História Moonlight - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bruna Marquezine, Marcelo Vieira, Neymar, Philippe Coutinho
Personagens Personagens Originais, Philippe Coutinho
Visualizações 44
Palavras 3.391
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


• Hey, desculpa a demora. Minhas aulas infelizmente começaram então vai ser bem complicado estar atualizando com frequência, mas prometo que tentarei atualizar 1 vez por semana.

• Sério, muito obrigada por todos os comentários e favoritos! Amei todos os comentários e favoritos ♡

• To num estado de amor e ódio com esse capítulo, to achando que minha escrita ta péssima, sérioKKKK

• Boa leitura, amo vcs ♡

Capítulo 2 - Capítulo 1


Chego no estúdio de gravação e a primeira coisa que faço é tirar as lentes da mochila e organiza-las em seguida vou conversar com o diretor de fotografia para saber um pouco mais do estilo de fotos, já que eu não tinha chego no início das gravações para participar de toda aquela burocracia do estilo das fotos e também eu estava meio perdida, apesar de estar trabalhando há um tempo, eu ainda tinha algumas dúvidas. Pois era a primeira vez que eu estava trabalhando em uma emissora de TV.

Já faziam aproximadamente dois meses que comecei a trabalhar aqui e até que eu estava me adaptando bem, as vezes é bom sair da sua área de conforto e praticar coisas que você talvez achasse um sonho impossível. Meu primeiro emprego como fotógrafa foi em uma agência de modelo, lembro-me bem do meu nervosismo de errar ou não gostarem do meu trabalho, ao mesmo tempo que eu tinha muito medo eu conseguia escutar minha voz interna dizendo que tudo iria dar certo.

Nunca pensei que eu conseguiria um emprego numa emissora de TV como a Globo, não que eu fosse uma profissional ruim, e sim porque é algo muito difícil de conseguir, por ser uma vaga muito disputada. O ramo de fotografia as vezes exige muito de você, sorte e técnica andam lado a lado, pois tudo depende dos olhos de quem vê. Lidar com opiniões é algo bom, mas as vezes traz uma negatividade muito grande se você não tiver segurança sobre o seu trabalho.

As vezes paro pra pensar e desde que parei de ter pensamentos negativos sobre mim, as coisas melhoraram significa mente. Tudo depende da energia que você coloca sobre algo, energias são meio que um retorno do universo, isso é uma das coisas que mais acreditam e por incrível que pareça, até que funciona bem.

Logo as gravações começaram e minha mente estava inteiramente focada em prestar atenção nos atores em cena, eu rezava para estar com a lente certa para tirar uma foto com a qualidade, tudo que eu precisava era de um pouco de sorte. Sorrio com o meu pensamento ao conseguir tirar uma foto boa.

Trabalhar em um estúdio de gravação de uma novela era bem menos rotineiro do que trabalhar fotografando modelos, as fotos de sua maneira eram sempre diferentes por conta das cenas e situações, essa era a melhor parte na minha opinião.

Já estávamos a horas gravando e todos estavam exaustos, eram gritos, atores e atrizes correndo de um lado para o outro para arrumar alguma coisa em seu visual. Os dias sempre eram agitados dessa maneira e até que eu gostava disso, apesar de ser uma boa apreciadora do silêncio.

Durante o almoço foi bem tranquilo, preferi ficar adiantando uma parte do trabalho e neguei o pedido de Bruna para ir almoçar com ela.

Vou passando algumas na tela do computador enquanto eu tomava meu café expresso. Passo a maior parte das fotos que consegui editar e vou direto para o outro estúdio de gravação que eu iria gravar.

Novamente o ciclo se repete, gritos, fotos, alguns erros de fala dos atores. Apesar de ser um ambiente meio rígido, para quem segurava as câmeras tentando captar ângulos e não falhar, ao mesmo tempo era um ambiente acolhedor.

(...)

Ao chegar em casa sinto o cheiro da comida maravilhosa da minha mãe, tiro minha mochila das costas e deito no sofá para relaxar um pouco. Meus olhos pesavam de sono, todo sono acumulado resolveu aparecer justo agora, a vida não perdoa mesmo.

- Lu, vai subir para arrumar suas coisas. O jantar está quase pronto. – Minha mãe diz quase gritando e eu acordo meio irritada

- Ah precisava falar tão alto assim? – Eu resmungo me levantando do sofá. Pego minha mochila e vou a carregando com apenas uma alça até meu quarto.

Meu quarto estava uma bagunça que dava até dor no coração de imaginar ter que organizar tudo aquilo. coloco minha mochila em cima de uma cômoda que eu guardava meus equipamentos de fotografia, em seguida pego uma roupa confortável e vou direto tomar um banho morno. Fico uns minutos no chuveiro deixando a água cair pelo meu corpo, para eu relaxar um pouco já que o dia havia sido bem complicado.

- LUA TAVARES, VEM COMER! – Minha mãe grita do andar de baixo e eu me apresso para descer antes que ela acabasse com o pouco de audição que me restava.

Minha mãe é uma mulher animada e mandona, completamente o oposto de meu pai que é um homem calmo e na maioria das vezes liberal. Lembro-me das vezes que eu deixava de sair, pois minha mãe não deixava e nem meu pai conseguia convencê-la e meu pai ficava sofrendo comigo e me dando palavras de conforto. Meus pais eram como água e vinho, uma combinação completamente oposto que as vezes resolviam se combinar, além de opostos eram um fenômeno físico. Não pude ter sido criada com mais carinho do que eles me deram, me ensinaram os valores da vida e me deram uma educação impecável, que as vezes era chato mas vejo que hoje era tudo pro meu bem.

- Então, tá gostando do trabalho? – Meu pai pergunta quebrando o silêncio chato que tinha se formado.

- Tá sendo legal, porém meio cansativo. Eu estava muito acostumada com toda aquela rotina de fotografar modelos todo dia sabe? Meio que esta sendo um desafio. – Eu respondo. Eu e meus pais as vezes conversamos sobre como foi nosso dia ou sobre coisas aleatórias, as vezes essas conversas simples do dia-a-dia melhoravam de forma absurda o meu dia.

- Que bom filha, ter empregos diferentes pode ajudar no seu currículo e quem sabe ser fotógrafa de algum time ne? – Ele diz animado. Meu pai é preparador físico e desde que comecei a trabalhar como fotógrafa ele me cobra para que eu seja fotógrafa de algum time, de preferência Barcelona. De fato o sonho estava nos meus sonhos mas no momento era quase impossível.

- Não fica colocando essas ideias na cabeça da minha filha não Roberto, jogador não presta. – Minha mãe diz e eu meu pai rimos

- Calma dona Rita, duvido que terei essa sorte toda. – Eu digo para tranquiliza-la

- O destino é imprevisível, Lua. – Meu pai diz pensativo

- O destino é imprevisível, mas não tenho tanta sorte assim não. – Eu digo e ele ri

- E aquela sua amiga Bruna? Nunca mais veio aqui. – Minha mãe muda de assunto.

- Ta bem mãe, ela tá aproveitando que o Neymar está passando as férias aqui. Resolvi não atrapalhar muito, mas daqui a pouco ela me chama pra sair. – Eu respondo e minha mãe sorri. Bruna e eu somos amigas desde pequenas, as vezes nos desencontrados um pouco por conta do trabalho dela, mas nossa amizade continuava a mesma sempre que aprovamos para conversar.

- Mas vocês não estão trabalhando “juntas” agora? – Minha mãe questiona

- Oh meu Deus, Rita. Elas trabalham em coisas completamente diferentes e como a Lua disse, Bruna está aproveitando a estadia do namorado por aqui. – Meu pai responde

Por ai em diante o assunto fluiu de uma maneira bem tranquila, conversamos sobre tudo e ate fiz uma grande nota cerebral de que se eu aparecesse com um namorado jogador de futebol aqui em casa, minha mãe mataria até minha alma. Término de lavar a louça do jantar e subo para o meu quarto, para ter alguns minutos mexendo em minhas redes sociais antes que eu desmaiasse na cama.

(...)

Acordo com uma grande claridade direcionada a mim e um grande puxão do lençol sendo retirado do meu corpo. Murmura algumas coisas desconexas e levanto da cama ainda de olhos fechados, pois eu nem precisava ver quem era pra saber que foi minha mãe que fizera isso. Realmente com 21 anos eu me sentia uma garota de 15 anos todos os dias

- Você se esqueceu do churrasco na casa da Bruna ne, Lua? Você não tem jeito mesmo – Minha mãe diz e da uma risadinha no final

- Vou matar a Bruna! Pra que ela foi ligar pra senhora? Eu só quero dormir ate não poder mais. – Eu digo me deitando novamente na cama

- Chega de manhã Lua, vai tomar banho logo. Você tá precisando passar um tempo com suas amigas. – Minha mãe diz me empurrando até o banheiro

Coço meus olhos pego minha escova para escovar os dentes. Meu corpo estava mole de tanto sono e meus olhos quase estavam se fechando sozinhos, o ódio que eu estava sentindo da merda do churrasco que Bruna marcou era enorme.

Saio do banheiro com uma toalha enrolada em meu cabelo e outra em volta do meu corpo, pelo menos com um banho frio um pouco do meu sono tinha ido embora. Visto uma saia jeans e uma blusa com as mangas curtas nos vou a procura de uma sandália, após um tempo procurando encontro uma sandália marrom.

Misturo um pouco de protetor solar com um prime e passo no rosto depois passo um pouco de rímel no rosto para dar uma animada em meu rosto já que eu estava com uma tremenda cara de cu e por último passo um pouco de desodorante e perfume.

Pego meu celular e as chaves do meu carro e desço correndo as escadas e grito um “tchau” pra minha mãe. Imagino a felicidade da minha mãe ao passar toda tarde sozinha em casa já que meu pai foi jogar uma pelada com seus amigos

Estaciono meu carro na garagem e toco a companhia das casa de Bruna, meu nervosismo era grande, já que eu odiava ser o centro das atenções e agora eu seria o centro das antes já a maior parte esteja aqui desde as 10 da manhã enchendo a cara. As festas de Bruna sempre eram assim, e quando Neymar estava metido no meio ai sim que as coisas ficavam mais intensas.

Philippe abre a porta pra mim e eu sorrio meio sem graça pra ele.

A música tocava alta, como sempre era algum pagode que eu desconhecia o nome. Entro na casa e vejo que todos estavam do lado de fora, por conta do calor que fazia a maioria estavam no quintal.

- Oi. – Eu digo a Philippe enquanto eu observava as coisas ao meu redor

- Acho que te vi em algum lugar... – Ele diz meio pensativo e eu o encaro sem graça, eu juro que pensei que ele me esqueceria já que ele encontrava pessoas desconhecidas todos os dias e seria praticamente impossível ele se lembrar de mim.

- Conversei com você na fila do banheiro de uma balada antes de ontem. Vamos la pra dentro? – Eu digo e ele começa a andar ao meu lado

- Ah foi isso mesmo! Pensei que nunca mais te veria, gostei da conversa que tivemos e da sua companhia também. – Philippe diz me deixando um pouco sem graça, meu gzuis eu mal podia acreditar que o Philippe Coutinho se lembrava de mim e gostou da conversa que tivemos e também da minha companhia, PUTA MERDA!

- Ah obrigada Philippe, também gostei da conversa que tivemos. E também pensei que te não te veria mais, as vezes eu esqueço que minha amiga namorada do Neymar que por coincidência é jogador de futebol. – Eu digo e ele ri

- Você não curte muito essas coisas de futebol, não ne? – Ele pergunta enquanto eu abria a porta

- Não, mas curto muito comer e to indo faze isso agora. Te encontro depois? – Eu pergunto e ele balança positivamente a cabeça rindo.

(...)

Tomo um gole da minha cerveja e rio de algum comentário malicioso que Letícia falava. Já era noite e a maioria das pessoas tinham ido embora e só sobrou amigos mais íntimos de Bruna e Neymar.

- Vi você conversando com o Philippinho, hmmm safada! – Neymar fala se intrometendo no assunto com uma voz afeminada

- É Neymar, ela não me conta mais nada da vida dela! Fiquei super sem graça quando fui apresentar eles dois e eles já se conheciam. – Bruna diz e eu rio alto

- Vocês são péssimos! Conheci ele antes de ontem, só não contei porque não achei necessário. – Digo em minha defesa

- Lua você mente muito mal, pode dizendo que você ficou com ele. – Letícia diz para me deixar envergonhada

- QUE ABSURDO, VÃO SE FUDER TODOS VOCÊS! – Grito e mostro a eles meu dedo do meio e logo todos gargalham alto

- Stop de falar merda porque eu sou um anjo. – Bruna diz e eu a encaro

com a cara mais debochada possível.

- Ah Bruna, aí não tem como te defender ne? A zoação perdeu todo sentido depois dessa – Letícia diz rindo

- Apenas digo uma coisa: Você tá iludindo muito essa garota ney. Eu digo e Neymar me manda um coração.

Entro dentro de casa para ir pegar uma garrafinha de água e procuro algum pacote de biscoito pra comer e comemoro ao encontrar finalmente encontrar, esses garotos são uns monstros quando se trata de comida, penso sozinha. Vou andando tranquilamente pela sala e me assusto ao ver Coutinho se pegando com uma garota no sofá. Tento sair dali o mais depressa possível, mas quando eu estava a um passo de sair da sala minha garrafinha d’água cai no chão atraindo a atenção deles pra mim. Grito um desculpa e saio correndo.

- Lua quanto tempo, obrigado pela gentileza de me trazer uma água, nossa eu estava morrendo de sede! – Marcelo diz pegando minha garrafinha de água da minha mão

- AAAAH EU NÃO PASSEI POR TODA AQUELA VERGONHA PRA VOCÊ PEGAR MINHA ÁGUA NÃO! - Eu grito correndo atrás dele e como esperado Marcelo correu mais rápido que eu

- JÁ CANSOU? – Ele pergunta

- GALINHA DE CASA NÃO SE CORRE ATRÁS! – Eu grito de volta e ele ri se aproximando de mim e me entrega minha garrafinha d’água.

- Mas e ai? Que vergonha você passou? – Ele pergunta curioso

- Philippe estava pegando uma garota lá no sofá, e quando eu estava quase saindo a garrafinha caiu e eles me viram. – Eu termino de dizer e Marcelo já estava rachando de rir

- Já pode largar a profissão de fotógrafa pra piadista hein! – Neymar diz me assustando

- Ah já chegou outro fofoqueiro, pede pro Marcelo te contar porque agora vou aproveitar que você largou do pé da Bruna eu vou rebolar a raba com minhas outras migas. – Eu digo brincando

- Tu é uma bicha falsa mesmo! – Neymar grita enquanto eu andava até onde as meninas estavam.

Me junto as meninas que dançavam um remix de uma música gringa. A maioria das mulheres dançavam enquanto os homens apenas olhavam, apesar de não gostar desse tipo de atenção eu estava ali apenas estava aproveitando a coragem que o álcool me dava

(...)

Me sento na borda da piscina e fico balançando meus pés na água enquanto eu escutava o som da risada das pessoas que estavam dentro de casa jogando Just dance. O efeito da bebida já passava e eu dava graças a Deus por isso ja que eu nao ficava com uma ressaca tão forte.

- Posso me sentar do seu lado? - Philippe pergunta e eu apenas balanço a cabeça em confirmação.

Continuo balançando meus pés na água já que ele não falava nada, e eu estava meio nervosa para dizer algo. Reparo alguns dos seus detalhes, e suspiro. Droga, ele é realmente muito bonito, por que ele veio até aqui justamente no momento que estou sozinha? Me pergunto. Seus olhos encaravam a água com uma certa curiosidade e eu gostaria de saber o por que dele olhar a água, daquela maneira, mas me contenho e continuo em silêncio.

- Então... Da primeira vez que nos vimos você estava mais alegre. - Ele diz e eu me viro para encara-lo

- Ah, só não quero problemas. - Eu digo me refirindo a cena que vi no sofa mais cedo

- Desculpa por isso, sério. E eu não tenho nada sério com aquela garota, ela vai embora pra São Paulo amanhã, inclusive. - Ele diz e suas palavras me tranquilizam um pouco

- Tem certeza mesmo? A última coisa que eu quero é ser acusada de roubar o macho de alguém. - Eu digo e ele ri negando com a cabeça

- Fica tranquila, Lua. Tô solteiro e sem rolos com alguém. - Philippe diz e sorrio pela forma que ele diz meu nome. Merda que voz linda da porra!

- Fico mais tranquila então, sei que não tenho nada a ver com a sua vida, mas procuro o máximo ficar longe de confusões. - Eu explico a ele

- Ah você está na sua razão, mas não teria nada a ver eu vir aqui conversar com você se tivesse namorada por exemplo... - Ele diz pensativo

- Ah deixa esse assunto pra lá. Tá curtindo muito as férias? - Eu pergunto a ele mudando de assunto

- Sim, estou passando bastante tempo com minha familia e amigos e você, e você, esta trabalhando ou de férias? - Ele pergunta

- To trabalhando, só vou trabalhar até quarta e estou livre pra curtir minhas pequenas férias. - Eu digo animada

- Você é fotografa ne? - Ele diz e eu o encaro confusa ja que não me lembrava de ter dito nada sobre a minha profissão a ele

- Sou, quem te falou isso? Pelo que eu me lembre você só sabe meu nome... - Eu digo e Philippe ri um pouco envergonhado

- Neymar me contou algumas coisas sobre você, espero que não fiquei brava em relação a isso. Você me deixou curioso. - Coutinho explica ainda mais envergonhado

- Ah tudo bem, ele te deu meu número também ne? - Eu pergunto e ele nega

- Ele queria me dar, mas eu disse que pediria quando te encontrasse. - Ele diz e meu coração acelera.

- Sério, por que todo esse o interesse repentino em mim? Tipo, eu só sou uma garota normal. Ah eu não sei explicar, mas você é um jogador mundialmente famoso, por que se interessaria por mim? - Eu digo e Philippe me olha prestado atenção em cada palavra que eu falo.

- Eu acho você uma garota legal, sua maneira de ver as coisas é encantadora. Por que toda insegurança toda? Foi você que falou comigo, lembra? - Ele diz e eu sorrio sem graça

- Ah eu me lembro bem, mas prometo que vou me acostumar com a nossa amizade. - Eu digo e ele sorri. - Ah! Deixa eu anotar meu número no seu celular antes que eu esqueça. - Eu digo e ele pega seu celular e me entrega

- Pronto, agora não tem como nós contarmos com o destino para nos encontrarmos de novo. - Eu digo entregando o celular a ele

- Obrigado, temos que marcar pra fazer algo. Essa coisa de se encontrar por acaso me irrita um pouco. - Ele diz quase murmurando e eu concordo

- Verdade... Eu até gosto disso, poupa toda aquela ansiedade desnecessária sabe? Gosto de ser surpreendida. - Eu respondo olhando pro céu.

- Ah lua ta linda hoje, ne? - Ele diz encarando o céu e eu paro para observa-lo. Seu cabelo não estava perfeitamente arrumado como da primeira vez que o vi, e sua roupa era bem simples, mas deixava ele incrivelmente bonito. Merda, por que eu estou reparando tanto nele?

- A lua está sempre linda, Philippe. - Eu digo e ele ri

- Ah você entendeu. Aposto um jantar se você pular na piscina. - Ele diz e eu o encaro assustada

- Como assim? Caramba, você é louco, eu nem to com bikini. - Eu digo em protesto

- Vai de calcinha e sutiã mesmo, vai perder um jantar por frescura. - Ele diz

- Me de um motivo pra eu ir a um jantar com você. - Eu digo e ele me encara pensativo

- Eu não tenho um motivo bom o suficiente, mas eu só quero passar um tempo com você. Sem ter pessoas conhecidas nos olhando. - Ele diz e eu olho pra tras vendo Neymar, Marcelo, Bruna, Letícia e Gabriel nos olhando.

- Combinado então. - Eu digo ja de pé e começo a tirar minha roupa


Notas Finais


Comentários são muito importantes então eu agradeceria demais, se vocês comentassem o que estão achando.Se quiserem comentar uma ideia sei lá, sintam-se à vontade. ♡

Obs: comentários com críticas construtivas são tao importante quanto comentários positivos, então nao sintam vergonha de críticar algo♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...