1. Spirit Fanfics >
  2. Moonlight >
  3. XXV. O Cemitério - Parte I

História Moonlight - Capítulo 63



Notas do Autor


Capítulo escrito por: @alascadelaroux <3

Capítulo 63 - XXV. O Cemitério - Parte I


Fanfic / Fanfiction Moonlight - Capítulo 63 - XXV. O Cemitério - Parte I

POV Katherine Petrova

As palavras de Stefan sobre Heaven ser um patrono ecoavam em minha cabeça. De fato, não possuía informações suficientes em relação ao mundo da bruxaria, mas desde pequena ouvia Blair e mamãe contar as histórias sobre a Borboleta Azul e sobre como era extremamente importante alguém possuir um patrono.

- Como você descobriu sobre isso? – Eu pergunto ainda pasma à Stefan.

- Os créditos pertencem à Nick... – Ele responde enquanto faz uma breve pausa – O mais importante agora, é prepararmos vocês duas para a luta.

Eu franzo as sobrancelhas, e ele entende perfeitamente qual é a minha dúvida.

- Você está em fase de transição... – Stefan explica-me – O que significa que apesar de forte, você precisa poupar as suas energias e servir como elemento surpresa. Já Heaven, por outro lado, precisa treinar os seus poderes.

- Eu posso me encarregar disso... – Ruby se manifesta com certo receio e apenas sorrio em tom de deboche – Posso ajuda-la, Katherine.

- Não quero a sua ajuda! – Eu retruco – E nem a quero em meu reino! Saskia irá ajudá-la.

- Por mais que eu queira ajudá-la, Kate, precisamos de Ruby. – Saskia se manifesta e meus olhos a repreendem – Ela é a única que foi capaz de ajudar Heaven a controlar os seus poderes até agora.

- Não, nós não precisamos! – Eu insisto.

- Kate... – Ouço Aidan chamar por meu nome enquanto dá um breve suspiro – Precisamos pensar no que é melhor para Heaven, mesmo que seja Ruby.

- Diga por você! – Damon esbraveja – Essa traidora deixaria a sua irmã e sua sobrinha morrerem!

- Eu cometi um erro, Damon. – Ruby o responde – E Heaven nunca irá me perdoar por isso.

De repente, a nossa pequena discussão foi interrompida no momento em que notamos as portas do salão comunal da Corvinal se abrirem e revelarem a figura espantada de minha irmã.

- Heaven? O que foi? – Eu pergunto demonstrando certa preocupação enquanto aproximo-me dela.

- Temos... Temos que nos apressar! – Ela responde e noto suas mãos bastante trêmulas – H...Hope!

No momento em que a ouço citar o nome de minha filha, Damon e eu nos entreolhamos e a nossa preocupação é redobrada.

- O que aconteceu? – Damon pergunta eufórico – O que aconteceu com a minha filha?

- Eu... Eu não sei direito... – Heaven o responde – Eu tive uma visão não intencional. As bruxas mudaram de ideia. Elas pretendem executá-la hoje.

- O que? – Aidan pergunta bastante confuso – Espera... como é possível você ter uma visão não intencional?

- Consigo pensar em duas opções... – Ruby lhe responde – A primeira é por Heaven ser o patrono da família Skylight-Petrova. O seu poder está lhe avisando que Hope corre perigo. E a segunda, é a própria Hope tentando conectá-la, pois ela é metade bruxa, lembra?

- Como assim? – Heaven pergunta – Eu sou patrono da minha família?

Ruby assente.

- Você não imagina como é poderosa, Heaven. – Ruby lhe diz – E para salvar a sua sobrinha, você precisará saber dominá-los.

- Precisamos de Ruby, Kate. – Saskia insiste e Heaven me olha com olhares curiosos.

- Eu perdi alguma coisa? – Heaven pergunta e por mais furiosa que eu esteja em relação a Ruby, preciso pensar no que realmente importa.

- Hope é a única coisa que me importa agora. – Eu respondo friamente – Faça o que tem que fazer, mas se trair a minha confiança novamente, não pense por um segundo que eu hesitaria em matá-la.

- Heaven, consegue me dizer onde Hope estava em sua visão? – Stefan pergunta, tirando o foco da conversa e agradeço por isso.

- Ahn... parecia... um cemitério. – Ela responde.

- Elas estão em solo sagrado. – Saskia responde imediatamente, e então as portas do salão se abrem novamente.

- O que tá pegando? – Nick pergunta e é possível notar a sua expressão entristecida.

- Iremos resgatar a minha filha! – Eu lhe respondo imediatamente e suas sobrancelhas se franzem.

- Tínhamos até amanhã. O que aconteceu? – Nick pergunta.

- Heaven teve uma visão. – Damon o responde.

- Como vamos saber qual o cemitério em que elas estão? – Aidan pergunta.

- Tenho uma ideia! – Ruby responde – Preciso de um mapa.

Imediatamente Stefan vai até a mesa, empurrando alguns livros que estão entreabertos e então é possível vê-lo encontrar um mapa bastante amassado. Ruby se aproxima e então olha em minha direção e na de Damon.

- Farei um feitiço de localização, mas preciso do sangue de vocês. – Ela diz enquanto estende o mapa em cima da mesa e então nós nos aproximamos – Genevieve provavelmente deve ter reforçado um feitiço de ocultismo. O sangue de vocês em conjunto será mais forte para passarmos por ele.

Nós nos entreolhamos e assentimos. Em instantes, as nossas presas aparecem as cravamos em nossos próprios punhos, fazendo que o líquido vermelho apareça. Estendemos as nossas mãos para que o sangue caía no centro do mapa e então podemos ouvir Ruby recitar o feitiço usando uma linguagem em latim.

- Phasmatos tribum nas ex veras sequita sanguines ementas asten mihan ega petous. – Ruby repete as mesmas palavras três vezes e então o nosso sangue começa a se mover – Estão aqui. – Ela diz apontando ao mapa.

- Estão perto! 15km! – Damon responde enquanto me dirige um olhar esperançoso.

- Vocês devem ir até elas... – Ruby diz enquanto faz um breve silêncio – Estaremos logo atrás.

- O que? Eu vou junto! – Heaven responde.

- Sim, você vai. – Ruby lhe retruca – Depois de eu ensiná-la a usar o seu poder total.

- Você ficou louca? – Heaven pergunta – Não tem como eu aprender nada agora, Ruby!

- Se você quer salvar a sua sobrinha, é melhor você me ouvir. – Ruby responde e Heaven se cala imediatamente nada contente.

Dou uma última olhada em minha irmã e então respiro fundo com o coração repleto de ansiedade.

- Vamos! – Eu digo imediatamente enquanto começo a me dirigir a saída do salão com Damon logo ao meu lado e Stefan, Aidan, Nick e Saskia logo atrás. Nos dividimos em dois carros, e a única coisa a qual ansiava era poder vê-la e tê-la em meus braços. Nada mais me importava a não ser ela.

- Lembrem-se, estaremos em solo sagrado para elas, o que quer dizer que estaremos em desvantagem. – Stefan nos lembra.

O percurso de Moonlight até o cemitério pareceu demorar uma eternidade, e a cada minuto que passava o desespero crescia dentro de mim. Aidan, Saskia e Nick nos seguiam rapidamente logo atrás. De repente, o meu celular começa a tocar.

- Aidan? – Eu o atendo enquanto coloco o celular no autofalante.

- Qual o plano? – Ele pergunta.

Faço uma breve pausa.

- Não há. – Lhe respondo sinceramente.

- Como não há? – Ele pergunta bastante confuso.

- Estamos prestes a enfrentá-las em um lugar onde elas se tornam ainda mais poderosas e você não tem um plano? – Saskia pergunta.

- Você e Nick também são bruxos, não são? – Damon se manifesta.

- Claro que somos! Mas isso não significa que receberemos a quantidade de magia que lhes são dados em cemitérios. – Nick responde.

- Que tipo de bruxos vocês são? – Damon responde com desdém e eu reviro os meus olhos.

- Escuta, tomaremos a decisão a hora em que chegarmos. – Eu o respondo e então desligo a ligação. Era possível perceber que Damon estava tão preocupado quanto eu, apesar de tentar fortemente disfarçar.

Durante o restante do trajeto um silêncio absoluto havia tomado conta do carro. No momento em que nos aproximamos do cemitério, paramos os nossos carros longe e seguimos o restante do caminho a pé. Cada vez que me aproximava, era como se eu pudesse senti-la. Adentramos ao lugar com a atenção desperta, prontos para atacar quem quer que fosse, se necessário.

Conforme caminhávamos entre os enormes túmulos, começamos a escutar alguns sussurros e quando nos aproximamos ainda mais, percebemos que se tratava de um feitiço sendo recitado. As cenas que meus olhos haviam encontrado foram o suficiente para tirar-me a concentração e encher-me de fúria. Hope estava deitada em uma cesta de palha em cima de um altar enquanto Genevieve estava ao seu lado com uma faca apontada em sua direção.

- Não! – Eu esbravejo enquanto corro em sua direção usando a minha super velocidade. Lá se foi o elemento surpresa.

- Droga! – Ouço Damon balbuciar.

Antes mesmo que eu pudesse chegar até a minha filha, Genevieve usou os seus poderes jogando-me longe.

- Katherine! – Damon grita por mim enquanto tenta se aproximar, mas Genevieve o ataca também.

- Como é possível? – Genevieve pergunta – Você não morre nunca?

- Seus idiotas! – A mesma loira que havia notado na igreja aparece – Vir atrás de nós no lugar onde mais somos poderosas. Aqui vocês não enfrentam duas. Vocês enfrentam todos nós! – De repente, notamos outras presenças à nossa frente, e então percebo que se tratam de fantasmas. Antigas almas da bruxaria.

Notando que Genevieve agora se preocupava em atingir Saskia e Nick, Aidan ajuda-me levantar e Damon se aproxima.

- Liv! – Genevieve chama pela a amiga loira – Me dê cobertura!

A sua amiga assente e enquanto Genevieve volta a se aproximar de minha filha segurando a adaga, Liv, Nick e Saskia travam uma batalha. Instintivamente, uso os meus poderes de levitação para retirar a adaga de sua mão, e a bruxa me lança um olhar furioso.

- O que você está fazendo? – Aidan esbraveja – Você não pode usar os seus poderes!

- É a minha filha! – Eu esbravejo e no momento em que vou partir para cima de Genevieve, Stefan segura-me pelo braço – Me solta!

- Estamos aqui para mantê-las as duas à salvo, Katherine! – Stefan repreende-me e então escuto Damon gritar de forma agonizante.

- Genevieve está torturando Damon pela mente! – Nick nos avisa.

- Desgraçada! – A fúria toma conta de mim novamente e sem perceber sou tomada pelas chamas.

- Katherine! – Ouço Aidan e Stefan chamarem por mim, mas apenas os ignoro.

Com rapidez me aproximo de Genevieve empurrando-a contra a parede fortemente, mas uma força sobrenatural faz com que eu me afaste dela. Tento aproximar-me do cesto onde a minha filha está, mas sou impedida por aparições que tentam jogar-me longe.

De repente, somos surpreendidos por uma forte luz que se aproxima. É necessário desviarmos os olhares pois a luz chega a doer as nossas visões. Notando o incomodo de Genevieve, não penso duas vezes antes de tentar aproximar-me novamente de minha filha, e felizmente desta vez eu consigo. De forma instintiva, Damon puxa-me para longe, ficando à minha frente.

- O que está acontecendo? – Stefan pergunta.

Aninho Hope em meu colo, fazendo com que seus olhinhos fiquem cobertos. Tê-la tão próxima de mim é extremamente reconfortante. E é então que percebo que a presença luminosa se trata na verdade de minha irmã.

- Heaven? – Eu sussurro enquanto tento olhá-la, mas a luz é extremamente forte. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...