1. Spirit Fanfics >
  2. Monster - Chanbaek >
  3. Seven

História Monster - Chanbaek - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente! Tudo bem, anjinhos? Espero que sim. Bom, venho aqui hoje fazer algo que já fiz 6 vezes: Postar um novo capítulo!

Eu estive pensando um pouco e eu acho ( acho, mas não tenho a certeza ) que vou fazer um trailer para a fic. Acho que vai ser legal e, plus, vai ser meu primeiro vídeo com algum conteúdo ( mesmo que o conteúdo do vídeo seja algo com menos conteúdo ainda kk )... enfim.

Agora, falando de coisas sem a mínima importância, vou me expor aqui:

Como é minha vida: Estou andando de carro com minha omma, vejo um carro com um UN na matrícula e... começo cantando UN Village do Baekhyun. Sim, eu sou estranha. E o melhor de tudo são as caras que minha omma faz qd eu canto, ela fica com a típica cara de: "Meu Deus, porquê minha filha gosta tanto de coreanos..." ksksks...

Agora que já falei de+, vamos ao que interessa! Espero que gostem do cap! Até às notas finais!

Capítulo 7 - Seven


Fanfic / Fanfiction Monster - Chanbaek - Capítulo 7 - Seven

   

 

Chanyeol estava falando ao celular com um negociador importante, então quem quer que lhe tivesse batido à porta teria de esperar. Mas mesmo antes de poder desligar a chamada e pedir para que o indivíduo entrasse, a porta é aberta e Sehun entra lá dentro, deixando uma folha amachucada em cima da secretária de Park.


 — mas o que é isso?! — o de cabelos negros pergunta, aborrecido com o comportamento do melhor amigo, assim que desligou o celular.


 — em vez de perder seu tempo me dando sermões, ganhe ele vendo o que Baekhyun desenhou! — o outro responde, apontando para a folha que tinha entregue e trazendo a ela a atenção de Chanyeol, este que pega a folha e começa a observar o lindo desenho. Os seus olhos ficam arregalados ao ver a perfeição em que o seu rosto estava desenhado ali, e um sorriso sincero escapa por seus lábios ao ler o pequeno verso no canto…


    Baekhyun desce as escadas do segundo andar e vai até ao grande jardim que ficava ao lado da piscina. A mesa já estava pronta, com copos de vinho, água, talheres, guardanapos com desenhos lindos e os pratos com bordas de ouro. O Sol já ameaçava começar a pôr-se e assim que Byun se senta na mesma cadeira que na hora do almoço, a portada de vidro que dava acesso ao jardim abre-se e de lá saem um homem de cabelos castanhos acompanhado de um homem de cabelos pretos, este que era um pouco mais baixo do que o outro. Os dois se aproximam da mesa e se sentam lado a lado, depois sorrindo para Byun.


 — oi! Você deve ser Baekhyun! Prazer em te conhecer, meu nome é Kyungsoo e este aqui é Jongin. — o mais baixo se apresenta e ao moreno que vinha com ele.


 — oi, prazer… — Baekhyun responde, sorrindo pequeno e depois olhando para os próprios pés por debaixo da mesa, tentando pensar em algum assunto para não ficarem naquele silêncio constrangedor que ele tanto odiava. — então vocês são…


 — é difícil de explicar, nós praticamente ajudamos Park no que ele precisa. Minha função é literalmente ficar na frente do computador o dia todo para ver os ficheiros, eliminar os que não são necessários, enfim. Mas se você quer saber, somos amigos de Chanyeol. E colegas. Eu já disse, é difícil de explicar! — Byun ri pela explicação do tal Kyungsoo.


 — ah, ok, não era bem a isso que eu me referia mas, obrigado! — o mais alto ali sorri e pega na mão do mais baixo.


 — este pestinha aqui é meu namorado. A gente namora já faz um ano e meio… — ele responde, sorrindo para Baekhyun, este que sorri de volta, mas por dentro pensava “mas só há gays, aqui?!”. Ele não era contra, aliás, ele respeitava muito os homossexuais e tals, mas nunca tinha se encontrado com nenhum e agora já lhe vêm com cinco! Era um pouco estranho, com certeza, mas ele faria o máximo para não repudiar visto que o objectivo dele estar ali era literalmente se apaixonar… por um homem. Antes que o loiro pudesse dizer alguma coisa, mais uma presença se junta à mesa.


 — oi Soo, oi Jongin, tudo bom? — o garoto de cabelos rosa pergunta, assim que também se senta na mesa. Baekhyun sorri para Luhan, que sorri para ele também como forma de cumprimento.


 — sim, mas sabe, de noite vai ficar ainda melhor… — o de cabelos castanhos responde, olhando maliciosamente para Kyungsoo, que lhe dá uns cinco tapas fazendo todos rirem. — ai! Para com isso!


 — idiota, você merece… — o de cabelos pretos a seu lado resmunga, fuzilando o namorado com os olhos. Nesse momento, Chanyeol e Sehun adentram na zona do jardim e, assim que vê o loiro sorrindo animado, Park sorri pequeno também. Era algo estranho para ele, sentir o coração aquecer apenas por causa de um sorriso. Do riso de alguém. Da sua felicidade. — E aí, boss, o que tem pra comer hoje?!


 — muita coisa, Soo, muita coisa… — o namorado de Do volta a maliciar, recebendo mais tapas do de cabelos pretos.


 — você tá pedindo por eles, não tá?! — o citado responde, corado e irritado, se referindo aos tapas que tinha acabado de disferir no braço do namorado. Baekhyun ria, juntamente com Luhan e Sehun, este último que tinha acabado de se sentar junto com Park na mesa. O de cabelos negros se sentou ao lado de Baekhyun e o moreno ao lado de Lu. Chanyeol pega a mão de Byun e sorri, sendo correspondido pelo mais novo que depois continua observando os outros enquanto eles conversavam, riam, contavam piadas e se “picavam” até a comida chegar. O jantar, desta vez, era massa com molho de tomate. O cheiro delicioso do alimento sentia-se de longe e mal tocou na mesa, todos trataram de atacar a comida. Menos Chanyeol e Baekhyun, estes que pareciam ser os únicos a ter modos e ao se notarem, os dois quietos esperando que os outros acabassem de retirar a sua quantidade exagerada de massa, acabaram por soltar um risinho um com o outro antes de finalmente poderem degustar da comida. O mais velho ainda colocou parmesão na massa antes de a comer, e os outros conversavam sobre banalidades enquanto comiam. O loiro tinha se divertido muito durante o jantar. Os amigos de Chanyeol pareciam ser muito divertidos, e ele acabou por descobrir muitas coisas que ele não sabia sobre… bem, quase todos. Após o jantar os outros tiveram de sair, para aproveitarem o final do dia a casais, e a sobremesa apenas foi servida para Park e Byun. O loiro decidiu que queria comer uma pequena salada de fruta e o mais alto pediu uma grossa fatia de cheesecake.


 — como você come assim tanto e não engorda? Me conte seu segredo! — o mais novo diz, na brincadeira, arrancando uma breve risada do outro.


 — ah, sabe, é um dom especial… se você não tem, apenas deseje! — mais risos foram arrancados, e os dois continuam comendo até Baekhyun se lembrar de algo que lhe tinha chamado a atenção.


 — você… escreve músicas? — a pergunta apanha o mais velho de surpresa, este que tosse algumas vezes se perguntando como o outro sabia disso. Não se lembrava de ter dado permissão a ninguém para falar sobre a sua vida privada a Byun, mas mesmo assim, fez um esforço para não mostrar sua irritação ao mais baixo a seu lado e prosseguir a conversa normalmente, também se permitindo lembrar do desenho que o loiro tinha feito dele e sorrindo ao depois responder:


 — sim, mas eu não mostro a ninguém os raps que eu componho… — ele responde, depois dando mais uma trinca no cheesecake.


 — eu também não mostro a ninguém os meus desenhos. Apenas alguns, quando eu acabo ou quando são para alguém. Mas eu adoro desenhar, eu me deixo levar pelos meus sentimentos e às vezes já nem estou desenhando o que quero, apenas sigo os traços que o meu subconsciente me manda fazer… — Chanyeol se identificou bastante com o loiro, e também ele se lembrou do desenho que fez dele, se perguntando porquê o seu subconsciente lhe fez desenhar aquilo. E Park estava feliz. Saber que o subconsciente do garoto ao qual estava apaixonado decidiu o desenhar, fazia o seu coração se encher de esperanças. — talvez um dia… você possa me mostrar uma de suas composições.


 — só se você me mostrar um de seus desenhos! — o outro revida, olhando desafiadoramente para Byun, que parece pensativo antes de finalmente estender a mão.


 — trato feito, então. — os dois apertam as mãos e sorriem, depois voltando a comer a sobremesa. Baekhyun achava o aspecto do cheesecake muito bom, e por isso estava olhando muito para o mesmo. Era o que acontecia quando a gula batia, pois mesmo estando cheio, queria provar nem que fosse uma colherzinha do doce do de cabelos negros, este que acaba por notar a insistência no olhar do outro perante a sua sobremesa.


 — você quer provar? — ele pergunta, já estendendo sua colher com um pedaço do cheesecake com frutos vermelhos.


 — pode ser, mas não de sua colher… — o outro responde, envergonhado, enquanto estendia sua colher para pegar um pedaço. Mas Chanyeol é mais rápido e o impede, antes de finalmente perguntar.


 — por quê? Tem algum problema? — o olhar de desafiador e a sobrancelha erguida do mais alto fez com que Baekhyun desviasse logo o olhar antes de pronunciar a primeira resposta que lhe vem à mente.


 — porque é… estranho. E-eu acho… — o de cabelos negros ainda queria desafiar mais, tentando captar o olhar do outro. Ele divertia-se ao ver as reações de Byun quando este era provocado. Era como se, ver as bochechas do mais novo vermelhas, vê-lo envergonhado, fosse um incentivo para continuar a provocá-lo. E lá no fundo, bem no fundo, o loiro sabia que também gostava…


 — você acha, mas não tem a certeza, é isso? Byun… — um arrepio é sentido pelo citado assim que o seu nome é pronunciado em um tom provocador e risonho. — não seja tímido… você está livre para tocar tudo o que eu toco, quer com as mão, quer com a boca…


 — pervertido… — acabando por perceber o segundo sentido da frase, Baekhyun acaba por soltar, depois acabando por pegar na colher do outro e comendo o cheesecake, apreciando o sabor delicioso da mistura entre bolacha, creme de queijo e frutos vermelhos.


 — quem viu o duplo sentido da frase foi você, portanto… — o outro revida, depois continuando a comer, vangloriando-se interiormente por ter deixado o mais baixo vermelho. Após os dois acabarem de comer, Chanyeol manda levantarem os pratos e retirarem a mesa enquanto leva o loiro para cima, depois indo para o seu quarto com ele. — você pode esperar um minutinho aqui, por favor?


 — claro. — o mais novo responde, se sentando depois na cama de Park e depois esperando enquanto este ia ao banheiro. O quarto do de cabelos negros era grande, um pouco maior do que o de Baekhyun. As cortinas eram pretas, a cama de quatro colunas estava muito bem feita e havia um tapete no chão, este que tinha o desenho de uma águia nele. Era muito bonito. Os tons do quarto variavam entre preto, castanho e cinzento e o mesmo ainda possui uma varanda com vista para o outro lado do jardim com o chão empedrado. Haviam alguns quadros na parede, maioritariamente com desenhos de animais traçados por linhas brancas. Haviam umas prateleiras com livros, estes que chamaram a atenção do loiro. Baekhyun se levanta da cama e vai até a prateleira ver os livros. Ao observar bastante, ele encontra um livro que lhe interessa e começa a reler as páginas que ele já tinha lido tantas vezes em sua casa.


 — gosta desse livro? — a voz grave e rouca assusta o mais novo, que dá um sobressalto rapidamente volta a colocar o livro no lugar, por impulso. — não precisa esconder, eu sei que você estava lendo… esse é um de meus livros preferidos…


 — também é um dos meus, e eu adoro Colleen McCullough, apesar de ela ser romancista. Eu praticamente só leio investigações criminais e coisas do género… — nesse momento, Chanyeol se assimilou muito a Baekhyun, e não perdeu tempo em dizê-lo.


 — eu também. Mistérios e em fim, são minha perdição. Ah, tem um que eu amo, o meu preferido de todos, que foi Luís Miguel Rocha que escreveu. O nome é—


 — A Filha do Papa… — os dois dizem ao mesmo tempo, depois se olhando durante alguns segundos. Novamente, as orbes negras do mais velho prenderam as do mais baixo. Byun se perguntava como isso era possível, os olhos de alguém prenderem a alma de alguém assim… nem os de Lia faziam isso. Era estranho, mas ao mesmo tempo incrível. O coração do loiro começou a bater mais depressa, e o de Chanyeol também.


 — você não sabe o esforço que eu estou fazendo para não te beijar agora… — o de cabelos negros revela, fazendo Byun rir de constrangimento acabando com a tensão que se acumulou no ar. — você tem calções de banho, Byun?


 — ahm… não. Me esqueci de comprar hoje na loja. — o outro revela, ignorando o arrepio que a pronunciação de seu sobrenome pelo outro causou. O mais alto assente com a cabeça e volta ao banheiro, voltando pouco depois com uns calções de banho vermelhos e os entregando a Baekhyun.


 — você pode se vestir no banheiro. E, Byun, não se preocupe, que desta vez eu não vou olhar… — o mais velho diz, perversamente, fazendo o loiro se relembrar do que tinha acontecido de manhã e estremecer. Mas foi uma sensação… gostosa. Ele nunca se tinha sentido assim antes.


 — s-sabe… você não precisa ficar m-me chamando sempre pelo meu sobrenome… — superando a vergonha com uma coragem que ele nem sabia que tinha, o mais baixo diz, tentando desta vez, evitar o contacto visual com o outro, que logo pergunta:


 — então como você quer que eu te chame? — o de cabelos negros se chega mais perto de Baekhyun, com os braços cruzados, esperando por uma resposta.


 — você pode me chamar de Baek. — o outro responde, baixinho, se sentido bastante intimidado com figura alta do outro tão perto de si.


 — hm… prefiro te chamar de Byun. Se não parece que estou chamando um animal de estimação. “Baek, vem cá!”, “Baek, senta!”. “Lindo menino, Baek…”. Hm, por acaso até pode dar jeito… — o mais novo ri pelas imitações de Chanyeol, dando um tapinha no braço do mesmo. — não estou brincando! Vou comprar um cão e chamá-lo de Baek. Assim nunca me vou esquecer de você!


 — é melhor eu ir me vestir… — o loiro diz, entre-risos, pegando nos calções de banho e entrando no banheiro, deixando Chanyeol no quarto. Algum tempo depois, já vestido com os calções de banho, o mais baixo sai do banheiro, vendo o de cabelos negros deitado na cama com a cabeça apoiada na mão. Só ali, Byun nota que o outro está apenas de calções de banho. O loiro analisa cada pedacinho do abdômem de Park, vendo os pequenos gominhos dos abdominais e, mais acima no lado esquerdo do peito, uma tatuagem. Era uma águia. Parecida com a do tapete, mas maior. Algum tempo tinha-se passado e quando Baekhyun dá por si, Chanyeol está na sua frente, perigosamente perto dele. As suas mãos estavam tocando nos abdominais do mais velho, suavemente, e isso trouxe alguns arrepios no de cabelos negros, este que teve os pelos eriçados assim que sentiu as delicadas mão de Baek em si.


 — por mais que eu… ame ter você me tocando dessa forma, eu ainda quero ir lá para baixo aproveitar a noite com você… a não ser que você não queira… — Park diz, baixinho, pegando delicadamente as mãos de Baekhyun, este que fica muito atordoado e confuso com o que estava fazendo. “Eu estava prestes a beijá-lo?”. Ele faz essa pergunta para si mesmo.


 — eu quero, sim, vamos lá! — ele responde logo, se virando em direção à saída e andando até lá, depois virando-se novamente e olhando para o de cabelos negros, para ver se ele vinha ou não.


 — estou indo, já! — ele vai rápido até à porta e logo os dois já estavam saindo da mansão, adentrando no espaço do jardim reservado à piscina. Como era de noite, as luzes roxas da piscina estavam acesas e deixavam o ambiente muito aconchegante. Haviam duas espreguiçadeiras, cada uma com duas toalhas sobre. Baekhyun se encolhe um pouco pelo frio e decide se certificar.


 — sério que a gente vai entrar na piscina com esse frio, Park? — Chanyeol não pode evitar em sorrir ao ouvir seu sobrenome sendo pronunciado com tanta normalidade pelos lábios de Byun. E o tom que ele tinha usado estava tão carregado de inocência, que o de cabelos negros quase soltava um longo suspiro. Quase.

 

 — meu Deus, eu amo quando você me chama assim… mas sim, vamos. A piscina é aquecida, então vai parecer um spa, não se preocupe! — ele tranquiliza, se dirigindo ao outro lado da estrutura com água e logo dando um mergulho. Baek sorri, logo se animando e entrando na água também, mas devagar. — Uau…


 — o quê? — o mais baixo pergunta, após nadar debaixo de água de um lado ao outro da piscina.


 — o seu cabelo…

 

 

Continua...

 

 


Notas Finais


Eu não sei se vocês tem notado, mas a cada capitulo, Chanyeol vai ficando mais... carinhoso, à maneira dele.
Sobre o cabelo do Baek, alguém tem algum palpite?

Aviso prévio: se preparem pois no próximo capítulo, a acção vai finalmente começar!

Me digam o que acharam nos comentários, me desculpem pelos erros que posso ter deixado escapar... Enfim, por fim, finalmente, espero que tenham gostado e até ao próximo capítulo! Bjos da Vivi! <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...