História Montauk - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Tragedia
Visualizações 30
Palavras 1.296
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Literatura Feminina, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


pessoal a melhor parte da historia ainda esta por vi. eu prometo. :D
galera leiam as fics da K2Phoenix aqui no spirit https://www.spiritfanfiction.com/historia/rebel-rebel-12934737

Capítulo 20 - Esperança


 

... . - Mais tempo? Como assim?

- Venha ao meu consultório, Fill. Vou te explicar melhor pessoalmente.

Filliph ficou curioso com o telefonema de seu médico. Mas procurou não ficar muito empolgado ou criar expectativas, afinal o médico tinha dito " mais tempo " e não " ficar curado milagrosamente”. Ele não comentou nada com a mãe. Só emprestou seu carro com uma desculpa de ir buscar algo com o Josh. Sim, dessa vez ele levou o amigo. Não gostava de ir só ao hospital pois tinha medo de não sair mais de lá. Chegando ao hospital Filliph apresentou Josh.

- Sua mãe não veio? Ela sempre vem com você.

- Não, tá na hora dela ficar de folga da minha doença por um tempo. Então doutor Richard? Por que me chamou aqui?

- Sabe Filliph, aquele dia em que você saiu daqui daquele jeito eu pensei muito em você e na sua situação. Me frustrou muito não poder te ajudar como você queria. Então eu pesquisei tudo de mais moderno no tratamento do seu problema. E acho que encontrei uma coisa que pode te ajudar.

- Um novo tipo de cirurgia? Transplante de cérebro? - Josh entendeu o sarcasmo do amigo e riu da situação. Mas logo parou por que percebeu que não era o momento.

- Opa, desculpa doutor.

- Não é cirurgia Fill. É um tratamento experimental.

- Tratamento experimental? - Os dois rapazes falaram ao mesmo tempo como se tivessem ensaiado aquilo. - Fica calado, Josh!

- Desculpa!

-Sim, continuando. Achei um novo tratamento que está sendo feito na Universidade de Toronto parece que eles encontraram um tipo de enzima em uma planta na Amazônia brasileira que tem um efeito de diminuir e paralisar o aumento da extensão de uma artéria cerebral. Eles têm conseguido avanços animadores. Só que o estudo ainda está em fase de testes antes de liberarem o remédio. Por isso é um tratamento experimental.

- Certo, tipo quando testam uma droga nova em ratos? Em cobaias? Eu vou ser uma cobaia?

-Basicamente, sim. Mas essa parte dos ratos já passou e agora estão testando em humanos. Olha Fill, esse tratamento é justamente indicado para pacientes na sua situação.

- Os pé na cova. - Josh falou sem perceber e foi repreendido por um olhar sério dos dois.

- Tá bom eu não falo mais nada juro. - Josh fez sinal beijando os dedos.

- Continuando. Eu tenho um amigo que faz parte da pesquisa, posso te conseguir uma vaga e se você quiser pode começar o tratamento imediatamente. E então Fill?

- Vai ter algum efeito colateral? Quais?

- Fill, como eu te disse é um tratamento experimental e os sucesso e fracassos desse medicamento ainda estão sendo testados. E os resultados até agora foram ótimos. Por favor deixa eu te ajudar.

- É isso aí cara. Não custa nada. Você não tem nada a perder mesmo.

Fill deu uma última olhada em Josh antes de dar um soco em seu braço.

-Me lembra de nunca mais trazer esse boca de matraca aqui, doutor?

- Hahaha lembro sim.

- Ok, eu topo.           

- Ótimo! Agora vou te explicar como esse tipo de experimento funciona. De maneira resumida o experimento tem 4 fases. Esse já está na fase 3 porque já foi comprovado que esse medicamento não oferece qualquer risco a saúde dos pacientes. Você juntamente com os outros vai ser submetido a um tratamento com a droga nova ou com uma droga já existente no marcado, o chamado placebo.

- Certo, eu vou ser tratado por qual dos dois?

- Isso não é divulgado, Filliph.

- Então eu não vou saber? Como assim? Cara você me mete em cada uma.

- Fill, vou te deixar claro aqui. Na sua situação essa é sua última chance. Esse tipo de procedimento é padrão na elaboração de novos medicamentos. Entenda que acima de tudo é uma aposta. E outra você vai participar de um estudo que pode vir a salvar milhares de vidas, inclusive a sua!

- Ok, tudo bem eu entendi. Quando começo?

- Agora.

Na viagem de volta Josh estava animado com a possibilidade do amigo se curar.

- E aí cara porque você tá triste? Tá ligado que esse tratamento pode ser a cura pra tua doença, né?

- Não é a cura, Josh. É um tratamento que pode vir a ter sucesso ou não. Eu já pesquisei sobre isso. É bom se manter realista cara.

- Tá com saudade da Meg?

- Tô sim. Tô sentindo muito a falta dela. Mas do que eu imaginava, sinto falta do sorriso, da teimosia, do jeito mandão dela, dos beijos, do corpo perfeito. Essa casa parecia tão pequena antes, agora tá enorme. Tá enorme e vazia. Entende?

- Uhm, vou fingir que eu entendi.

- Mas, isso não importa mais agora porque ela tá lá em Los Angeles com alguém que pode ficar com ela. Alguém que não está morrendo. Se eu pudesse voltar no tempo eu não sairia pra beber aquela noite. Assim talvez a gente nunca tivesse se reencontrado, nunca tivesse se envolvido e eu nunca tivesse magoado ela desse jeito. Ela seria só uma ex colega de trabalho que eu tinha uma queda quando era mais novo. Tudo seria bem mais fácil.

- Olha Fill, você vai me prometer uma coisa. Se esse tratamento der certo você vai voltar a viver a sua vida de novo?

- Claro! Mas não tenho muitas esperanças.

- Cala a boca cara! Deixa de ser pessimista! Bota na tua cabeça que vai dar tudo certo e que você vai ficar curado. As palavras têm poder. Agora quem tá na parada é o Josh aqui! E eu não vou deixar você desistir de viver não. E tem outra se você estiver bem vamos até Los Angeles atrás da Megan.

- Ah cara deixa disso a Megan já tá em outra. Não viu a reportagem aquele dia? Já tem até namorado.

- Tá é? Duvido! Eu duvido que ela tenha esquecido assim tão rápido de você. E daí que ela tá namorando? Grandes coisas, você também andou se esfregando por aí em outras e isso te fez esquecer ela por acaso? Fez?

- Não. Claro que não.

- Lógico que não meu amigo e te digo mais o que vocês dois sentem um pelo outro não é fácil assim de se achar não. Isso é amor.

- E o que você entende de amor? Nunca te vi com a mesma garota mais de uma vez.

- Isso é agora. Mas eu já gostei de verdade sim de uma garota. Só que eu não dei a sorte de isso ser recíproco feito o de vocês. Se eu sou assim hoje foi porque eu me ferrei legal.

- Nossa não sabia disso. Qualquer dia você me conta quem fez isso com o meu amigão Josh hahaha.

- Tô falando sério cara. Todo mundo merece amar e ser amado. Todo mundo merece viver uma história de amor. Sabia que tem gente que vive a vida toda sem sentir isso? Ainda acho que você deveria ter contado a verdade logo.

- De novo isso? Eu já disse que foi melhor assim e ponto. Agora já era, e para com esse papo romântico que já tá me dando enjoo.

- Enjoo é? Hahaha tá te dando é saudades da tua garota!

- Cara vai tomar no cu! Alguém leva esse Josh meloso e traz meu amigo boca suja de volta por favor.

Filliph se submeteu ao tratamento indicado pelo doutor Richard durante as 4 semanas seguintes. Ele não contou a mãe, só contaria se o tratamento surtisse efeito. O dia de refazer os exames para saber se o tratamento estava surtindo efeito chegara e ele estava nervoso.

 


Notas Finais


todos na torcida? eu sim kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...