História Mommy - Capítulo 59


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Visualizações 446
Palavras 1.248
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Perdi o sono e resolvi postar esse cap.
Acho que funcionou pq o sono j tá voltando kkk.

Espero que gostem.

Capítulo 59 - Cap 59


Pov's Autora



Enquanto pensava em seus atos Emma sentia as lágrimas enchendo seus olhos.

Em sua visão periférica, Regina tinha as mãos muito firmes no volante e a veia saltada em sua testa delatava a irritação que ela não tentava esconder.

Emm fungou e viu a morena se virar para ela imediatamente. Mas seu olhar severo não lhe trazia nenhum conforto.

- Isso não vai funcionar dessa vez, Emma.

- Emma sabe, mommy.

Nenhuma palavra mais foi dita até que chegaram em casa. Na verdade Regina estava em completo silêncio e isso causava certa angústia na loira.

Mills entrou em casa e tirou os saltos levando-os consigo para guardar, tão organizada como sempre fora.

No caminho recolheu alguns brinquedos e livros de colorir que Emma havia deixado jogado pela sala.

A menina observou muda enquanto a outra subia as escadas. Nenhuma ordem para segui-la e no entanto Swan não sentia-se nenhum pouco aliviada.

A morena voltou alguns minutos depois com uma caixa que Emma reconheceu como sendo uma das que geralmente ficava em seu quarto. Vestida com seu moletom e cabelos presos num rabo de cavalo frouxo, a morena apesar de mais a vontade não parecia mais amigável.

Recolheu todos os brinquedos, jogos, filmes infantis, chupetas e qualquer outra coisa que Emma costumava usar em seu little space.

Levou a caixa de volta para o quarto e o trancou.

Emma ainda esperava sem dizer uma palavra sequer e um pouco confusa.

Regina finalmente foi até ela parando em sua frente no meio da sala de estar.

A garota levantou seu olhar lentamente vendo a expressão cansada no rosto da outra.

- Me dê as chaves do carro, Emma. - falou estendendo a mão.

Emma enfiou a mão no bolso da calça e estendeu a chave com seu chaveiro do Bob Esponja.

Seu carro ainda estava no estacionamento do hospital já que ela havia voltado com Regina.

- Mommy?

- Não, Emma. Dessa vez você foi longe demais. Isso não foi nenhuma travessura de babygirl. Foi uma idiotice de uma mulher adulta e irresponsável. E se é assim que você quer agir então é assim que eu vou tratá-la.

- Mas...

- A partir de amanhã você pode voltar andando da faculdade porque seu carro você não vai ver por muito tempo. Estará segura, me certificarei de que sempre haja alguém com você.

- Mas são 5km! - falou totalmente chocada.

- Bom, então você deveria ter pensado um pouco antes de sair arriscando suas vidas por aí, certo?!

A menina abaixou a cabeça sem ter o que dizer.

- Depois da aula quero você em meu escritório, você vai trabalhar pra mim até quando eu decidir, talvez assim aprenda a ter um pouco de responsabilidade.

- Sim senhora.

Em seguida a morena simplesmente virou-se e saiu sem dizer qualquer outra coisa.

Durante todo o dia a casa estava em completo silêncio. Gina esteve por horas em seu escritório e Emma tentou fazer de tudo para se distrair mas volta e meia passava em frente a enorme porta para tentar escutar o que a outra fazia lá dentro.

Mas Regina só saiu a noite, preparou o jantar enquanto Emma tentou ajudar com o que pôde. Ela podia ver, de soslaio, a loira marchando de um lado à outro na cozinha, como um cachorro que urinou no tapete e agora tinha uma expressão culpada e arrependida.

Quando terminaram sentaram-se a mesa para comer.

A garota tentava seu melhor para estabelecer um diálogo mas Regina era apenas monossilábica naquela noite.

- Eu posso ir ver o Neal amanhã? - perguntou num fio de voz.

- Não.

___________

Pov's Emma

Eu não sabia quanto tempo aguentaria.

Suas respostas sucintas e até mesmo rudes me quebravam mais que qualquer castigo físico que ela pudesse pensar em me dar.

E se imaginei que ela iria ceder estava muito errada. Conforme os dias passavam ela não aliviava sequer um pouco.

Eu saía da aula e ia andando até seu escritório que era um pouco mais perto que nossa casa.

Ela não me dava nenhum privilégio por ser sua noiva, suspeito que muito pelo contrário.

Elsa por sua vez não estava muito melhor que eu.

Ela também tinha que ir para a empresa depois da aula então íamos juntas e mesmo que Zelena não a fizesse trabalhar a loirinha acabava me ajudando ao ver as dezenas de tarefas que Regina me dava.

Meu carro já acumulava poeira na garagem e eu lamentava diariamente minhas burradas.

Não só por ter perdido minhas “mordomias”, mas por ela continuar tão fria e indiferente como no primeiro dia.

E isso me fazia pensar se eu em toda minha burrice não havia quebrado algo pra sempre, talvez uma parte da confiança dela que eu não poderia recuperar. E pensar nisso me causava um certo desespero interno.

Ela ainda se preocupava comigo mesmo que tentasse fingir que não. E ainda cuidava de mim mesmo que não com o mesmo carinho de antes.

Mas o fato dela estar fria e distante me fazia pensar mil coisas e me sentir insegura.

Três semanas já haviam se passado e o castigo continuava. Elsie já havia se safado da maior parte mas eu continuava no olho do furacão.

Saí da aula mais tarde naquele dia e quando cheguei Regina me recebeu com sua já rotineira postura rígida.

- Está atrasada. – comentou sem expressão com a cabeça baixa analisando alguns papéis.

- Desculpe m...desculpe, senhora. Aconteceram alguns imprevistos durante a aula.

Ela assentiu e eu fiquei parada olhando por longos segundos como uma tonta admirando sua beleza.

- Srta. Swan, o que está esperando para começar o trabalho? – ela perguntou ríspida me assustando um pouco.

- Eu, eu, sinto muito, já estou indo. – sorri amarelo e corri para começar o trabalho.

O que eu fazia era basicamente o mesmo trabalho de sua secretária. Mas obviamente Lilith aproveitou para jogar pra mim toda a parte ruim e tarefas que ela odiava fazer.

No entanto as vezes ela ainda se mostrava bastante amigável.

No meio da tarde eu já estava pirando com toda aquela confusão de papéis pra organizar.

- Emma. – Lilly chamou e quando levantei a cabeça distraída ela estava debruçada sobre minha mesa com um decote extravagante bem a mostra. Desviei o olhar imediatamente e pigarreei incomodada.

- Sim?

- Vou pegar um café, quer alguma coisa?

- Um chocolate quente se não for muito incômodo.

- Certo, sem problemas. Quando eu voltar quem sabe você pode me dar um pouco do seu leite, baby. – falou com um sorriso de lado e em seguida se afastou.

Quando olhei pra lado só não caí porque já estava sentada. Regina me olhava com uma fúria contida.

- Srta. Swan, peço que tenha mais decoro em seu local de trabalho.

Tive que rir.

- De verdade, Regina, você está aí a quanto tempo que não viu que o show foi todo dela?!

Ela se aproximou e sentou-se de pernas cruzadas em cima da mesa à minha frente.

Colocou a mão em meu queixo de maneira firme me forçando a olhar seu rosto.

Seu polegar deslizou sobre minha bochecha numa carícia mínima que há dias não recebia.

- Não esqueça a quem você pertence, Emma. – disse quase num sussurro mirando-me intensamente e apesar de ela estar com toda sua pose de má eu podia ver a insegurança em seu olhar.

Me levantei, aproximei nossos rostos. Sorri e acariciei seus cabelos, respondendo num sussurro:

- Nem por um segundo, meu amor.


Notas Finais


No próximo veremos como está sendo pra Regina lidar com tudo isso.

Não se esqueçam de comentar!

Até logo❤😍😘❤😍😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...