1. Spirit Fanfics >
  2. Moon Guardian >
  3. Prólogo

História Moon Guardian - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oioi pessoas, essa é minha primeira fic de naruto e espero que vocês gostem.
Estou com várias idéias pra ela, e já aviso que a escrevo com muito carinho. Por isso, não vou poder postar semanalmente.(Quero caprichar e não tenho tanto tempo pra escrever, sabe?)
Espero que tenham paciência e não percam o interesse na Fic... :3
[ O PRÓXIMO CAP SAÍ DIA 16/08 ] Enfim, boa leitura!

Capítulo 1 - Prólogo


Enquanto prendia meus cabelos cor-de-rosa em um rabo de cavalo, deixei que os raios de Sol que transbordavam pela janela, acariciassem meu rosto. E com um suspiro, me permiti olhar mais uma vez através da mesma.

Como sempre, lá estava ele: Sasuke Uchiha.

Aquele breve momento fazia parte da minha rotina matinal a quatro longos anos. Por mais que  soubesse que o Uchiha morava num bairro chiquérrimo, do outro lado da cidade, por algum motivo ele insistia em comprar seu café da manhã na lanchonete em frente ao prédio em que eu tinha o "privilégio" de morar.

O mais estranho de tudo, era a questão que ele fazia de olhar pela minha janela, religiosamente, todos os dias.

Quando nossos olhares se cruzavam, eu tentava me convencer de que aquilo era só coisa da minha cabeça. Afinal, Sasuke não falava comigo a muiiiito tempo.

Mas o simples fato de por alguns segundos ele manter o seu olhar fixo no meu, sem nenhum tipo de sorriso maldoso, ou segundas intenções, já era o bastante para me inundar com a esperança daquilo ser um pedido silencioso de desculpas.

Desculpas por ter se afastado no momento em que eu mais precisei dele. Desculpas por estar ficando com a vaca da minha prima, que desde quando éramos crianças sempre fez da minha vida na escola um inferno. E principalmente, desculpas por ter cortado nossa amizade de anos do dia pra noite, simplesmente porque percebeu que também seria motivo de chacota caso continuasse próximo da Sakura Haruno.

A prima gorda da Karin. Pelo menos, era assim que se referiam a mim.

- Já está pronta, Sakura? - Minha tia escancarou a porta, me apressando.

- Sim tia, já estou saindo.

 Anunciei, desviando o olhar de Sasuke e pegando minha mochila ao pé da cama.

- Quando chegar da escola preciso que lave e seque as roupas. - Ela começou, já cruzando os braços. - Karin vai sair hoje a noite, então é melhor que quando ela venha se arrumar, tudo já esteja passado e organizado, entendeu?

Simplesmente assenti com a cabeça, indo em direção a cozinha e pegando uma maça na fruteira.

De canto de olho, pude jurar que vi Karin segurando o riso enquanto se sentava á mesa.

- Tá com pressa é balofa? Vai cantar parabéns no cemitério?

Aquela vaca. Nem me dei ao trabalho de respondê-la. 

Hoje é dia 28 de maio, mais conhecido como o aniversário de quatro anos do suicídio da mãe da Sakura. Mas enquanto descia as escadarias do prédio, decidi que não deixaria um comentário da Karin piorar aquele dia. Eu já tinha muito com o que me preocupar.

     [...]

- Juro que da próxima vez, entro lá e arrebento a cara dela. – Ino bravejou enquanto virávamos a esquina. – Quem ela pensa que é pra falar desse jeito com você Saky?

Simplesmente suspirei e abri um sorriso de canto.

- A boa moça que me acolheu em seu apartamento quando eu fiquei totalmente sozinha... – Narrei com uma pontada de sarcasmo.

- Totalmente sozinha nada, sua boba. – Hinata fez questão de interferir. – Você sabe muito bem como os pais do Sasuke lutaram pra que você pudesse ficar com eles naquela época...

Deixei que uma centelha de nostalgia pairasse no ar. Mas antes que eu pudesse sequer formular uma resposta, Ino me cortou.

- Aiai amiga, pra você ver como as coisas mudam... – Paramos de andar. Estávamos em frente aos portões da melhor escola de Konoha. – O Sasuke era um anjinho na época que andava com a Sakura... Agora... olha o que ele se tornou.

A loira apontou para uma das várias árvores do campus. Onde o Uchiha se encontrava aos beijos com minha prima.

- Sinceramente, acho que eles já desistiram de ser discretos. – Deixei escapar, confesso que bastante decepcionada.

Hina não tardou em agarrar meu braço e me puxar na direção oposta.

- Vamos amiga, não faz bem ver uma cena horrível dessas logo depois do café...

Naquela manhã a morena havia deixado seus cabelos soltos, seu uniforme impecavelmente ajustado cheirava a amaciante de morango.

Ino por outro lado, usava seu penteado de sempre, uma maquiagem leve mas que ao mesmo tempo chamava a atenção e seu uniforme personalizado. Digo personalizado para me referir a sua saia ajustada acima da metade das coxas, altura proibida na escola, mas estranhamente popular entre as garotas que simplesmente fingiam não saber sobre.

As vezes eu me sentia um patinho feio perto delas. Não me entenda mal, nunca cheguei a me achar horrorosa... pelo contrário, amava minhas características mais marcantes, os olhos verde que puxei de meu pai e os cabelos rosados da minha mãe. Mas o que me incomodava eram os kilinhos a mais que me perseguiam desde quando eu era criança. Eles já me causaram vários constrangimentos na mão da Karin.

- Saky? – Ouvi Ino me chamar. – Terra chamando Sakura... A aula já vai começar amiga! Acorda!

Só faltou ela me chacoalhar.

- Calma Ino, meu deus não é o fim do mundo. – Disse, tirando os fones. – Cadê a Hina?

Questionei, olhando ao redor. O refeitório estava se esvaziando, mas não havia nenhum sinal da Hyuga ter passado por ali.

A Hina era muito pontual, nunca ficava vagando pelo pátio á toa antes das aulas. Estava começando a ficar preocupada com a demora dela.

- Acho melhor irmos procurá-la.

Assim que me levantei, avistamos a morena correndo em nossa direção. E o pior de tudo... ela estava chorando.

- Hina?? O que aconteceu amiga? – Ino já foi fazendo com que ela se sentasse.

Ver a Hinata daquele jeito era de paritr o coração.

- Hinata Hyuga, eu juro que se tiver dedo do Naruto nisso... – Ameacei, o que fez com que ela chorasse ainda mais.

- Amiga, você precisa se acalmar, conta pra gente o que aconteceu...

Hinata começou a enxugar as lágrimas e respirou fundo.

- Ele fez de novo, Ino! Ele está usando a Tayuya pra me fazer ciúmes! – A Hyuga finalmente confessou.

- Eu sabia... – Olhei para Ino que parecia tão revoltada quanto eu. – Aquele idiota não aprende nunca!

Para ser sincera, o relacionamento da minha amiga com o herdeiro dos Uzumaki era bem estranha. Eles nunca se assumiam mas se separavam todo mês por alguma das loucuras do Naruto, as quais ele sempre justificava de forma que, convenhamos, nunca colava.

Mas aquilo já era demais. Ficar com outra garota na frente da Hina para deixá-la com ciúmes.. ele havia passado de todos os limites.

- Ah mas ele vai se ver comigo. – Anunciei, indo em direção ao pátio sem hesitar.

Aquela coragem toda era novidade pra mim, mas mexeu com a Hina, mexeu comigo.

- Saky, espera! – Ouvi Ino gritar. – Eu vou com você.

E quando ouvi aquelas palavras tive certeza de uma coisa: O Naruto não tinha a mínima chance.

     [...]

Em menos de dois minutos, eu e Ino já estávamos com os dedos enfiados na cara do Naruto.

O mesmo parecia desesperado, sorrindo com uma risada nervosa de quem sabe que está ferrado.

- Calma Inozinha, você sabe que eu não faço por mal... – Começou. – Eu achei que se deixasse a Hinatinha com ciúmes ela pararia de bancar a difícil e aceitaria sair comigo hoje pra fe...

- Mas que idéia horrorosa foi essa Naruto? – Foi minha vez de questioná-lo. – Você nunca foi muito inteligente, mas essa idéia superou até mesmo as suas burradas normais. – Cruzei os braços.

- Ahhh Bolinha, nem te vi aí. – Ele passou a mão pelos cabelos, abrindo um sorriso menos tenso.

Um sorriso que desapareceu no mesmo instante em que Ino o puxou pela gola da camisa. A loira estava revoltada.

- BOLINHA?!? QUEM VOCÊ PENSA QUE É PRA FALAR COM ELA ASSIM??

Revirei os olhos. As vezes minha amiga era muito super-protetora, “bolinha” era o apelido mais fofo que eu tinha naquela escola, e o Naruto com certeza sabia disso. Meu relacionamento com ele sempre foi meio agridoce.

Ele fazia piadas comigo desde o primário, mas a inocência dele tornava impossível que eu guardasse rancor ou ficasse chateada. Por mais que tentasse, nunca consegui ver maldade em suas palavras.

- Larga ele Ino, estamos aqui pela Hina... – Intervi. O que pareceu fazer efeito, pois a loira o soltou em questão de segundos.

- Aí Naruto, sinceramente... – Ela cruzou os braços. – Pensei que você gostasse da Hina!

- Eu a amo, Inozinha! Demais!

- Então porque fez isso, baka? – Ela gritou, perplexa com a capacidade do Naruto de se comportar como uma criança nessas horas.

- Eu... Ah vocês sabem né? Ela sempre se recusa a sair comigo sozinha, ou até mesmo a ir em festas, eu queria que ela tivesse medo de me perder... – Ele fez biquinho. O que me fez franzir as sobrancelhas, algo naquele comportamento estava estranho.

- Naruto, eu te conheço desde o primário... E isso não parece idéia sua... – Comecei. – Essa estratégia é muito arriscada pra você.

Vi o loiro ficar vermelho na minha frente. Ele estava encurralado.

- Quem te influenciou a magoar a Hina? – Me aproximei em passos ameaçadores. O que pareceu surtir efeito, já que ele confessou tudo como um cordeirinho.

- Sasuke Uchiha. 


Notas Finais


E aí? O que vocês acharam? Tem alguma teoria do que vai acontecer no próximo capítulo?
Se tiverem, por favor compartilhem comigo sz
Bjs e até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...