História Money and love - Shawn Mendes - Capítulo 46


Escrita por:

Postado
Categorias Cameron Dallas, Magcon, Nash Grier, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Personagens Cameron Dallas, Personagens Originais, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Cameron Dallas, Magcon, Shawn Mendes, Shawn Mendes Hot, Taylor Caniff
Visualizações 721
Palavras 1.760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi oi oi! tudo bem? me desculpem pela demora de atualizar, as aulas voltaram e é tudo muito corrido. Mas....vou tentar atualizar durante a semana também, espero que gostem e boa leitura ♡

Capítulo 46 - Surpreso.


Point of view

Shawn Mendes

11 de Agosto de 2016

09:54

Scarlett demorou para acordar hoje de manhã, eu já havia ido tomar café, tomei banho e conversei com algumas meninas, mas ela não tinha acordado. Estou voltando para o quarto com uma bandeija de café da manhã para ela.

Abria porta quando entrei e ela estava deitada, mas acordada. Dei um sorriso, indo até ela.

–Se sente melhor? dormiu bem? -pergunto, me sentando na cama.

–Me sinto tonta e enjoada, e se eu não tivesse passado tão mal de noite e ido muitas vezes fazer xixi eu até diria que dormi bem. -se sentou, prendendo o cabelo.

–Acordou tarde. -coloco o café no colo dela e dou um beijo em sua testa. –Eu falei com o Cameron, ele vai te levar num hospital bom daqui para ver o que você tem e que eles cuidem desse corte, não quero que piore.

–É só um mal estar. -sorriu, comendo o que estava na bandeija. 

–Eu até queria acreditar mas não sei se é. E caso seja, ela passa algum remédio pra você tomar e isso passar.

–Você é preocupado demais, por isso já tem rugas. -disse rindo e revirei os olhos.

–Eu preciso sair. -me levantei. 

–Ok.

–Não vai perguntar aonde vou?

–Não, eu não sou invasiva desse jeito. -disse e me olhou. –Pode me dizer aonde vai?

Dei uma risada.

–Resolver umas coisas com uns filhos da puta que tentaram brincar comigo.

 –Shawn você vai matar eles? -me olha meio assustada.

–Não posso responder isso. -dei um selinho nela. –Quando eu chegar quero saber o que deu no hospital, até mais.

 –Até...

Sai do quarto enquanto pensava em maneiras diferentes de tortura para aqueles dois. Iriam me pagar pelo que fizeram, ah se iam.

Falei com Cameron sobre levar a Scarlett para o médico antes de sair e fui para meu carro, onde Nash já estava. Resolvi levar ele para caso alguém tente alguma gracinha.

Entrei e dirigi para o galpão.

[...]

Desço do carro com Nash assim que chego e respiro fundo.

–Vai matar eles? -perguntou.

–Eu? Eu não, eu vou fazer com que me peçam para matar. -dei um sorriso e fui em direção a entrada.

Assim que entrei dei de cara com os dois, Andrew e Julie presos com algemas num cano que ficava na parede, quase pendurados. 

–Bem, parece que a hora de vocês felizmente chegaram. -fiquei na frente dos dois. –O que tinham na cabeça quando pegaram e também machucaram a Scarlett? -perguntei.

–Estávamos querendo nos vingar de você. -Julie disse. Coloquei a ponta da arma no queixo dela e empurrei para cima com força.

–Se vingar de mim? Vocês são uns merdas. -puxei o cabelo dela. –Ninguém, absolutamente ninguém, mexe com as minhas coisas ou com as pessoas que eu gosto. -chamei um dos caras que estavam lá e ele me trouxe um canivete. –Então, minha querida Julie, vamos experimentar algo em você, para ver o quanto dói, já que Scarlett reclamou que o corte que fez nela estava doendo bastante.

Coloquei a ponta do canivete perto da mão dela e rasguei até perto do cotovelo. Um corte fundo.

Ela deu um grito de dor e dei um tapa em seu rosto, segurando em seguida.

–Calada! Se eu ouvir gritar eu faço pior. -falei. 

Agora fiz um corte acima do seu peito, que era coberto só pelo sutiã e ela mordeu o lábio com força, enquanto o sangue do braço escorria e o do peito também.

–Eu só fiz...um corte nela. -disse com dificuldade.

–O negócio é que comigo é pior. -respondi, me abaixando um pouco e fazendo um corte grande e fundo na perna dela, bem maior do que o da Scarlett. –Se sair daqui acho que vai ficar com umas cicatrizes para lembrar de que não pode mexer comigo.

Ela me olhou com ódio e lágrimas escorriam dos olhos dela.

–Ah, vamos ver como você fica de cabelo curto. -fiz um rabo de cavalo com seu cabelo.

–Não, Shawn, por favor, meu cabelo não. -implorou, mas já era tarde demais.

Passei o canivete bem em cima, tirando todo o cumprimento do cabelo dela e segurando na minha mão.

–Hum...vai ser doado. -dei uma risada, dando dois tapas leve na cara dela. 

Fui andando agora até Andrew, que parecia ter a respiração calma mas pelo seu peito nú, ví que o coração dele estava acelerado.

–Andrew. -dei um sorriso. –Como se sente sabendo que vai morrer pelas minhas mãos?

Não respondeu, apenas cuspiu no chão.

–Não seja um homem idiota. -bati com o cabo da arma na boca dele, fazendo o sangue descer. –Acha mesmo que ia conseguir agir contra mim? Devia saber como sou, tantos anos ouvindo as coisas que eu fazia com os caras e não tomou exemplo de ficar na sua?

–Não ia ser um fraco igual você. -disse, me fazendo dar uma risada. –Você é um fracassado, Shawn. Aquela garota é só uma vadia que devia estar trabalhando junto com as outras, inclusive ela transa tão bem. Até demais.

Meu sangue ferveu e senti a raiva consumir meu corpo.

Soquei o rosto dele. Três vezes seguida até ver que ele praticamente cuspia sangue. E ainda fiz um corte na barriga dele.

–Você que só foi um passatempo, Andrew. Aposto que não experimentou nada, não sabe nem metade de quanto ela é boa em outras coisas, não só em sexo. Ah, inclusive, sua mulher....o beijo dela é péssimo. 

Ele estava tossindo, com dificuldade para respirar.

–Pouco me importa ela, eu estou pouco me fodendo. Se quiser...-parou, me fazendo cortar agora a costela dele e o mesmo deu um gemido de dor. –Pode ficar com ela.

–Eu não pego restos, meu amigo. -dei uma risada. –Nash, me dá os litros. -pedi e Nash trouxe dois litros de gasolina para mim. –Não me leve a mal, mas eu prefiro que morra agonizando do que com uma bala rápida.

Abri a garrafa e joguei a gasolina em cima dele, molhando seu corpo, da cabeça aos pés. Joguei em cima da Julie também, que chorava desesperada.

–Cala a boca, seu choro é irritante. –revirei os olhos, apontando a arma para ela. –Do que prefere morrer, de um tiro ou queimada?

–Um tiro! -afirmou rápido.

–Resposta errada. -dei de costas. –Podem queimar os dois. -dei de costas, enquanto ela começava a gritar "não" várias vezes seguidas.

Assim que entrei no carro, ví fogo lá dentro e os gritos aumentaram, mas logo foram silenciados. 

–Trabalho cumprido. -falei, dirigindo o carro de volta para casa.

[...]

Quando cheguei, Nash ia saindo do carro e segurei o braço do Nash.

–Se contar alguma coisa para Scarlett, eu vou fazer igual ou pior com você. -avisei.

–Não vou falar nada. -respondeu.

Entrei para a boate e observei as garotas, que já ensaiavam algumas coisas com a Lox. Aproveitei para ir até ela.

–Scarlett, ela já chegou? -perguntei.

–Sim, senhor Mendes.

–E o que ela tinha? Te disse?

–Sim, mas acho melhor que os dois conversem. -deu um sorriso. –Seja maduro na sua escolha. Ela está no seu quarto.

Respirei fundo e passei a mão no cabelo, confirmando e segui para o quarto.

Bati na porta, abrindo em seguida. A mesma estava sentada na cama, calada e olhando para um ponto fixo.

–Como foi? Chegou a muito tempo? -fui até perto dela, lhe dando um selinho e ela só olhou para mim, mas não disse nada. –O que foi? Cameron fez alguma coisa?

–Não. -respondeu. 

–Algo te chateou? -acariciei seu cabelo e ela apoiou a cabeça na minha mão.

Negou.

–Então o que foi? Por que está assim? Fiz alguma coisa?

Deu uma risada baixa e abaixou a cabeça.

–Também não. Não é nada com você. -colocou a mão no meu rosto.

–Então me diz! 

–Lembra que...eu estava com esses enjôos e passando mal? -perguntou mordendo o lábio e confirmei. –E que estava indo muito no banheiro, até a gente achar que era algo que comi? 

–Sim, lembro de tudo. E aí?

–E aí...era o que eu já achava que era. -disse e ficou calada. Esperei a resposta.

–Fala.

–Não quero, tenho medo da sua reação. -choramingou.

–Está com uma doença? câncer no útero? pedra no rim? -perguntei. 

Riu, negando.

–Não.

–Então o quê? Scarlett se ficar de mistério vou perguntar para a Mahogany ou Cameron.

–Eu...-abaixou a cabeça. –Tenho um bebê na barriga. -escondeu o rosto entre as mãos.

Grávida? 

Fiquei calado, quieto e parado alí. Passei a mão no cabelo. Agora eu entendi o que a Lox tinha dito.

"Seja maduro com sua escolha".

Ela levantou a cabeça depois de um tempo.

–Fala alguma coisa, Shawn, você está calado aí a mais de um minuto. -Scarlett disse.

Olhei para ela e sorri, rindo logo em seguida. Como ela pode estar grávida, e de mim?

–Me pegou de surpresa. 

–Sabia que você ia reagir assim, não gostou?Meu deus, não devia nem ter falado. -disse.

–Não! Não, Scarlett. -segurei o rosto dela. –Não é que eu não gostei, só fiquei surpreso. Você podia ter escolhido ficar com uma pessoa boa, já imaginou se essa criança nasce com o meu jeito

–Para! Você não é ruim, só tem um jeito diferente de...ver e agir. -sorriu, acariciando meu rosto. –Você não é assim, não é uma pessoa ruim.

–Estou feliz, só...-olho para a barriga dela e passo a mão. –É estranho. Vou ter um filho e tengo certeza que em algum momento ele vai correr perigo. Não queria isso.

–Ele não vai, Shawn. Para com isso. 

–É um menino? 

–Não. -deu uma risada. –Não dá pra saber, é pequeno demais ainda. 

–Estranho, parece que...sei lá, você engoliu uma criança e não que eu meti em você e por um pequeno descontrole você engravidou. -eu disse rindo.

–Deus, Shawn! -me deu um tapinha no ombro. –E como foi lá?

Eu não vou falar com ela assim, está grávida de um filho meu.

–Vamos deixar isso pra depois, ok? -puxei ela para o meu colo, dando um beijo. –Mas porra, eu vou ter um filho! -falei.

–Você não, eu. Mas compartilho com você. -riu e revirei os olhos. 

–Sem mim ele não estaria aí dentro. Porque aposto que outro homem não seria digno e o filho não iria nascer tão lindo quanto eu. -disse e ela riu, me empurrando na cama e me dando um beijo.

Segurou no meu rosto e levei a mão até sua cintura, acariciando ali enquanto ela puxava meu cabelo e dava uma mordida.

Meu deus, vou ficar nove meses sem foder? 

–Espera. -parei o beijo. –Eu vou ficar um tempão sem transar!

–Sim, a não ser que queira transar com outra e me ver bem longe daqui. -deu de ombros.

–É, é melhor eu ficar na seca. -eu disse, voltando a beijar ela.


Notas Finais


Não vou dizer é nada ksjssk. Espero que tenham gostado e mil perdões pela demora, um beijo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...