1. Spirit Fanfics >
  2. Mom, why you? - Imagine Jeon Jungkook - BTS >
  3. Egoísmo e orgulho

História Mom, why you? - Imagine Jeon Jungkook - BTS - Capítulo 9


Escrita por: e Reiya-San


Notas do Autor


》Boa leitura!

Capítulo 9 - Egoísmo e orgulho


Fanfic / Fanfiction Mom, why you? - Imagine Jeon Jungkook - BTS - Capítulo 9 - Egoísmo e orgulho

Jungkook

(S/N) encaixou sua boca na minha e iniciamos um beijo demorado e excitante. Nossas línguas se entrelaçaram e ela gemeu baixinho entre os beijos.

- Jungkook, eu serei a sua primeira... Não é?

- Sim. A primeira... - sussurrei.

- O que você sente? - seus lábios beijaram minha clavícula e subiram até minha orelha, onde ela mordeu.

- Você me faz esquecer tudo ao nosso redor. - suspirei - É inexplicável. Eu nunca havia sentido isso antes. - fechei os olhos e me concentrei em sentir toda a delicadeza que ela depositava em minha pele.

- Eu também venho sentindo coisas novas. Você não me faz parecer usada como os outros fizeram... Me faz parecer útil. Eu me sinto especial, acima de tudo.

- Mas você é especial. Tudo em você é.

- Espero que esse seu pensamento nunca mude, independente da mulher que esteja com você.

Apenas assenti com seu comentário e retomei os beijos de antes.

Comecei a apalpar suas coxas e ela deu algumas investidas ao rebolar em cima de mim. (S/N) debruçou-se contra meu corpo e seus seios encostaram em meu peito.

- Ontem eu... Não estava totalmente preparada para te deixar me tocar, me desculpe por ter sido injusta.

- Isso não é motivo para se desculpar. Está tudo bem, você sabe.

- Você também ficou pensando no que houve entre a gente?

- O dia inteiro.

- O mesmo comigo... Eu queria ter vindo com você para casa naquele momento, mas infelizmente tinha outras coisas para fazer ainda.

- O importante é que está comigo agora.

- Sim... Geralmente, eu não trago o que uso pra tirar as fotos, mas eu acho que agora tenho alguém para apreciar de perto, sabe? - ela sorriu de canto e começou a retirar minha camisa - Eu só pensei em você. Eu queria te mostrar isso, não numa revista, mas no meu corpo.

- Você tem um corpo lindo. Tudo em você me agrada desde o primeiro dia que te vi. Mas não é só isso, eu também gosto da pessoa que é.

Ela sorriu como forma de agradecimento. Suas mãos adentraram os fios do meu cabelo e o levaram para trás.

- Eu gosto de tudo em você também, até mesmo as coisas que não conheço ainda.

Uma de minhas mãos subiram até a abertura do seu sutiã e eu a olhei antes de fazer qualquer coisa.

- Posso?

- Deve.

Abri a peça de roupa e ela me ajudou a retirar. Ver seus seios tão próximos de mim foi uma das melhores sensações.

- Não tem nenhuma restrição. Você pode me tocar onde você quiser hoje... Seja com suas mãos, com a língua ou...

- antes que ela pudesse terminar a frase envolvi um de seus seios com a língua e ela arfou - Você é rápido... - riu brevemente.

Apertei seu outro seio com uma das mãos e ela apoiou-se em mim enquanto gemia baixinho. Logo, inverti o processo e toquei o outro com a língua. Antes, eu não tinha nem idéia de quem seria a sensação, mas agora eu entendia o o quanto seios são fundamentais. Por fim, envolvi o mamilo com a língua e o mordi levemente. Ao fazer isso (S/N) gemeu mais alto.

Parei de estimulá-la e apenas encostei o rosto no vão entre seus seios. Ela acariciou meus cabelos e riu pelo nariz.

- Jungkook... Posso te falar contar uma coisa?

- Sim.

- Quando você nasceu nunca quis mamar, sabia? Apenas no momento em que nasceu mesmo, mas depois não quis mais. O médico teve que receitar leites industrializados e umas vitaminas, porque você nunca quis nem mesmo encostar nos meus seios.

- Felizmente essa realidade mudou...

- Você gosta deles?

- Se eu gosto? É muito mais que isso.

- Olha para mim.

Levantei o queixo e a encarei com certa vergonha.

- O que foi?

- É complicado de explicar... - umedeci os lábios - Mas não se importe tanto. É que eu nunca fiz isso antes.

- Não precisa ficar assim. Apenas siga seus instintos.

- Farei isso.

Deitei na cama e ela continuou por cima de mim, porém sentada sobre meu colo.

- Você quer entrar em mim?

- Quero.

- Vamos fazer isso então.

Ela abriu minha calça e apalpou meu membro ainda coberto. Fechei os olhos por alguns segundos e a senti me tocar delicadamente. (S/N) o retirou para fora e começou a masturbar lentamente.

Voltei a encará-la e esta também me olhava fixamente. Em seguida, encostou-o na sua intimidade ainda coberta pela roupa. Apesar do contato não ser direto já era suficiente para me fazer desejar estar dentro dela o mais rápido o possível. Ela apenas afastou a calcinha para o lado e abriu um pouco mais as pernas, me deixando vê-la naquela região. Voltou a pincelar nossas intimidades e não demorou a colocar-me dentro de si.

Ela era quente e escorregadia, mas ao mesmo tempo conseguia me prender. Abriguei o membro completamente dentro dela e esta mordeu o lábio inferior fortemente.

- Jungkook... - ela sussurrou meu nome como um gemido - Você entrou muito fundo.

- Eu te machuquei?

- Não. - ela sorriu de canto - Isso é muito bom, sabe? Você me toca num lugar onde eu raramente fui tocada. E eu quero isso muitas vezes... Eu quero me mover e sentir você completamente dentro de mim.

Eu sentia suas paredes me apertando cada vez mais. Ela me retirou quase que por completo para fora e voltou a sentar, mas dessa vez mais rápido. A cada movimento a velocidade aumentava, mas quando ambos estávamos perto de um orgasmo, ela diminuía a intensidade para tardar o ápice.

(S/N) saiu de cima de mim e se deitou ao meu lado. Aproveitei a deixa para livrar-me do resto das minhas roupas e fazer o mesmo para com ela. Ergui seu quadril e retirei aquela calcinha, que momentaneamente estava sendo inútil. Eu queria estar livre com ela, sem nada nos prendendo, apenas naturalmente e, pelo visto, esse sentimento era recíproco.

Beijei seus seios e levei essa trilha até sua boca. Trocamos um sorriso antes de nos beijar. Ela levou suas mãos até minha nuca e desceu com elas até minhas costas, as arranhando em seguida. Em meio a isso encaixei-me dentro dela outra vez e iniciei os movimentos.

Lentos e profundos, esse era o nosso estilo.

Afundei o rosto em seu pescoço e usei o espaço para gemer, sendo os sons abafados por sua pele. Ela ergueu as pernas em minha cintura e me manteve preso a si.

Ficamos agarrados assim por mais alguns minutos e saímos dessa posição. Ela deitou-se de lado e seu olhar convidativo me inspirou a fazer o mesmo. Ergui sua perna e coloquei em cima da minha. Desci uma das mãos até sua abertura e a penetrei com os dedos. Ela rebolou contra eles e gemeu meu nome outras vezes.

Levei os dedos até minha boca e senti o gosto da sua lubrificação. Ela sorriu maliciosa ao me ver fazer o gesto.

- Posso entrar novamente?

- Por favor... Eu quero muito sentir você de novo, Jeon. - (S/N) ergueu um pouco o rosto e nossos lábios se encontraram com dificuldade.

Assim que nossos lábios se separaram a preenchi novamente. Nossos corpos já estavam suados e eu sentia que estávamos mais próximos do ápice a cada momento.

Constantemente estávamos tocando um ao outro, seja por meio de toques ou beijos rápidos.

Eu senti meu corpo estremecer e senti quando estava prestes a me desmanchar dentro dela. Até mesmo tentei fazer algo a respeito, mas naquele momento eu descobri que uma vez dentro seria muito difícil retirar antes de se sentir satisfeito.

Após mais alguns investidas ela também chegou no ponto alto da nossa noite. Saí de dentro dela e notei que o líquido esbranquiçado voltava para fora.

- Desculpe, eu não consegui tirar...

- Eu tomo remédio, Jungkook, não tem problema. - ela beijou minha bochecha e manteve seu olhar fixo no meu.

Minha respiração ainda estava descontrolada, mas aos poucos foi voltando ao normal.

- Está com sono...? - ela perguntou.

- Um pouco. E você?

- Cansada, eu diria. - umedeceu os lábios e se aproximou mais ainda de mim.

(S/N) deitou sobre meu peito e ficou fazendo círculos imaginários em minha pele com a ponta do dedo.

- Ei (S/N)... Obrigada por isso. - disse num tom baixo e a olhei, mas esta já havia dormido. Ri pelo nariz e fechei os olhos na tentativa de dormir também, o que não demorou muito pelo visto.

(...)

Ao acordar percebi que havia sido o primeiro. Ela ainda dormia profundamente, por isso, achei melhor não interferir. Tentei levantar sem que esta percebesse, mas isso não foi possível.

- Onde pensa que vai? - perguntou ao segurar meu braço.

- Você não estava dormindo?

- Você levantou e eu acordei. - (S/N) sentou-se na cama e me deu a visão de metade do seu corpo nu.

- É que você parecia dormir muito bem e eu não quis atrapalhar.

- Mas eu ainda não queria que você saísse... - ela coçou os olhos e me olhou outra vez - Você está olhando para os meus seios, Jungkook? - sorriu de canto com um tom malicioso.

- Ah, desculpe. Foi... Involuntário. - desviei o olhar e cocei a nuca.

- Pode olhar a vontade. - ela balançou um pouco o corpo e fez com seus seios balançassem de uma forma totalmente erótica

- Não faz isso agora... - comentei tentando não reparar.

- Por que você está vermelho? Isso é hora de ficar com vergonha, Jungkook? - ela riu brevemente e me fez olhar diretamente para si outra vez.

- Ignore isso, eu ainda vou me acostumar...

- Vai sim. - segurou minhas mãos e as entrelaçou na suas. Nos beijamos de forma lenta e envolvente, porém não durou tanto como eu gosraria, até porque se durasse não iríamos resistir a repetir tudo novamente - Você dormiu bem?

- Sim, e você?

- Muito bem mesmo. - umedeceu os lábios - Podemos ficar deitados aqui o dia todo? - (S/N) deitou-se na cama e entro debaixo do cobertor outra vez.

- Isso é muito tempo, deveríamos levantar...

- Mas eu quero ficar aqui com você.

- Você pode ficar comigo em outro lugar.

- Jungkook... Não se faça de difícil.

- Você não tem alguma atividade hoje?

- Não...

- Como assim? Nada de "agenda corrida"?

- Não.

- Ah...

- Você é meio "elétrico", não é? O que custa um dia de preguiça? Mas tudo bem, vamos sair de casa. Pode ser?

- Depende. Quer me levar onde?

- Vamos num restaurante e depois visitaremos uns pontos turísticos que eu acho que você não foi ainda.

- Eu não sei nada da cidade, poderia ficar perdido facilmente.

- Então será uma boa chance de conhecer também. Vamos?

- Por que não? - dei de ombros.

Ela sorriu largo e apertou minha bochecha.

- Fofinho.

- Ah, não fala assim... - revirei os olhos e ela apenas riu.

(S/N)

Após um dia inteiro andando pela cidade voltamos para cada no fim da noite. Eu estava um pouco cansada, mas sabia que havia valido a pena.

Jungkook também parecia contente e isso me deixei fiz. Atualmente, eu só me importava com ela e em fazer o possível pra ser alguém útil.

- O que você achou, Jeon? - deitei no sofá e fechei os olhos por alguns segundos.

- Melhor do que eu esperava. - ela levantou minhas pernas, sentou-se no estofado e em seguida voltou a abaixar minhas pernas, as deixando sobre as suas.

- Acho que podemos aderir coisas assim para nosso fim de semana.

- Também acho. - ele sorriu para mim e eu fiz questão de devolver.

- Bem, ainda podemos fazer algo para fechar a noite. - levantei e sentei-me em seu colo.

- É mesmo...? O que você sugere? - ele me lançou um sorriso malicioso e eu arqueei as sobrancelhas.

- Já era sua inocência, não é, bebê?

- É que com você sentada assim no meu colo fica difícil imaginar coisas puras sabe... - ele umedeceu os lábios e eu assenti.

- Sim... Essa é a intenção.

Eu estava pronta para beijá-lo ali mesmo e dar continuidade ao processo no sofá da sala, porém, fomos interrompidos pelo meu celular.

- Acho melhor você atender. - ele disse após separarmos nossas bocas.

- Depois eu retorno. - tentei beijar ele novamente, mas este me impediu.

- Vai... Temos a noite toda.

Respirei fundo e levantei. Fui em busca do meu celular e atendi a ligação.

- Oi. - respondi com um ar de tédio.

- (S/N)... Por acaso você tem algo pra me falar?

- Taehyung... Olha, que eu saiba não. - olhei para minhas próprias unhas enquanto falava. Ele havia atrapalhado "nosso momento".

- É mesmo? Por que tem novas notícias suas na Internet, sabia?

- Tipo...? Todo dia deve ter alguém para falar alguma coisa.

- Mas hoje foi diferente. Tem fotos suas com o garoto andando pela cidade e, não que isso seja errado, mas você nunca divulgou informações sobre ter um filho. E agora as pessoas estão comentando sobre quem ele poderia ser e porque está com você...

- Ah, eu esqueci completamente desse detalhe. - respirei fundo - Mas eu posso dar um jeito. Você faz um pronunciamento, por favor?

- Não é algo que eu possa fazer. Não é com a empresa em si, mas se trata de você. O filho é seu. O que você vai falar para as pessoas? "Desculpem, eu nunca havia comentado sobre isso, mas eu tenho um filho de dezoito anos".

- Não posso?

- Não seja infantil, (S/N). Você o teve com quantos anos? 18?

- 16.

- Viu só? É esse o exemplo que você quer dar para as meninas dessa idade que acompanham você? (S/N), temos uma coleção pra divulgar na segunda. Como você acha que verão isso após essas especulações de hoje?

- Você e eu sabemos que isso poderia ter vindo a tona a qualquer momento. Na verdade, estava até demorando mesmo... - suspirei - O que nos resta é assumir isso, sabe? Eu tenho meus motivos para nunca ter falado do assunto e eu posso muito bem falar agora e fazer tudo ficar bem.

- Tem certeza?

- Tenho.

- Eu vou agendar uma entrevista em algum programa de televisão e você vai lá e fala sobre isso, está bem?

- Certo. Faça isso.

- Só... Toma cuidado antes de fazer as coisas, está bem? Não é porque você não é tão famosa assim que pode estragar as coisas. Se você pretende fazer essa carreira subir não coloque tudo a perder agora.

- Que negativo você, Tae. Eu sei o que eu faço, não se preocupe.

- Sei... - suspirou - Enfim, se cuide e novamente... Mantenha juízo.

- Pode deixar. Boa noite.

Antes que ele pudesse falar outra coisa encerrei a ligação. Abri a página de pesquisa e vi que era tudo verídico mesmo.

- Ahn... O que houve? - Jungkook veio até onde eu estava e parou em minha frente.

- Taehyung disse que eu tenho falar sobre você publicamente.

- Ah... - ele encarou o chão por uns segundos - Você realmente não havia falado sobre isso.

- Tae disse que isso pode pegar mal pra mim, ainda mais por causa da edição que tem que ser lançada na segunda.

- Me desculpe. Eu não queria que isso tivesse acontecido.

- Não é culpa sua, Jungkook.

- Claro que é. Se eu tivesse seguido seu conselho sobre ficarmos em casa isso não teria acontecido.

- Eu que sugeri sair, não foi? Então, não fale assim.

- Você está com raiva ou algo assim?

- Não, está tudo bem. Eu não tenho motivo algum para me envergonhar de dizer que você é meu filho.

- Pode me responder uma coisa... Mas não precisa ser agora.

- O que?

- Porque você nunca... Quis falar sobre mim? Ah sim, eu não entendo isso muito bem. E... Não só isso, mas é que você parece manter seu passado bem secreto e eu... Gostaria de saber.

- Ah, isso é complicado. Não quero falar sobre isso.

- Por que? Só é complicado se você tornar complicado, (S/N).

- Eu apenas não quero, Jungkook.

- Mas isso é egoísmo da sua parte. Eu não sei nada sobre a relação que tivemos quando eu nasci ou sobre meu pai ou sobre...

- Calado. - o interrompi - Não é egoísmo não. Você não entende e nunca entenderá.

- Você... Não pode falar assim comigo.

- Posso e estou fazendo isso. Eu não vou falar nada sobre a minha vida pra você. - a essa altura eu estava tendo pouco controle das minhas palavras.

- Pode me dar um motivo, por favor? - disse com um tom de sarcasmo.

- Porque isso não é importante, Jungkook.

- Eu não entendo mesmo você. Sabendo mais sobre seu passado eu poderia aprender mais sobre mim mesmo... Mas você prefere deixar algumas coisas assim, complicadas, não é, (S/N)?

- Você entrou na minha vida agora, então não tem porquê querer saber sobre o que já passou.

- Errado. Mesmo que eu durma ao seu lado como se fosse seu marido, eu não deixei de ser seu filho. E sendo assim, eu entrei na sua vida no dia que nasci. Mas quer saber? Se você não quiser contar o problema é seu.

Ele virou as costas para mim e caminhou em direção ao seu quarto.

- Jungkook...! - saí atrás dele e este parou na porta do quarto - Eu não sei se consigo...

- Esquece isso. Eu não quero mais saber.  - respirou fundo e me olhou pela última vez naquela noite.

- Espe...

Ela fechou a porta na minha cara e não respondeu mais nada. Respirei fundo e me segurei para não continuar aquela discussão por mais um tempo.

Resolvi tomar um banho e tentar conversar com ele depois disso, mas o meu orgulho não me deixou ir. Eu estava em conflito comigo mesma ao pensar que deveria ir lá e dizer algo, mas ao mesmo tempo achava que ele deveria me entender.

Deitei na cama e fiquei encarando o teto por um longe tempo. Foi uma noite dolorosa, ainda mais depois de um dia incrível...


Notas Finais


》É isso...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...