1. Spirit Fanfics >
  2. Moonlight >
  3. Último Adeus

História Moonlight - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus amores,
Como estão em meio a essa crise do coronavírus? Todo mundo bem? Lavando a mão direitinho e usando álcool em gel?

Voltei rapidinho dessa vez e é com grande felicidade e um pouquinho de tristeza que trago o último capítulo de Moonlight.

Eu nem acredito nisso.

Bom, espero que gostem e, por favor, leiam as notas finais ♥♥

Capítulo 28 - Último Adeus


Fanfic / Fanfiction Moonlight - Capítulo 28 - Último Adeus

"O doce sonho se acabou
Agora fecho os meus olhos
Esse é o verdadeiro você e o verdadeiro eu.
"
Outro: Tears - BTS

 

Yoongi

 

Tudo estava uma completa bagunça e, nos últimos dois dias, só o que eu sentia era um cansaço extremo e um aperto em meu peito devido a preocupação.

Quando Taehyung me ligou avisando que estava no antigo depósito da empresa Kim, dizendo que Yerim estava machucada e que Hyemi tinha ido atrás de Jin parecia que eu tinha sido transportado de volta ao mesmo pesadelo que foi a noite que Jungkook morreu. 

Assim que cheguei lá não pude deixar de pensar no pior. Contra a minha vontade, eu via Hyemi sendo morta ou ainda sendo arrastada por Jin para longe. Eu não poderia perdê-la novamente.

Foi com certo alívio que vi que o corpo em meio aos containers não era o de Hyemi e sim de Jin. Ele estava morto, não poderia mais machucá-la. Mas então, uma nova preocupação me atingiu. Se Hyemi havia feito aquilo, se ela havia matado Jin, então onde ela estava? O que havia acontecido para levar ela a esse extremo? Mesmo sabendo que Hyemi tinha muitos segredos, mesmo que Jin estivesse afetando ela a ponto de fazê-la perder o controle, eu não conseguia imaginá-la fazendo algo tão frio e preciso, porque, mesmo sem uma autópsia para confirmar, eu conseguia ver que os tiros que haviam matado Jin foram dados por alguém que sabia exatamente o que estava fazendo. 

Logo, tudo virou um caos no depósito com a polícia isolando o lugar, a perícia fazendo o seu trabalho e os paramédicos cuidando dos ferimentos de Yerim. Felizmente, Namjoon estava com a cabeça no lugar para fazer o seu trabalho enquanto eu apenas conseguia pensar em Hyemi e em onde ela poderia estar. 

No entanto, Hyemi havia desaparecido mais uma vez.

Taehyung não conseguiu me contar nada antes de ser levado pelos outros policiais para dar o seu depoimento. Porém, horas mais tarde Namjoon me contou que Jimin havia dado entrada no hospital com um ferimento de bala na perna. A sua história era de que um ladrão havia entrado em sua casa e o atacado, mas eu sentia que a coincidência era muito grande para ser ignorada.

Agora, fazia dois dias que eu não tinha notícias nenhuma de Hyemi. Procurei em todos os lugares que eu achei que ela poderia estar, liguei inúmeras vezes, visitei Sangdong pelo menos umas quatro vezes pedindo para que ele tentasse rastrear o celular dela, porém não havia encontrado nada.

Hyemi havia sumido do mapa, completamente.

Cansado devido a mais uma noite em claro, peguei o meu celular novamente e tentei ligar para ela. Como das outras vezes, não havia respostas.

Suspirei, largando o celular e sentando no sofá. Eu não queria pensar que Jimin tivesse feito algo com ela, mas minha mente considerava essa possibilidade vez ou outra me deixando com vontade de ir até o hospital e fazer Jimin falar. 

E eu estava quase fazendo isso quando ouvi batidas na porta. Assim que a abri, Namjoon entrou e me lançou um olhar preocupado.

- Nenhuma notícia de Hyemi ainda?

- Nada - respondi.

- Você dormiu? - ele perguntou ainda me olhando.

Neguei com a cabeça e ele suspirou.

- Precisa descansar, Yoongi, ou vai acabar tendo um colapso.

Eu ignorei o seu comentário e voltei a sentar no sofá, dizendo:

- Eu estava pensando, talvez Jimin tenha feito algo com Hyemi.

- Não comece a ir por esse caminho, Yoongi - Namjoon se apressou em falar. - Não sabemos qual é o problema de Hyemi com Jimin e nem temos certeza se foi ela mesmo quem atirou nele. Pode ser só uma coincidência. Além disso, acho que deveríamos ir até o hospital ver a Yerim.

- Aconteceu alguma coisa? - perguntei já me preocupando mais. A última informação que eu tinha recebido sobre ela era que seus ferimentos não eram graves, mas ela teria que ficar em observação.

- Ela está bem, relaxa - Namjoon disse. - Mas acho que seria bom falar com ela para tentar entender porque Jin a sequestrou. E também acho que precisamos conversar com Tae antes que o pessoal que está no caso decida falar com ele de novo.

- Por que? O que houve?

- Eu li o último relatório da investigação e não é nada bom - ele começou a explicar. - No depoimento, Tae disse que tinha ido atrás da irmã, encontrado ela machucada, então ele ligou para a polícia e voltou para dentro do depósito. Em nenhum momento ele mencionou que Hyemi estava lá. 

- O que?

- Tem mais - Namjoon continuou. - O pessoal pegou as gravações para analisar e entender o que aconteceu. Ainda estão trabalhando nisso, mas muitas das câmeras de segurança estavam desativadas. As poucas imagens que conseguiram só mostravam Taehyung. Nem mesmo Jin aparecia nas filmagens. Yoongi, o pessoal ainda não tem prova de nada, mas as coisas podem ficar complicadas para Taehyung, principalmente se ele estiver encobrindo Hyemi. 

Ótimo, mais um problema para a conta. Eu não podia acreditar que Taehyung seria idiota o suficiente para encobrir Hyemi. Além disso, eu preferia pensar que Hyemi não era tão insensível a ponto de matar Jin e deixar Taehyung assumir toda a culpa.

No entanto, no fundo eu sabia - e me doía perceber isso agora - que toda a informação, tudo o que eu conhecia sobre Hyemi eram apenas teorias que eu tinha escolhido acreditar a partir do que ela havia mostrado para mim. Ela havia me dito uma vez que eu conhecia apenas a verdade que ela queria que eu acreditasse, e agora isso começava a fazer sentido. 

Eu não fazia ideia de quem era a verdadeira Hyemi, quais eram os seus planos e do que ela era capaz, e isso me assustava mais do que tudo.

***

Yerim estava muito melhor do que ontem e isso era um alívio. Segundo o médico, ela teria que fazer mais alguns exames de rotina e depois receberia alta. Por isso, quando chegamos em seu quarto, a Senhora Kim disse que iria para casa buscar roupas limpas para Yerim, nos deixando sozinhos com ela. 

- Como está se sentindo? - perguntei me sentando ao lado da garota.

- Agora estou bem, Yoongi, não precisa se preocupar tanto.

Ela me lançou um sorriso um tanto forçado. Yerim era uma garota forte considerando tudo que ela havia passado com a morte do pai e agora isso. Mas, mesmo assim, Yerim era apenas uma garota de 17 anos, ela tinha total direito de ficar triste, chateada e revoltada com o que aconteceu.

Eu ergui uma sobrancelha para ela em dúvida e ela me deu mais um sorriso, dessa vez mais sincero, segurando a minha mão.

- Eu vou ficar bem, juro - ela disse.

- Tenho certeza de que vai - Namjoon disse, sentando em uma cadeira ao lado da cama. - E isso só vai ser uma lembrança ruim.

Yerim concordou com a cabeça e falou olhando para nós:

- Então, vocês não vieram aqui só para ver como eu estou. O que os detetives precisam?

- Yerim, não viemos aqui para investigar nada, até porque não estamos no caso - expliquei. - Então não se sinta obrigada a responder caso não queira falar sobre o assunto. Só estamos fazendo isso para entender o que aconteceu.

Ela concordou com a cabeça e Namjoon continuou.

- Você conhecia ele? O Jin?

- Não. A primeira vez que o vi eu tinha ido no escritório procurar o Tae. Ele estava lá com Jimin.

Troquei um olhar com Namjoon. Isso confirmava que Jimin e Jin estavam relacionados e, mais uma vez, Jimin estava no meio de tudo. 

- Hyemi estava lá também? - Namjoon perguntou e Yerim afirmou com a cabeça.

- Ela também estava procurando pelo meu irmão - Yerim explicou e eu fiz um sinal para que ela continuasse. - Lembro que ela ficou estranha quando Jimin apareceu com esse Jin. Ela me puxou rápido para o elevador e parecia querer sair de lá o quanto antes. Depois, Hyemi me entregou dois pen drives e disse para eu ir até a delegacia entregar eles para você, Namjoon. Eu estava indo até lá quando… - Yerim parou de falar e estremeceu. 

Eu apertei a sua mão e falei um “tudo bem”. Lancei mais um olhar para Namjoon e ele parecia estar juntando as peças pouco a pouco. Se Hyemi tinha pedido para Yerim ir até a delegacia com os pen drives, então ela tinha descoberto algo para incriminar Jin. Isso explicava por que ele tinha ido atrás de Yerim. 

Felizmente, nada de grave tinha acontecido com Yerim. Porém, eu duvidava que esses pen drives ainda existissem. 

Depois de um tempo, Namjoon voltou a perguntar:

- Yerim, quando você estava no depósito, você viu a Hyemi?

Ela ficou quieta por uns segundos e então negou com a cabeça.

- Não. Só o Tae. 

Eu olhei para ela:

- Tem certeza?

- Sim - ela se apressou em falar.

O que estava acontecendo aqui? Será que ninguém tinha visto Hyemi mesmo ou até Yerim estava encobrindo ela?

- Nesses dois dias, a Hyemi veio aqui ou falou com você? - perguntei. 

Yerim pensou por um momento e então respondeu:

- Não tenho certeza. Noite passada alguém veio aqui. Eu estava dormindo, mas acordei e pensei ter visto ela, não tenho certeza - eu troquei um olhar confuso com Namjoon e Yerim acrescentou, preocupada - Aconteceu algo com ela?

- Não sabemos - Namjoon respondeu. - Não temos notícias de Hyemi há uns três dias. Acha que seu irmão sabe de alguma coisa?

- Não sei - Yerim respondeu. - Mas ele disse que viria para cá daqui a pouco.

***

Acabou que Taehyung não apareceu no hospital. Segundo o que a Senhora Kim me falou, ele tinha ido no escritório resolver algumas coisas, já que Jimin ainda estava no hospital. 

Namjoon decidiu voltar para a delegacia para ver se tinham mais alguma novidade do caso. Enquanto isso, eu decidi ir até o escritório para tentar encontrar Taehyung. 

Eu me sentia um pouco aliviado em saber que Hyemi tinha ido ver a Yerim, mesmo que ela não tivesse certeza disso. Pelo menos era melhor do que acreditar que Jimin tinha feito algo. No entanto, ainda me preocupava o fato de ninguém afirmar que Hyemi estava no depósito. 

Por isso, quando parei em frente a porta da sala de Tae, eu estava torcendo para que eu conseguisse colocar um pouco de juízo na cabeça dele antes que ele falasse algo que o complicasse. 

Bati duas vezes na porta e a voz de Taehyung gritou um “pode entrar”.

Assim que me viu, Taehyung parecia surpreso. 

- Hyung? O que está fazendo aqui?

- Tae, precisamos conversar - respondi sentando a sua frente. 

Taehyung parecia quase pior do que eu. Ele estava claramente cansado e os cabelos bagunçados e as olheira eram provas disso. 

- Yerim vai receber alta - falei.

- Minha mãe me contou - ele respondeu com um sorriso fraco. Dava para ver que ele estava aliviado e feliz pela irmã estar bem, mas parecia que o seu cansaço era maior.

Fiquei em silêncio, sem saber como abordar o assunto de uma maneira que isso não acabasse ruim. Não havia como negar que Hyemi era um assunto bem delicado entre a gente. Eu sabia dos sentimentos de Taehyung em relação a ela e, agora, eu tinha certeza que não conseguia esconder os meus. Porém, eu precisava que ele confiasse em mim e nós dois precisávamos falar sobre ela. Era o único jeito de resolver essa situação.

- Eu sei por que você está aqui, Yoongi - Taehyung falou de repente. - E a resposta é não. Eu não vi a Hyemi e não faço ideia de onde ela esteja. 

- Tae, se você sabe qualquer coisa…

- Eu já disse que eu não sei - ele me interrompeu, passando a mão pelos cabelos e suspirando. - Eu queria muito saber, mas não sei. 

- Tudo bem - concordei. Estávamos na mesma situação aqui e eu não queria pensar em quanto isso me incomodava.

Taehyung fechou os olhos e se recostou na cadeira, respirando fundo. Ele ficou desse jeito por um tempo e eu quase pensei que ele tivesse pegado no sono, mas então ele abriu os olhos e perguntou:

- Você acha que alguma coisa aconteceu com ela?

- Não sei - respondi, suspirando também. - Tudo em relação a Hyemi parece ser sempre um grande mistério.

Taehyung soltou um riso fraco e eu sorri.

- Tae - comecei sabendo que não tinha como ficar adiando isso - por que não disse a polícia que Hyemi estava no depósito? Quando você me ligou, você disse que ela estava lá. 

Ele ficou me encarando por um tempo e então desviou o olhar. 

- Não importa Yoongi, não vou mudar isso. 

- Tae, eu sei que Hyemi estava lá, sei que foi ela quem matou Jin. Mas, se você continuar encobrindo ela isso não vai fazer diferença. Eu não estou no caso, não posso livrar você se começarem a pensar que você matou Jin. Além disso, não temos nenhuma prova para incriminar ele a não ser o sequestro de Yerim, então as coisas podem ficar bem complicadas para você - expliquei. - Taehyung, me escuta, se não quiser falar comigo, tudo bem, mas você precisa contar a eles o que realmente aconteceu. 

Ele voltou a me encarar, negando com a cabeça.

- Já disse que não vou mudar isso, Yoongi. E não preciso que você me livre de nada. 

- Eu entendo os seus sentimentos por Hyemi, Tae, mas não vale a pena assumir a culpa por isso. 

- Não vou ficar me explicando, Yoongi - ele falou com um tom de voz sério. - Apenas me responda uma coisa: se você estivesse em meu lugar, o que você faria? Culparia ela pelo que aconteceu?

Eu apenas fiquei quieto, olhando para ele. A verdade era que eu não tinha uma resposta para isso.

***

Eu não tinha conseguido convencer Taehyung e me sentia péssimo por isso. Eu poderia ter insistido mais, porém eu sabia que isso acabaria com a gente brigando e agora não era o momento para isso.

Agora eu me dividia entre torcer para que as câmera de segurança do depósito mostrassem o que realmente tinha acontecido - mesmo que parte de mim não quisesse aceitar essa verdade - e encontrar Hyemi para resolver essa história de uma vez. 

Por isso, decidi ir até a delegacia e ver se Namjoon tinha alguma novidade. No entanto, quando eu cheguei lá outra coisa chamou a minha atenção. Em cima da minha mesa havia um envelope junto com uma caixinha preta que eu conhecia muito bem já que havia sido eu quem tinha dado aquilo para Hyemi. 

Em um pulo, peguei a caixa e o envelope e fui até a recepção.

- Eunji - chamei a atendente e mostrei a caixinha. - Quem deixou isso na minha mesa?

Ela me olhou por um momento, pensando, e então sorriu:

- Ah, sim! Uma moça apareceu aqui e pediu para te entregar isso. Ela disse que era importante que você lesse - Eunji apontou para o envelope. 

Uma moça? Hyemi tinha vindo até aqui?

- Obrigado - agradeci e voltei rápido para a sala que eu dividia com Namjoon.

Sentei atrás da minha mesa e, de repente, um nervosismo me atingiu. O que era aquilo? Por que Hyemi viria até aqui deixar isso quando poderia ter voltado ao meu apartamento ou simplesmente ligado?

Parte de mim achava que tudo se resolveria depois que Jin não fosse mais um problema. No entanto, agora eu já não tinha tanta certeza. 

Respirando fundo, peguei a caixinha e abri. O anel que eu havia comprado para Hyemi estava lá, como eu já esperava, porém, junto a ele, estava um conhecido colar com um pingente de lua. 

Peguei o colar na mão e não pude deixar de estremecer com isso. Havia tantas mortes e perdas relacionadas a esse único colar que quase chegava a ser uma piada de mau gosto ele ter aparecido nesse momento. Talvez eu devesse queimá-lo.

Deixando o colar de lado, me permiti pegar o anel que havia comprado. Na época, eu estava certo de que passaria o resto da minha vida ao lado de Hyemi. Mesmo estando juntos a pouco tempo, ela havia tomado conta de tudo a ponto de eu estranhar não ter o seu cheiro, o seu corpo por perto. Eu era, sem dúvida nenhuma, um bobo apaixonado. 

Jungkook havia percebido isso e sempre que podia fazia piadinhas. Até que um dia ele me disse que, se eu realmente sentia tudo isso por ela, eu deveria me apressar e oficializar as coisas. Naquele momento, eu tinha achado isso um loucura completa, mas assim que eu entrei na loja e vi esse anel, eu sabia exatamente o que eu queria e que Jungkook estava totalmente certo.

Agora, eu não tinha mais essa certeza. Ainda a amava, não conseguia negar isso. Mas eu estava confuso com muitas coisas. Quem era, realmente, a Hyemi? Quais eram os seus reais sentimentos? 

Com essas perguntas em mente, abri o envelope e me surpreendi quando percebi se tratar de uma carta de Hyemi. Essa era, definitivamente, a última coisa que eu esperava dela.

Infelizmente, essa não era uma carta qualquer. 

Essa era uma carta de despedida.

 

Yoongi,

Eu me sinto uma completa idiota escrevendo uma carta a mão, mas, dada a atual circunstância que nos encontramos, essa é a única maneira de falar o que eu preciso sem que eu seja rastreada. 

Sim, estou claramente fugindo, de novo, mas eu não tenho escolha. Eu ferrei com tudo, mais uma vez, o que já era de se esperar considerando o meu histórico. Não espero que você entenda, na verdade, eu realmente espero que você me odeie por isso, será muito mais fácil.

Sei que te devo muitas explicações, sei que prometi que eu te contaria tudo, mas isso não vai acontecer. E parte do motivo é que eu sou completamente covarde para olhar nos seus olhos e deixar que você veja quem eu sou de verdade. A Hyemi que você conheceu três anos atrás, embora tenha sido uma parte de mim que eu tentei e ainda tento desesperadamente alcançar, não passava de uma ilusão criada por alguém que queria pertencer ao mesmo mundo que você. 

Só agora eu consigo ver o quanto distantes estamos.

Talvez, se eu não tivesse deixado Jungkook me convencer de que você era a minha luz no fim desse túnel conturbado que é a minha vida, se eu tivesse percebido antes que eu nunca poderia ser aquela Hyemi, as coisas teriam sido diferentes e Jungkook poderia estar vivo. Hope poderia estar vivo.

Mas, se existe algo que nunca poderemos negar ou fugir, esse algo é quem somos de verdade. 

Tenho certeza que você já deve saber o que eu fiz com Jin. E, como um bom detetive que eu sei que você é, você já deve saber que aquilo não foi resultado de um momento de desespero ou autodefesa. No momento que eu soube que Jin estava com Yerim, eu já sabia como as coisas acabariam.

Se isso serve para alguma coisa, eu não sei, mas eu nunca quis que as coisas chegassem nesse ponto. Não me entenda mal, eu não estou arrependida do que fiz. Porém, eu realmente tentei acreditar que as coisas poderiam se resolver de outra forma. Acontece que, pessoas como Jin, pessoas como eu, sabemos que nem sempre a justiça é feita, sabemos que o mundo nunca foi justo e nunca será, e, por isso, nós nos aproveitamos dessa falha para justificar nossos atos.

Acho que, no fim de tudo, você estava mais certo sobre mim do que imaginava. Sim, Yoongi, eu sou o tipo de pessoa capaz de matar alguém, eu minto, eu roubo, dou socos em um psicopata em meio a uma cafeteria se eu achar que devo fazer isso, e muitas outras coisas que talvez você nem imagine. Sou alguém cheia de más intenções, mas você já sabia disso.

A verdade é que eu não sou uma boa pessoa, acho que nunca fui. É por isso que, mais uma vez, vou fugir. E talvez, a única boa ação que vou fazer em meio a isso tudo é não ser egoísta e continuar aqui, por mais que parte de mim queira isso. Você merece alguém muito melhor do que eu, Yoongi. Assim como Taehyung e Yerim também merecem.

Sentimentalismo a parte, agora eu preciso que você preste atenção em algo. Eu não vou conseguir manter a minha promessa com você, mas vou cumprir a que eu fiz para Namjoon. 

Existe um depósito há uns cinco quilômetros da saída sul de Seul. Vá até lá com Namjoon e procure pelo depósito número 125. Namjoon sabe a senha da porta, eu dei um jeito para que ele soubesse. 

Lá dentro você vai encontrar um carro, um BMW i8. No porta malas tem um compartimento. Quando você o abrir, vai encontrar todos os diamantes que foram roubados na galeria. Bom, a grande maioria, pelo menos. Hope tinha conseguido vender alguns. E sim, estou devolvendo os diamantes. Isso não muda nada, mas eu prometi a Namjoon que devolveria.

Você também vai encontrar, no painel do carro, um pen drive. Nele tem tudo que eu consegui reunir sobre Jin nos últimos anos. Não é muita coisa e não tem nada de muito útil, mas talvez te ajude a montar um caso, não que vá fazer muita diferença agora. 

Mais uma coisa. Antes que você pense o contrário, o carro não foi roubado. Hope comprou ele de forma justa. E eu ganhei ele, de forma justa, em uma aposta que eu fiz com Hope. Então, cuide bem do meu carro. Quem sabe algum dia eu volte para buscá-lo.

Eu tenho mais uma última coisa para dizer. Fique alerta com Jimin. Sei que você quer saber qual é o meu problema com ele, mas acredite em mim, nesse caso, quanto menos você souber, melhor. Apenas fique alerta. E cuide de Taehyung e Yerim. Eu não acho que Jimin vai ser estúpido de tentar alguma coisa, mas é bom ficar de olho. E, mais uma vez, não tente descobrir o por quê. Por favor, Yoongi, não tente. 

Então é isso. Esse é o fim.

Yoongi, eu realmente sinto muito por tudo. Por Jungkook, por Hope, por Yerim, por você e por Taehyung. 

Se eu ainda tiver direito de pedir algo para você, eu quero que você desconte toda a sua raiva, frustração, ódio e o que mais for em mim. Me odeie e me culpe como você fez nos últimos três anos porque isso é tudo o que eu mereço. Não tente me encontrar, porque você não vai conseguir. Apenas faça isso, me culpe, me condene, me odeie, até não restar mais nada. Até que você consiga me esquecer, me apagar.

Esse será o meu último adeus, Yoongi.

Com todo o meu amor e com o que restou do meu coração,

Adeus, Yoongi.


 

Hyemi

 

Jimin tinha agido rápido.

Eu mal tive tempo de pegar algumas coisas em casa antes que um grupo de homens vestidos de preto aparecesse para revirar o lugar a minha procura. Agora eu andava pelas ruas de Seul alerta a qualquer coisa e tomando cuidado com qualquer pessoa que se aproximasse um pouco demais. 

Eu sabia o que tinha que fazer. Eu precisava desaparecer e rápido. Era o único jeito de deixá-los seguros. 

Já tinha sido um risco enorme ir até o hospital ver Yerim e entregar aquela carta para Yoongi na delegacia. Mas eu precisava ver que ela estava bem e precisava que aquilo chegasse até Yoongi. 

Eu também queria ir falar com Taehyung. Explicar as coisas, alertá-lo sobre Jimin. No entanto, estava sendo difícil me aproximar dele. Jimin e seus contatos estavam sendo um pé no saco. Então, por mais que eu quisesse falar com Taehyung, eu não podia colocá-lo em um risco maior do que ele já estava.

Por isso eu estava decidia a ir embora de Seul de vez. Eu tinha que sumir e nunca mais voltar. Porém isso estava sendo mais difícil do que eu imaginava.

Um dos problemas era o idiota que estava me seguindo desde que eu tinha passado naquela loja para comprar um outro celular. Eu precisava me livrar dele sem chamar mais atenção. 

Era por esse motivo que eu estava andando rápido em direção a um dos becos escuros que havia aos montes nessa parte de de Seul. Quando cheguei perto do lugar, comecei a correr e, como esperado, o homem me seguiu sem hesitar. Assim que virei para a direita, indo mais a fundo no beco entre as casa onde as câmeras de segurança das ruas não poderiam filmar, parei e me virei para o meu perseguidor. 

Ele parou também, me olhando, e sorriu, falando:

- Cansou de fugir?

- Quem disse que eu estava fugindo?

Sem esperar mais, avancei para cima dele, direcionando o meu salto para a sua barriga. Surpreso, ele não conseguiu desviar no meu chute, e se curvou quando a dor o atingiu. Aproveitei que ele estava curvado e acertei meu joelho em sua cara, quebrando o seu nariz e o fazendo cair no chão devido a dor. 

Ele demorou um segundo para se recuperar e, meio as cegas devido aos olhos lacrimejando, levantou, tirando uma faca do bolso e partindo para cima de mim. 

Desviar do seu golpe não foi difícil já que ele não enxergava muito bem o que estava fazendo. Me aproveitando disso, quando ele tentou me atacar novamente, eu agarrei o seu pulso e direcionei a faca para a sua coxa esquerda, fazendo-o gritar de dor. Não parei por aí e forcei o seu pulso, girando o cabo da faca para aumentar o ferimento.

O homem caiu no chão novamente e colocou as mãos no corte na coxa para tentar estancar o sangramento quando eu retirei a faca. Não que fosse adiantar, já que o corte tinha sido na artéria. Enquanto isso, eu me abaixei ao seu lado e, com a ajuda da faca, rasguei a manga de sua blusa, expondo a tatuagem de uma serpente que eu já esperava encontrar. 

Agora não restava nenhuma dúvida, eu estava definitivamente ferrada.

Levantei, soltando uma risada devido ao inferno que era o meu carma, e larguei a faca ao lado do homem. Ele não levantaria tão cedo e não iria me perseguir mais, então não tinha com o que me preocupar. Eu só precisava sair dali o mais rápido o possível.

Resolvido esse problema, ainda havia uma outra coisa que me impedia de dar o fora de Seul. Essa coisa era uma vozinha insistente em minha cabeça dizendo que eu já havia tentado fugir uma vez e não tinha dado certo. Eu sabia que eu não poderia ignorar isso como eu tinha feito antes. Além disso eu queria resolver as coisas com Yoongi e Taehyung, mesmo que eu não soubesse direito como. Porém, cada minuto que eu passava aqui colocava eles em um perigo maior ainda. 

Jimin ia acabar falando para eles. Ele ia contar, se é que eles já não soubessem, sobre o meu envolvimento com Yoongi e Taehyung e, conhecendo eles como eu conhecia, eles não pensariam duas vezes em usar isso para me ameaçar e me forçar a fazer o que queriam.

Talvez não fosse uma boa ideia fugir, mas era a única maneira de proteger a todos. Essa ameaças só teriam efeito se a pessoa ameaçada estivesse aqui para se sentir assim. Era aquela história: o que os olhos não veem, o coração não sente. Não faria sentido para eles irem atrás de Yoongi ou Taehyung se eu não estivesse aqui para ver isso. 

Além disso, dessa vez seria diferente. Eu não estava fugindo para me esconder em algum canto e negar quem eu era, qual era o meu passado. Não, eu não faria isso de novo. Jin havia me mostrado que não tinha como fugir disso. Eu iria me preparar e, se a guerra chegasse, eu estaria pronta.

Porém, eu precisava de ajuda. Uma ajuda muito específica de alguém que eu não tinha certeza se podia confiar. Mesmo assim, peguei o celular que eu havia comprado e disquei o número que tinha me tomado um bom tempo para descobrir.

O telefone chamou algumas vezes até que uma voz masculina atendeu:

- Alô.

- Yoda - chamei pelo apelido conhecido e pude ouvir a sua respiração falhar no outro lado da linha. Assim como eu, ele também tinha um certo passado do qual havia tentado fugir. - Eu preciso da sua ajuda. Eu preciso desaparecer.

 

 


Notas Finais


Nem acredito que acabou... acho que vou chorar.

Muito, muito obrigada por terem acompanhado a saga da nossa Hyemi. Muito obrigada por todos os comentários e por toda a paciência quando eu demorava um século para postar um capítulo.
Essa foi a minha primeira fanfic e ela tem um lugarzinho muito especial no meu coração assim como todos vocês.♥♥

Agora, sentimentalismo a parte, sei que muitos vão querer me matar por causa desse final que não explicou praticamente nada e só mostrou que a vida de Hyemi está mais ferrada ainda. Porém calma, temos um motivo para isso.

Moonlight vai ter uma "segunda temporada". Então, sim, teremos mais sofrimento e desgraça para a vida de Hyemi. Esse finalzinho dela foi só um gostinho do que está por vir.
Porém, a notícia ruim é que eu vou demorar um pouco para postar essa continuação. Eu realmente quero planejar essa fanfic muito bem antes de colocar aqui para não acabar demorando um ano para postar um capítulo. Vai demorar um pouquinho, mas ela vai acontecer, tenham fé.

Enquanto isso, eu postei uma outra fanfic que é mais comédia e mais tranquilinha de escrever. Então, se vocês se interessarem, por favor, deem uma olhadinha até a nossa Hyemi voltar.
Aqui está o link:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/como-sobreviver-a-faculdade-ou-nao-18771225

Muito, muito obrigada.
Se cuidem e fiquem saudáveis.
Amo todos vocês ♥
Beijos ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...