História Moonlight - Shadowhunters - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Dylan O'Brien, Indiana Evans, Os Instrumentos Mortais, Phoebe Tonkin, Selena Gomez, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Dylan O'Brien, Indiana Evans, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Personagens Originais, Phoebe Tonkin, Raphael Santiago, Selena Gomez, Simon Lewis
Visualizações 11
Palavras 2.438
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Sobrenatural, Suspense

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Invencíveis


Fanfic / Fanfiction Moonlight - Shadowhunters - Capítulo 5 - Invencíveis

Realmente não me importo
Ainda tenho muita força
em mim

Hayley Moonlight pov's

Com meus irmãos aqui tudo ficou completamente confuso, pela primeira vez em muito tempo eu estava com medo, precisava falar com alguém e a melhor pessoa para isso seria Constantine.

Sai do Instituto antes mesmo do sol nascer, deixei um recado para Erick dizendo que eu precisava falar com o alfa da cidade e provavelmente eu iria demorar, não gostava de mentir para ele mas, foi necessário.

Caminhei pela cidade como um mundano normal, não podia me arriscar de sair correndo e parecer uma maluca.

Logo que cheguei no prédio onde ele morava, peguei minha Estela e desenhei uma runa para abrir a porta. Entrei no lugar e fechei a porta com cuidado, não queria acordar aquele cara que fica cuidando de quem entra.

Quando me aproximei do elevador, vi que o mesmo não estava funcionando, ótimo quinze andares para subir pelas escadas.

~~~

Depois de subir tudo aquilo, finalmente eu estava no 15°andar, fui até a porta do apartamento dele e bati na mesma, não obtive nenhuma resposta, então peguei minha lâmina serafim e me afastei um pouco da porta.

Nada melhor do que abrir uma porta apenas com um chute e foi isso que eu fiz.

Assim que entrei no apartamento vi um gato cinza pendurado no lustre, sim aquele era Constantine, as vezes ele ficava naquela forma, eu só nunca descobri o motivo.

Ele se soltou do lustre e caminhou em direção ao quarto dele.

Guardei minha lâmina e me sentei no sofá. Ok... você deve estar se perguntando quem é ele? Constantine é um feiticeiro, o melhor de Londres, ele é meu único pai.

Joshua sumiu com minha mãe e obrigou Const a cuidar de mim. Ele sempre foi e sempre será meu pai, mesmo sendo um feiticeiro ele é o único em quem eu confio.

— Hayley... Podia ter batido na porta. — Ele disse e caminhou até mim. Sentou do meu lado e olhou em meus olhos. — Pensei que tinha esquecido de mim. — Falou e sorriu. .

— Eu nunca esqueceria de você. — Falei sorrindo mas, logo meu lembrei do motivo de eu estar lá, então desviei meu olhar do dele e suspirei.

— O que está acontecendo, Hayley? — Ele disse um pouco preocupado.

— Eles estão aqui... meus irmãos. — Olho para ele mas, não diretamente eu seus olhos. — Você lembra o que ele falou pra mim... não lembra?

Ele assintiu com a cabeça me olhando.

— Você sabe que eu não vou deixar ele fazer nada com você! Não enquanto eu estiver vivo.

Acredito que ele percebeu que meus olhos estavam com algumas lágrimas, pois logo após ele terminar de falar me abraçou como se fosse a última vez.

Autora pov's

Meg estava guardando algumas coisas no quarto dela no Instituto, as únicas coisas que ela pode levar para aquele lugar. Alguns livros que ela adorava, uma boneca de porcelana que havia ganhado de Natal da mãe e seus patins de gelo. Um pequeno sorriso aparece no rosto dela quando estava segurando aquele patins.

Isaac caminhou até a porta do quarto, ia falar com a garota mas, se encostou na porta e sorriu ao vê-la, todas as vezes que a viu ela parecia ser uma garota fria e sem sentimento algum, assim como ele, parece que ele estava errado.

Ele bateu na porta apenas para não assusta-la.

— Gosta de patinar no gelo? — Ele disse e entrou no quarto caminhando até ela.

Meg guardou os patins, fechou a porta do armário e olhou para ele.

— É besteira... Sendo o que sou não posso gostar dessas coisas. — Ela disse e deu de ombros.

— Não é besteira, Megan, você pode ser uma caçadora e pode continuar fazendo o que fazia quando era mundana. — Ele sorriu e se aproximou mais dela.

Meg cruzou os braços e olhou nos olhos dele, sabia muito bem que seria besteira falar com ele sobre aquilo mas, quando foi respondê-lo, Elizabeth entrou no quarto dela.

— Meg! O Ben... — Ela parou de falar quando viu os dois próximos.

Megan se afastou do garoto e ele fez o mesmo, Lizzie negou com a cabeça e voltou a falar.

— Acho que o Ben sumiu...

— O que?! — Meg perguntou um pouco brava e preocupada.

Ela saiu o mais rápido o possível do quarto e caminho até a sala de comando.

Lizzie e Isaac se entreolharam e seguiram a garota.

Mia estava junto de Erick vendo se tudo estava em ordem na cidade e se nenhum submundano estava ameaçando o mundo dos mundanos.

Meg antes mesmo de se aproximar deles já estava falando.

— Mia! Você sabe onde está meu irmão?!

A garota olhou para ela e pegou um papel que estava em seu bolso.

— Ele foi atrás da mãe de vocês... — Ela disse e entregou o papel para Megan.

— Porque não nós contou antes?! — Elizabeth perguntou um pouco brava.

A garota deu de ombros e voltou a olhar para Erick.

— Se aconteceu alguma coisa ao meu irmão... você vai pagar! — Meg falou e caminhou até a sala de armas junto de Lizzie.

— Ei! Calma... — Harry falou e começou a caminhar perto de Lizzie. — Eu sei onde ele está... eu recebi uma mensagem de fogo, vocês terão que fazer suas runas antes de sairem.

— Onde ele está? — Lizzie olhou para Harry e cruzou os braços.

O garoto olhou para o lado e balançou a cabeça em negação.

— Ele foi até um galpão... e lá é o lugar onde os vampiros e lobisomens traidores vivem.

— Espera... Eu não quero fazer essas runas não... — Meg falou e viu Isaac se aproximar.

— Sem as runas... Eles vão poder matar vocês duas e seu irmão bem rápido.

~~~

Depois de algum tempo os garotos já haviam feitos as marcas que elas precisariam.

Harry entregou um arco e flecha para Elizabeth, era um presente para a garota então ele encontrou o melhor arco que havia no Instituto e o encheu de runas para ser uma verdadeira arma de um caçador de sombras.

Isaac entregou para Meg um chicote de electrum, ele sabia que a garota iria usar aquilo muito bem.

— É o único objeto que eu tenho da minha família, minha irmã e eu não sabemos usar isso então, espero que você possa cuidar dele para nós. — Ele falou sorrindo.

Meg assistiu com a cabeça e logo o objeto se transformou em uma pulseira no braço dela.

— Muito obrigada, Isaac. — Megan falou e deu um beijo na bochecha dele. — Então... vamos? — Falou logo se afastando do garoto.

Harry olhou para Isaac e assintiu com a cabeça, os dois sendo acompanhados pelas garotas caminharam para fora do Instituto, já estava noite e talvez aquilo deixasse o trabalho mais difícil, vampiros não podem andar sob a luz do sol mas, a noite eles podem sair por aí.

Os quatro caminharam até um galpão abandonado que havia em um lugar deserto da cidade. O lugar era grande demais para os quatro conseguirem achar Ben, iria demorar muito.

— Acho melhor nos separarmos... vai ser mais fácil para encontrá-lo. — Meg disse e caminhou para o lado esquerdo do local.

Isaac olhou para Harry e deu de ombros, caminhou para a mesma direção que Megan.

Lizzie pov's

Harry e eu começamos a caminhar por aquele lugar, por mais que eu achasse ruim a ideia de separar era tarde demais para fazer Meg mudar de ideia.

A luz que ilumunava aquele lugar foi apagada e tudo ficou completamente escuro, não era possível enxergar nada. Peguei a estela que Harry havia me dado e usei ela para ativar uma runa para enxergar no escuro.

Para minha sorte eu havia me perdido dele, não tenho tempo para procurá-lo, acho melhor primeiro encontrar meu irmão e depois encontrar todos.

Caminhei por todos aquele lugar, até algo me jogar contra a parede. Era muito forte provavelmente um vampiro.

Me levantei rapidamente, peguei meu arco junto de uma flecha e olhei em volta o procurando.

Ouvi algo se mover atrás de mim, então me virei rapidamente e atirei a flecha nele. Apenas o vi se transformar em cinzas.

— Nada mal... — Falei e voltei a caminhar em direção a entrada do galpão, Ben devia estar em algum lugar lá dentro.

Logo que entrei no lugar, todos os vampiros olharam para mim e as presas deles apareceram.

— Isso só pode ser brincadeira...

Comecei a pegar vários flechas e atirar contra eles, uma atrás da outra o mais rápido que eu podia mas, um deles jogou meu arco para longe e me empurrou para o outro lado.

Talvez não tenha sido boa ideia ter me perdido do Harry e não tê-lo procurado.

Meg pov's

Já estava ficando chato andar pelo lugar e não encontrar nada, talvez eu tenha pensado isso cedo demais, vários lobos começaram a aparecer e não paravam de me olhar.

Olhei para trás para falar com Isaac e ele havia sumido.

— Que ótimo... — Falei.

Voltei a olhar para aqueles lobos e eles pareciam bravos, eu só queria saber o motivo.

Espera, sempre adorei lobos mas, esses estão me tirando do sério, se aliar a vampiros para matar caçadores? Parece uma piada muito ruim. Aqueles lobos me olhando e rosnando achando que iriam impor algum medo em mim.

Ergui minhas sobrancelhas e sorri de canto como sempre fazia quando estava desdenhando de algo tão simples e deixa qualquer um tão irritado.

Aquela pulseira deslizou pelo meu braço e se tornou um chicote, alguns lobos provavelmente ficaram com medo, pois deram alguns passos para trás se afastando mas, sempre existem aqueles que querem se achar os melhores, esses deram um passo para frente e rosnaram mais alto.

Joguei o chicote em um deles, o objeto se enrolou no pescoço do animal e precisei apenas dar um impulso para o lobo ser lançado para longe.

— Quem quer ser o próximo? — Perguntei e voltei a encara-los.

Foi burrice ter falado, todos os lobos começaram a caminhar em minha direção, eles estavam realmente bravos.

Não tinha como lutar com todos de uma vez mas, dessa vez eu não tinha outra opção.

Um lobo pulou em minha frente e rosnou para os outros que logo pararam de andar. Ele me olhou com os olhos brilhando um tom de verde e apenas balançou a cabeça me mostrando onde Lizzie estava.

Em questão de segundos ele pulou no meio de todos aqueles lobos, o chicote em minha mão se transformou em um bastão então pude usá-lo de uma maneira um pouco mais rápida.

Consegui jogar alguns para longe e logo em seguida comecei a correr em direção ao galpão. Olhei para trás e vi aquele lobo parado me olhando enquanto os outros estavam fugindo. Assinti com a cabeça o olhando em forma de agradecimento e voltei a olhar para frente.

~~~

Quando tentei abrir a porta do galpão percebi que a mesma estava trancada, ótimo parece aquelas cenas de filme, tudo sempre tem que dar errado.

Peguei minha estela e desenhei uma runa para poder abrir aquela coisa.

Logo que entrei no lugar vi um vampiro indo para cima de minha irmã, rapidamente fui até ele e finquei a ponta afiada do meu bastão nele o fazendo virar cinzas.

— Isso é muito loucura... — Falei enquanto pegava o arco de Lizzie no chão.

Entreguei para ela e sorri de canto.

— Que comece a diversão!

Peguei minha lâmina serafim e comecei a matar alguns vampiros junto dela. Em alguns minutos todos que estavam lá dentro haviam morrido e os que saíram iria morrer muito em breve.

Autora pov's

Meg olhou a porta junto de Lizzie e as duas viram Harry e Isaac junto de Ben.

As duas se entreolharam sem entender quase nada.

— Onde ele estava? — Elizabeth perguntou e caminhou até eles.

Harry suspirou e negou com a cabeça.

— Assistindo televisão em uma parte do galpão... — Isaac falou e caminhou até Meg. — Você está bem?

A garota assintiu com a cabeça e sorrio.

— Nós vamos voltar para aquele Instituto! E Ben, vamos ter uma conversa bem séria! — Lizzie falou, pegou no braço dele e começou a caminhar para o Instituto.

Meg pode perceber o quão brava a irmã estava, ela negou com a cabeça e olhou para Isaac.

— Espera... Eu preciso falar com você antes. — Ela disse e segurou o braço do garoto antes deles irem.

A garota não sabia exatamente como falar mas, teria que arrumar um jeito e rápido.

— Isaac... você é um garoto legal mas... é eu quero que fique bem claro que isso só vai poder ser uma amizade, tudo bem? — Ela disse.

O garoto assintiu com a cabeça e não disse nenhuma palavra. Ele não iria desistir dela mas, se era isso que a garota queria ele não poderia insistir nisso, não agora.

~~~

— Você não pode sair sem nos avisar antes, Ben! Sabia que aqueles submundanos podiam ter te matado! — Lizzie disse quase gritando com o garoto.

Meg estava encostada na porta logo atrás dela, a garota estava tentando fazer de tudo para não rir mas, estava sendo quase impossível.

— Eu fui procurar nossa mãe, por que vocês não me falaram que haviam se encontrado com ela? — O garoto perguntou a olhando.

Megan havia recebido uma mensagem de Sam, então ela olhou para Ben e falou:

— Quer saber... Nossa mãe morreu, não falar para você tinha parecido ser a melhor opção mas, não foi. Então agora foi falado, agora escuta o que a Elizabeth está falando e obedeça! — Ele praticamente gritou a última palavra e saiu do quarto.

Lizzie olhou para a porta que Meg logo bateu.

— Ben... Eu... — Ela parou de falar quando o garoto correu em direção a outra porta e saio de lá também. — Qual é...

A garota suspirou e caminhou até a sala de armas para poder falar com Harry.

~~~

— Sam! — Meg falou e correu para abraça-lo.

— Meu Deus... onde você se meteu? Por que demorou tanto para vir falar comigo? — Ele disse e sentiu junto dele em um banco que havia ali perto.

A garota suspirou e olhou para o lado. Eram tantas coisas que ele não entenderia, coisas que nem ela mesma entendia.

— Aconteceram algumas coisas com minha família... é uma longa história, te explico outra hora.

Meg sentiu que havia algo lá além deles, algo que não era humano, algo ruim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...