História Monopolized romance - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Akita Neru, Len Kagamine, Leon, Lily, Miku Hatsune, Oliver, Rin Kagamine, SeeU
Tags Len X Miku, Lenku, Miku X Len, Oliver X Rin, Olixrin, Rin X Oliver, Sequestro
Visualizações 28
Palavras 1.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival
Avisos: Nudez, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii vortei nessa bagaça



Boa leiturinha 🌼❤️

Capítulo 13 - Fechando o caso


Fanfic / Fanfiction Monopolized romance - Capítulo 13 - Fechando o caso

Os pais de Len continuavam indo constantemente a delegacia, mas em um certo dia que foram novamente buscar informações novas, receberam uma notícia ruim. O chefe de polícia estava sentado em sua mesa analisando a ficha do Kagamine e a sua frente estavam os pais, super ansiosos por alguma resposta. O homem os olhou de relance por cima dos óculos de armação fina, suspirou novamente como da vez em que pegou a ficha e começou sua fala. 

- olha senhor Kagamine, nós já usamos todos os nossos recursos de busca. Infelizmente teremos que fechar o caso. 

Leon se espantou curvando o corpo para frente, olhando o senhor nos olhos. – não é possível, não descobrimos nada sobre o desaparecimento do meu filho! 

- é exatamente por esse motivo que teremos que fecha-lo. Não a nenhuma pista do paradeiro do garoto, nem restos mortais, nem nada. Tudo indica que ele tenha fugido de casa. 

Lily levanta a voz para o senhor, que se espanta com a reação da mulher. – Meu filho nunca fugiria de casa!, não teria motivos para isso! 

- não se sabe senhora, os jovens de hoje estão muito diferentes de antigamente, tudo vira motivo para fugir de casa. Aqui a muitos casos parecidos –. Com essa frase a mulher se levanta rapidamente com uma feição indignada, saindo da sala logo após com passos pesados. O loiro a chama de volta, mas ela não da ouvidos. Ele então olha outra vez para o chefe de polícia, tentando o convencer de continuar as buscas. 

– então não tem outro jeito? – diz triste com os olhos. 

- infelizmente não. Olha.. daríamos um jeito, mas não estão investindo nesse caso, desculpe. 

O Kagamine agradece totalmente arrasado pela notícia inesperada. Antes que pudesse sair da sala, é chamado novamente pelo homem, voltado a olhar para trás.

 – apenas para confirmar, a duas semanas recebemos uma ligação de sua casa, feita por Rin Kagamine. Ela denunciou uma tal de Hatsune Miku por ter sequestrado seu irmão. Dois policiais investigaram a casa e nada encontraram. Os dois alegaram que a sua filha parecia estar fora de si. O senhor coincide?

Sem saber do que se tratava aquilo, ele apenas confirmou com a cabeça, deixando o senhor sozinho com os papéis sobre a mesa. Encontrando sua esposa chorosa no banco, ele apenas a ajuda a levantar, dando seu ombro para ampara-la. Chegaram em casa, deixando seus sapatos na entrada. Leon resolveu deixar o assunto da denuncia de lado, pelo menos naquele momento. 

Depois de um jantar silencioso e cheio de olhares tristes, Rin sobe para se aprontar para dormir, e o Kagamine aproveita essa hora para contar o que havia descoberto. Sentou no estofado do sofá puxando Lily para junto de si. Ela apenas sentou ao lado do marido esperando sua fala com o rosto abalado. 

- .. Hoje, antes de eu sair da sala do chefe de polícia, ele me chamou e disse algo que me deixou espantado –. O loiro falava enquanto mexia nos dedos da mulher sobre o seu colo. Ela ficou curiosa e mudou sua feição para uma preocupada. 

- ele disse que a Rin ligou para a polícia com uma denuncia de sequestro.. 

Lily arregala os olhos surpresa, parando de respirar por um momento.

- e quem ela denunciou? 

-.. A própria amiga.. 

Com isso a Kagamine levantou depressa, mas foi segurada pelos pulsos, a impedindo de ir. 

- onde você vai?! 

- vou falar com aquela menina lá em cima! 

Leon a prendia com força moderada e ela tentava se livrar das mãos dele. 

- por que você está me segurando?! 

- não vai lá! Deixe ela, ela está muito mal! Deixe-a dormir

Lily cessa os puxões que fazia para escapar e senta novamente no sofá cabisbaixa. 

- o que mais ele disse sobre isso? – ela se referia ao que o chefe de polícia alegou.

- disse que dois policiais revistaram a casa da Hatsune e nada, disseram que ela parecia fora de si. Pelo jeito que as coisas estão, Rin deve ter feito um escândalo.

A mulher apenas confirma com a cabeça, olhando para um ponto fixo da sala. Vendo que sua esposa estava cansada e com cabeça confusa, ele aperta suas mãos carinhosamente, mas mesmo com esse gesto gentil ela insistiu em derramar lágrimas novamente, se encolhendo no peito dele.

- por que a Rin não entende isso?!..será que é tão difícil assim?!

Ele continuou tentando acalma-la, acariciando seus cabelos loiros, até ela finalmente parar.

Dias depois, os mais velhos chamaram Oliver para contar o que realmente havia acontecido. O garoto ficava desconfortável por contar coisas nas contas de Rin, mas mesmo assim não disse nada a ela. Lily ao ouvir a verdade quase perdeu o controle, mas Leon felizmente estava lá para acalmar a mulher que quase saiu de lá para gritar com Rin.

A notícia do fechamento do caso de Len se espalhou por toda cidade, fofocas de muitos. O ambiente escolar parecia finalmente ter voltado ao normal, claro que tendo algumas conversas aqui e outros lá. Ninguém desconfiava de Miku, absolutamente ninguém acreditava que uma garota tão amável e frágil como ela cometeria tal ato de violência. Ela claro se sentia super poderosa por isso, como aqueles cereal killers dos livros que ninguém nem sabia da existência e do que eles eram capazes.

A ciana entrava no breu daquele quarto isolado, carregando uma vela em suas mãos. Lá fora uma tempestade desabava sobre as pobres casas, levando quase todas as folhas das árvores. Era noite e a luz havia acabado, trazendo a tudo um ar macabro. A garota fechou a porta pesada e desceu as escadas, segurando a parte inferior de sua longa camisola branca. Encontrou o loiro no escuro,  sentado em posição fetal sobre a cama – por seu bom comportamento, Miku passou a deixá-lo desamarrado, confiando que o mesmo não tentaria fugir nem gritar. 

- tenho uma ótima notícia pra você – Miku começa a falar se aproximando e deixando a vela próxima da cama, depois se sentando ao lado dele. – as buscas foram adiadas.

Len moveu sua cabeça para a direção da garota com um olhar sem vida e um pouco choroso, dizendo:

- ..eles não vão me procurar mais..

A Hatsune confirmou com a cabeça e foi mais perto do garoto, o abraçando de lado. 

- finalmente, ninguém vai nos incomodar 

O silêncio volta a tona, só se ouvia bem pouco da chuva estrondosa que acontecia lá fora. Miku se aconchegou no abraço com o loiro, colocando a cabeça do mesmo no próprio peito. Ele derramou poucas lágrimas daquela vez, já tinha se preparado para aquela notícia. 

Depois de alguns minutos, ele já estava deitado com a cabeça nas pernas da garota, e ela o fazia cafuné o olhando atentamente, pegando em sua mão pálida e entrelaçando os dedos, iluminados apenas com a luz daquela vela no chão. 

“até que não é tão ruim”

Essa frase apareceu na mente de Len o trazendo um conforto, sentindo aqueles dedos finos acariciando seus cabelos e sua mão, tudo o que podia fazer era dormir com aquele silêncio bom. Por mais incrível que pareça, ele estava gostando daquela situação. 

Quando dormiu finalmente, a Hatsune o deitou da maneira correta e o cobriu com a coberta, depois o deu um beijo de boa noite, dizendo “durma bem meu pequeno Len, pode dormir tranquilo”. 


Notas Finais


Quase terminando 🌼
Até ❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...