1. Spirit Fanfics >
  2. Moon Guardian (Sasusaku) >
  3. O arsenal

História Moon Guardian (Sasusaku) - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia meus amores! Como está o fim de semana de vocês?
Confesso que quase não consegui postar esse cap... vou sair daqui a pouco e o aviso que tentava enviar do celular só dava erro! daí não teve jeito, tive que vir correndo revisar e felizmente consegui, deu tempo (ufa)
O capítulo tá bem grande e por mais que não esteja 100%, eu caprichei bastante pra tentar não deixar muito repetitivo. Espero que vocês gostem SZ
Deseja a todos uma boa leitura!

Capítulo 15 - O arsenal


- Acredite em mim, elas são muito úteis. - Meu instrutor continuava descrevendo as bolinhas de fumaça como se fossem verdadeiras granadas. - Com elas você pode criar uma barreira quase perfeita para inverter suas posições sem alertar o inimigo... 

"Uhum" Aquela era a minha resposta para praticamente tudo que ele dizia. Normalmente eu me esforçaria mais na elaboração delas, mas estava muito concentrado no texto da Sakura para me importar.

Kakashi pediu para que eu redigisse um pequeno “resumo” para ela. Já que saber utilizar os utensílios e ervas “mágicas” do nosso novo a arsenal seria essencial para o sucesso das missões que completaríamos em julho.

E como o bom familiar que eu era, o estava escrevendo com muito capricho.

- Quantas dessas temos? – Murmurei, na esperança de conseguir avaliar seu grau de disponibilidade para treinos.

- Quase trezentas... Mas apenas uma dessas já serve como uma baita arma secreta. Separem umas quarenta para o plano de vocês e sintam-se á vontade para treinar com elas... – A voz dele dançava, divertida. O professor Hatake parecia saber exatamente o rumo que minhas preocupações tomavam a medida que seu discurso prosseguia; e aquilo só denunciava uma prévia do quão alto era o seu grau de experiência.

O que era realmente impressionante, já que o homem à minha frente não aparentava ter mais de vinte e cinco anos.

- Certo... – Assenti enquanto dava mais uma canetada naquele resumo tão completo. – Pode me fazer uma demonstração enquanto o Neji não saí do banho? A fumaça se dispersa fácil aqui dentro?

- Olha, se abrirmos todas as janelas daqui ela deve sumir em cerca de três minutos... você quer tentar?

Mais uma vez o meu “Uhum” emerguiu. Mas tomei algum tempo até finalizar aquele capítulo do resuminho e finalmente colocá-lo sob a mesa; coisa que o Kakashi com certeza percebeu, já que ninguém em sã consciência ri abrindo janelas.

- Sasuke, você é uma gracinha. – Ele provocou. O que naturalmente me fez fechar a cara, já que nós não tínhamos nenhuma intimidade para aquele tipo de comentário.

Ou o cara era maluco, ou ele estava querendo me irritar.

(Preferia acreditar na segunda opção para desencargo de consciência.)

- Você percebeu também não é? – Ele voltou a falar, enquanto dedilhava entre as várias bolinhas de fumaça na sacola transparente ao lado da maleta. – Digo, o jeito que a Sakura olhava para mim hoje durante a aula...

Senti meus olhos se arregalarem levemente enquanto meu punho se enrigecia. Não estava acreditando nos meus próprios ouvidos... O cara realmente queria falar da minha garota?

- Eu fiquei bem surpreso, pra ser sincero... – Ele continuou. - Achava que aquele tipo de olhar estaria direcionado a você, Uchiha. Sei que são colegas de escola e também já tive um pequeno aviso do Neji sobre a antiga proximidade de vocês dois...

“Uma grande pena que você tenha jogado ela no lixo” A última frase do acizentado me fez ranger os dentes. Quem ele pensava que era pra me desafiar daquele jeito dentro da minha própria casa?

- Olha aqui seu merda, se continuar com essa porra eu te tiro daqui agora! – Gritei. - O mínimo que você me deve aqui dentro é respeito!

- O mesmo respeito que você teve por ela todos esses anos?

Um sorriso sádico se formou novamente nos seus lábios e eu tive a comprovação que precisava para atacar sem culpa caso aquilo esquentasse: Ele queria arrumar uma briga comigo.  

O instrutor mantinha seus olhos escuros fixos em mim, e eu não tirava da cabeça que aquilo poderia sim se tratar de uma ameaça em potencial. Se ele se aproximasse da Sakura, alguém teria a influência necessária para intervir? Aquilo criaria mais uma barreira entre nós dois? Ela o escolheria?

De todas as formas, eu não estava disposto a pagar pra ver.

- Você não sabe merda nenhuma sobre a Sakura! – Esbravejei enquanto ainda tentava manter o meu ódio sob controle. – Você é só um tarado qualquer, e se chegar perto dela já aviso que vai se ver comigo e com o Naruto! 

- Sinceramente? - Ele caminhava calmamente rumo à parede espelhada da sala enquanto eu sentia o meu sangue ferver cada vez mais violentamente. – Ela parece tão desesperada por carinho que oferecê-lo seria uma honra... A Sakura tem um sorriso lindo e parece ser uma ótima garota...

- Saia da minha casa agora. – Algo dentro de mim estava prestes a estourar.

- Mas além disso, imagine só a sensação única de dormir com uma deusa. – Aquele sorriso foi a gota d’água.

Não haviam mais motivos para me conter.  

Em um pico de agilidade, avancei em sua direção. Com os braços firmes e um punho tensionado, eu estava prontíssimo para acertá-lo na mandíbula e calar sua boca; mas meu golpe infelizmente foi interceptado por uma pequena e silenciosa explosão.

A fumaça que se originou dela era densa e escura. E por mais que todo o meu corpo ainda estivesse em estado de alerta, eu sabia que aquilo era uma armadilha. Ele queria me distrair, e me deixando na posição de cego em tiroteio, a tarefa ficava muito mais fácil.

“Tssc, onde aquele desgraçado se enfiou?”

Os barulhos de esbarrões se espalhavam por todo o cômodo, tornando impossível que eu traçasse uma rota exata de sua aproximação. Aparentemente, eu teria que contar com a sorte caso quisesse atacá-lo primeiro.

- Vamos lá, Uchiha. Cadê toda a sua coragem agora? – Seu timbre ecoava pelas paredes, me dando uma única e mínima chance de investida.

Afinal, foi indo na direção oposta a sua voz que finalmente consegui acertá-lo.

Mas foi só deferindo um golpe em seu ombro que me permiti reconhecer a eficácia da estratégia dele.

Meu soco circular havia saído desengonçado, sem foco; mas o treinamento de antes não tardou à mostrar efeito quando consegui bloquear com perfeição a retórica do professor.

- AH DROGA. – O gritou escapou pela minha garganta no momento em que meus pulsos gritaram por socorro.

Por mais que eu tivesse a técnica necessária para continuar bloqueando seus golpes, a força deles estava me encurralando. Em algum momento meus pulsos não aguentariam mais a pressão e eu ganharia um belo olho roxo.

“Constatar suas fraquezas é um ótimo incentivo para mudar de estratégia” Eu precisaria me lembrar daquela frase mais tarde se quisesse sobreviver a Akatsuki.

- Me ataca! Vai! não aprendeu nada no treino de hoje!? Como acha que vai proteger a Sakura desse jeito?? – Mais uma vez ele conseguiu me incitar tocando na ferida.

Em um ataque de loucura (ou de coragem), tentei inverter as posições. Ainda no escuro, joguei todo o meu peso contra o oponente e esperei seu desequilíbrio para tentar o que seria um último golpe.

Desequilíbrio esse que nunca aconteceu.

Se aproveitando da minha investida ousada, Kakashi abriu a guarda, concentrando-se totalmente no movimento cirúrgico de suas pernas. Com isso, ele vergonhosamente foi capaz de me dar uma rasteira.

“Merda!” seu golpe teria me derrubado se não fosse pelo mata leão que recebi por trás logo em seguida.

- Considere isso uma amostra mínima da pressão com a qual você vai ter que lidar daqui a um mês. – Kakashi iniciou seu sermão enquanto eu me debatia em seus braços. – E por favor, desconsidere tudo que foi dito aqui sobre a Sakura, ela é o seu ponto fraco e eu precisava de abertura mais profunda para ver seu estilo de combate.

Tinha certeza que o desgraçado estava sorrindo ao me imobilizar. Eu estava quase explodindo de raiva e ele confessando que todas as suas insinuações eram apenas um teste.

Que grande filho da puta.

- A Sakura é apenas uma aluna aos meus olhos, então peço que não guarde rancor quanto ao nosso papo de hoje. – Ele finalmente me soltou. – Mas se tem coragem de ir pra cima de um cara que você reconhece ser formado em três estilos de artes marciais por meras insinuações... Como você não tem coragem para tratá-la como deve?

Caí de joelhos no carpete, meus pulmões imploravam por ar fresco e com a fumaça se esvaindo eu felizmente estava conseguindo me recuperar.

- Meus relacionamentos não são da sua conta... professor. – Eu tentava soar firme, mas a verdade era que ainda estava em choque pela facilidade com que ele conseguira me derrotar.

- Ele tem medo, Kakashi. – A voz do Neji se fez ouvir por todo o cômodo. Sua expressão era séria e ele não parecia nem um pouco surpreso com os resquícios de fumaça que pairavam no ar. – O Sasuke se ilude com a idéia de protegê-la quando na verdade é ele quem a machuca.

Engoli em seco com sua teoria sendo revelada em alto e bom som. Será que havia alguma chance de o Neji ter estado consciente em todo o tempo que passou sendo uma pedra no meu quarto?

Sei que parece estranho, mas aquilo explicaria como ele era capaz de me ler tão bem.

- Você não se sente culpado, Uchiha? – O sorriso sádico do Neji me inclinava a uma resposta. – Por que eu pessoalmente acho a sua atitude um porre.

- E-eu.. – Minha resposta foi interrompida pelo riso descontraído do Kakashi.

- É... eu realmente tinha razão! Sasuke, você é uma gracinha! – Ele pousou uma das mãos na minha cabeça, bagunçando meus cabelos como se eu fosse um irmão mais novo aos seus olhos.

- Idiotas. – Não pude evitar fazer bico. – Podemos continuar logo com essa droga de aula? Daqui a pouco já são 20hrs e eu me recuso a servir janta pra vocês dois.

Novamente os dois começaram a rir da minha cara.

Aquilo era tão injusto, eles nitidamente haviam se aliado para me azucrinar. Se pelo menos o Naruto estivesse do meu lado... A gozação estaria nivelada.  

- Vamos, Sasuke. Ainda faltam algumas coisinhas à mostrar. – Kakashi finalmente recuperou seu tom autoritário. – Neji, acho que essa seria uma boa hora para se juntar a nós. Vou introduzir a erva cura vida pra ele.

O moreno assentiu, puxando uma cadeira da mesa para si.

- Erva... cura vida? Isso é uma planta? – Minha voz soava cética. E pelos olhares que recebera, eu parecia ter cometido uma heresia perante aqueles dois.

- Aparentemente temos um longo caminho pela frente, Hatake... – Neji sussurrou em um tom sarcástico impossível de passar em branco. Como o tigrão estava insuportável naquela segunda feira.

- Sasuke... – Kakashi se adiantou em sorrir para mim. –Acho que é melhor você se sentar.

[...]

- Tá me dizendo que essa plantinha aqui pode curar QUALQUER ferimento que não seja no cérebro ou no coração?! – Eu segurava o vidro que continha uma das ervas cura vida como se aquilo fosse um diamante bruto.

Como diabos o Hatake tinha conseguido uma erva mágica daquele calibre de importância?? Era loucura pensar naquele tipo de utensílio se tornando “natural” no meu dia a dia.

Mini bombas de fumaça, ervas mágicas, bençãos desconhecidas, poder da palavra vinculada... Aquilo tudo parecia mais um sonho nonsense do que qualquer outra coisa.

- Só acredito vendo! Pode me mostrar?

- NÃO! – Kakashi e Neji gritaram em coro antes que minha mãos pudessem terminar a árdua tarefa de abrir aquele pote de vidro com aparentes algas em conserva.

- Tá maluco, Uchiha?? – Kakashi praticamente arrancou o recipiente das minhas mãos. – Só existem três dessas no mundo todo e você quer desperdiçá-las em uma demonstração banal?

“Tssc” Cruzei meus braços sobre o peito. Talvez ele tivesse razão.

- Mas afinal, como isso foi parar nas suas mãos? – Tentei retaliar com descrença, mesmo sabendo que era uma pergunta idiota.

Neji já havia resumido a história do nosso mais novo aliado. Kakashi era de uma linhagem muiiiito antiga que havia recebido o “dom” da magia natural para séculos mais tarde, cumprirem o papel de mentores dos escolhidos de Diana.

Aparentemente, um dos membros da família Hatake ficara responsável por residir num local fixo cujo o qual apenas Neji sabia a localização. Tornando assim, o reencontro deles possível no momento certo.

- Uma das minhas várias tataravós tinha muito tempo livre... – Kakashi resmungou de forma quase infantil, o que me fez abrir um sorriso de canto.

- Está com inveja que ela tenha desenvolvido algo muito mais útil do que suas bolinhas de fumaça, é? – A provocação foi quase involuntária.

- Não é como se tivesse mais moral do que eu não é Uchiha?  

“Kakashi 1 x Sasuke 1” Poderíamos tranquilamente encerrar a noite por ali. Aquela retórica não havia feito nem cosquinha no meu ego.

- Enfim... – Tive a audácia de revirar os olhos. – Como isso funciona? É só colocá-la sob o ferimento e esperar que faça efeito?

- Não, Sasuke. – Neji se intrometeu com ares de impaciência. – Isso não é um desses produtos que vocês usam no cabelo hoje em dia...

Sua comparação de uma erva cura vida com condicionador de hidratação me fez rir feito um idiota.

Eu tinha que admitir... o Neji recém habilitado no mundo moderno tinha lá seus charmes.  

- Para que a erva faça efeito, você precisa colocá-la sob toda a extensão do ferimento e recitar o cântico anotado nesse papel... – Kakashi me estendeu uma folha amarela bem antiga que tinha até cheiro de guardada. – O encanto precisa de energia vital fluindo entre o curador e o paciente, então é bom que decore isso o mais rápido possível para poder focar na pessoa que está tentando salvar... um pouco de contato entre você e o dito cujo também facilitaria muito a absorção de energia. – Ele finalizou recebendo um olhar de “bom trabalho” do garoto tigre ao meu lado.

- Não deve ser muito difícil decorar isso... são apenas três versos...? Tem mais alguma coisa que eu precise saber?  

Meus dois parceiros se entreolharam antes que um longo suspiro preenchesse o espaço pré estabelecido entre nós.

- Sobre a erva cura vida e os outros utensílios do arsenal que estou lhes dando... é basicamente só isso. Mas agora vem a parte mais importante e complexa de tudo isso: Sua benção. – Kakashi se adiantou antes que Neji tivesse a chance de intervir. – Ela não é algo dado de bandeja, então vai exigir um ritual e muito treino, Sasuke. Se você realmente estiver levando isso a sério, hoje você não dorme.

Senti minhas sobrancelhas franzindo levemente enquanto uma crescente confusão estampava meu rosto.

- Essa benção consiste em quê exatamente? Posso pelo menos saber disso antes de vocês me meterem em algum ritual maluco??

Novamente aqueles olhares cumplices me assombraram. Ambos pareciam buscar as palavras certas; era como se não quisessem me assustar ou coisa do tipo.

- Ela consiste em... transformação e invocação. – Neji finalmente concluiu, repousando suas mãos no vidro gelado da mesa em que estávamos reunidos. – Você vai poder se transformar em algum animal, assim como eu... ou invocá-los sob seu comando para apoio extra.

Meu coração quase saiu pela boca naquele momento. E o pior era saber que aquilo era só o começo.

- Acha que consegue carregar esse fardo? – Kakashi se arriscava nas palavras, tentando nitidamente me coagir. – Isso naturalmente só irá durar até as marcas desaparecerem e vai ser praticamente indolor graças a resistência e cura extras que você recebeu da Diana... 

- Precisamos que você entenda a importância do seu papel, e o risco que sua negligência traria caso não o aceite... – Neji complementou o raciocínio. – Uma hora ou outra, a Sakura pode prec...

- Façam. – Cuspi o veredito com todo o possível arrependimento que aquela decisão me traria mais tarde. – Eu farei tudo o que for necessário para isso dar certo. Podem contar comigo.

A determinação que me preenchia era quase perigosa. Mas, felizmente... eu estava acostumado a ligar o foda-se.

Um pouquinho de perigo não me faria mal. 


Notas Finais


E aí?? O que vocês acharam?? Esse cap foi bem revelador então estou doida pra ver se vocês tem alguma teoria ou comentário sobre o rumo que a história está tomando hehehe, se tirarem um tempinho para comentar eu prometo responder com carinho, viu?
Estou com um pouquinho de pressa agora então já vou me despedir kkk Bjs e até o próximo capítulo meus lindos! :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...