História Monster - Céu Sangrento - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Anime, Assassinos, Drama, Ficção, Hentai, Romance, Suícidio, Violencia
Visualizações 3
Palavras 1.248
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


É normal não entender essas... notas

*Reaparecendo do chão ao som de Michael Jackson*

*Mexendo os ombros*

*Ming e Uzuqui aparecem*

*Dançando junto com Ming e Uzuqui* (aqueles que Akemi mata)

Oi, demorei não é? 

Toooo traaaabaaaalhandooooo.

*Traduzindo - Estou trabalhando.

Legal...

Aceitei trabalhar *Cof cof merda cof cof*

Era na empresa do meu velho, então não fiz muita coisa pra entrar.

Fiz uns negócios estranhos ai, depois fiz um currículo pelo 'winword' (eu acho que escreve-se assim) ele me perguntou um monte de coisa, ( que ele deveria saber)

Mas ai ele pediu meu RG, mas ai cade o RG da criança? faz quase 1 meses que eu não acho...

Como o ser humano conseguiu viver ser RG? Bem eu sou meio invisível, então ninguém quer saber do meu rg e da minha vida.

e eu tô nem aí.

Mas ok..

..Ok, passei ( aposto que foi por ser filha dele, não Por minhas capacidades)

Agora to me ferrando com aqueles clientes merdas mal educados que eu faço questão de tratar eles mal também e assustar os filhos deles com meu jeito Satan.

Eu atendo aqueles anjos do mundo, e eu como satanás da morte, odeio e amo anjos do mundo eles são tão...

Hipócritas... vão pro inferno de qualquer jeito.

E como o grande sábio dizia:

"Mate anjos do mundo ou eles te mataram de raiva"

E também eu só consegui voltar porque a internet voltou agora..

Boa leitura.

Capítulo 20 - 15. "Novamente Yasuko..."


Fanfic / Fanfiction Monster - Céu Sangrento - Capítulo 20 - 15. "Novamente Yasuko..."

❝Não nascemos monstros, ele nascem e crescem dentro de nós, a cada dor, cada decepção e a cada trauma que a vida te dá, ele cresce❨...❩❞

Acordei com o corpo pesado e quente como se eu tivesse corrido muito, verifiquei se era febre mas não era, eu estava cansada mesmo por ter dormido muito.

Que sonho assustador, eu avia matado um casal depois de ter falado com sombras medonhas.

Eu odeio pesadelos, mas não vou me preocupar com isso agora, hoje eu vou ir ao treinamento. Finalmente.

Cocei meus olhos sentindo algo em meu rosto úmido e uma dor grande em minha pele.

Olhei para minha mão e tomei um grande susto ao ver isso, -não, não podia ser verdade, eu não fiz isso - comecei a balançar cabeça sem entender, não eu estava tendo outro pesadelo.

Sangue, tinha sangue pelo meu braço e não somente nele em minhas roupas e meu cobertor.

Levantei da cama correndo e peguei a mala abrindo rapidamente e depois pegando roupas com cuidado para não sujar. Eu não acredito como fiz isso?

Meu rosto também parecia ter sangue e com alguns machucados, eu matei, eu tinha matado. E eu nem fui paga para isso, eu matei alunos.

Eu estava tremendo, minha mão não acertava nenhum movimento.

O barulho da porta me fez levantar a cabeça bruscamente, a porta foi aberta, vai me ver! vai me ver!

–Akemi não precisa mas se preocupar com hoje... –Era a voz de Yasuko eu permaneci perplexa –A aula foi anulada e teremos que sair por algumas horas, e você não vai acreditar no que aconteceu no corredor.

–Oque?

–Akemi olhe para mim –Ordenou mas eu não mexi nenhum músculo,escutei som de passos se aproximando –Akemi – Eu neguei com a cabeça – Porque está assim?

–Não Yasuko –Virei meu corpo e minha cabeça quase que me escondendo. Mas senti mãos em minha cintura me agarrando com força me puxando eu tentei revidar mas Yasuko me puxou com mais força me jogando na cama e ele por cima de mim.

–Você ficou se arranhando? –Perguntou chegando mais perto do meu rosto –Você está sangrando Akemi –Ele negou com a cabeça e tocou meu rosto e eu senti minha pele queimar.

Eu o empurrei, respirando fundo, não avia jeito ele veria. Olhei para a camisa dele e vi que avia sujado ela.

–Akemi? Oque é isso? –Ele perguntou olhando para minhas mãos e sua camisa, já fora da minha cama, eu tinha certeza de que ele já descobriu –Se menstruou!!?

Ele me olhou assustado e eu tive uma grande vontade de bater na cara dele.

–Yasuko, não é isso – Suspiro.

–Se é tipo metralhadora de menstruação sujou a cama inteira, até a cara! –Permanecendo em seu estado de choque, puxou seus cabelo, e eu cocei minha cabeça. Quanta capacidade de pensamento.

–Yasuko eu não estou menstruando –Insisto.

–Eu to sujo de menstruação!  –A raiva que eu começei a sentir dele me fez pular e andar pela cama e voar quase em seu pescoço. Me agarrei na roupa dele apoiando meus pés em suas costas para não cair.

–Eu não estou YASUKO, me escuta! –Me soltei dele e dei alguns passos para trás –Eu matei Yasuko...Eu matei.

Comecei a chorar tremendo enquanto segurava meu rosto, meu estado não estava nada bom, eu sabia oque havia acontecido naquele corredor mas não sabia porque fiz isso.

–Então era só isso? –Falou ironico e cruzou seus braços. E eu o olho sem entender.

–Só isso? ...Só isso Yasuko? Eu matei alunos que talvez deveriam ser felizes –Digo apontando para mim, enquanto uma cachoeira escorria pelo meu rosto.

–O casalzinho –Fez entre aspas –Nem sentia nada um pelo outro.

–Como!?

–O cara Uzuqui traia a menina com a Yoko e a garota vivia sendo perseguida por uma mafia, no final eles iam morrer de qualquer jeito –Disse ele e levantou uma sombrancelha.

–Não, Não! Yasuko não é assim! Eles vão descobrir tudo... –Ele me interrompeu.

–Não se eu contar .

–Eu não queria que fosse assim...

–Akemi, você precisa aprender que : Quando você quer ser uma assasina você mata, você não os conhecia, e também duas pessoas  não fazeram falta. Mas, Akemi porque fez isso?

–Eu não sei ,Eu não sei!–Falei com a voz tremuda fugando descontroladamente.

Ele se aproximou e me abraçou com força e eu o segurei não querendo que ele saía de perto.

–Não se preocupe, isso será mais um segredo –Senti ele sorrir em meu ombro.

–Obrigado...

Yasuko agora era a pessoa mais confiável, ele me dava oque eu precisava ele conseguía me entender , conseguía entender que esses momentos para mim eu queria um somente conforto no braço de alguém, nada de consolos idiotas com palavras bonitas. Mas o único problema era...

...Meu pai.

Ele parecia odiar Yasuko, ele nem fez questão de me explicar melhor.

Eu não ligava, se ele não gostava de Yasuko pode continuar a não gostar eu não ligo.

–Você precisa limpar isso rapidamente, eles poderão vim aqui e ver você assim –Diz Yasuko.

–Sim, Ok –Eu o soltei e o mesmo fez também, e eu me levantei voltando a pegar minhas roupas novamente com cuidado.

–Não se preocupe, eu vou pegando os cobertores e esconder as roupas, eu posso levar em minha mochila junto com os uma "facanções" que queimará ela, podemos ir longe em um lugar sem ninguém descobrir.

–Queimar? –Queimar roupa e cobertores seria algo....não sei vou aceitar –Sim, eu vou com você então –Disse falando de uma forma tranquila enquanto limpava meu rosto e ele assentiu e eu entrei no banheiro e fechei a porta.

Me despi e liguei o chuveiro iniciando um banho morno, hoje estava um pouco frio, mas nem tanto assim, um arrepio percorre em meu corpo.

Atacada com flash's do que havia acontecido nesses dias junto a esse, algo inesperado e peculiar assim do nada. Derrepente tudo fica escuro e eu sinto uma tontura, me apoio na parede respirando pesado.

"–Aposto que seu queridinho pai não gostaria de ver pessoas que tanto amam sofrerem assim. Não é? "

"Ela levantou a tesoura, e começou a repicar meu cabelo  em descuidado fazendo arranhar meu rosto, enquanto as outras me seguravam com força"

''–Eu vou me vingar....''

"–Sem mais! essa conversa acaba agora, não quero você falando dele! Nunca mais –Ele se levantou com força, e andou até a porta"

"Todos eram monstros"

"O meu mundo existe, o meu mundo cor de rosas das pétalas existe, eu não quero perder, eu posso te lo"

"—Eu posso te lo se eu matar,eu posso te lo se eu matar..."

–Eu poderia ter –Sussurei sentindo algo estranho em meu peito. Mas balancei minha cabeça saindo daquele transe.

..

Depois de ter me limpado, desliguei o chuveiro e peguei minha toalha e me enxuguei rapidamente e me vesti e coloquei meu sapato. Depois pentiei meu cabelo com os dedos e sai do banheiro.

Yasuko pegou a roupas menos as 'outras que não deixei' e colocou em sua mochila que sempre ficava em sua cama.

Colocou a mochila nas costas –Quem arrumar , pegar algumas coisas também?–Assenti e peguei e peguei algumas coisas, meu celular... - não acredito que esqueci de mandar mensagem para meu pai, mas ele pode esperar .

Continuando, água que eu sempre guardava, e um cartão que meu pai me deu para que eu pagasse algo para comer ou outra coisa. E coloquei na mochila de Yasuko.

–Vamos –Yasuko pega minha mão as entrelaçando, e andamos para fora do quarto.

Eu não entendi muito por que ele fez isso, mas eu me senti bem...

Autora

“O monstro era apagado com um simples toque de calor em suas mãos”


Notas Finais


Caramba, deveria ser um momento romântico mas aí só teve um abraço.

Eu sei,eu sei pode me xingar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...