História Moonlight (JiKook) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 17
Palavras 2.431
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Algumas pessoas comentaram e outras me mandaram mensagem pedindo pra eu continuar,decidi postar o capítulo por que algumas pessoas se manifestaram. Se vocês não comentarem, não saberei se estão gostando e querem que eu continue por isso conto com o apoio de vocês. Obgd a quem comentou e me insentivou.
Vamos com o capítulo né. Boa leitura.
Enjoy babys ❤️

Capítulo 3 - Algo podre no ar


- Jimin,Jimin acorda.

Abro os olhos lentamente,meu pai estava sentado na beira da cama com um copo de cafeína. Começo a beber sentindo o líquido quente e forte descer pela minha garganta. Olho ao redor procurando por Yoongi.

- O Yoongi saiu cedo,disse que passaria aqui para te dar carona. Agora levanta que faltam vinte minutos.

-Ta bom pai.

Ele se levanta indo em direção a porta, então me lembro do pequeno estrago da porta de entrada.

-Pai...- Ele se vira me encarando. - Sobre a porta...

- Ah,o Yoongi me contou que vocês quebraram os trincos sem querer. Esses novos são até mais resistentes que os antigos.

Ele sorri saindo do quarto e fechando a porta atrás de si. Yoongi mentia muito bem.

Me levanto jogando as cobertas para o lado correndo até a janela, não havia mais neve mais ainda sim o frio era congelante. Encaro o local próximo a árvore perto de minha janela,onde ontem minha alucinação apareceu.

Saio da janela indo até o armário,pegando uma calça jeans azul,blusa preta e meu moletom,coloco meus tênis velhos e surrados. Olho no relógio,faltavam dez minutos.

Pego minha mochila e desço as escadas,meu pai estava sentado no sofá limpando sua Glock enquanto assistia o jornal. Me sento ao seu lado olhando para a TV,onde uma repórter local falava sobre o aumento dos assassinatos do "Sangue suga".

"Próximo a praia Haeundae foi encontrado mais uma vítima que teve seu sangue drenado. Ela tinha ferimentos por toda extensão do pescoço,e foi brutalmente espancada antes de ter seu sangue retirado. Essa onda de assassinatos que estão percorrendo toda Busan faz com que os superiores pensem em decretar um toque de recolher pela cidade,onde os que forem pegos serão levados diretamente para a polícia do condato. Mais a principal pergunta é, por que drenar o sangue e para que ele é usado? Nos vemos depois com mais informações."

Meu pai desliga a TV,irritado.

- Não ande sozinho por aí Jimin,muito menos a noite. 

Apenas acinto lentamente enquanto ele coloca sua arma no coldre se levantando. Seu nervosismo era evidente por ainda não terem conseguido nenhuma pista do assassino. Eu não queria preocupa-lo contando sobre o que havia acontecido,ou que eu adentraria o bosque depois que ele saísse.

Batidas fortes são ouvidas na porta de entrada,pego minha mochila saindo da sala.

- Já vou pai,nos vemos amanhã.

- Não fique na rua Jimin.

- Tchau.

Não podia prometer aquilo. Abro a porta onde Yoongi me esperava encolhido apertando sua jaqueta em seu corpo. Ele sorri me comprimentando ,entro no carro ligando o aquecedor.

- Tá quebrado.

- Não há nada nesse carro que não esteja quebrado Yoongi.

Sorrio,ele liga o rádio e uma música animada preenche o ambiente,podiam se ouvir os leves chiados.

--Bom,o rádio ainda funciona.

Ele ri. O caminho todo conversávamos e implicavamos um com o outro,nada de tocar na noite anterior,era como se nada tivesse acontecido.

Já no estacionamento, Jin conversava com Mark animados,conforme nós aproximavamos Mark me encarava sorrindo. Aquilo fez minhas bochechas esquentarem,viro o rosto disfarçando.

- Jimin,como você está?

- Muito bem Mark.

Ele sorria para mim, desvio o olhar. Seus olhares vinham em minha direção a todo momento,apenas finjo não ver.

-Fiquei sabendo de uma festa na casa da Lee,quem vai?

Taehyung chega animado, todos concordam animados falando sobre a festa que seria essa noite. Eu não poderia esquecer meus planos de hoje.

-Jimin?

- Oi?

Saio de meus devaneios,todos ali me encaravam preocupados. Sinto o nervosismo subir pelo meu corpo.

- Você está bem? Está pálido.

Jin coloca sua mão sobre minha testa. Acenti rapidamente. Hoseok para ao meu lado animado.

- Você vai né?

- Eu não poderei ir. Prometi a meu pai que não ficaria fora a noite,e tenho algumas coisas para fazer em casa.

- Eu cuido de você Jimin,posso te deixar em casa,nada de ruim vai acontecer.

Yoongi segura meu braço levemente,ele deve estar preocupado devido ao que aconteceu ontem ,mais também acho que não me encaixaria lá.

- Eu pretendo dormir cedo essa noite Yoongi.

Retiro meu braço de sua mão. Ele ainda me encarava,o sinal toca assustando nós dois,ele apenas acenti se virando e caminhando em direção ao prédio.

As aulas demoravam para passar,eu ainda tinha a última aula antes de finalmente ir embora. Hoseok caminhava pelos corredores do meu lado,Mark logo a frente. Nos estávamos juntos nessa aula,o que me deixou um pouco aliviado.

Entramos na sala,sentamos próximos a janela,Hoseok na minha frente e Mark na fila ao lado perto de Hoseok. Eles conversavam sobre o filme que iríamos assistir na aula de literatura. Era minha matéria favorita.

Uma professora baixinha entra na sala ageitando seus grandes olhos.

- Pessoal,como a outra turma está sem professor decidi assumir aula, então a sala deles se juntarão a de vocês.

A menina que se sentava ao meu lado se levanta pegando sua bolsa e se sentando do lado de outra garota juntando suas mesas. A professora abre a porta e os alunos começam a entrar,me viro para frente,Mark e Hoseok haviam juntado suas mesas. Suspiro,me sentindo meio excluído.

Alguém joga sua mochila no chão,na mesa ao meu lado onde a garota se sentava antes, abaixo a cabeça rabiscando cubos em meu livro.

Ouço o arrastar de mesa ,o garoto que havia se sentando do meu lado estava tão próximo que eu podia sentir seu perfume forte...era aquele cheiro,aquele cheiro estranho que me perseguia. Levanto a cabeça olhando para o garoto que encarava meu livro com seus olhos castanhos amarelados,uma pequena mecha de seus cabelos negros caindo sobre a testa. Ele se parecia com   um Deus,feito esculturalmente, cada detalhe planejado minimamente. Ele era a própria definição de "Perfeição".

- Romeu e Julieta. É um livro consideravelmente bom.

Engasgo,ele sorria me olhando profundamente. 

- Co-consideravelmente?

- Me desculpe por aquele dia no corredor,eu ...não estava muito bem. 

- Tudo bem,eu fui meio culpado por não manter meus olhos onde deveria.

Ele sorria, seu sorriso era algo angelicalmente desprovido de decência,como se por dentro caçoasse de algo. 

-Me chamo Jeon Jungkook. Você é novo por aqui não é?

- Mais ou menos ,eu cresci aqui. Me chamo Park Jimin.

- Eu sei.

-Como?

- Andei ouvindo muito seu nome.

Ele lançava seu olhar penetrante em mim,aquilo me deixava sem fôlego. Algo pesado bate em minha mesa me assustando,Hoseok encarava Jungkook enraivecido.

- Ele ta te encomodando Jimin?

- Só estamos conversando, Hoseok.

- Ouviu o que ele disse,estamos apenas conversando.

Jungkook sorria provocativo,os dois se encaravam ,eu podia ver o fogo de ódio no olhar dos dois. Algo havia acontecido,ele não era tudo aquilo que o Yoongi falou,e agora Hoseok quase tem um ataque ao me ver conversando com ele.

- Se ele te fizer algo Jimin...

- Não vai acontecer nada.

Ele retruca, Hoseok me lança um último olhar antes de virar para frente. Mark nos encarava em dúvida se virando logo depois.

- O que aconteceu entre vocês?

- Digamos que...uma antiga briga.

Ele se vira,a professora apaga as luzes ligando o velho progetor. Não consegui prestar atenção no filme,tentando encaixar o que estava acontecendo,e o repentino interesse de Jungkook em mim. Ele era o homem em minhas alucinações. Olho de relance,ele parecia atento ao filme,algo nele me perturbava,as atitudes de Yoongi e Hoseok me deixavam curioso.

Duas horas de filme depois,as luzes são acesas , professora pede um trabalho em dupla para a próxima semana sobre o filme e nós dispensa.

Guardo os livros na mochila, Jungkook já havia saído. Sigo Hoseok e Mark porta a fora.

-Jimin.

Alguém me chama ,olho em volta e vejo Jungkook parado atrás de mim.

- Quer uma carona?

- Eu vou com Yoongi. Mais obrigado

Ele segura firmemente meu braço,me fazendo virar para ele. Yoongi entra no meio arrancando sua mão do meu braço com brutalidade.

- O que você quer com ele.

- Calma Yoongi,ele apenas me ofereceu uma carona.

- Ele não precisa. Vamos embora Jimin.

Ele me pega pelo braço,me puxando fortemente ,meu braço doía pelo aperto. Me debato fazendo com que ele me soltasse. O encaro. Já estava furioso com suas mentiras e agora isso.

- Quem é você pra decidir as coisas por mim. Yoongi você não é o meu pai e eu estou cansado de você me dizer o que fazer.

- Jimin você entendeu errado..

- Eu aceito sua carona Jungkook.

Me viro esbarrando no ombro de Yoongi, Jungkook caminha do meu lado sorrindo.

- Eu não preciso de proteção,sou forte o bastante para me virar sozinho.

- Não defendi você. Me defendi.

Ele ri. Aquilo me deixava irritado,as atitudes estranhas que eles assumiam perto do Jungkook. Eu não ligo se for uma briga antiga ou não, não quero ser colocado no meio,ainda mais quando esse homem era como um ímã,que atrai as pessoas.

No estacionamento eu o segui até uma grande caminhonete preta ,a única coisa nova que eu via naquela cidade desde que me mudei. Ele abre a porta para mim ,entrando em seguida, não era barulhento como o carro do Yoongi. 

-Eu moro per-

- Eu sei onde você mora.

Um frio percorre minha espinha,talvez não tivesse sido uma alucinação. Engulo em seco ele me encara e ri.

- Todo mundo sabe onde é a casa do investigador Park.

- Ah ...

Meu corpo relaxa, começo a enrolar uma linha que estava pendurada na barra do meu moletom. Meus dedos estavam trêmulos.

-Esta com medo?

Ele sussurra. Medo era pouco para o que eu sentia.

- Eu deveria estar?

- Vai que...eu seja um assassino.

Meu corpo congela. O medo percorria minhas veias,meu coração pulsava tão alto que não duvido que ele possa escutar. O encaro,ele não parecia sorrir ou com o mínimo traço de que estivesse brincando.

- É brincadeira.

Não parecia,o modo como ele falava fazia tudo parecer duvidoso. Depois disso não trocamos uma palavra.

Ele para o carro em frente minha casa,abro a porta sussurrando um "obrigado" mais ele segura meu braço me impedindo de sair.

- Jimin,me prometa uma coisa.

-O q-que?

- Não faça o que quer que esteja planejando.

Ele solta meu braço voltando ao seu lugar batendo a porta e acelerando. O que ele quis disse com isso. Tropeço nos cascalhos correndo para dentro, Matador olhava alerta pela janela,o encaro,ele relaxa quando o carro do Jungkook some pelas ruas.

Meu dia não tinha como ficar mais estranho. Sento no sofá tentando acalmar os ânimos,ligo a TV. A repórter de mais cedo falava,desligo. Não quero mais notícias ruins.

Subo até meu quarto,paro em frente a janela,o bosque me parecia tão convidativo. Eu prometi ao meu pai que não sairia,mais algo me diz...que é o certo a ser feito.


              {...}


Parados em frente ao bosque , Matador parecia irritado. Confirmo se a lanterna em minha bolsa estava funcionando. É agora ou nunca,eu não sei de onde essa coragem surgiu,mais eu quero aproveita-la.

Caminhamos por entre as grandes árvores,quanto mais caminhavamos mais a mata se fechava a nossa volta. Os sons da cidade já distantes,o silêncio era perturbador.

Matador me guiava,farejando pela trilha,eu apenas o seguia atento.

Um cheiro podre invade minhas narinas,mais a frente estava o corpo de um servo em estado de decomposição. Sinto um embrulho no estômago,seu pescoço havia sido quebrado e o osso saltava pelo pescoço do animal. Matador parece não se importar e volta a andar a minha frente.

Abano os mosquitos com a mão,o cheiro podre sumindo conforme entravamos mais no vasto lugar.

Se eu estava com medo,mais do que imaginei que sentiria. Fantasias de algo saindo entre as árvores e fazendo o que aconteceu com o servo comigo. Eu não quero morrer,e pelo que sei do demônio a minha frente ele não hesitaria em me deixar.

Eu não sei quantas horas ou minutos haviam se passado desde que eu entrei ali,apenas que já estava escuro o suficiente para eu não enxergar o grande cão preto que me guiava.

Pego o celular do bolso,sem sinal. Abro a mochila pegando a lanterna,acho que é melhor ir embora.

- Matador. Matador?

Olho em volta passando a lanterna pelo local,ele sumiu.

- Matador?

Sussurro. Meu corpo tremia,eu estava sozinho e não sei ao menos como voltar,me viro tentando relembrar os caminhos que eu havia pegado.

Eu vim pela direita ou pela esquerda?

Não está certo, é como se o lugar que eu havia pego estivesse sumido,estava diferente,passo a lanterna pelo lugar e viro a direita. 

O farfalhar de folhas são ouvido atrás de mim,me viro rapidamente iluminando com a lanterna. Não tinha nada.

- Matador?

Minha voz sai trêmula e fraca ,deve ser coisa da minha cabeça. Viro para frente caminhando rapidamente,desageitado.

Sinto a aproximação de algo, não tem nada,passo a lanterna que tremia entre meus dedos ,apenas árvores. Ouço uma voz rouca sussurrar em minha cabeça.

" Corra Jimin."

Começo a correr , tropeçando nas pedras , galhos arranhavam meu rosto mais eu continuo a correr. O som de patas pesadas se chocando contra a terra úmidas são ouvidos. Aumento o ritmo sentindo minhas pernas falharem,o som de patas ainda eram ouvidos cada vez mais próximo. Poderia ser um urso,ou algum felino extremamente grande.

Minhas pernas tremiam ,falhando a cada passo , então eu escorrego. Minha cabeça acerta fortemente  em uma das pedras no chão. O som estava mais próximo,menos de um metro,tento me levantar mais minha cabeça zumbia e parecia pesada,minhas vistas focavam e desfocavam.

Fecho os olhos,ouço o animal parar a centímetros de mim,o som de ossos se retorcendo e um rugido misturado a um uivo são ouvidos. Meu coração batia cada vez mais fraco,me fazendo perder forças,sinto mãos apalparem meu corpo e uma voz ao fundo chamando pelo meu nome. Será que eu morri,será que eu fiquei tanto tempo sangrando que estava alucinando.

Abro minimamente meus olhos,uma cabeleira ruiva é tudo que eu enxergo antes de desmaiar.


                   {...}


Abro lentamente meus olhos,encaro o grande teto de madeira. Me levanto da minha cama,meu corpo estava fraco.

Paro em frente ao espelho,meu rosto estava coberto de finos cortes. E tudo vem de uma vez,a floresta o som de algo vindo em minha direção,aquela voz rouca desconhecida ,a queda e...os cabelos ruivos.

A porta do meu quarto é aberta,e meu pai entra sorrindo.

- Que bom que acordou Jimin. Não pense que não estou bravo por ter saído a noite e ido para uma festa.

- Festa?

- O menino Yoongi me falou que você ficou bêbado e se meteu em uma briga.

- Ah é...a festa. Me desculpa pai,eu não queria ter te desobedecido.

- Tudo bem, você é adolescente,e adolescentes precisam se divertir. Mais ...por favor Jimin,tome cuidado.

- Eu vou tomar.

Ele sai do quarto. O que Yoongi tinha a ver com aquilo,como ele havia me encontrado.

A cabeleira ruiva que eu vi na floresta. Mais o que Yoongi estava fazendo por lá. E o animal que havia me perseguido pela floresta?

Minha cabeça roda,me apoio na parede. Aquilo tudo ficava cada vez mais estranho,nada se encaixava,nada parecia ter sentido. Era como montar um quebra Cabeça de três peças.

Já era muito tarde para eu ir para a escola,apenas me deito na cama novamente,esperando a tontura passar.

A cada passo que eu dava em meu tabuleiro,duas peças se moviam mudando a jogada.

Eu definitivamente não conhecia mais Yoongi,ele não era o mesmo de antes. Jungkook tinha seu lado misterioso assim como tudo que ele falava. Eu entrarei na jogada deles,eu vou descobrir o que está acontecendo.




Notas Finais


Como eu disse,preciso do apoio de vocês para não desanimar e continuar a história.
Espero que vocês tenham gostadooooo sinceramente
Até o próximo capítulo 😘❤️❤️❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...