1. Spirit Fanfics >
  2. Monarquía (SasuHinaIta) >
  3. Audácia

História Monarquía (SasuHinaIta) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Não consegui me segurar...
Capítulo fresquinho.

Espero muito que gostem!

Boa leitura!!

Capítulo 2 - Audácia


Fanfic / Fanfiction Monarquía (SasuHinaIta) - Capítulo 2 - Audácia

Capítulo anterior:


Madara riu de lado. O mesmo mandaria seus sobrinhos. Já tinha uma ideia, do que propor ao Hyuuga. Bebeu um gole do vinho que estava sobre a mesa e mandou chamar Sasuke e Itachi. O mesmo caminhou ao redor da mesa e chegou próximo a sacada, olhando a vasta imensidão de campos verdes e terras produtivas em sua província. Tinha feito um bom trabalho e não é pra menos, seu reino era o mais próspero de toda a Europa.

E com pensamentos no que foi lhe informado, pensou:

Hiashi queria um acordo, quão grande seria o desepero do mesmo para preferir a junção dos reinos a deixar o seu povo morrer a míngua?




Sasuke estava em seu quarto com duas mulheres, Ino e Karin, ambas lhe davam prazer, afim de saciar sua fome carnal.

Na verdade fazia mais por diversão, não admitiria mais já havia enjoado do toque das mulheres mais seu corpo reagia positivamente e deixava que as mesmas fizessem o resto.

Toneri entrou no quarto sem a mínima cerimônia, sempre foi assim. - Madara, solicita sua presença- .


O mesmo não perdeu tempo já saiu deixando as duas mulheres sozinhas, não seria problema, elas se aliviariam com ajuda da outra.

Itachi estava no dojô do castelo, no caminho para o salão principal que era sempre onde o tio ficava, os irmãos se encontraram e se olharam se perguntando o que havia acontecido, pro Uchiha mais velho, precisar dos mesmos ao mesmo tempo.


Entraram, fazendo reverência e tomaram seus lugares, aguardando a pronúncia do mais velho.

- Serei direto, Hiashi nos quer em seu palácio para um acordo entre os reinos.

Os mesmo se entreolharam.


Sasuke: - Eles não tem nada a nos oferecer. Porque faríamos algum acordo?

Madara: - Claro que sim, meu sobrinho! -. Lançou um olhar sugestivo para o mais novo.

Itachi sorriu de lado: - A princesa dos Hyuuga, a Filha querida de Hiashi.

Sasuke: - Pelo que ouvi falar, ela não deve ser lá, comparada as mulheres que temos aqui no castelo- .

Madara: - Justamente, nenhuma se compara a uma mulher da realeza. Nascida para obedecer e ainda é educada para se portar como uma princesa em público- .

Itachi: - O que tem em mente tio? -.

Madara: - Um casamento... Para fundir os reinos.

Sasuke: -Com quem?-.

Madara: - Com os dois!- . Ele apontou pros mesmo.

Eles apenas se olharam em confirmação e acenaram para o mais velho.


Hiashi teria que abrir mão do seu bem mais precioso.

~*~

Passado se uma semana. O palácio preparava-se para a chegada dos irmão Uchihas. Hinata estava odiando cada empenho do pai em "agradar" os mesmo. E pra não se irritar ainda mais, ficou fora, patrulhando os arredores do reino, afim de distrair a mente, levou consigo apenas dez homens, com muita insistência de Kô, pois a mesma levaria apenas três, ou mesmo ainda iria só. Seu pai havia lhe mandado uma mensagem, informando que os anfitriões chegariam ao fim da tarde e que solicitava a presença da mesma. Suspirou.

Hinata nem sempre fora assim, tão segura de si, viu o primo morrer em sua frente, daí em diante decidiu se dedicar nas artes marciais, descobriu seus poderes, o qual emanava um tipo de energia de seus punhos formando os leões gêmeos. A mesma ainda aperfeiçoou sua própria técnica tendo controle total do seu poder, o liberando com o mínimo de esforço.


Decidiu obedecer seu pai e cavalgou rumo ao palácio, juntamente com a tropa.


Chegando ao palácio, como sempre, foi recebida por Kô, o mesmo a informou que já haviam chegado...

Seu pai a mataria depois, fechou os olhos com força praquejando palavras indecifráveis.

A mesma deparou-se com os mesmo no hall da entrada, se soubesse que ainda estariam aqui, teria entrado pela cozinha, deu uma olhada rápida para Kô, que lhe pedia desculpas silenciosamente.

Só o pai a tinha notado.

Hiashi: - Querida, que bom que chegou. Vá se trocar por favor, e venha cortejar nossas visitas - . O mesmo falava sem expressão, mais Hinata não precisava de expressões, lia seu pai de longe. Os dois a olharam e a encararam intensamente. Não deixou de notar o quanto os mesmo eram atraentes, o mais novo tinha cabelos e olhos igualmente negros e usava uma yukata em branco e preto, com a parte de cima levemente aberta, enquanto o mais velho vestia um sobretudo negro, com desenhos pelo que parecia seriam o símbolo do país do fogo, e assim como o mais novo olhos e cabelos negros, mais jurou ter visto um cintilar vermelho.

Hinata fez uma reverência. - Claro, papai... Senhores, queiram me dar licença!- . A mesma usava seu traje de guerra, um collant negro corpo todo, por baixo de uma armadura que cobria o busto com obreira, tornozeleira, com uma bota em couro cano alto que fazia junção com a joelheira e uma capa branca que cobria uma lateral de seu corpo e os cabelos presos em um rabo de cavalo por um adorno, deixando a franja solta. Passou pelos mesmos e subiu as escadas graciosamente sob os olhos dos irmãos.

Depois de meia hora, Kô bateu a porta de seu quarto, a chamado para que acompanhasse os Uchihas, durante o chá.


Hinata estava trajando vertido ombro a ombro de cor creme, com a barra adornada em plumas, nada muito exagerado, o busto até o começo da saia do vertido era todo trabalhado em pequenas flores, seus cabelos estavam presos em um coque desajeitado, dando a visão de seu colo e pescoço. Se direcionou ao jardim, onde ficava uma ala para o momento do chá, os mesmo já a estavam aguardando.

- Queiram me perdoar... Kô, por gentileza, pode pedir a Kurenai, pra trazer o chá.

Kô: - Claro Hinata-sama -.


Não demorou muito, e o chá já estava na mesa e Hinata serviu os cavalheiros sobre o olhar intenso dos mesmo, o que não passou despercebido pra a morena em momento algum. Não eram discretos.

Hinata: - Poderiam ao menos disfarçar seus olhos luxuosos direcionados a mim... não sou um prêmio, como costumam ter em sua província -.

Sasuke: - Claro que não senhorita Hyuuga, és bem melhor-. O mesmo a olhou com malícia a fitando de cima a baixo, Hinata abriu a boca em contragosto, era muita ousadia mesmo.

Itachi: - Vossa alteza, queira desculpar meu tolo irmão, o que ele quis dizer é que a senhorita não se compara em nada as mulheres de nosso reino- . O mesmo sorriu, a olhando intensamente.

Seu pai se aproximou.- Filha queira mostrar aos cavalheiros, os aposentos, para que possam descansar da viagem-.

Hinata respondeu a contragosto: - Sim papai... Senhores por favor! -.

Kô se aproximou da princesa e lhes informou quais seriam os quartos dos Uchihas.

Hinata: - O-o quê?- olhou indiguinada em direção onde o pai estava antes, mais o mesmo já havia ido. Fechou as mãos em punho. Do lado do seu quarto,-Aarrgg- cerrou os punhos fortemente.


A mesma está sentindo o corpo queimar com os olhares dos irmãos. Os odiava ainda mais. Principalmente o mais novo que a tratava como uma das mulheres, que ele deve ter em seu reino, o outro pelo menos parecia mais educado, mais sua pose não a enganava, talvez fosse mais cafajeste que o mais novo.

Hinata: - Este é o quarto onde vão ficar, por gentileza queiram se acomodar, se precisarem de algo Kô estará a sua disposição ou mesmo, meu quarto está logo ali-. Apontou para a porta a frente do mesmo.

Sasuke sorriu, a estadia seria um tanto interessante, a princesa era um tanto petulante, mais algo lhe dizia que isso não passava de fachada. Queria parecer durona e no final seria ainda mais frágil que uma rosa. Itachi por outro lado, estava sentindo pena da mesma, com o futuro que lhe aguardava. Ele ainda era mais prático e tinha empatia, no entanto seu irmão caçula, devia está se divertindo com a arrogância da morena.

Hinata entrou no escritório do seu pai de supetão, sem nem bater. - Sério papai... Na frente do meu quarto, não quer que eu durma com eles também? -. Hinata estava alterada, não sabia o porque do pai receber os Uchihas e pra que um acordo agora, já conseguiram viver tanto tempo sem a ajuda deles, não seria agora que precisaria. No entanto notou que as palavras não surtiram efeito em seu pai, isso quer dizer que tinha alguma coisa errada, seu sexto sentido nunca a enganava. - O que foi papai?-. O olhou interrogativa.

Hiashi: - Nada querida, me desculpe... Mais esse era o único que estava em melhores condições e com duas camas na suite- .

Estranhou, outrora seu pai daria uma bela bronca por ter se atrasado e ainda por falar com tamanha petulância com o mesmo.

Iria descarregar sua ira no dojô, mais antes iria se livrar do vestido pesado que estava usando.


Minutos depois, Hinata estava treinando em posições marciais, a qual aprendeu serem as específicas do reino, o taijutso. A mesma movimentava o corpo em completa sintonia e graça, liberando energia azul da ponta de seus dedos. A mesma vestia um collant negro com uma blusa larga e uma saia com as laterais abertas igualmente brancas, para que lhe desce mais liberdade para fazer os movimento. Estava de olhos fechados quando sentiu uma aproximação.

Hinata: -O que faz aqui? Ouvi você chegando a dois minutos atrás -. A mesma parou e olhou para o moreno.

Itachi apenas ergueu a sobrancelha, ela era bem sensitiva: - Apenas admirando a leveza de seus movimentos, e se me permite... Apreciando sua beleza, princesa -. Hinata o encarou.

Hinata: - Muito lisonjeiro de sua parte... Senhor?-.

Itachi: - Itachi, senhorita-. Disse se aproximando. - Podemos?-

A mesma o encarou por um segundo e acenou positivamente.

Se colocaram em posição e Hinata se pronunciou. - Não pegue leve! Odeio ser subestimada ou tratada, como se não soubesse ou pudesse me proteger -.

Itachi:- Como desejar -. Sorriu de canto, não iria mesmo pegar leve.


Itachi percebeu o quanto precisa em seus ataques a princesa era, com uma defesa impecável. No entanto a mesma esqueceu de prender o cabelo, e notou que a mesma estava incomodada, o que acabava lhe atrapalhado em certos movimento. Eu um giro rápido, Itachi a desequilibrou e no intuito de não a deixar cair e se machucar virou, sentindo o baqui do chão e o corpo da morena bater contra o seu.

Hinata ficou vermelha, nunca tinha ficado tão perto de um homem como agora. Itachi notando o rubor na face da morena ficou encantado, a mesma estava a centímetros de seu rosto, com as mãos espalmadas em seu peito, os fios levemente grudados no rosto devido o suor.

Foram interrompidos por uma voz que se tornou irritante para a Hyuuga, apesar de ser sugestivamente sexy.

Sasuke: - Não perde tempo em maninho, já tirando uma casquinha- .

Os mesmo ficaram em pé rapidamente, Itachi pediu desculpas para a morena sem jeito.


Hinata: - Que seja! -. Saiu a passos largos do lugar.

Itachi fuzilou o mais novo com os olhos.

Itachi: - Você é um idiota mesmo -.

Sasuke: - Pensa que não vi como ficou caidinho por ela, você só disfarça melhor que eu, deixou-se ser pego por ela de propósito -.


Foram para o quarto descansar.

No quarto do lado Hinata estava esplodindo de raiva, tinha que se acalmar se não faria outro estrago em seu quarto, como dá última vez.


Se colocou em posição de lótus e começou tentar controlar a respiração, quando Hinata ouviu o som de batidas em sua porta, Hinata foi atender nervosa e sem querer descarregou energia por entre o punho criando um leão fazendo Kô, atravessar a parede do quarto dos convidados. -Droga- disse mentalmente.


Foi em direção ao buraco na parede, ver como Kô estava.

Sasuke: - Mais que porra é essa!- .


Hinata passou por eles e chamou Naruto, o loiro que sempre fazia patrulha com a mesma, para que levasse Kô, para o quarto que Hinata já iria.

Sasuke: - Não me diga que isso foi seu punho-. Falou incrédulo.

Antes que Hinata respondesse, Itachi se pronunciou: - Claro que não, a princesa é descendente de Hamura, e herdou o poder. É um tipo de energia que o corpo da Hyuuga libera, assim como nós, com o Shidori pelo Sharigan- .

Hinata: - Obrigada, e... Me desculpem! Tentarei concertar isso!-. Disse apontando para o buraco na entrada do cômodo. Hinata entrou no quarto ao lado do seu e notou que seu pai estava mentindo, havia duas camas de solteiro e o banheiro estava em perfeitas condições. Pediu para Kurenai, trocar os lençóis e fazer a higiene do banheiro.

Hinata: -Podem ficar no quarto ao lado... Por favor!

Itachi:- Obrigada... Princesa - .

Hinata parou assim que ouviu o moreno.- Assim... E parem de me chamar de "princesa", o jeito que vocês falam parece deboche- .

Itachi não retrucou olhou para a Hyuuga que passava pelo buraco da parede e riu de canto, ela tinha coragem. E pensou consigo, ela devia estar muito zangada o idiota do seu irmão causava um efeito e tanto nela para a desistabilizar dessa forma. Seu tio tinha falo do poder da Hyuuga que tinha acordado após a tragédia, com um primo-irmão da mesma morto em sua frente.

Hinata nem se importou com o buraco na parede, entrou no banheiro, encheu a banheira, se despiu e entrou na agua. Precisava relaxar. Suspirou e fechou os olhos com força, quando abriu notou que energia saia da ponta de seus dedos. Precisava se controlar.


Após o banho vestiu um vestido leve, cor gradiente em azul e branco e deixou os cabelos úmidos soltos.

Horas se passaram, já estavam na mesa de jantar, Kô estava bem, o mesmo repousava em seu quarto, por sorte não tinha quebrado nada só estava dolorido pela travessia na parede. Ora ou outra, sentia os olhares sobre si, seu pai não a questionou, por conta do ocorrido... Com certeza o mesmo já havia deduzido por que ela estava assim. A mesma não estava conseguindo se acalmar, até a respiração do mais novo a estava incomodando. Respirou fundo e pediu licença, se retirando da mesa indo em direção ao seu quarto e antes que a mesma abrisse a porta sentiu ser precionada contra a parede, e gemeu com o toque. Queria agora a descarga de energia que lhe emanava, sempre que estava perto do mais novo. Fechou os olhos sentindo o leve roçar das pontas do cabelo do moreno em seu rosto, o qual falou a seu ouvido. - Você já ouviu falar naquele ditado em que, cão que ladra não morde... Pois bem "princesa"- falou pausadamente. - Se aplica inteiramente a você -. Hinata gemeu sentindo o corpo lhe apertar mais contra a parede, a mesma o olhou furiosa. Droga porque não conseguia atingi-lo!? A mesma pensou.

Sasuke: - Logo, você estará a minha mercer... Na minha cama chamando por mim e pedindo por mais-. Hinata tremeu com o tom da voz do moreno que estava rouca propositalmente. Fato que não passou despercebido pelo moreno.


Itachi apareceu no final do corredor e o mais novo a deixou encostada na parede desnoteanda, Itachi perguntou silenciosamente se estava tudo bem.

Hinata: - Não seja cínico!- falou se afastando do mesmo, tremendo. Hinata foi para o quarto ao lado e bateu a porta.

Durante a noite, os sonhos de Hinata foram visitados por pesadelos, a fazendo reviver a morte do primo. E começou a gritar chamando por Neji. - Ne-Neji-nii-san, o-onegai-. A mesma falava gritando em prantos. Do outro lado os mesmo ouvindo decidiram ver como estava a Hyuuga, quando entraram no quarto, o mesmo estava escuro, apenas o brilho da lua inluminava o cômodo, e Hinata estava flutuando, e fios de energia emanavam pelos seus dedos, dando uma visão mística a princesa, cabelos soltos e uma camisola longa vermelha o qual esvoaçavam juntamente com os madeixas da mesma.

Sasuke: - O que fazemos agora? -

Itachi: - Eu vou tentar soltar uma leve descarga de chidori na Hyuuga e você a segura pra que ela não se machuque -.


Os olhos de Itachi se tornaram vermelho formando alguns símbolos nas orbes agora carmesim e uma leve descarga de energia saia de seus dedos, fazendo um barulho que lembrava o som de pássaros. Ao tocar na Hyuuga, a mesma abriu os olhos e acordou do transe, Hinata caiu e Sasuke a segurou firme em seu colo.

Hinata não estava totalmente lúcida, e aconchegou a cabeça na curva do pescoço do mais novo. Sasuke por outro lado, exalou o perfume da morena... lírios do campo, seria seu perfume ou o seu corpo tinha essa fragancia, notou que a mesma estava gelada e sentiu a pele macia da Hyuuga a camisola, tinha uma abertura na lateral da coxa da mesma dando uma visão privilegiada a pele. O mais novo a colocou por sobre a cama, e a Hyuuga o segurou forte.

Hinata: - Por favor fiquem -.

Os mesmo se acomodaram, um de cada lado da Hyuuga.

Ao amanhecer, Hinata acordou tonta, abrindo os olhos lentamente se deparou com um rosto familiar de feição leve, mesmo com um peso em sua cintura conseguiu virar para o outro lado, se deparando com um rosto igual ao outro só que um pouco mais maduro. Hinata ficou encarando.

Quando lembrou a mesma levantou, assustando os mesmos que estavam em um sono leve e se deparou com os Uchihas em sua cama, levantou de mal jeito pela parte contrária a cabeceira da cama, e caiu desageitadamente, a perna ficou a mostra, assim como seu colo, devido as alças abaixadas e sua respiração estava desregulada.


Hinata: - O q-que fazem aqui... No-no meu quarto?- .


Os mesmos se levantavam, ficando de frente para a Hyuuga. Sasuke estáva sem camisa, vestido em uma calça moleton negra e Itachi estava com uma camisa folgada, ambos com os cabelos levemente baguncados.


Sasuke: -O que quer ouvir? - riu com o pensamento. - Tivemos uma noite bem ardente, querida- .sorriu de lado a encarando.


Hinata ficou rubra: - Não seja idiota... Itachi pro favor -. A mesma o olhou interrogativa.


Itachi: - Creio que não se recorda, mais estava tendo um pesadelo a tirei do transe e nos pediu para que passasemos a noite com a senhorita - .

Hinata tentou se lembrar e teve alguns flashes do que aconteceu. - Aaah... Claro, o-obrigada -.

Quando estavam de saída, Kô lhe informará que gostaria de conversar com os mesmos em seu escritório.

Hinata foi para o jardim enquanto que os irmãos se dirigiram ao gabinete de Hiashi.

Hiashi: - Caros, Madara tem uma proposta de acordo em mente? -.

Sasuke: - Claro, senhor... Um matrimónio, para a junção dos reinos -.

Hiashi: - Isso é inaceitável, um absurdo! -

Itachi: - Não aceitaremos nenhuma contraposta a esta... Ou o senhor aceita ou deixe seu povo morrer de fome, creio que não durarão mais que dois ou três meses -.

Sasuke: - Veja bem senhor Hiashi, é uma troca um tanto compensadora pra você, e só terá que ceder sua preciosa filha, para o benefício de todo um povo. Cumprimos com nossa palavra não precisa ficar receoso-.

Hiashi ficou pensativo e os irmãos se retiraram do escritório do Hyuuga. Hinata estava no palácio quando deu de cara com seu, pai. O mesmo tinha um semblante cansado. E a chamou para caminharem pelo jardim.


Hiashi: -Minha querida, faria qualquer coisa para o bem do nosso povo -.


Hinata: -Claro que sim papai, daria minha vida se fosse preciso -.


Hiashi parou e pegou na mão da filha. - Creio que isso será a coisa mais difícil para mim... Hinata, aceitaria um casamento com os Uchihas para a fusão dos reinos, seria para o bem de todo o nosso povo-.


Olhou para o pai pasma, o que??


Hinata abriu a boca várias vezes a fim de retrucar, mais não conseguia formular uma frase se quer. - Posso levar Kô, comigo?- foi tudo que disse.

O pai fez um aceno positivo, que deu um pequeno sorriso.

No dia seguinte, Hiashi estava apenas terminando os papéis para finalizar o acordo. Hinata levaria Kô consigo, e os Uchihas concordaram desde que a Hyuuga obedecesse em tudo o que fosse ditado pelos Uchihas. Hiashi ainda ficou preocupado quanto a instabilidade da mesma com a explosão recente, liberada pelo corpo da filha pela presença dos irmão Uchihas, o mesmo ficou calmo depois que os irmãos falaram que não seria um problema.

No dia oficializar a fusão dos reinos estavam todos os mais influentes para prestigiarem o acontecimento... Duas grandes potências que praticamente eram inimigas se aliaram.


Hinata entrou no salão principal chamando a atenção de todos. A mesma trajava um vestido cor branco gelo, liso na parte do busto era aberto cobrindo a parte exposta um fino tule a primeira vista tomara que caia, com uma gola que segurava as laterais contornando os ombros, tinha acessórios destacavam o busto e em volta da gola. O cabelo estava apenas preso com uma corrente que adornava apartir da franja. Estava deslumbrante.


Tinha apenas que assinar um papel oficial e pronto. Eles partiriam para o país do fogo ao anoitecer.

Hinata o tempo todo tentava, se conscientizar que o que estava fazendo era tudo pelo povo, para o bem estar do seu povo. E que aquilo não seria um grande sacrifício, afinal era igual a todos, não seria um esforço muito grande, não iria morrer apenas se casar... Casar com dois Uchihas arrogantes, o qual um deles era um idiota que não suportava, e nem se lembrava o nome do mesmo. Ao saírem em viagem, Hinata se despediu de seu pai e prometeu que sempre que pudesse a visitaria. Não precisou levar nada, os irmãos insistiram que no palácio do país do fogo iria ter tudo que a mesma pudesse precisar.

Ao chegar no palácio, foi cordialmente recebida por Toneri, pelo que sabia ele era o conselheiro de Madara o então rei.


Toneri a mostrou todo o palácio e por fim lhe direcionou ao quarto. Era enorme, muito maior que o seu no país do gelo. Com uma cama no centro quarto, a cabeceira era estofadas em veludo, tinha dois criados mudo, um de cada lado, ao lado duas poltronas e uma pequena mesa em vidro no centro, do outro lado um armário, deduziu que seria o closet e ao lado uma porta para o banheiro, era bem espaçoso trabalhado em vidro a banheira caberia duas pessoas. Não tinha percebido que o quarto era provido de uma sacada, ao qual dava a visão para o vasto reino e uma parte da plantação do mesmo, ao olhar o horizonte se deparou com um pouco da vista para o castelo do gelo.


Hinata achou melhor se trocar, queria descansar.

Hinata foi para o banheiro e ao desabotoar a parte de trás do vestido uma das jóias do vestido ficou preso no tule, praquejou, agora essa. Hinata procurou por Kô na ala principal e lembrou que o tinha despensado para que o mesmo pudesse descansar, fechou os olhos, suspirando.

Toneri: -Do que precisa Hinata-sama?-.a mesma abriu os olhos e corou levemente!

Hinata: - Aaahhh...- ponderou a ideia de pedir ajuda, não viu problema. -Sim, preciso de ajuda com o vestido-.

Toneri trincou o maxilar, ou ela era muito inocente ou estava flertando com ele. - Claro!-. Quando a mesma virou apontando para a jóia presa no tule.

Sasuke apareceu no recinto.


Sasuke: - O que estão fazendo ?-.

Hinata: - Eu apenas pedi ajuda com o vestido, já que Kô...-.foi cortada.

Sasuke: - Aaah... É mesmo?-. Falou indiguinado, com o quão cínica era a princesa.- Vamos, eu ajudo!-.

Disse arrastando a princesa para o quarto. A empurrou para dentro do quarto.

Hinata: - Não quero sua ajuda - a mesma falou indo em direção ao banheiro, mais foi precionada contra a parede de costas.


Sasuke: - Claro que precisa!-. Falou ao pé do ouvido da menor, afastando o cabelo para o lado, passou as mãos ágeis pelo vestido o abrindo rapidamente, não deixando de repara que a mesma não usava sutiã.-Esta sem calcinha também?-. Hinata enrrubeceu, mais o Uchiha não podia ver. Tremeu com o toque do moreno que adentrou as mãos quentes percorrendo as costas indo para a barriga em seguida tocando o seio com uma mão e a outra mão por dentro da calcinha da mesma, acariciando sua intimidade, gemeu em surpresa quando sentiu um dedo lhe precionar ao mesmo tempo que o moreno apertava um dos seios.


Hinata: - O-onegai, e-eu não quero... Huumm-. Sentiu uma investida em sua intimidade.

Sasuke: - Seu corpo, seus gemidos e suspiros estão me dizendo o contrário-. Passou a língua pelo pescoço da morena que inclinou pro lado o fazendo aprofundar mais os toques.


Hinata não conseguia se concentrar, mesmo seu corpo respondendo as carícias do mesmo, ela não queria naquele momento, sentiu algo tocar seu traseiro e Sasuke aumentou as investidas parecia que seu corpo iria entrar em erupção de tão quente que estava se sentindo, sentiu a boca quente do moreno mais voraz em seu pescoço que lhe mordia com força. Hinata gemeu mais alto quando sentiu que iria derrete no dedos ágeis, do Uchiha. O mesmo se afastou e Hinata deixou seu corpo descer até o chão, com as mãos na parede. Respirava com dificuldade. Quando sentiu o moreno lhe puxar com brusquidão. O vestido tinha descido até a cintura. Tentou cobrir os seios que estavam espostos mais Sasuke a segurava com força, Hinata fechou os olhos com força sentindo a raiva fluir por todo o seu corpo, lágrimas descer de seus olhos.


Sasuke que até então não tinha percebido, olhou para a morena e ponderou, nunca precisou forçar ninguém a dormir consigo, ele a queria mais por vontade própria. Enquanto todas as mulheres se jogavam aos seus pé ela... Era indiferente.

O mesmo se afastou e a cobriu, saindo do quarto.

Hinata se ajoelhou e não suportando deixou que as lágrimas molhasse seu rosto. Estava tão cansada que ali mesmo adormeceu.

Não sabia o que seria dela nas mãos dos Uchihas.

Sasuke passou pelo irmão irado. Não entendia, ela podia mexer tanto assim com ele, a queria mais que tudo mais quando viu o medo estampado no rosto da morena, se assustou consigo mesmo.

Itachi percebendo que havia algo errado, apenas saiu em direção ao quarto da ex-Hyuuga, duvidava muito se o seu irmão caçula não tivesse a tomado a força. Quando entrou no quarto Hinata estava no chão com um robe cobrindo seu busto e dava pra ver que o vestido estava un pouco abaixo da cintura. O mesmo a pegou no colo, e a mesma resmungou contrariada.

Itachi: - Calma! Não farei nada...-. e a colocou sobre a cama.


~*~


No dia seguinte Hinata abriu os olhos sentindo os raios tocarem sua face. Não queria levantar. Mais mesmo sem ânimo algum fez sua higiene, tomou um banho demorado e foi em direção ao closet pegar um vestido, mais deparou-se com roupas bem estravagantes de decotadas que não cobririam em nada seu corpo.

Se eles queriam jogar, ela entraria no jogo, não se daria por vencida e se desvencilharia de todas as investidas deles.


Hinata desceu as escadas vestindo o que parecia ser um Kimono marcava o busto e a cintura delgada, desenhando o quadril deixando as pernas torneadas a mostra, os cabelos estavam presos em um coque desajeitado.

Toneri a recebeu, a direcionando a mesa do café da manhã. Sentou ao lado dos Uchihas que já estavam na mesa, juntamente com Madara e Mikoto que parecia ser a mãe dos irmãos.

Mikoto: - Seja bem vinda querida, não tive como recebê-la, ontem chegaram tarde e achei que suas vestimentas condiziam com um verdadeira princesa.

Hinata: - Agradeça aos seus filhos, meu closet foram todas escolhas dos mesmos -.

Sasuke riu de lado e Itachi olhou para a mãe, que engasgou com as palavras da morena. Madara olhou para a Hyuuga, era realmente filha de Hiashi, dona de tal arrogância.

Ao final do café da manhã pediu para que Toneri, mostrasse onde ficava o dojô e assim o fez.


Itachi: - Foi muita audácia de sua parte falar assim, com Mikoto -.


Hinata: - Você deve saber mais que ninguém, que apenas estou aqui em prol do bem-estar de meu povo, no entanto não vou deixar que me tratem como uma qualquer - .


Itachi chegou mais perto da morena e disse: - Não sou igual ao meu tolo irmão, mais convenhamos, qual homem se detém a tamanha beleza e sensualidade que a senhorita esbanja... Ou ainda não se deu conta disso! -. Hinata olhou para o Uchiha surpresa e corou, nunca tinha ouvido ninguém falar assim com ela. Realmente Hinata não se dava conta da sensualidade e o quão aquilo era atraente. Itachi chegou mais perto e com a mão no rosto da morena, tomou os lábios macio pra si em beijo calmo. Hinata retribuiu desageitadamente, era a primeira vez que era beijada assim... Com carinho. O mesmo colocou as mãos na cintura da morena e desceu os lábios pelo lóbulo, em direção ao pescoço, depositando pequenos beijos.

Itachi: - Eu a quero... Mais não farei nada, se não quiser também -.








Contínua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...