1. Spirit Fanfics >
  2. Monstros - nosh >
  3. Capitulo 1 "Atala"

História Monstros - nosh - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Gente mais uma fic nosh.


Inspirada nos meus sonhos mais sombrios.

Bjooos

Capítulo 1 - Capitulo 1 "Atala"


Fanfic / Fanfiction Monstros - nosh - Capítulo 1 - Capitulo 1 "Atala"

Noah Urrea


Prazer Noah. 


Mais eu não queria que você Fala-se pra ninguém que eu estou te contando essa história. 


Se você não gosta de histórias tristes, eu já estou avisando que essa história não é pra você.


Bom ja que resolveu ficar pegue a pipoca e o lenço. 


Talvez vc possa chorar. 


Dia 30 de março. 


O dia esta belo hoje... Não que eu me importe. 


O sol bate nos meus olhos e eu ouço meu pai gritar. 


– acorda logo, menino – ele fala de uma maneira Fria e eu Acordo me levantando da minha cama. 


Eu não tinha um quarto na vdd eu dormia né uma cama velha que ficava no porão de casa. 


Subo as escadas e vou até a cozinha. 


E vejo meu pai cozinhando alguma porcaria que ele não quis mais. 


– já orou hoje Noah? – pergunta meu pai sério. 


– não senhor meu pai – falo abaixando a minha cabeça e meu pai pega o amuleto Atala. 


O amuleto Atala é um amuleto que controla os meus poderes de demônio e tabem é um bom geito de ele me deixar no controle. 


– toma já mandei você não tirar isso do pescoço – fala meu pai de uma maneira calma, mais eu já sabia que ele tava perdendo a paciência. 


– meu pai eu não consigo dormir com isso no meu pescoço – falo choramingando. 


– Noah não me Fassa perder a paciência – fala meu pai botando um prato com ovos fritos e eu começo a comer. 


Quando acabo eu vou até o porão que é tipo um quarto pra mim e pego Algumas roupas e subo ate o banheiro. 


Tomei um banho e vestir minha roupa. 


Eu vestia um capote simples preto, uma calça de moletom preto e um tênis preto. 


Minha cor favorita é o preto, ele diz Muito sobre mim e representa a minha escuridão. 


Pego o amuleto Atala e eu boto no pescoço. 


Quando eu saio do banheiro vejo meu pai ajoelhado e orando, vou ate e me ajoelho do lado dele e fingo esta orando. 


Depois de um tempo eu me levanto junto com ele e ele me olha seriamente. 


–já sabe todas as regras não é Noah? – ele me pergunta me pegando pelo pescoço. 


– sim senhor – ele aperta com mais força e eu sinto uma lágrima cair no meu olho direito e o meu pai me joga no chão bruscamente. 


–agora vai Noah antes que eu desiste de te deixar ir pra escola – fala ele eu saio correndo de la. 


Meu pai sempre me maltrata. 


Eu tenho marcas por todo meu corpo. 


E todas foram ele que fez. 


Ele não me bate a penas. Ele me maltrata ele Faz de tudo e mais um pouco pra me machucar e fazer me lembrar do que eu sou. 


Ele me corta com faças, as vezes ele bota minha mão no fogo por três horas quando eu pego alguma coisaa sem permição e muitas outras coisa que só de lembrar eu me assusto. 


Chego na escola now united.


Ainda é estamos no começo das aulas então todos podem andar com roupas normais e ate o proximo mês. 


Hoje minha primeira aula é de química aonde eu faço Dupla com o beiley may. 


Eu não sou amigo dele e nem ele faz questão de ser. 


Eu sei porque... É porque eu dou medo nas pesssoas só de olhar pra elas. 


Sento no meu lugar e vejo que dessa vez o beiley não vai ser o meu par na aula de química, pois ele sentou né uma cadeira  atrás de mim. 


Todos Estao entrando na sala e sentando no meu lado até que um menino loiro com os olhos azuis como o céu senta do meu lado. 


Ele me olhava com curiosidade e eu simplesmente nem ligava. 


Regra número um: e te olhareem não encare.


Essa regra servia pra eu não assustar as pessoas. Toda vez que uma pessoa me encarava e eu o encarava de volta ela sentia medo. 


Então meu pai criou a primeira regra. 


–oi prazer sou o Joshua – fala o menino me estendendo a mão e eu aperto e a solto rápido. 


A aula começa e não foi uma das piores, na verdade eu só tinha isso pra fazer como distração estudar. 


Então eu sempre me sair bem nas aulas. 


Depois da aula de quimica eu tive a de geografia, história e por fim Artes. 


Agora estou aqui no intervalo de baixo na arquibancada com fome... Meu pai não me dar dinhero pra eu comprar o meu lanche. 


Ouço vocês vindo até mim e reconheço uma delas na hora... Beiley May. 


–eu tenho certeza que ele está aqui, ele sempre fica aqui no intervalo – fala beiley com alguém... mais  o que será que ele quer com a minha pessoa?


– olha aqui está ele – fala beiley Vindo na frente e atras vinha o amigo dele o Lamar. 


Eles me puxam pela perna pra fora e eu tenho sair mais ele me arrasta até eu ficar completamente do lado de fora. 


–bom agora sim podemos conversar melhor. 


Regra numero dois: se tiver baterem não revide. 


Era sempre assim o beiley me encontrava aonde eu estava e começava a me bater. 


E a cada soco eu sentia meu sangue ferver, o sangue escorria pelo meu rosto e ele começa a me dar vários chutes na minha barriga. 


Eu nao chorava, nao gritava, simplesmente eu sentia a dor, sentia tudo calado. 


E ele sai me jogando pra debaixo da arquibancada. 


Meu corpo doia.


E eu começo a chorar... Por que tinha que ser assim? Será  que eu nunca vou ser feliz? Eu não mereço a felicidade é isso? 


As lágrimas nos meus escorria como se fosse uma cachoeira e eu fico lá sozinho abraçando meus joelhos eu e os meus monstros. 


_______💔__________💔_____________💔


O dia se passou e eu tava voltando pra minha casa, ja estava na porta da escola, mas parecia que tinha alguma coisa me segurando ali. 


Quando eu vou sair eu sinto alguém pegar no meu ombro. 


– você ainda não me disse seu nome – olho pra trás e sem querer eu o encaro. Ele tinha os olhos azuis como o céu e o mar, os mais bonitos que e já vi com toda certeza . 


Mais o que eu mais me impressionante é que ele não se assutou ele apenas sorriu e foi o sorriso mais lindo que eu já vi. 


Eu não sei o que ta acontecendo comigo mais será que finalmente a luz vai aparecer em meio de toda a minha escuridão? 


– eu sou o Noah – falo um pouco nervoso. 


– e porque você não me falou isso antes? – fala ele com um pequeno sorriso no rosto... Porque esse menino sorri tanto? 


– não sei acho melhor eu ir embora – falo me virando mais ele me pega pelo braço. 


O que esse menino quer? 




Notas Finais


Bom gente é isso ksksksk


Deixa ai nos comentários oq vc achou e desculpa qualquer erro ortográfico.

Bjoos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...