1. Spirit Fanfics >
  2. Monster - Chanbaek >
  3. Six

História Monster - Chanbaek - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Oi anjinhos!!! Hoje eu trago aqui um capítulo muito especial, vocês sabem porquê?! Não! Porque vocês ainda não leram, mas na mesma, é muito especial e eu espero sinceramente que vocês gostem!

Então, hoje, ( isto não tem nada haver com o capítulo, eu só queria contar isso pra alguém mesmo e olha, cá estou eu ) minha mãe estava apagando todos os e-mais que eu recebi na minha conta antiga, conta que eu utilizava para: ver vídeos indecentes no You Tube. E o que acontece?! ( só eu pra ser tão azarada assim, mas ok, a vida vai seguir, vai seguir... ) Ela acaba por ver um e-mail que diz exatamente assim: "Jimin está de cu doce". E ao abrir a merda do e-mail, ela me chama para perguntar o que aquilo era e eu leio rápido tudo aquilo, se destacando os números +18 ali no meio e o comentário indecente que me mandaram! YAY!!! Me digam, de zero a dez, o quão ferrada eu estou?! Enfim, eu consegui amenizar as coisas e me fiz de santinha o dia todo, e eu ACHO que ela já esqueceu. Bem, pelo menos assim espero, porque senão, vou pro Inferno mais cedo do que esperava! Me desejem sorte!


Até as notas finais, enjoy the chapter ( porquê eu escrevi em inglês?! ), bjões!

Capítulo 6 - Six


Fanfic / Fanfiction Monster - Chanbaek - Capítulo 6 - Six

 

    O de cabelos azuis estava sentado na cadeira de sua sala, pacientemente esperando por seu amigo que, supostamente, viria com um plano para realizar o que ele mais queria. O que ele desejava profundamente. O encontro que ele tivera com Baekhyun no restaurante não foi suficiente para ele. Mas depois, ver que membros do clã Park tinham-no levado para o chefe, no caso, Chanyeol, fez o pequeno desejo que ele tinha em Byun, em uma grande ambição. E porquê? Simples…


 — eu tenho o que você quer mas… você tem a certeza de que quer fazer isso? — o de cabelos castanhos pergunta, ao adentrar na porta sem mesmo bater.


 — claro. — o sorrisinho de canto que o azulado deu, demonstrava que a afirmação era verdadeira. Mas mesmo assim, o mais baixo ainda decide perguntar, sem prender o suspiro que lhe escapou ao fazê-lo:


 — mas porquê? — ele se chega mais perto da secretária, deixando o papel em cima da mesa para que o outro o pegasse e o lesse. O de cabelos azuis pega o papel e corre os olhos por ele, avaliando todos os pormenores e logo depois, respondendo à pergunta do mais novo.


 — porque, meu caro… eu adoro guerra…

 

 


 

 


    Baekhyun estava sentado na cama, esperando que Sehun lhe trouxesse o que ele pediu. Após o almoço, Chanyeol teve de ir tratar de mais alguma papelada e realizar algumas chamadas. Luhan trocou de turno com seu namorado, este que foi fazer as tarefas que o chefe pediu. Haviam imensos turnos por fazer, tinham sempre de vigiar as mansões Park, os lugares que ele possuía, como bares e discotecas, ou até mesmo restaurantes. Algum tempo depois de estar sentado na cama, pensando na viada, Byun ouve batias na porta. Um “entre” é soltado por seus lábios, e logo em seguida o de cabelos castanhos claros chega com um caderno e lápis em mãos.


 — então… aqui está o que você me pediu. Não haviam lápis de cor, então só trouxe isto, espero que que não se importe. — o moreno diz, se sentando em uma das poltronas que havia no quarto. Baekhyun abre um sorriso e pega as coisas.


 — não faz mal, aliás, ainda melhor. Tenho de treinar a variação de cores em carvão, portanto… — o loiro constata, deixando o outro meio confuso.


 — como assim, “variação de cores em carvão”? Não é só uma cor, cinzento? — o curioso pergunta, recebendo assim parte da atenção de Byun, que já estava desenhando, com parte da língua para fora da boca e as sobrancelhas contorcidas, o que o deixava incrivelmente fofo. Alguns segundos depois, o mais baixo chama Oh para se sentar na beirada da cama e depois explica:


 — pode se dizer que sim. Você já viu filmes em preto e branco? — um aceno de cabeça é a confirmação. — E como você distinguiu as cores… nos cabelos, por exemplo?


 — ahm… quando era um cinzento mais escuro, eu percebi que era um moreno ou algo do género, quando era quase branco era… loiro, ou platinado e quando era mais neutro… acho que era cinzento ou ruivo, eu acho… — o de cabelos claros responde, parecendo meio pensativo quanto à resposta.


 — exatamente. Bom, os tons de cinzento podem fazer muita diferença em um desenho, partes do rosto, sombras, enfim. E o que eu estou tentando fazer agora, é utilizar essa diferenciação no rosto de alguém… — Sehun sorri ao ouvir a explicação do mais novo, ficando pensativo e depois decidindo relatar o pensamento que lhe atingiu no momento.


 — você é parecido com Chanyeol. — agora a expressão confusa era de Baekhyun. — A maneira como vocês explicam as coisas. Esclarecem bem…


 — ah… — Byun profere, soltando uma curta risada nasal e voltando sua atenção aos traços do desenho que estava fazendo. Apesar de cursar medicina, a paixão de Byun sempre foi o desenho, então ele desenhava sempre que podia, e em cada desenho, ele colocava o verso de uma música que ele mesmo criava. Era como se fosse uma mini “tradição” que ele tinha sempre que desenhava. Sehun se aproxima para ver o que o outro tanto riscava no papel, mas antes mesmo de poder ter uma pequena visão do que o desenho seria, Baekhyun rapidamente o afasta e esconde o desenho. — desculpe… não estou habituado a ter pessoas vendo o que eu desenho. É algo muito privado para mim…


 — tudo de boas, Chanyeol também não gosta que vejam as composições dele, cada um é como cada qual, então não se preocupe… — pacientemente, Sehun constata, deixando o loiro curioso.


 — eu… não sabia que ele compunha… — ele tenta fazer uma expressão desinteressada enquanto continuava o desenho, mas fracassou e isso fez o moreno rir levemente antes de responder ao mais novo.


 — sim, ele compões sempre que está sozinho. Muitas vezes, eu, Luhan e os outros não podemos ficar com ele porque, sabe, também temos nossas vidas, então ele fica no quarto compondo. E ele é muito bom, na verdade, mas não deixa ninguém ver o que ele escreve. Só depois de escrever… — o mais baixo se associou muito com a descrição de Chanyeol que tinha lhe sido dada, mas preferiu não dizer nada.


 —então… você e Luhan são… o quê? — depois de algum tempo em silêncio, Baekhyun decide perguntar, mas sem parar de desenhar. O outro parece bem pensativo antes de responder, não tendo uma resposta certa para aquela pergunta.


 — não sei muito bem. Eu quero lhe pedir em casamento… — acaba por confessar, o que faz Byun arregalar os olha e tossir algumas vezes, comportamento que faz o mais alto rir. — É assim tão absurdo?!


 — não, não, eu só… não esperava por essa! Aliás, eu nem sei pelo que eu esperava visto que eu nem vos conheço muito bem… Hm, me conte, como vocês se conheceram? — o loiro desvia o seu olhar do desenho para observar a expressão do mais velho, que no momento riu um pouco antes de responder.


 — não vou aborrecer você com isso, é uma longa história… — Sehun responde, coçando a nuca, se relembrando de vários momentos que aqueciam seu coração.


 — temos a tarde toda, portanto comece! — o mais baixo responde, risonho, fazendo o outro rir e finalmente começar.


 — tá bom, então. Meu pai era irmão do pai de Chanyeol, portanto esse clã faz parte de minha família e eu tenho um dever nele também. Como eu não queria liderar isso tudo, nossos pais decidiram deixar o controle do clã para Chanyeol, que começou desde cedo a aprender como gerir esse bagaço todo. Enfim, ele está fazendo um bom trabalho, e eu sempre o ajudo. Bom, um dia ele me mandou em uma missão na cidade, onde eu tinha de… tratar de alguns negócios com um traficante. É difícil de explicar, mas não sei como, o “big boss” descobriu que um de seus traficantes de armas tinha… raptado um garoto.  E minha missão era simplesmente resgatar o garoto. Eu fui lá com mais uma dupla de guardas, a gente entrou no lugar, aliás, na cave, e lá estava ele. Amarrado com não sei quantas cordas que eu logo cortei. Ele estava desmaiado, então peguei ele no colo e levei-o para cá, onde depois ele acordou e supostamente, nós o levaríamos para o lugar de onde quer que ele tinha vindo. Mas depois, ele decidiu ficar aqui por mais uns dias, ajudar em algumas coisas como forma de agradecimento por o termos resgatado. E esses dias viraram semanas. Eu e ele nos fomos aproximando mais e mais e uma noite, ele estava tendo uns pesadelos então veio dormir comigo… e na noite seguinte, ele também veio dormir comigo. Dizia que dormia melhor naquela cama e eu, bem, não me queixava! E assim ele passou dormindo todas as noites comigo. O tempo foi passando, aliás, quase ano já se tinha passado, eu acho, e a gente tinha criado um afecto… tão grande um pelo outro. Eu fui falar com Chanyeol sobre isso, mas aí lembrei que ele é uma bosta em relacionamentos então fiz apenas o que meu coração me estava implorando para fazer à tempos e me declarei a ele. E aí foi nosso primeiro beijo… e também nossa primeira noite. Eu juro, foi mágico. E foi quando eu percebi, que não importava onde nem como, mas estar na presença de Luhan era a coisa que me deixava mais feliz. Ao lado dele, eu me tornava o homem mais feliz e sortudo do mundo e eu ainda hoje quero que ele se sinta igual… Eu amo-o mais do que tudo. A gente nunca chegou a namorar nem nada, mas eu sei que estamos na mesma fase, e eu quero chegar a outra. Eu quero ficar com ele o resto da minha vida, e é por isso que eu lhe vou pedir em casamento… daqui a alguns meses, talvez. Quando as coisas acalmarem… eu quero que ele saiba que eu vou estar sempre lá, para o bem e para o mal. Para tudo… — Baekhyun se perguntava se alguma vez alguém o amaria assim tanto. As palavras de Oh chegaram tão fundo nele que uma lágrima escapou-lhe. Essa gotinha escorre por sua bochecha e cai finalmente no papel, onde, finalmente o observando, ele percebe o que tinha desenhado. E sempre que olhava para o desenho, parecia que a resposta para sua pergunta anterior ficava esclarecida. E é com o espanto que ele amassa o papel e o atira para longe, conseguindo acertar no caixote do lixo que estava ao lado da secretária que havia no quarto. — tudo bem? O que houve?


 — nada, nada… sua história com Luhan me emocionou, é sério… eu só… percebi que não estava conseguindo desenhar o que eu queria e quis amassar o papel. É o que eu normalmente faço quando um desenho sai e não é o esperado, isso acontece quando estou com a mente vagueando… odeio apagar desenhos, as marcas ficam sempre e isso estraga os desenhos. — o loiro responde, começando a desenhar novamente em uma folha limpa.


 — ah, então desculpe se meu debitado te distraiu… — o outro se desculpa, se apercebendo depois que tinha falado talvez demais.


 — não faz mal. — depois de soltar um risinho, Byun responde, ainda sorrindo pequeno. — Eu adorei ouvir você, sério. É uma história muito inspiradora… me pergunto como alguém pode amar outra pessoa assim tanto…


 — também não sei. Muitas vezes, você não percebe que ama uma pessoa assim que a vê. Aliás, você pode nem a amar, a princípio, mas ao passar mais tempo com essa pessoa, descobrindo mais coisas sobre ela, você vai apreciando cada vez mais a presença dela, você vai queres estar perto dela… você vai aprender a amá-la. Eu não amava Luhan, nem de longe. Na verdade, eu achava ele um pouco irritante, falador. Infantil, essa era a palavra! Mas depois eu percebi que, tudo o que ele falava, era verdade! Ele nunca mentiu pra mim, excepto quando uma vez ele roubou meus chocolates, mas de resto, tudo o que ele dizia, era… bom. Era agradável de ouvir. Não tinha um pingo de egoísmo, maldade, ou modéstia em sua voz. Luhan fala sempre o que pensa e quase tudo o que ele pensa é bom. Às vezes infantil, estúpido ou louco, mas bom… é por isso que eu me apaixonei por ele. Eu aprendi a amá-lo. — o mais velho avalia, depois olhando as horas no relógio de pulso que ele tinha e se levantando. — daqui a pouco o jantar fica pronto, você deveria escolher uma roupa e se preparar. Eu vou andando, você sabe o caminho para o jardim, certo?


 — sim. Vou ao banheiro me trocar… Até logo! — Baekhyun abre o armário, escolhe uma roupa, e depois vai para o banheiro, deixando Sehun no quarto. O moreno estava ja de saída, mas ao varrer os olhos pelo local, ele acaba por ver uns riscos pretos no papel amassado no lixo e sua curiosidade acaba por lhe fazer ir até lá para ver. Ele abre o papel esbranquiçado e sua expressão não esconde sua surpresa ao ver o que tinha ali. Um desenho do rosto de Chanyeol. Estava lindo, e tinha um pequeno verso escrito no topo:


“I don’t know what I feel


Cuz’ this feeling is new


But that’s the only feeling


That belongs to you…”

 


 Continua...

 

 

 


Notas Finais


Aqui temos a linda história do nosso querido Hunhan, resumida longamente, e isso fez o capítulo ser muito especial... pelo menos pra mim! E no início... bom, temos novamente, o cara de cabelos azuis, que já tem um plano... que plano será este? E por que será que trará guerra? Óbvio, né? Fica pra vocês adivinharem! Me digam nos comments o que vocês acharam, o que vocês acham e se vocês estão gostando ( ou não )!


Espero que tenham gostado de ler, tanto quanto eu gostei de escrever este cap! Até ao próximo capítulo, anjinhos! Bjos da Vivi 3:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...