História Monster - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Tags Boku No Hero, Deku Villain
Visualizações 93
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Apenas, Obrigada.

Capítulo 2 - 2




Aquilo doía, eu não gostava do que eu era obrigado a fazer, era horrível fazer uma pessoa sofrer apenas por "diversão"eu chamo isso de loucura.

Era isso que havia me tornado, depois de tantas torturas, lavagem cerebral que haviam feito em mim acho que me tornei um louco.

Sentia prazer em torturar as vitimas que eram tragas para esse prédio abandonado, era delicioso como o sangue jorrava de suas feridas, do seu grito excrusiante, implorando para eu parar de jogar sal em cada uma delas.

Eu amava isso, mas logo em seguida eu percebia o que eu estava fazendo, recuava e vomitava, me achava nojento por fazer algo assim com uma pessoa provavelmente inocente, olhava para seu rosto e a via desmaiada, talvez a dor fosse demais para a pobre pessoa, ia embora e me trancava em meu "suposto" quarto.

Já havia acontecido outras vezes, parecia que eu me desligava e quando voltava eu estava coberto de sangue de outra pessoa,e uma ereção a mostra, me sentia constrangido, repugnante, eu era o pior dos monstros.

Logo me dou conta do que esta acontecendo comigo, eu havia criado outra personalidade, esta era sádica, gostava de sangue e perigosa, se eu já me sentia péssimo, depois dessa afirmação eu queria me matar.

Por que comigo? O que eu fiz de errado? Eu só era um garoto com sonhos impossíveis! Nunca fiz nada de mal para ninguém! Eu era um azarado.

A "droga" que haviam injetado em mim na verdade era uma individualidade, foi confuso, eu fiquei um pouco feliz, eu havia ganhado uma individualidade, mas logo percebi que esse seria meu pesadelo, eu era obrigado a treinar e se fizesse algo de errado, além das torturas, ficava sem comida ou água, era terrível eu queria ir embora, mas lembrava da minha nova personalidade, não poderia mais viver com outras pessoas, seria perigoso.

Sempre que eu deitava, lembrava de quando eu ainda era normal, minha mãe me amava, sempre me motivando a seguir em frente, sentia falta de quando analisava um novo herói e via em qual cenário ele se encaixaria melhor, sentia até falta de bakugou, aquele que sempre o xingava e mandava o se matar, nunca pensou que chegaria tão perto de fazer isso.

Havia se passado um ano, naquele inferno, conseguia controlar minha segunda personalidade, e meu novo poder que era o aumento da força, se eu me concentra-se eu poderia deixar uma parte do meu corpo mais forte, seria legal se não tivesse sido um vilão a me da lá. 

Já havia se passado um tempo que eu analisava uma rota de fuga, não poderia ir pelos fundos, era sempre vigiada por um ser de extrema sensibilidade em relação a sons, não poderia passar por la, os outros andares eram infestados de monstros, se fosse somente um, ele poderia passar mas são vários, isso chamaria a atenção de shigaraki e aquela maldita fumaça, minha única saída era a porta da frente. Teria que esperar shigaraki e a fumaça sairem para buscar outra vítima, esse séria o momento certo para fugir, só precisava esperar mais dois dias e estaria livre daquele lugar.


O dia havia chegado, esperei para ter certeza de que eles haviam ido embora, teria que ser rápido, os únicos que ficavam na recepção era shigaraki e a fumaça , ou seja, a liberdade estava em minha frente.

Corri ate a porta dupla e à abri, o vento forte batia em meus cabelos verdes, estava quase chorando de alegria, mas ele teve que parar, não se podia dar o luxo ainda, tinha o grande risco deles voltarem e avistarem ele.

Usando sua nova individualidade, fez com que suas pernas ficassem mais fortes e pos-se a correr, corria o mais rápido possível, não sabia para onde iria, so sabia que não poderia ir a cidade ele era um risco para todas aquelas pessoas, talvez fosse para uma floresta e criasse uma pequena casa por lá.

Teve seus pensamentos cortados pela aparição dos dois malditos, como haviam me descoberto? Eu não havia me distanciado o suficiente? Eu só sabia de algo, eu morreria mas nunca mais voltava para aquele local, shigaraki logo pergunta:

-o que ouve midoriya, se cansou das sua vitimas, podemos trocar, talvez uma colegial bonitinha e inocent-

-CALE A BOCA, SEU NOJENTO, ESTOU CANSADO DISSO, NUNCA CONCORDEI EM FAZER ISSO, EU VOU EMBORA, NUNCA MAIS VOLTO PARA ESSE LUGAR.

Eu grito, já cansado, fico com raiva pois ele ri, ele me responde:

-criança burra, acha que conseguira me derrotar, eu te levei para aquele lugar, eu o treinei, eu te fiz forte, e é isso que eu recebo?! SEU INGRATO, EU DEVERIA TER TE MATADO NAQUELE BECO, ESTAVA TÃO VULNERÁVEL VOCÊ ERA UM INÚTIL, MAS EU TE TRANSFORMEI EM ALGUEM PODEROSO, MAS QUE SABER, EU DEVERIA TER ESCOLHIDO OUTRO, MORRA!

Shigaraki parte para cima de mim, sua mão estava completamente aberta, sé ele conseguir segurar alguma parte minha com os cinco dedos, eu desintegraria em poucos segundos, desvio ainda usando minha individualidade, precisava pensar em um modo de fugir, enquanto desviava das investidas de shigaraki, me lembrava de seus pontos fracos, eu teria que evitar suas mãos, mas se eu conseguise soca-lo uma vez eu poderia ganhar, meus pensamentos são cortados pela fumaça que aparece atrás de mim, desviei para a direita, mas shigaraki conseguiu agarrar o meu braço, sinto a ardência começar, antes de qualquer passo que ele desse eu o soquei, logo ele cai desmaiado no chão, havia dado um soco usando 100% do seu poder, assim que me afastei do corpo, meu braço pende para o lado, ele agora era inútil e eu tinha que derotar aquela fumaça, ele era forte mas ele era lento, se eu conseguisse me aproximar de forma rápida e socasse o seu pescoço eu teria tempo de correr para longe, usando a força nas pernas, começei a corer ao seu redor, criando uma barreira de poeira, isso me ajudaria, assim que me aproximo e estava prestes a soca lo em seu ponto fraco, a mão de shigaraki agarra a minha barriga, sinto o sangue em minha boca e cuspo, assim eu não consegiria, assim que toquei meus pés no chão corri para fora da fumaça de terra que eu havia feito, machucado dessa forma nunca ganharia, resolveu fugir aproveitando que a cortina de fumaça continuava alto, eu precisava me curar.


Eu não sabia aonde estava, parecia um beco de alguma cidade, merda, não era para eu ter vindo ate aqui, quando fui dar meia volta meu corpo fraqueigou, havia perdido muito sangue, foi escorregando pela parede ate chegar no chão, ele iria morrer, mas estava feliz, estava livre poderia morrer em paz, enquanto fechava os olhos lentamente ele avistou alguem, parecia uma garota, a ultima coisa que ele ouviu antes de apagar foi:

-o meu Deus, eu vou te levar para minha casa e cuidar de você.

Essa garota era burra, pensou em seu último minuto de consciência. 




Notas Finais


Acho que ta legal.
Sei lá
Vai ta um cocô mas ta ai ne?!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...