História Monstro também tem coração. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Conquista, Cotidiano, Desabafo, Desespero, Disputa, Drama, Heroi, Luta, Mundo, Ódio, Paixão, Romance, Tokyo Ghoul, Tragedia, Vida, Vilão, Vingança
Visualizações 54
Palavras 1.282
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drabble, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente.
Demorei pq estava muito ocupado com as fichas de Boku no Hero, mas agora terminei esse capítulo e já tenho ideia para os próximos.

Espero que gostem.

Capítulo 3 - Es que tudo começou - parte 3


Fanfic / Fanfiction Monstro também tem coração. - Capítulo 3 - Es que tudo começou - parte 3

P.O.V Kennedy


Eu adimirei a beleza da moça em meus braços, ela era baixinha, não muito só um pouco, tinha cabelos medianos lisos e pretos, antes dela ser atingida por um dardo eu vi que seus olhos era castanhos. Agora eu só estava segurando ela em meus braços, pois ela estava desmaiada. Olho para a frente com um olhar sério de ódio, um homem com uma maleta vermelha estava na frente de outros cinco e um deles usava uma arma de sonífero paralisante, todos eles pareciam assustados exceto o provável líder que usava a maleta vermelha.


—Você é o famoso Carnino, não? _ele pergunta sério analisando o mínimo movimento que eu fazia.


—Sou! E daí? _encaro com um olhar mortífero.


—Sabia que você é um ghoul de rank SS e um dos mais procurados? _ele diz irônico analisando minha reação.


—Sim! Eu sei! _retribuo com a mesma ironia.


—Então… Como vai ser? _ele se coloca na posição de luta sem abrir a maleta e todos os agentes atrás dele já seguravam suas quinques em forma de espada ou machado.


—Vai ser o que? Eu que fiz a ligação anônima para vocês, pois queria impedir o leil-


—Calado monstro! Independente das suas intenções, eu não estou afim de saber, sei apenas que você tem que ser preso! _ele diz com um ódio evidente.


—Você quis dizer executado! _o corrijo com ironia.


—É! Também! Mas talvez você possa ser útil para as investigações. _ele me olha com desprezo.


—Você se engana! _olho para ele com com sinceridade.


—Quieto monstro! Você vai ser retido, mesmo que tenhamos que decepar seus membros._o homem de maleta vermelha parecia extremamente irritado.


—Eu sei que me odeia, mas só vão me matar se lutarem ao meu mesmo nível! _digo com certa ironia observando que os agentes me olhavam com raiva e com sua quinques preparar ldas para me atacar.


—Não precisamos lutar! Viu o que fizemos com ela? _o líder diz apontando para a morena em meus braços.


—Sonífero? Sério? O nível da CCG caiu tanto assim? _digo irônico vendo que dois dos agentes com uma pistola de sonífero paralisante na mão direita.


—Sabemos que em um monstro como você não funciona, mas em pessoas como ela cai como uma luva. _o líder diz apontando para a morena novamente.


Eu não conseguia entender porque humanos atacaram humanos, não entendi com era possível aquele agente que fugiu de mim ter chamado ela de monstro, eu não entendia, eu sentia o cheiro dela, mad era o cheiro de hunano, e assim eu ficava cada vez mais confuso, porém, só encarava sério os agentes, até que o líder me fez uma proposta:


—Eu tenho muito tempo para te caçar se você fugir, e além disso existem muitos outros agentes, eles podem te achar rapidinho, mas no momento vou te deixar você ir embora e ninguém aqui te atacará desde que você me devolva a garota em seus braços. _ele diz sério olhando fixamente em meus olhos.


Olhei sério para o homem, aquilo não parecia verdade, o que ele falou foi algo tentador e irrecusável para qualquer ghoul. Um ghoul não sacrifícaria a vida por um humano, principalmente se não o conhecesse.


—Coloque ela no chão e  pode ir em paz! _ele diz sincero e sério.


Olho sério para ele, em outros tempos eu colocaria ela no chão e fugiria. Não, não, eu não colocaria, na verdade eu a comédia ali mesmo na frente deles só para provocar os agentes, mas dessa vez não poderia ser assim, o porque eu não sei, mas por algum motivo eu não queria largá-la. Talvez porque asalvei, não sei. Olho de forma segura para os agentes e digo minha resposta.


—Não! Eu vou querer essa humana para mim. _digo sério e sincero.


—Porque? Você é um ghoul! _ele diz incrédulo.


—Vocês chamam ela de monstro! _digo irônico.


—Passe ela para cá! Você não conhece a história e tenho certeza que você quer ela para fazer de escrava e depois comê-la! _ele diz com certa seriedade.


—E se for? Eu achei ela primeiro! Só eu tenho o direito de matá-la! _digo encarando o homem.


—Que piada é essa? Ela é nossa! _ele fala com certo orgulho que me deixou um pouco surpreso, mas não demonstrei.


—Estou mais interessado ainda! Ela já foi agente, é isso? _digo disfarçando minha curiosidade e surpresa usando de ironia.


—E se fosse? A mente dela está confusa e ela perdeu a maior e mais importante parte da memória. _o homem fala de uma forma que parece querer disfarçar algo.


—Estou ficando entediado com esse discurso idiota! Quer mesmo pegá-la de volta como você disse? _digo com ironia olhando os homens com as quinques em mãos e o líder com a maleta vermelha ainda fechada para não revelar sua quinque.


Me aproximo da janela de vidro do andar, faço aparecer um dos tentáculos vermelhos da minha rinkaku, todos ficam em posição de batalha, eles estavam prontos para me matar, mas fiz o que eles não imaginavam.


—Vão pegá-lá! _quebro a vidro jogo ela pela janela.


Os agentes incrédulos correm para olhar para a janela e veem o corpo adornecido da garota caindo, mas de repente eles escutam o barulho da minha rinkaku bater na parede e eles se olhar para o lugar onde eu estava para tentar uma defesa, mas quando ele oham para onde eu estava, não tem mais ninguém lá, ele olham novamente para a janela e o corpo da garota também havia sumido.


—Eles estão no terraço! Vão para lá e mandem as outras tropas se dividirem nos cômodos diferentes de cada andar! _o homem disse nervoso falando pelo rádio.


O líder da CCG estava muito zangado, ele acreditava que eu pulei, prendi o corpo da garota na rinkaku e em frações de segundos subir o prédio com minha rinkaku, essa possibilidade poderia ser real, mas na verdade não foi assim que aconteceu. Na realidade eu lancei o corpo dela para chamar a atenção deles para ela, quando ativei as rinkaku para chamar a atenção deles para mim, ao mesmo tempo eu me preparei para pegá-la, assim que pulei peguei ela com dois tentáculos e com outro dois quebrei um janela e um andar abaixo e comecei a correr com ela em meus braços.


Corro com ela nos braços levando-a até o carro que roubei mais cedo para vim ao leilão! Minha ideia era apenas salvar as pessoas, mas não esperava que ao chamar a CCG eles me encontrariam lá.

A CCG me odeia porque faço o trabalho deles de forma muito mais eficiente. Sou capaz de salvar um grupo inteiro de humanos em um leilão de ghouls, enquanto os humanos sempre têm baixas durante as buscas e muitas vezes perdem vários dos reféns que eles deviam salvar. Mas também sou odiado pelos ghouls, pois além de ser um kakuja e juiz, eu sou um ghoul que salva os humanos eu sou conhecido como um monstro traidor pelos ghoul. Por salvar os humanos desperto certos ciúmes  entre os humanos e ódio entre os ghouls, mas não me importo muito com isso. Meu primo e amigo, Hage, costuma me dizer que eu nunca seria reconhecido como um herói pela mídia nem pelos humanos, pois, sempre que eu salvava alguém os agentes da CCG omitiam as informações verdadeiras e ameaçavam os humanos para que eles não contassem que foi um ghoul que os salvou e não os agentes, mas eu nem ligo, pois sei que um dia talvez alguém reconheça meu trabalho, mas no momento eu tenho outras preocupações.


Coloco a garota no banco de passageiro da frente e prendo-a com o cinto de segurança, ligo o carro e saio na maior velocidade possível para conseguir esconder o carro em algum e levar a garota para qualquer lugar possível até que os agentes desistissem de nos seguir e então eu a levaria para minha casa.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!

Obrigado por lê!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...