1. Spirit Fanfics >
  2. Monster - Chanbaek >
  3. One

História Monster - Chanbaek - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá anjinhos! Espero que estejam todos bem! Agradeço imenso por terem vindo espreitar esta fic, mas antes de vos desejar uma boa leitura, eu queria dar uns pequenos avisos...

— Aviso logo: Esta história pode ser um pouco ( bastante ) violenta, e muitas personagens sofrerão acidentes e etc, mas peço-lhes que percebam que o que lhes vai acontecer NÃO É porquê eu não gosto das pessoas ( aliás, esta Fanfic terá uma visão das personagens que poderá ser muito diferente da verdadeira personalidade deles ), mas sim porque o contexto e a história assim exigiram. NÃO ODEIEM as pessoas desta fic apenas porque eu as coloquei como vilões e tals, pois essa NÃO É a ideia que eu tenho deles na vida real, muito pelo contrário.

— por favor, tenham paciência comigo, porque muitas vezes eu vou escrever parágrafos longos e que podem parecer cansativos pra ler, mas eu garanto que tudo o que eu escrever será importante, eu simplesmente não quero deixar nenhum pormenor para fora... não se aborreçam, por favor!

— se não se sentirem à vontade com esta história, peço-lhes gentilmente que não leiam, tal como também peço que, se não gostarem de alguma coisa na história, não deixem comentários com a intenção de me ofender, ou de ofender o que eu fiz, mas deixem comentários com dicas construtivas e o que vocês gostariam que eu reescrevesse.

— Por favor, não tenham medo de me dizer os erros ortográficos que eu cometo, pois eu cometo muitos e muitas vezes nem noto, mesmo depois de reler o capítulo umas mil vezes!

— eu não terei um ritmo de postagem, eu postarei apenas quando eu tiver um capítulo pronto, o que é capaz de demorar pois eu não quero escrever algo que fique fora do contexto da história. Peço-lhes, por favor, que não me pressionem quanto ao tempo que eu demoro pra postar. Não estou acostumada a publicar histórias que não estejam concluídas, mas darei o meu melhor para que não fiquem muito tempo pendurados...

— por último ( desculpem por estar escrevendo tanto, mas sinto que preciso... ), eu estava escrevendo uma história aqui no Spirit, e eu tive de apagá-la porque, para além da mesma não ter atingido minhas expectativas, um gostaria de ter um pouquinho mais de pessoas comentando, dizendo o que acharam e tal, e ter falta de comentários, pra mim, é algo um pouco... desincentivador. Eu peço-vos, sem pressão alguma, claro, por favor me digam o que acharam nos comentários, me dêem ideias do que eu posso fazer ( visto que várias coisas podem ser adicionadas ao roteiro já criado da história ), coisas do género. Claro, eu vou responder!

Enfim, finalmente, por fim, gostaria de desejar uma boa leitura! Sejam bem vindos a Monster!

Capítulo 1 - One


Fanfic / Fanfiction Monster - Chanbaek - Capítulo 1 - One

 

^^^ Leiam as notas iniciais, por favor! ^^^  

 

Byun Baekhyun, um garoto que tinha tudo o que precisava e maior parte do que queria. Tinha uma mãe e um pai que lhe mimavam bastante, davam-lhe presentes mesmo não sendo o seu aniversário, se ele lhes pedisse alguma coisa, os pais trabalhavam para consegui-la. Ele era mimado, mas mesmo assim, sabia se cuidar bem. Os pais zelavam muito pela sua segurança, pois amavam-no muito. Não eram ricos, nem de longe, mas tinham trabalhos que rendiam bem e como o patrão era amigo deles, tinham alguns bónus com os quais compravam as coisas para o filho. Os pais amavam-no muito. Aliás, qualquer pessoa à qual a vida fosse cruzada com a de Baekhyun, o amava, visto que ele era um garoto espetacular e toda a gente via isso. Ele era gentil, ele era bom de natureza, queria sempre o melhor para todos à sua volta, era carinhoso e simpático. A única coisa que o conseguia chatear era a injustiça. Ah, não, isso o deixava irado. Mas mesmo sendo injustiçado, não faltava ao respeito com ninguém. Era sempre respeitoso com todos e isso era algo que sua namorada admirava muito nele. Exatamente, Baekhyun tinha uma namorada. Seu nome era Choi Jisu, uma garota muito fofa e simpática. Ela adora ouvir Baekhyun cantar, visto que o mesmo tem uma voz linda, e Baekhyun também adora ouvi-la cantar, visto que ela o faz muito bem, mesmo tendo um pouco de vergonha. Lia, como gosta de ser chamada, estuda economia em uma faculdade próxima à de Baekhyun e normalmente os dois se encontram sempre em uma sorveteria que ficava entre as duas faculdades, em frente à praia. Às vezes também se encontravam com os amigos lá, mas normalmente eram só eles os dois, conversando e pondo um ao outro a par do que acontecia durante o dia. Também se encontravam no fim-de-semana, junto com os amigos, mas normalmente eles eram “o casal que só se pega”, visto que estavam sempre aos beijos e amassos. Mas mesmo se amando tanto e querendo mostrar esse amor de uma forma mais carnal, os dois queriam se casar e manter-se puros até o casamento. Baekhyun era virgem, e queria que sua primeira vez fosse especial, na Lua de Mel, com a mulher que tanto amava. Ainda faltavam três anos para os dois acabarem a faculdade, tendo garantidos bons empregos que renderiam bem, e quando estivessem com a vida já bem organizada, fariam o casamento. Mais do que o casamento, o que Baekhyun mais queria era ter filhos. E que lindos estes seriam! Julia era uma garota lindíssima, Baekhyun sem dúvida alguma também era, então os dois filhos que os dois planejavam ter seriam maravilhosos!


    Baekhyun tinha acabado de sair da faculdade de Direito, ia direto para a sorveteria onde se encontraria com a namorada. Enquanto caminhava, olhava para o mar, algo que o acalmava. Ver as ondas a ir até à areia, a voltar para o mar azul, meio esverdeado. Ver as pessoas se molhando, naquele início de primavera. Nem estava muito quente, mas os corajosos entravam na água. O som das ondas era, muitas vezes, interrompido pelos carros que constantemente passavam. O outro lado da estrada estava mais agitado. Haviam mais pessoas que andavam apressadas, ou até mesmo corriam, de um lado para o outro. Baekhyun era muito observador. Do outro lado da rua, um homem leva com uma tombada de outro homem e acaba por cair ao chão, deixando que todos os papéis que levava caíssem junto com ele, se espalhando. Por ser de boa natureza, Baekhyun vai até à passadeira mais próxima para chegar ao outro lado da rua e ajudar o outro homem a organizar os papéis. Ao chegar lá, notou que o homem estava falando ao celular com alguém, o que dificultava a organização das folhas que, pior ainda, estavam numeradas. Enquanto encontrava os números seguintes às folhas que já tinha, Baekhyun ia ouvindo a conversa do homem à sua frente, que tentava apanhar folhas também.


 — não, você vai fazer o que eu disser, e eu digo que é pra encomendar seis mil! Você acha que meus compradores vão se satisfazer com cinco?!… Você pode achar que é a mim que está desafiando, mas você está só e simplesmente arriscando seu emprego. Me diga, você quer ser despedido? É que se não me obedecer, é exatamente isso que vai acontecer… muito bem, novato. E aprenda logo, se você trabalha pra mim, você trabalha bem. Se você quer ter um salário no final do mês, você trabalha bem. Se você quiser um salário ainda maior, você trabalha ainda melhor… Seis mil… uh-hum… quero todas, sim, peça-lhe para personalizar o numero de série… ele já sabe qual, eu tenho de ir, tchau. — Baekhyun tinha ouvido a tudo com muita atenção. Na sua opinião, o homem era duro, mas com razão. Pra que vale trabalhar, se não o fazemos bem? Após terem as folhas novamente em ordem, os dois se levantam e tem a oportunidade de olhar nos olhos um do outro. Os olhares dos dois se aprofundam, cada um tentando ler a mente um do outro. O homem ia para dizer alguma coisa, mas seu celular tocando o interrompe. “Deve ser um homem atarefado”, pensa Baekhyun. O estranho começa novamente a falar ao celular, desta vez com o tom um pouco mais calmo, mas mesmo assim impaciente. Em vez de agradecer a Baekhyun com palavras, o moreno à sua frente apenas pousa a mão no ombro do mais baixo e acena com a cabeça, depois continuando com o percurso até ao carro que tinha estacionado agora mesmo um pouco mais à frente. Baekhyun sentiu um pequeno arrepio ao ter a mão do mais alto em seu ombro durante um mísero segundo, mas decidiu ignorar e simplesmente seguir com a sua vida normalmente, o que decerto não aconteceu com o outro homem.


    Park Chanyeol, um homem que trabalhava duro para ter o que quer. Foi cuidado pelo pai até aos doze anos, e foi nesses doze anos que ele aprendeu as maiores lições de vida. O pai lhe ensinou a saber como se cuidar, como viver sozinho, leis básicas de sobrevivência, estratégia. Lhe ensinou a melhor forma de trabalhar, reconhecer pessoas fiáveis, gerir o próprio negócio e, como lidar uma gangue. Exatamente, o pai dele era o líder de uma gangue de mafiosos, que na sua morte, deixou a liderança da gangue para seu filho mais velho. O irmão de Chanyeol nasceu três anos antes da morte do pai, então Chanyeol sempre teve o dever de cuidar dele. Chanyeol sempre teve aulas privadas, com professores particulares excelentes, que lhe ensinavam tudo muito bem, portanto hoje em dia, Chanyeol não só era um homem muito inteligente, como também muito experiente, pois já tinha passado por muita coisa, então sabia como se comportar em qualquer situação.


    O moreno nunca amou ninguém. Sempre foi frio e negava sempre que havia um indício de que alguma pessoa era especial para si. Tinha medo que o amor atrapalhasse sua carreira como líder da gangue. Tinha prometido a si mesmo que nunca se apaixonaria. Essa foi a única promessa que ele não cumpriu, e ele era um homem de palavra. E qual era probabilidade de ele se apaixonar à primeira vista? Bom, era quase nula, mas aconteceu. Naquela tarde onde ele se cruzou com Baekhyun, pareceu que seu mundo se virou do avesso. Os olhos do loiro, cheios de bondade, prenderam os de Chanyeol. E aí, as batidas de seu coração aceleraram. Aceleraram muito.


    Após jantar e se preparar para dormir, Chanyeol decide continuar a ler o livro ao qual ele tanto estava interessado, então, já deitado na cama, ele se estica até sua mesa de cabeçeira para conseguir pegar o livro. Era uma investigação criminal. Ele ainda nem tinha chegado à página cem, mas mesmo assim estava sendo interessante. Todas as noites, ele lia duas páginas do livro, mas esta noite, nem meia página conseguiu ler. A mente dele estava vagueando demasiado, então ele fecha o livro, não se esquecendo de marcar a página, e apaga a luz, liberando a mente para pensar o que queria, neste caso, no garoto com quem ele se cruzou hoje à tarde. “Deve ter sido apenas uma atração, amanhã já terei esquecido…” ele pensa, pouco antes de finalmente adormecer. Mas ele não sabia o quanto estava errado, pois no dia seguinte, o loiro não saía de sua mente. E no dia seguinte também. E no dia depois desse também, até que ele se viu sem nenhuma outra opção. Não queria ter de falar com o mais baixo, isso só agravaria a situação, então ele decide falar com dois de seus homens, Luhan e Sehun, para observarem Baekhyun e para o vigiarem, tal como para também o relatarem sobre o que acontece com ele. Algumas semanas depois, o casal veio ter com ele, parecendo meio receosos. Os dois bateram à porta do escritório de Chanyeol e, pouco depois, ouviram um “entre” meio abafado. Ao adentrarem na pequena sala que era o escritório, se deparam com o moreno sentado na cadeira de pele, observando alguns documentos.


 — falem logo o que vocês querem e saiam daqui, que eu tenho de trabalhar. — o outro diz, parecendo cansado. Luhan e Sehun se entreolham, parecendo meio hesitantes. Sehun cutuca Luhan, este que se chega para a frente, pronto a anunciar.


 — bom, Chan… a gente estava vigiando o Baekhyun, como você sabe, e hoje… aconteceu uma coisa bem engraçada, né Sehun? — Chanyeol estava perdendo a paciência. Se havia algo que ele mais odiava, era enrolação. E de momento, Sehun e Luhan estavam realmente irritando o psicológico do moreno.


 — eu juro que se vocês não falarem logo, eu queimo vossas camas se hesitar… — o moreno diz, baixinho, ainda olhando para os documentos. Ninguém tinha dúvidas de que ele estava falando a verdade, Chanyeol era mesmo capaz de fazer tal barbaridade e ainda, coisas bem piores...


 — ele beijou uma garota. — Luhan acaba por confessar. A atenção de Chanyeol, tem um desvio violento entre o monte de papéis e o casal à sua frente.


 — é o quê?! — ele pergunta, desacreditado. Luhan dá três passos para trás assim que vê seu chefe se levantando, totalmente alterado. Os seus olhos transbordavam raiva, irritação, mas ao mesmo tempo tristeza e desapontamento. — ele beijou uma garota?!


 — Chan… — Luhan ia dizer algo, mas seu namorado o parou, sussurrando baixinho que seria melhor se os dois ficassem calados, senão poderiam apenas agravar a situação. Chanyeol literalmente varre a mesa com o braço, atirando tudo para o chão, e isso inclui todas as folhas que ele estava analisando, o seu computador e as molduras que tinha em cima da mesa, deixando apenas a fotografia dele com o seu pai ainda de pé. Após se sentar de novo na cadeira, ele suspira, apoiando sua cabeça em seu indicador e polegar. Luhan sussurra algo para Sehun, este que nega diversas vezes com a cabeça. — Chanyeol, você sabe que eu não desejo mal a ninguém, muito menos a alguém de que você gosta. Mas se você realmente quer tê-lo para você…


 — Lu, você já está exagerando. Isso é demais… — Sehun ainda diz, mas é ignorado pelo mais baixo.


 — fala logo. — Chanyeol pronuncia, e seu melhor amigo se aproxima dele, sussurrando algo em seu ouvido. Os olhos de Chanyeol parecem se iluminar, sua mente começa formando mil planos, ideias maravilhosas, tudo graças a Luhan, este que recebe logo um abraço vindo do moreno. Sehun revira os olhos, mas mesmo assim, não tenta contrariar o melhor amigo, pois sabe como ele é quando está zangado. Aliás, teve a prova disso há cerca de meio minuto atrás. — você é o maior, Luhan… será daqui a um mês. Prepare tudo.


 — com certeza! — Luhan sorri, saindo junto com o seu namorado.


 — você ficou louco?! Você sabe que Chanyeol está tentando manter tudo limpo e logo agora, você me vem com essa ideia maluca? Eu sabia que você era doido, mas não sabia que era a esse ponto! Lu! — Sehun dizia, enquanto os dois iam para o quarto.


 — Sehunnie, você se lembra de como a gente se conheceu? — o outro assente com a cabeça. — E você se lembra… de como a gente se apaixonou?


 — sim… — os dois riem, se relembrando de como eram antes de finalmente cederem, e admitirem o amor que sentiam um pelo outro. — mas mesmo assim, foi por escolha própria! E você sabe que Baekhyun já tem um futuro planeado com a garota! Isso seria só… ruim! Luhan, por favor me ouve e faz o Chanyeol desistir dessa ideia maluca que vocês criaram.


 — não! Eu vejo nos olhos do Baekhyun o amor que ele tem pela garota... Julia, eu acho. Mas também vejo que ele precisa de algo. Uma gota de… limão! — o de cabelos castanhos claros ao seu lado fica confuso. — Qual seria a graça do mel se não tivesse um acompanhamento? Tem de ter limão pra acompanhar, e conhecer Chanyeol pode ser exatamente a gota de limão que Baekhyun precisa para finalmente sentir o quão doce o mel pode ser!


 — Luhan, essa história de mel e limão me comprovou loucura, mas você até pode ter razão… tá, eu ajudo vocês dois loucos, mas não alinhem comigo pra ir no hospício, tá bom?! — os dois riem, antes de finalmente entrarem no quarto para poderem passar um tempo juntos e depois dormir.

 

Continua...

 


Notas Finais


Então, anjinhos, este foi o primeiro capítulo de Monster, eu espero que vocês tenham gostado! Por favor, digam o que acharam nos comentários, os erros que eu posso corrigir e tals... enfim.

Beijos grandes, até ao próximo capítulo! <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...