História Modelo Exótico - YoonMin - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias 4Minute, Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), HyunA, Taeyang
Personagens Hyun A, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Taeyang
Tags Jikook, Jimin Bottom, Jimin Passivo, Jimin Uke, Kookmin, Mingi, Minkook, Modelo Erótico, Porn With Plot, Pwp, Side History, Sugamin, Universidade, Yoongi Ativo, Yoongi Seme, Yoongi Top, Yoongi Tops, Yoonmin
Visualizações 587
Palavras 2.347
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Era pra eu ter publicado ontem, but eu não estava satisfeita com o capítulo e com a capa (o cap. tinha ficado muito pequeno e a capa... sei lá, eu não tinha gostado).

Sem mais delongas, o capítulo!
boa leitura!

Capítulo 2 - Dirty.


A sala do reitor Taeyang era simples, porém elegante. As paredes eram de um tom levemente azul, do tipo que te lembrava das aesthetics que se vê no Tumblr ou no Instagram, tinham duas poltronas de estofado branco, nas quais Jimin e Yoongi estavam sentados, e, do outro lado da mesa de madeira que reluzia, em uma cadeira preta giratória, estava Taeyang. Perto dele, tinha uma estante de livros, e, abaixo de seus pés, um tapete bege de pelos fofos cobria boa parte do chão.

— Min Yoongi e Park Jimin? Logo vocês estavam brigando na sala de aula? — O reitor perguntou desacreditado, olhando para os rostos assustados diante de si. — Foi apenas uma discussão, não?

— Uhum. — Jimin afirmou, ignorando o fato de que Yoongi também o havia caluniado. — Podemos voltar?

— Assim que eu registrar o nome de vocês no... — Antes que Taeyang pudesse terminar sua frase, o telefone em sua mesa tocou e ele rapidamente o tirou do cancho para atendê-lo. — Taeyang na linha, com quem eu falo? — Os garotos observaram o bom humor do reitor desaparecer ao ouvir a voz do outro lado. — Kwon, por que não me deixa em paz de uma vez? — Ele parecia ter ouvido algo surpreendente e aterrorizante do outro lado. — Você não ousaria... Não mostre aquelas merdas pra ela! — Taeyang se levantou de supetão, irritado até demais. — Kwon! Kwon! Você ainda está aí? — Visto que o tal Kwon havia desligado, Taeyang foi até o porta-casacos ao lado da porta de entrada, vestindo um sobretudo marrom.

— Então... — Yoongi falou baixinho e Taeyang lhe encarou com um olhar assassino. — Como Jimin e eu ficamos? Podemos voltar pra aula?

—Não saiam daqui. Não vou demorar.

Taeyang bateu a porta com força e a trancou por fora, impedindo os planos que Yoongi bolava em sua cabeça para enganar Hyuna e voltar para a aula. Porém, mesmo com tudo dando errado, ele não se arrependia de ter feito o alvoroço; não tinha visto o mochi e Jeon transando, portanto estava satisfeito. Jimin já não estava mais tão irritado como antes — não conseguia se irritar com o Min por muito tempo, afinal —, mas ainda tinha uma dúvida em sua cabeça e, ao que sabia, Yoongi não teria motivos para não lhe responder.

— Hyung? — Yoongi o olhou, sorrindo ladino. — Você poderia me dizer por que caralhos interrompeu a sessão e ainda, muito provavelmente, fez a minha amizade com o Jeon acabar?

— Hum... — Yoongi tombou a cabeça para o lado, pensando; não imaginava que Jimin iria confrontá-lo sobre isso. — Não quero te contar, mas eu vou explicar ao Kookie que tava mentindo.

— Como assim “não quero te contar?”!? — Jimin alterou o tom de voz, desviando o olhar de Yoongi. — Não dou a mínima se vai ou não falar com o Jeon! Eu mesmo me resolveria com ele, talvez! A questão é que você não age assim nunca, e não consigo entender por quê agiria dessa maneira logo comigo e...

Jimin engoliu as palavras junto de sua saliva quando voltou a encarar o Min. O mais velho estava do jeitinho que Jimin mais gostava; os olhos estavam quase inexpressivos, os lábios estavam minimamente separados, a respiração estava ainda mais calma do que de costume e ele havia cruzado as pernas. Yoongi aparentava tédio, embora o loiro soubesse o quanto ele estava focado em si. Yoongi estava em sua pose dominante.

— Não vai me responder mesmo? — Jimin baixou, até demais, o tom.

— Bem... — Yoongi encheu os pulmões e suspirou lentamente em seguida, descruzando as pernas e as deixando bem abertas. — Digamos que eu não fui nada profissional naquele momento. — Os olhos escuros estavam fixos nos de Jimin enquanto ele falava. — Eu fiquei com inveja do Jeon. Eu queria estar naquela cama com você, e eu não queria ver vocês fazendo aquilo na minha frente.

“Aquilo”? — Jimin riu com nariz. — Virou inocente agora, hyung?

— Não quero dizer a outra palavra, porque eu vou imaginar a cena, aí vou ficar puto com você e... — Ele balançou a cabeça rapidamente, parencendo tentar afastar alguma ideia ruim da cabeça, e passou a língua pelo lábio inferior.

— E...? — O mais baixo se inclinou mais na direção de Yoongi, sorrindo malicioso.

— Jimin, não. — Yoongi suspirou, evitando voltar com o contato visual de antes.

— Não o quê? — Jimin se fez de desentendido, fazendo um biquinho com os lábios. — Sabe, de todos na sala, por que você é o único que não me quer de quatro na sua cama?

Ah, Jimin, você nem precisaria estar n’uma cama, pensou Yoongi e logo xingou-se mentalmente. Não podia ceder, não iria ceder aos dons de sedução do Park.

— Porque, como você mesmo disse, eu sou único. — Deu de ombros, como se fosse algo óbvio.

— Oh, nossa. — Park riu irônico, mas, em suas seguintes perguntas, ele deixou a sua voz mais baixa, quase sussurrada; era como o canto da sereia que atraía a todos. — Mas então por que sentiu inveja do Jeon? Por queria estar comigo naquelas fotos? — Maldita hora em que Yoongi tinha lhe contado sobre isso! Agora, como ele explicaria? Antes que pudesse juntar palavras o suficiente para formar uma frase, notou a respiração quente de Jimin em sua bochecha, ele estava perto demais. — Hyung, assuma que me deseja, e me deixe te fazer alcançar o nirvana.

— Jimin... — Não ceda, pensava Yoongi repetidas vezes, mas seu coração (e outra parte de seu corpo que não precisa ser citada) já tinha tomado a decisão. — Por que você é assim? Tão... — Jimin roçou levemente os lábios na bochecha alheia, fazendo Yoongi fechar os olhos e sorrir fracamente.

Iria se arrepender mais tarde, mas, agora, deixaria que Jimin lhe fizesse ter aquela sensação única que sempre tinha quando os contatos entre eles ficavam mais quentes. Sentiria-se completo, mesmo que por pouco tempo.

Os lábios carnudos do mais novo foram de encontro aos seus, em um beijo calmo e cheio de muitos sentimentos. Jimin tocou-lhe a bochecha, acariciando devagar com os dedos pequenos e meigos. Logo, o loiro tinha deixado a sua poltrona para sentar-se no colo de Yoongi, abraçando o pescoço alheio enquanto o outro lhe segurava firmemente na cintura. Ao se separarem pela falta de ar, trocaram um olhar confidente.

Ia ser ali, e ia ser agora.

Não era um local apropriado, nem de longe, mas precisavam um do outro e não aguentariam até que Taeyang volta-se, quanto menos até a aula acabar.

As mãos de Jimin deslizaram pelo tronco coberto de Yoongi até o seu zíper, retomando o beijo, este que agora estava bem mais voraz. O loiro abriu rapidamente o infeliz que lhe mantinha longe daquilo que desejava há tanto tempo e, sem timidez, colocou a mão direita dentro da cueca, sentando-se nos joelhos de Yoongi para que tivesse espaço para trabalhar, parando o beijo.

Embora apertado pela fricção da cueca sobre sua mão, Jimin movimentava-a, em um sobe e desce que fez Yoongi agarrar os braços da poltrona e prensar as costas no escosto, rápido, focado exclusivamente nas expressões do mais velho. Os gemidos estavam se elevando quando Jimin parou o que fazia, removendo a mão da cueca e recebendo um olhar chateado do Min.

— Calma. — Riu, descendo do colo alheio.

Se ajeitou entre as pernas de Yoongi, que rapidamente entendeu o que ele faria e sorriu brevemente, ajudando a baixar sua calça e sua cueca até um pouco abaixo dos joelhos. Já tinha ganho um boquete de Jimin há algum tempo, nunca esqueceria da sensação, mas seria bom, e muito, relembrá-la.

Primeiro, Jimin o provocou; apenas a ponta da língua passeou pela glande molhada, e isso fez com que o Min soltasse um gemido agoniado de frustação. Jimin sorriu diante disso e, para a alegria do de cabelo escuro, a boquinha talentosa o abocanhou. Queria continuar olhando enquanto o loiro trabalhava em seu membro, mas logo o pescoço virou-se involuntariamente para trás e tudo que pôde fazer para incentivá-lo — além de gemer várias vezes o quanto estava bom, que ele devia ir mais rápido ainda e também, em um tom rouco natural seu, gemer o nome do Park — foi agarrar seus fios claros e puxá-los, movendo a cintura, mesmo que com dificuldade por estar sentado.

O calor começava a indicar que logo chegaria ao ápice, mas Yoongi não queria que acabasse tão rápido. Por isso, com certa brutalidade, puxou a cabeça de Jimin pelos cabelos. Novamente, trocaram um olhar.

O mais velho levantou-se, tirando a calça e a cueca por completo no movimento. Jimin, aproveitando o fato de ainda estar de joelhos, avançou de novo sobre o membro exposto somente com a língua, mas foi afastado, pelos cabelos novamente.

Yoongi pegou o mais novo por baixo das axilas, o erguendo sem quaisquer dificuldade no ar por alguns poucos segundos. Empurrou o Park até que as costas deste tocassem a borda da mesa e — provavelmente seria expulso por isso, se o fato de fazer sexo na sala do reitor já não lhes causasse isto —, ainda em frente a Jimin, passou as mãos para sobre a mesa, derrubando vários objetos no chão propositalmente. Em seguida, virou Jimin de costas para si, descendo as mãos pelas laterais do corpo do loiro, suspirando pesadamente no pescoço do Park, até que alcançou as mãos pequenas que estavam juntas ao tronco e as passar pra trás, empurrando a parte superior do corpo de Jimin sobre a mesa como se ele fosse um bandido, Yoongi um policial e a mesa fosse a frente da viatura.

Sem sequer precisar abrir o zíper, o Min baixou a calça de Jimin junto da cueca. Abaixou-se um pouco, observando as nádegas grandes mais de perto. Tocou-as com ambas as mãos, fazendo movimentos circulares, vez ou outra vizualizando a entrada piscante quando separava demais, e isto fazia Jimin gemer manhoso.

Inesperadamente, o Min separou as nádegas ao máximo e passou a língua pelo buraquinho — sabia que era seguro, pois os modelos eróticos tinham de fazer uma lavagem especial com profissionais antes das fotos. Jimin esticou os braços para frente, gemendo rouco, e rebolando contra o rosto alheio bem devagar e cuidadosamente, enquanto Yoongi continuava o beijo grego, penetrando a ponta da língua.

— Isso... — Jimin gemeu, grudando a cabeça sobre a mesa na tentativa falha de não fazer muito barulho.

Yoongi parou de repente, e sua língua foi rapidamente substituída por dois de seus dedos, que ele penetrou de uma só vez. Um grito ficou preso na garganta de Jimin. Os dedos alargavam a entrada estranhamente apertada, indo e vindo poucas vezes até serem retirados.

Jimin colocou os braços em frente ao rosto enquanto sentia que o corpo de Yoongi estava ajeitando-se atrás de si. As mãos do Min, que quase sempre estavam geladas, hoje pareciam mais quentes que o fogo do inferno quando tocaram e se prenderam fortemente as laterais do abdômen de Jimin.

— Vou acabar engravidando. — Jimin riu baixinho, temendo (ou talvez torcendo para) que Yoongi fosse mais cruel consigo se fizesse piadas broxantes. — Sabe, já que você não vai usar camisinha.

— Vou enfiar até depois que você gozar se fizer mais uma piada ruim como essa. — O Min bradou em um tom irritado, fazendo Park arrepiar, porém ele estava sorrindo.

E, sem avisos, Jimin estava sendo invadido. Nem calma nem rapidamente, Yoongi estava em um meio termo muito interessante — e doloroso e prazeroso. Conforme Yoongi adentrava nele, Jimin chegava a um tom diferente em seus gemidos, fazendo, quase literalmente, música. Quando havia entrado totalmente, o Min esperou até que Jimin moveu a cintura, gemendo e clamando por mais.

E, a partir daí, Yoongi saía, ainda naquele meio termo, e voltava. Jimin agarrava a borda da mesa, a arranhando com suas unhas curtas. O tempo foi passando e Yoongi entrou na velocidade máxima, fazendo os corpos se chocarem tanto um contra o outro quanto com a mesa, a movimentando do local onde estava e fazendo um barulho deverás alto.

O ápice se aproximava, a mão direita de Yoongi tinha entrado na camisa de Jimin, arranhando suas costas apenas por prazer, quando ouviu-se a porta sendo destrancada.

— Ah, merda... — Yoongi resmungou, parando seus movimentos, olhando para a porta atrás de si.

— A gente vai se ferrar de qualquer jeito! — Jimin murmurou, ofegante, rebolando contra o membro alheio e olhando para o moreno por cima do ombro. — Me fode, mais forte ainda se quiser, por favor!

Yoongi não podia negar àquele pedido.

Então, quando Taeyang abriu a porta, os fios loiros de Jimin estavam novamente na mão do Min, sendo puxados com força. O líquido quente de Jimin escorria por suas pernas e espirrava na mesa ao mesmo tempo enquanto Yoongi, com a outra mão, segurava na cintura do loiro, a cabeça meio jogada pra trás.

Ignoraram a presença — e os vários “mais que porra é essa!?” — de Taeyang, ofegantes e cansados após toda aquela ação, porém muito satisfeitos e felizes.

[ . . . ]

Taehyung encarava, escorado na porta do quarto de Yoongi, no dormitório deles, enquanto o mais velho arrumava malas. Tanto ele quanto Jimin não tinham dito nada sobre o que havia acontecido na sala do reitor para ninguém, nem pretendiam dizer.

— Como vocês foram expulsos da universidade? — O mais novo, porém bem mais alto, perguntou.

— Só fomos expulsos dessa área. Vamos fazer nossas faculdades menos interessantes integralmente agora. — Yoongi explicou sem se distrair do que fazia.

— Isso é culpa do Jimin, ou sua?

Yoongi pensou enquanto terminava de arrumar as coisas. Quando o fez, andou até o lado de Taehyung e iria responder que tinha sido de Jimin — afinal, ele havia o provocado, certo? —, mas o baixinho surgiu na porta, arrastando com dificuldade uma mala vermelha muito cheia e pesada.

— Foi culpa nossa, Tae. Nós dois. — Yoongi sorriu gengival, se esticando um pouco para beijar a bochecha de Taehyung, que sorriu. — Nos vemos em breve, saeng.

— Uhum, boa sorte! — Tae sorriu para seu hyung e acenou levemente para Jimin, que riu com nariz, balançando a cabeça. Observou os dois sumirem após descerem as escadas e ouviu o som das despedidas dos demais colegas do dormitório. Então, quando ouviu-se a porta fechar, Taehyung sorriu quadrado e malicioso. — Eu garanto que eles vão se comer muito...


Notas Finais


eu tô com o Taehyung, e vocês?

eu tava ouvindo "just one day" enquanto escrevia isso pra ver se ficava meio fluffly, porém não rolou, eu acho :v espero que vocês tenham gostado, bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...