História Model; (Vmin) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXID, EXO, TWICE
Tags @yeeyeeyo, Jimin!bottom, Model, Taehyung!top, Vmin
Visualizações 30
Palavras 1.157
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Taehyung top foi o melhor nessa fanfic :)
É isto,



Boa leitura;)

Capítulo 1 - Um;


18:00, Park's Restaurant;

 Os trabalhadores do restaurante estava agitados, passavam de um lado para o outro limpando as mesas diversas vezes, eram seis horas e todos já estavam assim, o que estava acontecendo?
Meu pais pediram por uma reunião na cozinha com todo mundo, até mesmo eu, que só estava passando por lá para ir até minha casa.
Minha irmã estava super contente por ajudar nossos pais, Jihyo já tinha uma felicidade fora do comum para garotas de 15 anos, e se animava mais quando estava ajudando em algo.

Park Jihyo era meu perfeito contrário, amava ajudar nossa mãe na cozinha, era boa em conversar com pessoas novas, incrivelmente bonita, e com um perfeito intelecto. Já eu, apenas um adolescente tímido e infantil, que não gosta nem um pouco da idéia de tomar as rédeas do restaurante daqui uns anos, mas que ao mesmo tempo, não se interessava por profissão alguma.

- Hoje teremos a visita de um estilista famoso, e eu quero pedir para sermos calmos. - Fitou minha irmã. - A agência do Kim pediu total discrição, nem o pedido dele sai de dentro da cozinha, entenderam? - Minha mãe falava de modo sério.
De um jeito geral, quem mandava ali era minha mãe, ainda que o restaurante fosse conhecido pelo nome do meu pai, a mãe colocava o ponto final, era a palavra dela que importava.

Olho para o lado e vejo minha irmã segurar um pequeno grito eufórico.
A garota era uma fã, praticamente um sasaeng quando se tratava de Kim Taehyung ou VanteClothes, não duvido nada que ela saiba até a marca de pasta de dente que o homem usa.
Os olhos da Park mais nova brilhavam, mas foram cortados por um enunciado.
- Jimin ficará na sala VIP, onde Kim e seus empregados estarão, não quero erros, ouviu? - Acabo ficando mais triste por mim, que por minha irmã.
Pelo o que eu ouço,  o tal estilista é muito comunicativo e extrovertido, e eu? Mega acanhado.
É o cúmulo!
- Mas...mãe, eu... - Jihyo queria se opor, mas assim que minha mãe a olhou com aquele olhar 47, só nos restou obedecer.
 

[•••]


Depois de ouvir todo um discurso,  a posição de cada trabalhador, e decidirmos o menu, conseguimos sair da reunião.
Passo por minha irmã entristecida, encostada no balcão admirando uma Polaroid do estilista.
- Ei, me desculpe, mas você sabe que eu não queria estar aqui. - Me aproximo.
- Isso não importa. - Falou sem ânimo. - Vá lá e faça um bom trabalho. - Sorriu. - Mas antes vai trocar de roupa, coloque o uniforme e venha aqui para eu fazer um nó bonito na gravata! - Ditou.
 

[•••]


Já com uma roupa formal, fui até a sala em que ficariam e esperei em frete à porta.
Ditei as regras mentalmente, estava ansioso.
Se passavam das 20hrs, quando o restaurante, já lotado, começa a se animar.
Kim Taehyung e mais umas 12 pessoas, com certeza de importantíssimos cargos, se aproximam desfilando com suas incríveis peças de roupa.
Me coloco em uma boa postura e faço como minha mãe me ensinou.
- Sejam bem vindos ao Park's Restaurant. - Me curvei brevemente, levando-os até a sala, e me posicionando em um canto estratégico.
 

[•••]

 

 Confesso que estava sendo uma droga ficar parado, servindo vinho nas taças que se levantavam e ouvindo conversas sobre a empresa, como a nova linha de outono, os novos modelos e a inauguração da terceira loja deles nos Estados Unidos.
Quando vejo o centro das atenções, ou "vice-presidente" como chamam Taehyung, pedir por mais vinho, pego a garrafa e vou servi-lo.
E eu com certeza teria feito um bom trabalho, se o tal "editor chefe" não tivesse direcionado uma pergunta para mim.
- O que você acha, estudante? - Questiona.
- Huh, eu? - Tento confirmar. - A-ah, não tenho tanta certeza, s-senhor. - Gaguejo quando percebo o olhar de todos sob mim. Eu nem sei de quê ele está falando.
- Vamos lá, nosso público principal são os jovens, devemos apostar no população nacional e internacional ou não? - Então essa era a pergunta.
- Sunbaenim, você está intimidando o garoto. - Uma jovem moça me defende.
E eu quase deixo um longo suspiro vazar, porém, a palavra do futuro CEO é direcionada a mim.
- Seria bom um ponto de vista diferente. Não quer participar?
- Bom...- Sorrio sem graça. - E-eu posso chamar a minha irmã, ela entende um p-pouco sobre isso. - Tento fugir e me ponho para servir, oficialmente, a taça do mais velho.
- Ah, então você não tem opinião é quer empurrar o trabalho para sua irmã? - Indagou a Naja do local. - Ou você só quer trazer sua irmã aqui porquê ela é uma grande fã?
Fico um tempo, segundos para ser exato, tentando normalizar a respiração e tomar coragem para encará-lo nos olhos, mas sou interrompido quando o homem que me fez a pergunta pela primeira vez me chamar outra vez.
- Garoto! - Exclamou mais alto que os demais, me assustando.
Quando demos conta, meu braço estava em uns 45° para baixo derramando todo o vinho da garrafa na blusa branca de Kim Taehyung, e eu repito, blusa branca.
Branca.
Comprar o estoque de vinhos já era caro, agora imagine pagar pelo reembolso de uma camisa edição li-mi-ta-da, de seda, cujo os fios devem ser banhados a ouro, e que deve custar no mínimo uns quinhentos mil dólares, e não estou exagerando, porque tenho certeza que existem roupas nesse valor.

Eu sou a vergonha da família, meu Deus, eu sou uma humilhação.
Meus pais não vão me querer mais, eu vou ser abandonado num orfanato e ninguém vai me querer porque eu não sei fazer nada.
Ou pior meu pai vai me abandonar debaixo de uma ponte.
Ou pior ainda, minha mãe vai me dar uma porrada.
Vou começar a escrever meu testamento, espere! Se eu morrer não vou precisar pagar a blusa...


Sou retirado de meus pensamentos por ofegos surpresos de todos os trabalhadores no local.
- Senhor, me perdoe. - Me curvo em perfeitos noventa graus. - Perdão. Desculpe. Ah, me desculpe, desculpe. - Continuava me curvando repetidas vezes, quase implorando por misericórdia. - Eu...eu...eu vou encontrar um jeito de reembolsar, ou não sei me redimir. - Procuro pela solução. - Ah, eu faço qualquer coisa para me redimir. Tudo o que quiser.
- Qualquer coisa...? Tudo o que eu quiser? - O loiro sorriu ladino.
O que é isso? Eu estou assinando um contrato com o demônio?
- Huh? S-sim. - Me confundi um pouco vendo-o sorrir gentilmente.
- É bom mesmo. - Agora sim, assumiu sua verdadeira forma, essa víbora.

 

[•••]


E a noite terminou, mais cedo que o esperado, e com Kim Taehyung pegando meu contato prometendo que iria ligar assim que soubesse de algo para eu fazer.
Ah, droga! Droga! Droga! Droga!


 


Notas Finais


Vou fingir que eu não tenho outras duas fanfic para fazer atualização e vou criar mais essa




Capa e banner por: @hyungharu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...