1. Spirit Fanfics >
  2. Monster - Chanbaek >
  3. Three

História Monster - Chanbaek - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oii! Td bem, anjinhos? Espero sinceramente que sim! Então, venho aqui postar mais uma capítulo, este que vai ter finalmente uma interacção sólida de ChanBaek.


Boa leitura, espero que gostem!

Capítulo 3 - Three


Fanfic / Fanfiction Monster - Chanbaek - Capítulo 3 - Three

 

 

    Baekhyun acorda, mas não abre os olhos. Estava demasiado confortável, abrir os olhos daria muito trabalho. Os cobertores eram tão macios, que Baekhyun tinha quase a certeza que se ele se virasse para o outro lado, eles escorregariam, então ficou parado no mesmo lugar, apreciando também a suavidade da almofada, que era fofa, mas não demasiado. Era perfeita. Aquela cama era perfeita, até o colchão, que parecia bastante elástico e era muito satisfatório. Mas nesse momento, o loiro se lembra de que não está em casa. Ele não sabe onde está, e esse “não saber” lhe causa um desconforto, que se vai transformando em um calor no colchão e em vontade de se mexer, então ele decide se virar para o outro lado. Com sorte, continuaria fingindo que estava dormindo e ninguém o iria chatear.


 — eu sei que você está acordado, Byun. — a voz não era totalmente desconhecida por Baekhyun, mas ele também não teve facilidade em a reconhecer, sendo que ainda não o tinha feito. Mas mesmo ouvindo a confirmação de que o estranho sabia que ele não estava dormindo, ele decidiu continuar com sua farsa. Ele ouve um suspiro vindo da outra presença, que depois afirma: — a frequência de sua respiração mudou, você já não está tão sereno como antes. A frequência respiratória do ser humano muda dependendo da situação em que este se encontra, e a sua está demasiado acelerada para estar dormindo…


 — tá bom, você venceu, eu estou acordado. — Baekhyun revela, ferindo gravemente seu orgulho e depois abrindo os olhos. Ele estava virado para uma janela, esta que tinha finas cortinas que quase não cobriam o Sol que batia na cara de Baekhyun. Ele se senta no colchão, ainda se questionando como seria possível uma cama ser tão confortável. Leva as mãos aos olhos, os esfregando de leve para se habituar à luz e finalmente poder olhar para o dono da voz, na esperança de se lembrar dele. Mas não. À sua frente estava apenas um desconhecido sentado em uma poltrona, o observando, parecendo analisá-lo. — quem é você? E quem é seu chefe? Eu quero lhe falar umas belas palavrinhas.


 — meu nome é Park Chanyeol, e eu sou o chefe. — o homem de cabelos negros à sua frente responde, parecendo se divertir com a voz irritada que Baekhyun usa para falar com ele. — Então pode falar.


 — falar o quê? — e o loiro se faz de desentendido, o que diverte ainda mais Park, que sorri debochadamente antes de responder ao falso questionamento de Byun.


 — as belas palavrinhas que você queria me dizer. — a verdade, é que Baekhyun não tinha nada para dizer a Chanyeol. Mas tinha muitas coisas para lhe perguntar, isso sim. Mas mesmo assim, não conseguiu mais proferir nada ao ter as orbes negras de Park presas em si. O loiro tenta segurar o seu olhar durante algum tempo, por curiosidade. Não sabia quem aquele homem era, e muito menos o conseguia ler. Os olhos dele tinham uma mistura muito intensa de sentimentos, todos eles indecifráveis. — Baekhyun? O que você queria me dizer?


 — eu… quem é você? Como você sebe quem eu sou? Onde eu estou e porque eu estou aqui? — Baekhyun fez várias perguntas de uma só vez, mas mesmo assim, a pergunta que ele mais queria fazer, não a fez. Pessoas poderiam sair feridas sentimentalmente se soubessem dela. Mas mesmo assim, Chanyeol se deu ao trabalho de responder às perguntas de Baekhyun, uma a uma, sem se esquecer de debochar primeiro, claro:


 — essas eram as belas palavrinhas que você queria me dar? Eu já estava tremendo de medo… — o de cabelos negros diz, o que faz Baekhyun revirar os olhos. — Eu sou o líder de uma gangue de mafiosos, você está em Daegu, em uma de minhas casas. Este é seu quarto. E claro, você está aqui para ser meu.


 — não. — Baekhyun diz, após ouvir as palavras do homem sentado à sua frente.


 — “não” o quê? — Chanyeol pergunta, vendo o loiro assumir uma expressão irritada. “Como ele fica fofo assim…”, pensa o de cabelos negros, enquanto sorria e erguia uma sobrancelha, esperando por uma resposta de Baekhyun.


 — eu não vou ser seu. — a segurança que Byun usa para afirmar o que disse fez Chanyeol rir. Ao contrário de Baekhyun, ele estava se divertindo com a situação. O riso de Park faz o loiro ficar confuso, sendo que não hesita antes de, ainda mais irado, perguntar em um tom acusador. — você está achando graça a isto?! Eu não vou ser seu, eu sou meu e de mais ninguém!


 — você não tem escolha, Byun. — o de cabelos negros diz, quando o riso perde a força. Mas a calma na voz de Chanyeol foi o que mais assustou Baekhyun, a quem a ficha finalmente tinha caído. Ele estava longe de casa, na mansão de um mafioso que poderia fazer o que que quisesse com ele.


 — o que você vai fazer comigo? — o mais baixo pergunta, o tom de voz mostrando o quão preocupado ele estava. Ele tinha medo, e pela primeira vez na vida, realmente se viu em uma situação que possivelmente não teria saída. Mas mesmo assim, ele tentaria fugir daquele lugar.


 — nada que você não queira… — a resposta dada por Chanyeol alivia bastante Baekhyun, que tinha começado a criar ideias nada agradáveis em sua mente, estas que poderiam custar várias coisas, como por exemplo a sua virginidade. Mas mesmo assim, ele se atreve a perguntar, só pra ter a certeza.


 — então você… não vai me tocar? — o tom esperançoso faz o mais alto rir, mostrando a Baekhyun que a resposta que viria a seguir seria uma negação.


 — não seja ridículo, Baekhyun. — ao ouvir a maneira como o seu nome foi pronunciado, Baekhyun sentiu um arrepio subindo por sua coluna. Era uma sensação diferente. Nova, para o loiro. Chanyeol se levanta da poltrona, pousando suavemente a mão no pé de Baekhyun, e foi subindo devagar enquanto explicava: — quando eu disse que não faria nada que você não quisesse, eu me referia ao sexo. — a mão do mais velho estava chegando perto da coxa de Baekhyun, mas antes de poder lá chegar, ele retira rapidamente a mão de lá, fazendo o loiro sentir mais um arrepio. Aquilo foi suficiente para fazê-lo imaginar algumas cenas bastante erradas. Logo, Park volta a se sentar na poltrona e finaliza. — Eu não vou provar você enquanto você não queira…


 — argh. — Baekhyun revira os olhos enquanto ajeita as costas na almofada, visto que a posição em que ele estava passou a ser desconfortável assim que Chanyeol começou a falar sobre sexo. As bochechas do loiro estavam já um pouco rosadas. Ele nunca tinha se sentido tão passivo na vida. Mas antes de poder dizer alguma coisa, é interrompido por duas batidas na porta, esta que ficava na parede perpendicular aos armários. Chanyeol olha para Baekhyun, este que esperava uma resposta vinda do moreno para as duas batidas na porta.


 — o quarto é seu, você que decide se alguém pode entrar ou não. — Park esclarece, em tom meio debochado. Baekhyun não perde tempo em pronunciar um “entre”, que depois quis ser transformado em um “saia” assim que ele vê quem era.


 — Chan, você recebeu uma ligação do comprador. — o de cabelos rosa revela. Chanyeol se levanta, sendo seguido pelo olhar do loiro que ainda permanecia sentado na cama.


 — Byun, eu tenho de ir, embora tenha sido um prazer conversar com você… —diz o moreno, meio sério, meio debochado. A verdade é que Chanyeol tinha adorado conversar com o mais baixo. Adorava o seu temperamento, adorava a cara irritada que ele fazia sempre que era provocado e adorava, principalmente os seus olhos. Eram lindos.


 — gostava de poder dizer o mesmo, mas infelizmente sou péssimo falando mentiras. — Baekhyun responde, tentando evitar o contacto visual como moreno, que ainda tem coragem de debochar.


 — nisso você tem razão. — Baekhyun revira os olhos, pronto para revidar se não fosse interrompido mais uma vez. — Luhan ficará com você. Ele será seu guarda-costas na parte da manhã. Ah, e ele não hesitará em te machucar caso você tente fugir, então pense duas vezes antes de o fazer. Até logo.


 — até logo, Chan. — responde Luhan, logo encaminhando até à cama assim que o de cabelos negros deixa o quarto. Baekhyun se encolhe. O último convívio que ele tinha tido com o de cabelos rosados não foi propriamente… divertido. Muito pelo contrário, foi Luhan que o tinha sequestrado, então a reacção de Baekhyun foi totalmente compreensível aos olhos do rosado. — não precisa ter medo de mim. Eu não te vou machucar.


 — mas ontem à noite você o fez. — o loiro consta, se afastando ainda mais do de cabelos rosa, que coincidentemente tinha a mesma altura que ele.


 — o que eu fiz ontem à noite não foi exatamente por escolha própria, eu só estava seguindo ordens. E desculpe se te machuquei. Mas você também, né?! Poderia ter ajudado um pouquinho! — Baekhyun teve uma ligeira vontade de rir, mas mesmo assim, não o mostraria a Luhan. Por isso, decide apenas revirar os olhos. Infelizmente, o organismo de Baekhyun decidiu gritar por fome em forma de um ronco que saiu de sua barriga, e só aí ele se lembra de que não comia desde a hora do almoço do provável dia anterior. Luhan, ao ouvir aquilo, levanta-se rapidamente e, antes de sair porta a fora, diz: — ah, já me ia esquecendo.


 — i-isso é pra mim? — Baekhyun pergunta, ao ver o rosado voltar com um tabuleiro cheio de comidas, todas elas com um aspecto delicioso. Tinha três waffles de tamanho médio, em forma de coração. Havia um pote com algo parecido com Nutella, haviam um prato cheio de framboesas, amoras, morangos e uvas, havia uma tigela com cereais, duas chávenas, uma com chá, uma com leite e mais duas tigelas, desta vez mais pequenas. Uma delas tinha açúcar, a outra tinha doce. Ao ver tudo aquilo, Baekhyun passou a língua pelos lábios, já imaginando o sabor de todas aquelas coisas.


 — é sim, mas tente não fazer essa cara quando você estiver perto de Chanyeol, senão ele não vai aguentar e vai saltar pra cima de você. Acredite! — Luhan responde, risonho, entregando a bandeja a Baekhyun, que fica muito tentado a comer, mas mesmo assim se contêm e empurra um pouco o tabuleiro com a comida, mostrando que ele não iria comer. — Não tem fome? Acabei de ouvir um belo ronco cerca de meio minuto atrás!


 — eu sei lá se vocês meteram veneno nisso aqui… — Baekhyun diz, baixinho, mostrando que mesmo com fome, não comeria comida vinda de estranhos. Mas o rosado apenas ri.


 — sim, claro, e eu vou mesmo botar veneno em sua comida! Eu sou o quê?! Suicida?! — ele dizia, tentando controlar o riso. O loiro fica bastante confuso, e ao notar isso, Luhan explica melhor. — se eu fizesse isso, Chanyeol queimaria minha cama e depois ia me caçar até mesmo no inferno!


 — mas… porquê? — Baekhyun não entendia ainda como é que aquele homem, que até agora só lhe tinha atormentado, faria tão mal a alguém se este lhe envenenasse.


 — porque Chanyeol está apaixonado por você. Desde que te viu pela primeira vez. E agora que ele te tem aqui, ficou pior. Quanto mais o tempo passa, mais ele te deseja. — Luhan diz, não sabendo bem o que sentia em relação a isso. Mas Chanyeol era seu melhor amigo, foi ele que lhe ajudou em tudo o que ele precisava, e Luhan faria o mesmo pelo de cabelos negros. Mesmo que isso significasse sequestrar o amor da vida do amigo.


 — mas… não pode ser. Eu não posso ficar aqui, eu tenho uma vida. Não posso… e mesmo que pudesse, eu não o amo. Não gosto do carácter dele, do jeito dele. Ele é muito… frio, debochado. Eu já tenho uma pessoa que me ama e eu também a amo mais do que tudo, não a vou abandonar! — o loiro revida, fazendo Luhan logo se lembrar de Julia e soltar um suspiro.


 — Baekhyun… eu sei que pode ser um pouco duro, mas… neste momento, você não tem exatamente uma opção. Chanyeol não vai te deixar sair daqui, porque ele te quer, e ele com certeza vai fazer o máximo para te mostrar isso, mas ele nunca amou ninguém e muitas vezes ele pode não te mostrar o seu amor de uma forma correcta. Mas já que você já está aqui, pelo menos lhe dê uma oportunidade para ele te mostrar a boa pessoa que ele pode ser! — Luhan tenta convencer o outro, mas mesmo assim ele não queria ceder.


 — mas eu não quero trair Julia… eu a amo, e ela me ama! Nós já temos um futuro juntos, está tudo planeado, está tudo perfeito! — Baekhyun diz, fazendo-se notar o tom meio exasperado com que ele falava.


 — nem tudo o que é perfeito, é o melhor. E se Julia realmente te ama, ela vai querer o melhor pra você. Ela vai querer que você ame alguém tanto quanto ela te ama, e se essa pessoa for Chanyeol, o que ela pode fazer pra impedir? — Luhan pergunta, fazendo Baekhyun começar a ver uma saída no fundo do túnel. Mas mesmo assim, ele ainda tinha muitos contras pra dar.


 — Chanyeol não pode me dar o que eu quero, nunca poderá. — o loiro contraria, e Luhan sorri.


 — Chanyeol é um homem muito inteligente e muito criativo. Ele arranja sempre uma solução para todos os problemas, independentemente do que for. E principalmente, ele nunca desiste. — as palavras do rosado deixaram Baekhyun pensativo. Por um lado ele tinha razão, na questão de dar uma oportunidade a Chanyeol.


 — ok, talvez eu lhe dê uma oportunidade. — Luhan fica tão feliz, que até se estica para abraçar Baekhyun, que tentou prender um sorriso por algum tempo, mas acabou sendo contagiado pelo outro e sorrindo também, retribuindo o abraço.


 — você não sabe o quanto isso me deixa feliz! Agora, é melhor você comer, pois se ficar com fome, a culpa vai ser minha. E depois vamos comprar roupas pra você. E algumas pra mim, claro! — Luhan diz, animado, enquanto Baekhyun finalmente pega na colher e começa comendo os cereais, sorrindo pequeno pela animação do rosado.

 

Continua...

 


Notas Finais


Então, hoje foi isso! Espero que tenham gostado, eu me esqueci de dar vários pormenores, mas prometo que próximo capítulo vai ser melhor.

Então, quando Baekhyun fez aquelas várias perguntas a Chanyeol, quando acordou... que pergunta vocês acham que ele queria fazer, mas não fez? Me digam nos comentários!

Bjos, anjos! <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...