olhinhos. - Que?
-Nada.
-O que você quer me dizer?
-Vamos sair daqui em breve, ok?
-Oh meu Deus, vocês caíram na real?
-Sim. Não queria que você passasse a noite aqui, mas agora não posso te tirar.
- Eu entendo, agora vá. - disse quando ele terminou o curativo. -Vou ficar bem. Jimin?
- Oi. - ele olhou pra trás.
-Obrigada. - ele sorriu, e se retirou.

""""""""""""""""

O dia amanheceu depois de uma longa noite não dormida.

-Bom dia, querida.
-Não desejo o mesmo, senhor Kim. Quero mais é que você morra. - O mesmo entrou acompanhado dos capangas e de Jin.
- Vamos nos divertir, por isso chamei o Jin aqui. - ele riu. - Podem de trazê-la. - dois dos mandados pelo senhor Kim, saíram e voltaram com uma mulher que estava em estado de desespero. Vi Jin arregalar os olhos antes de gritar:
-Mãe?!!


Notas Finais


E agora?

Obrigadinha por ler, e por estarem interagindo comigo.

Amo vocês❤

Annyeong, e até o próximo.❤

Bjs da Chim❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...