História Monster - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 10
Palavras 826
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura !

Capítulo 16 - O plano.


Suah estava nervosa, sua respiração descompassada denunciava isso. Yoko estava demorando muito para voltar, Minhyung não acordava, Sook saiu correndo do nada e podia estar em qualquer lugar, tudo colaborava para uma situação de puro desespero e a mais velha estava cedendo.

Ouviu um murmuro e voltou sua atenção à garota deitada, Lee resmungava e se revirava na cama, como se tivesse um pesadelo. Chaqualhou a menor afim de acorda-la, o que de prontidão aconteceu, os olhos confusos de Minhyung varreram o lugar, parando em Suah, logo soltou um grito agudo e se afastou, batendo a cabeça na parede sem saber que estava na frente de uma.

– O que eu... Suah ? O que houve... O Luhan... Foi levado ! Meu Deus ! – Se levantou e tentou sair do quarto, mas foi impedida por Han.

– Min, não, a Sook já foi atrás dele e eu não faço ideia de onde ela está ou se ela vai voltar, eu não vou deixar você se arriscar também ! – A mais velha disse em tom de súplica apesar de ser uma bronca.

– Mas o levaram ! Injetaram algo nele e em mim também, imagine o que podem fazer ! Por favor, eu preciso salvar ele, ele é a minha única família ! 

– Família ?

– É ! Ele disse que eu era uma irmã pra ele, e ele é um irmão pra mim ! Eu não vou deixar o meu irmão morrer ! Nunca !

– Ele não vai morrer ! – Suah gritou, assustando a menor. – Pare de falar como se você fosse a única que pode salva-lo ! Escuta, ele não vai morrer, a gente não vai deixar, se é salvar ele que você quer então eu ajudo ok ? Mas mantenha a calma, eu tô aqui e não vou sair, enquanto ele não estiver, você pode confiar em mim.

Lee assentiu, suspirou mas suas mãos tremiam, os nervos à flor da pele, ela precisa de uma confirmação que ele estava bem.

– Eu tenho um plano. – A maior levantou. – Eu tenho uma ideia da próxima pessoa que vai ser levada, vem comigo, eu falo o que vamos fazer no caminho.

E saíram. Correndo, Suah explicou o que fariam: Quando os homens tentassem capturar outro aluno elas atacariam com a ajuda dos alunos donos do dormitório, deixariam-os desacordados com ajuda dos próprios remédios e por fim procurariam os amigos com reforços.

– E quem seria o próximo aluno a ser capturado ? – Minhyung perguntou ofegante.

Suah parou de repente em frente à um dormitório que era desconhecido por Lee, "Vantagens de ser metida" pensou Han.

– Você não deve conhecer, mas não precisa falar com ele se não quiser, pode esperar aqui fora. – E bateu na porta.

Um "Já vai" foi ouvido de dentro do quarto, logo um garoto abriu a porta parecendo bem surpreso com a visita.

– Oi Tao. – Suah disse sorrindo de lado. – Preciso de sua ajuda.



– Deixa eu ver se entendi, vão vir pegar o Kris, quando eles aparecerem eu preciso atrasar o máximo possível, então você e sua amiga atacam e a gente resgata os alunos capturados ? – Tao dizia preucupado.

– Exatamente. – A garota de cabelos cacheados confirmou séria.

– Certo... Eu ainda não posso acreditar que estão fazendo mesmo isso com os alunos. – O garoto negou com a cabeça. – Vamos fazer isso então. E a sua amiga parece estar extremamente nervosa, o olhar dela em cima do meu namorado está me assustando.

– Ela é um pouco... Dependente, eu até sugeri ficar lá fora mas ela quis entrar, desculpe por isso, acho que ela está com medo dele. 

Ouviram um barulho de passos no corredor, o que fez Lee pular e correr para o banheiro, – Onde ficariam escondidas até a hora certa – seguida por Suah, fecharam a porta atrás de sí e prenderam a respiração, não querendo perder nem um mínimo ruído do que acontecia lá fora.

O som da porta sendo aberta com brutalidade assustou Tao, acordou Kris e então tudo passou como um flash. O casal discutiu e gritou com os homens para que as garotas saíssem e atacassem, então quando os funcionários estavam distraídos, receberam as doses de remédios que os deixaram desacordados.

– Pronto. – Suah disse ofegante. – Peguem os trajes e equipamentos deles.

Então as duas garotas acompanhadas por Tao e Kris foram em direção à outro quarto desconhecido por Minhyung.

– Quem vamos chamar dessa vez ? – Lee perguntou.

– Agradeça à Yoko e a Sook por serem sociais. – Bateu na porta assim como antes, mas dessa vez quem atendeu era um rosto conhecido. – Oi Jaemin, precisamos de ajuda sua.

– Acho que até sei pra que. – Jaemin disse se animando um pouco. – Tem a ver com os alunos que estão sendo levados ?

– Sim.

– Então a gente ajuda, não aguento mais o Mark aos prantos aqui por causa do Taeyong.

– Ele também foi levado ? 

– Pois é, podem entrar, inclusive, quem são esses caras aí ? – Disse encarando Tao e Kris.

– Apresentações depois, se não salvar-mos o Luhan logo a Minhyung vai ter um treco.


Notas Finais


Até o próximo capítulo !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...