História Mon doudou ( Imagine Tae, Jungkook and Bts) hiatus - Capítulo 48


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Girls' Generation, Got7
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Hentai, Imagine Jungkook, Romance, Taehyung
Visualizações 305
Palavras 2.653
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaaaaaaaaa!

Desculpem a demora, como previsto a maratona acabou dia 29, e eu amei essa maratona! Se eu pudesse eu faria sempre, mas minhas aulas já começaram, e já temos provas agora dia 9, então os caps vão voltar a ser todo Domingo ( ou madrugada de segunda) mesmo. Juro que tentarei não falhar com vcs amores.

E era para ter postado no sábado kkkkk, mas eu acabei ficando viciada no Tik Tok, sério é mto legal o app, baixem; e além disso eu não tava achando a treta que eu tava fazendo uma treta aceitável, então acabei parando. E hj, quando eu ia começar a escrever cedo comecei um novo anime. Fazia taaaaaanto tempo que eu não via anime que tinha esquecido a sensação maravilinda que é, esse ainda é muito maravilhoso sério, por isso que eu comecei kkkkk. Depois fiquei enrolando e lendo uns imagines, enfim, bora pra história.


TEM TRETA, TRETA, TREATAAAAA!❤️❤️❤️

1000x0 Pro Kookie gente!

Boa leitura!

Depois reviso. ( E minhas capas tão tudo atrasada, sorry.)

Capítulo 48 - Isso é por ela.


Jungkook POV on:

- O que deseja? – Perguntou uma empregada.

 

Eu: Falar com Kim Taehyung. – Falei com um semblante sério.

 

Empregada: O jovem mestre não está. Gostaria de deixar um recado? – Ela disse simpática, era uma moça de uns trinta anos.

 

Eu: Não, vou esperar por ele mesmo. – Falei sem deixar minha cara séria de lado.

 

Empregada: Mas... Eu não sei se posso te deixar entrar, meus patrões nem o Jovem mestre me avisaram nada. Eu... – A interrompi.

 

Eu: Não tem problema, eu vou esperar ele aqui, você deixando, ou não. – Falei e entrei na casa, a pobre moça me olhou em desespero, ela estava chocada com a minha audácia e não sabia o que fazer.

 

Me joguei em um sofá de couro grande, estava na sala de estar, e que sala hein! Devia ser maior que um andar da minha casa, passei a observar a casa melhor, era realmente uma casa e tanto.

 

A empregada veio até mim e me olhou séria.

 

Empregada: Senhor, você não pode ficar aqui, ninguém me avisou nada... Me entenda por favor! – Disse me olhando.

Eu: Daqui eu não saio. – Ela me olhou começando a ficar nervosa, a olhei sério, não queria ter minha paciência enchida.

 

Empregada: Senhor, eu vou ter que chamar os seguranças, com licença. – Disse visivelmente nervosa. 

 

Fudeu, mas daqui eu não saio, não até falar com a anta do Taehyung. Fiquei pensando e a encarando, logo uma ideia veio a minha mente.

 

Eu: Ah é? E se eu for um amigo do Tae? – Mas nem no inferno, ainda tive que falar o apelido dele, aish que saco. – Acho que ele não gostaria de ouvir uma reclamação de um amigo sobre uma de suas empregadas terem o tratado mal. – Ela me olhou arregalando os olhos, visivelmente tensa. – Não é muito difícil você ser punida por isso não é? Muito menos despedida... Que pena que vou ter que contar... – Falei bem sínico, ela me olhou já apavorada.

 

Empregada: Não! Senhor. Ah! Me desculpe, eu... Eu te deixo ficar aqui. Amigo do Tae certo? – Ela disse desesperada, apenas assenti a olhando friamente, meu melhor dom. – Vocês são bem amigos né? – Disse começando a ficar desconfiada.

 

Eu: Sim. – Falei a olhando cuidadosamente.

 

Empregada: Estranho que eu nunca te vi aqui. –  Falou me olhando fixamente de forma intrigada. Aí ela me pegou! Aish, empregada esperta essa.

 

Eu: Ah, é que viramos amigos esse ano, e eu praticamente só sai com ele para festas e coisas assim. Mas no fim somos amigos do mesmo jeito. – Falei confiante, o cinema está perdendo um grande ator.

 

Empregada: Ah sim... – Falou parecendo se convencer. – Me desculpe senhor. – Disse e logo foi se retirando, fiquei sozinho naquela sala.

 

Fiquei sentada ali analisando as coisas com meu olhar, acho que nunca tinha visto coisas tão caras reunidas juntas desde a casa da S/N, aquelas coisas poderiam ser utensílios “normais” para aquelas pessoas, as pessoas da alta sociedade; porém para mim era um absurdo gastar mais de um milhão de dólares em uma obra de arte, por exemplo.

 

Minha família não era pobre,  se considerasse um nível de sociedade, nós estaríamos na classe média alta, o que não era nada ruim; mas se você comparasse nossa renda com a dessas pessoas, eu não era nem um mendigo.

 

Tudo bem que eu estudava em uma escola significativamente cara, sim, ela era particular, era só para filhos de pessoas com dinheiro, os alunos daquela escola eram reconhecidos em toda parte, chutaria que 96% das pessoas que estudavam ali possuíam conta bancária elevada; porém eu era bolsista. 

 

Tive a sorte de nascer com facilidade em aprender, e então na época que meu pai ainda se importava comigo ele disse para eu tentar a bolsa, e bem, eu passei em primeiro lugar, o que me surpreendeu naquela época, mas hoje realmente não me afetaria, eu sei que sou bom. Mesmo assim não uso isso ao meu favor, até porque tiro notas relativamente baixas, o motivo? Vivo faltando, matando aula e não estudo para as provas, só estudo se eu ficar de final, apenas para não repetir e é isso. Eu realmente não gosto nem um pouco de estudar todas essas coisas inúteis, e só passo de ano para sair o mais rápido possível daqui. Tenho sorte de minha bolsa não depender das minhas notas, afinal não estaria disposto à sacrificar minha vida pelas  boas notas.

 

Além de mim existem alguns outros poucos casos de bolsistas, mas esses realmente aproveitam a chance. O colégio é realmente reconhecido, além disso, mais de 90% das pessoas que se formam aqui vão para boas faculdades, afinal além de possuírem dinheiro se formaram aqui, carregando uma grande vantagem no currículo.

 

Eu não fiz muitas amizades, nunca fui bom em me relacionar à ninguém;  apenas virei amigo dos meninos, e agora da S/N. Mas um grandes motivo de eu não ter feito muitas amizades é porque eu acho os alunos da escola muito metidos, eles são muito irritantes na minha opinião, e eu não aguento.

 

Meu pai ganhava bem, era empresário, e assim sustentava a minha madrasta interesseira, e os filhos dela. O por que de eu não estar incluso? Simples, eu vivia com meu próprio dinheiro, eles não ligavam para mim. A minha sorte foi que quando minha mãe morreu, ela deixou uma boaherança, e minha também falecida avó, vendo que ela não tinha deixado testamentos conseguiu colocar tudo no meu nome, e assim o dinheiro foi para a minha poupança, e Ficou guardado lá até eu começar à usar ele, por volta de uns 12 anos, sim minha independência começou precoce. Essa minha avó também me deixou algumas poucas coisas, incluindo algumas casas de aluguel, as quais todo mês entram na minha conta. O dinheiro desse aluguel não era muito, afinal eram casinhas baratinhas de interior, mas juntando isso ao dinheiro de herança da minha mãe davam um bom dinheiro, que por mês, fazendo o que eu fazia dava e sobrava, e ainda tinha a reserva que minha mãe me deixou da poupança.

 

Desse modo quando fiz dezesseis anos aprendi a dirigir com os meninos e comprei um carro, ilegalmente, ele era bom, não era nada importado mas era novo e muito confortável, com esse dinheiro também investi mais no meu barco, e na minha luta. Tive algumas despesas a mais, tipo médicos por causa dos meus surtos, meu pai não pagava, ele meio que ignorava, só me xingava igual à Rebeca, então me forçaram à ir no médico, mas como sempre as despesas foram por minha conta; e as outras despesas adicionais foram quando me viciei em drogas e bebidas, o que continua até hoje; por causas desses imprevistos e gastos que às vezes estrapolam meus limites, crio algumas dívidas, como com Jackson, mas normalmente logo pago. Resumindo? Nunca fui rico, e olhar essas coisas caras tão de perto é um tanto surreal para mim.

 

A família da minha mãe possuía bens, mas eu realmente não sei o que viraram, e realmente procuro não saber, depois morte da minha mãe, nunca mais fomos em Busan, a família da minha mãe era de lá e minha vó dizia que antes sempre eu e meu pai íamos lá, eu realmente não sei o que ocorreu, eu era pequeno, mas sei que de uma hora para a outra nunca mais tive contato com meus parentes maternos, somente minha avó, e depois um dia me veio a notícia que ela faleceu lá por uma carta, fiquei em prantos, fui até Busan no seu enterro que decidiram ser lá, mas quando cheguei todos já tinham ido, só restou eu naquele túmulo, e confesso como eu senti falta dela, eu era tão novo, devia ter uns 9 anos, foi muito doloroso. E eu ainda estava completamente sozinho...

 

A família do meu pai nunca ligou muito para mim, e depois que minha mãe morreu, quem cuidava de mim era minha avó, ela sempre vinha me visitar, e eu ficava muito feliz com isso, ela foi minha mãe se pensar bem, e ela me contava ótimas histórias quando eu ia dormir. Rebeca não gostava dela, e com o tempo fez meu pai não gostar da vovó também, mas vovó era tão incrível que ignorava eles com sucesso, era só eu e ela, isso era incrível.

 

Depois da morte dela nunca mais ouvi falar nos meus parentes dessa parte da família, e nem procurei, eu não era muito próximo mesmo, se vi eles duas vezes foi muito. Confesso que sinto muita falta da minha vózinha e da minha mamãe, eu amava tanto elas...

 

Suspirei fundo tentando afastar aquela onda de pensamentos da minha cabeça, olhei para o teto e um barulho de chaves me chamou a atenção, olhei rapidamente  para à porta e vi quem eu mais queria naquele momento, Taehyung.

 

Assim que notou minha presença na sala ele tomou um susto e arregalou os olhos.

 

Tae: Jungkook? – Disse fechando a porta.

 

Eu: Sim, tá cego? – Falei me levantando e andando em passos lentos até ele.

 

Tae: O que faz aqui? – Falou visivelmente confuso.

 

Eu: Vim tirar satisfações ora. – Falei e o vi rir de mim.

 

Tae: Sobre o quê? – Disse e riu de lado. – Não me diga que é sobre a S/N? 

 

Eu: Olha, parece que a anta aqui pensa um pouco, devia ter sido esperto assim antes de fazer aquilo com ela. – Falei e comecei a ficar nervoso ao lembrar dela chorando. 

 

Tae: Ah! Cala a boca! Isso não te interessa. Não vou perder meu tempo com você, estou cansado e quero dormir. – Falou e começou a andar em direção à escada.

 

Eu: Pode parar aí. – Falei e o puxei pela blusa o fazendo vir para trás. – Isso é assunto meu sim! – Esbravejei. – Tem noção de como ela ficou?! – Falei e apertei sua blusa, ele estava cara a cara comigo.

 

Tae: Não, e nem quero imaginar. Essa garota não sabe fazer outra coisa além de chorar não? Porque tenho certeza que foi isso que ela fez! – Disse rindo sínico. – Cai fora vai! Eu quero dormir!. – Ele estava me irritando, eu não me controlei e dei um soco no rosto dele.

Eu: Quer dormir?! Eu vou te colocar agora!– Gritei. – Seu desgraçado!

 

Tae: Você que é! – Disse se levantando. – Fica protegendo aquela garota sem graça, aquela fingida. Fez o maior show só porque eu estava namorando a Angel. S/N é louca! – Já não estava me controlando, eu explodia rápido. – Ela é uma inútil! – Gritou e eu estourei, ele era muito babaca.

 

Eu: VOCÊ TRAIU ELA! TRAIU! – Berrei e soquei sua barriga, ouvi ele gemer de dor, ele riu sínico.

 

Dei outro soco nele ele tentou me devolver mas eu apenas peguei seu braço e torci, bem torcido, até ouvir estralar. Ele gritou de dor e se soltou me dar do um soco no rosto com o outro braço.

Acabei me desequilibrando e caindo no chão.

 

Tae: Tá nervosinho por que hein? Ela não era nada minha! Eu não namorava ela! Eu só fodia ela! E quer saber? Ela fodia muito mal! Por isso procurei outra pessoa, uma muito mais gostosa! – Falou e eu me levantei rindo dele. – Uma que não é tola! – Falou e recebeu um soco bem dado na cara, cortei a boca dele.

 

Eu: Mais gostosa? Acho que quem enlouqueceu foi você né Taehyung? Não sabia que tábuas de passar agora eram gostosas! E sem graça? Me poupe! Mais sem graça que você não existe! – Gritei e deu uma joelhada no seu saco o fazendo cair no chão de dor. Aproveitei que ele estava no chão e chutei sua cara, vi seu olho logo começar a inchar. Ele me puxou e caí em cima dele.

 

Tae: TA ESTRESSADINHO POR QUÊ?! ISSO NEM É DA SUA CONTA! APOSTO QUE TA ASSIM PORQUE NÃO COME NINGUÉM HÁ MESES! – Berrou enfurecido, ele havia me virando ficado em cima de mim e me deu alguns socos no rosto, que sinceramente nem fizeram efeito. – A S/N É UMA BURRA QUE NÃO SERVE NEM PARA FODER. TA NERVOSO PORQUE PERDEU ELA PARA MIM NE? TÁ TÃO NA SECA ASSIM JUNGKOOK? A PONTO DE QUERER UMA PRIANHA DAQUELA? – Aquela foi a gota d’água, gente nem tinha discutido muito, eu só queria socar a cara dele, apenas isso, assim como foi meu objetivo desde que vim aqui.

Eu: CALA A BICA PARA FALAR DELA SEU FILHO DA PUTA!

 

O virei ficando por cima, dei uns doze socos seguidos em seu rosto, o mesmo já sangrava muito.  Me levantei o pegando junto, segurei ele é o coloquei de pé, eu estava ardendo de raiva.

 

Eu: VEM RIQUINHO! ANDA PLAYBOY! VEM NO SOCO! FICA DE PÉ PORRA! – Falei e o imbecil veio. 

 

 Ele estava com o rosto encharcado de sangue, porém veio mesmo assim, correu na minha direção e eu apenas bati mais nele, ele me deferiu alguns socos mas não surtia efeito, eu estava nervoso demais para sentir dor com aqueles golpes, ele já desesperado pega um vaso de cerâmica perto de si, de uma mesinha de canto e vem pra perto de mim, me acertando na cabeça, o vaso se partiu, jogando pedaços para todo lado; senti que eu ia apagar, senti um líquido escorrer na minha testa, peguei era sangue, ele veio em minha direção, mais nervoso ainda e me deferiu socos. Ele acertou um dos meus olhos e aí sim doeu, mas ignorei, aquilo ficaria roxo. Ele se levantou e começou a chupar minhas costelas, e depois chutou meu saco. Urrei de dor, aquela área era muito sensível; ele logo se abaixou voltou a socar minha cara.

 

Consegui ficar por cima, estava todo dolorido, mas consegui. O dei um soco na boca, fazendo sair ainda mais sangue.

 

Eu: ISSO É POR A TER FEITO CHORAR! – Gritei.

 

Peguei sua cabeça a ergui um pouco e taquei de volta com tudo no chão.

 

Eu: ISSO POR XINGAR ELA!

 

Bati a cara dele daquele jeito de novo, porém mais forte, ele estava quase desmaiando, mas ele relutava.

 

Eu: ISSO POR TRAIR ELA! – Terminei me levantando e pisando com força na cara dele.

 

Em um movimento brusco ele conseguiu me puxar para o chão ficando por cima; bateu minha cabeça já cortada ali no chão, porém apenas uma vez, porque o joguei logo para o lado.

 

Me levantei com dificuldades o agarrando pela roupa, o levantei do chão e com toda força o taquei em cima da mesinha central de vidro. 

 

Eu: E Que você se foda! – Gritei quando o joguei.

Só se pode escutar o barulho do vidro quebrando e Tae gemendo de dor.

 

Eu: E ISSO É PELA S/N. – Gritei e deu um chute bem dado em suas costelas, no meio daqueles cacos de vidro. Ele que estava apenas suspenso pela armação de metal, acabou caindo de cabeça no chão, se cortando ainda mais.

 

Xx: Meu Deus! O que está acontecendo aqui! – Disse uma voz desesperada, nem olhei o que era, a pessoa dona da voz saiu correndo e pelo barulho abriu a porta de entrada com força saindo por lá. Fui em direção a Tae, este se levantou quase caindo no chão, ele veio para me bater, ele estava em um péssimo estado, eu também, mas ele estava bem pior, mal conseguia ficar de pé. Ele veio me dar um soco, apenas parei a mão dele e o vi rir. Só senti meu braço escorrer alguma coisa e um ardor, quando vi ele tinha cortado o meu outro braço de fora a fora com o caco de vidro, estava um corte gigante e profundo. Como eu não percebi? Aish!

 

Eu: Desgraçado! – Esbravejei, e com meu braço bom dei o soco mais forte desde o início daquela briga da cara dele, ouvi um estalo e minha mão doeu muito, acho que tinha quebrado minha mão, mas quando o vi, seu nariz estava torto. Ri daquilo sadicamente.

Ia dar outro mas me senti ser segurado.

 

Xx: Chega! – Uma voz grossa disse atrás de mim me segurando.

 

Continua...


Notas Finais


Bem foi issoooo! Espero que tenha gostado! Se sim, compartilhe, favorite e comente!

Amo comentários!❤️❤️

Mochi ama vcs!💗💗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...