História Momo's Calling ;; interativa - Capítulo 2


Escrita por:

Visualizações 20
Palavras 981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


rs

Capítulo 2 - .TWO. prologue pt. 2


Fanfic / Fanfiction Momo's Calling ;; interativa - Capítulo 2 - .TWO. prologue pt. 2


— Misoo, querida, vai se atrasar! — Gayoung gritou do andar de baixo da casa, sem muito ânimo ou atenção enquanto mantinha os olhos ávidos focados no livro de suspense. Misuk sabia de suas responsabilidades e a tia não tomava conta delas, dando total liberdade á garota mais nova.


— Eu sei! — exclamou de novo a adolescente, terminando de retocar o batom nos lábios enquanto se olhava no grande espelho que havia no quarto. Estava um tanto atrasada mas não tinha exato problema naquilo, sabia que daria um jeito de qualquer forma. Ainda assim, estava bonita, o natural de sua aparência, mesmo que um pouco cansada pela noite anterior. Sair ás duas da manhã para uma festa junto de Yoongi e alguns outros alunos não era exatamente o ideal de uma noite de descanso e sono de beleza, principalmente por ter voltado ás cinco. Sua sorte era que sua tia não implicava consigo, caso contrário, estaria totalmente ferrada.


Deu de ombros para sua imagem refletida e se virou, ajeitando seu cropped preto de mangas longas justo, já que havia subido um tanto. Foi lentamente até sua mala de viagem, tendo essa um tom coral, pegando-a pela alça junto de sua mochila rosa pink, saindo do quarto e começando a descer as escadas, localizando a tia sentada no sofá ainda no meio dos degraus. Se aproximou dela sorrateiramente, exibindo um sorriso fofo nos lábios um tanto carnudos. Sabia que sentiria falta de Gayoung, ela era tão boa para si e a tratava com o amor que merecia.


— Tchau, titia. — a mais velha notando a presença de Misuk levantou o olhar do grupo e o deixou com a página marcada no sofá, se levantando com um sorriso. Já havia se acostumado com a falta de presença de Misuk, então o tempo em que ficaria fora já era um costume e não seria lá uma grande mudança de cotidiano e costume para a tia. Ainda assim, abraçou a sobrinha com força, a outra fazendo o mesmo. Não saberia quando voltaria, mas esperava que voltasse bem.


Angel ajeitou o pequeno chapéu na cabeça enquanto se olhava no espelho. Nunca se sentirá tão linda antes e se sentia capaz de tudo naquele exato momento, até mesmo de manipular a vida de alguém, como já tinha feito. Deu um sorriso simples e de lado, gostando do que via no espelho naquele momento. Seus cabelos vermelhos faziam contraste com sua roupa clara em branco e jeans, dando á si um charme especial por todo o visual. Respirou fundo e balançou os ombros, caminhando até sua mala azul clarinho e pegando a mochila escolar em um tom de preto.


Desceu as escadas do apartamento e se deparou com ambos os pais na sala de estar, sua mãe com os óculos de grau cobrindo os olhos enquanto lia algum papel que parecia importante devido á sua concentração, e o mesmo de seu pai, que checava o relógio no pulso de minuto em minuto. Angel revirou os olhos e nem ao menos se preocupou em se despedir, apenas tocando na maçaneta da porta e deixando o apartamento batendo a porta em um estrondo.


Respirou fundo quando deixou o apartamento, não demorando muito para deixar a portaria de seu prédio também, sentindo quase um alívio imenso por finalmente sair daquele ambiente tóxico que se tornou sua casa. Não aguentava mais um segundo presa naquele lugar, e talvez a excursão tirasse sua mente de toda aquela confusão que eram seus pais e seu relacionamento com eles. Ao sair, se deparou com Liddy ali, sorrindo ao observar a loira.


— Red Angel! — chamou ela, abrindo os braços como quem espera um abraço, recebendo em seguida ao que Angel correu até ela, a abraçando com força enquanto a loira ria. Em seguida, ambas olharam para os lados, se deparando com uma rua quase deserta se não fosse a presença de um ou outro adolescente, Angel beijando de leve os lábios da namorada em seguida. Liddy era importante e preciosa demais para si, nunca poderia perdê-la.


Tyson bagunçou levemente os cabelos de Tyler, que deu um empurrão de leve no irmão enquanto sorria. Seus pais observavam tudo e sua mãe nutria um belo sorriso no rosto, enquanto Wooseok a abraçava de lado com o mesmo sorriso, sendo esse extremamente parecido com o do filho mais novo. 


— Tchau Tae, vou sentir saudade. — o mais novo comentou, abraçando o irmão, nutrindo aquele sorriso infantil nos lábios. Tyson sorriu de lado ao observar o irmão, que estava quase a chorar naquele momento, e logo seu lado protetor pareceu despertar. Não gostava que Tyler chorasse, assim como odiava os garotos que insistiam em praticar bullying com o mesmo, sendo sempre barrados por Tyson.


— Tchau... — disse um tanto sem-graça. Não tinha estabelecido uma relação lá muito agradável com ambos seus pais depois do início de sua rebeldia, então ainda estava um tanto constrangido de falar com eles, e, principalmente, de se despedir e admitir que sentiria uma falta imensa do casal. Sua mãe sorriu para si e acariciou levemente seu rosto, enquanto Wooseok sorria e dava um leve aceno ao garoto, respeitando sua privacidade e espaço. — Tchau, seu bobão! — Tyson cortou o clima de despedida fofo ao bater de leve na cabeça do irmão mais novo que resmungou algo que envolvia vingança no meio.


Mesmo com todas as brincadeiras, Tyson amava seu irmão, e nunca deixaria nada de ruim acontecer com ele. Se fosse necessário, estaria sempre lá para protege-lo, Tyler era como seu bem mais precioso e uma de suas maiores razões. Pensando nisso, o mais velho adentrou o ônibus escolar que os levaria até o Japão, o que renderia um bom tempo de viagem, e se sentou em um dos bancos, próximo da janela, aguardando Areum. Gostava de refletir por um tempo em viagens longas como aquelas, mas acabaria dormindo uma hora ou outra.


Agora faltava apenas esperar a chegada dos outros estudantes...
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...