1. Spirit Fanfics >
  2. Moonshine >
  3. Prólogo

História Moonshine - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


hello, my love's

apareci com mais uma fic nova, está eu farei fazendo um crossover junto com a @fireescorpion minha amiga, e espero muito que vocês gostem desse estilo de fic.

boa leitura ❤️

Capítulo 1 - Prólogo


Receber notícias ruins, é a pior coisa da vida, porque você nunca está preparado para receber aquilo. Muitas vezes está em um dia feliz que é estragado com uma simples notícia.

Desespero, solidão, medo... Fragilidade.

São coisas muito comuns quando tudo ao seu redor começa a desabar, de uma forma tão rápida e pesada que tudo parece ir em câmera muito rápida para os outros, mas muito devagar para você.

Após sair da escola, eu recebi um telefonema de meu tio, irmão de mamãe, me falando que meus pais haviam sofrido um acidente de carro, e acabaram por falecer. Eu, bobo ingênuo, não acreditei até ri achando que fosse uma piada de mal gosto, mas ele afirmou seu verdade e disse que me esperava na saída da escola dentro de seu carro.

Ao desligar o celular, eu saí correndo pelo pátio da escola, esbarrando em várias pessoas no caminho, indo até o portão e passando por ele como um jato. Avistando o carro dele de longe corri mais ainda, batendo minhas duas mãos no vidro, indicando para ele abrir a porta para mim. Ao fazer isso, tudo o que perguntei era se isso tudo era verdade... E a pior resposta veio:

— Sim, eles morreram... – Meu tio falou, com uma mão em minhas costas.

Tudo o que fiz foi chorar, de começar a ter soluços, ele depois de um tempo parou de me consolar e seguiu até o hospital. Onde os corpos de meus pais estavam, e o resto da família, que era pouquinha gente.

Todo o trajeto eu chorei, e ao chegar no hospital chorei mais ainda, parecia que a ficha caía cada vez mais que eu me aproximava da verdade.

Eu estava órfã.

Após toda aquela papelada, sobre o que fazer com os corpos deles, se doariam os órgãos ou não, se seriam cremados os corpos ou se seriam enterrados. Começou isso tudo, e eu não me meti porque realmente não sabia, era só um adolescente de quase dezoito anos nas costas.

— Querido, coma algo pelo menos. Seu tio me disse que, você não comeu nada no café da manhã e nem na escola. – Vovó falou sentada ao meu lado, com um rosto bem abatido, mas deu seu sorriso lindo e iluminado que muitas vezes me tirou de confusões.

Eu engoli em seco, porque realmente não sentia fome e nem qualquer outra coisa, a única coisa que me era foco e se passava na minha mente era, a morte de meus pais.

— Vovó... Desculpa. Mas eu realmente estou sem fome e vomitaria se comesse. – Olhei para ela, e seu olhar pareceu me entender.

A mais velha me deu um abraço, dizendo que tudo ficaria bem, e que eu não ficaria sozinho nesse mundo por ter muitas pessoas que me ajudariam.

Posso lhe afirmar que todo o tempo que passei naquele hospital foi bem sufocante, eu chorava a todo momento e não conseguia ver como meu futuro seria daqui para frente. 

Mesmo que as palavras de todos fosse que tudo daria certo, e que eu não estaria sozinho, nem desamparado e tudo se resolveria no seu tempo. 

Ao irmos embora daquele hospital, meus tios me deixaram em casa onde falaram para eu pegar mudas de roupas, e coisas que eu usava no meu dia a dia. Porque eu passaria um tempo na casa deles, até tudo se resolver.

Uns dias se passaram desde a morte de meus pais, todo esse tempo fiquei na casa de meus tios que cuidaram de mim e me ajudaram bastante no que eu precisava.

Advogados sempre viam aqui na casa deles, para poder conversar e ver a situação que eu me encontrava. Como falta algum tempinho para eu fazer dezoito anos, minha guarda deveria ficar com alguém até eu chegar na maioridade. 

Avante de resolver sobre a minha guarda, que provavelmente ficaria com meus tios por serem os mais próximos e capacitados para ficarem com ela, além de que eu estava na casa deles então seria mais simples.

Mais uns dias foram passados até que a minha situação foi levada ao juizado de menores, quando chegou a resposta não me senti mais ansioso e feliz. Assim que vi, que meus tios teriam minha guarda e não seria mandado para um orfanato ou coisa do tipo. 

Quando informaram isso a nós, trouxeram uma papelada a qual seria minha herança deixada por meus pais, e todos os seus bens. Como eu era filho único, tudo ficaria comigo então não teria problema em dividir tudo.

Um papel me foi entregue.


"... Além de todos esses bens, a pousada, foi deixada para o único e legítimo filho de Moon Dakho e Park Chungja. Este que terá total acesso á prioridade, assim que atingir a sua maioridade."



Notas Finais


e, aí o que acharam?

logo tratei o primeiro capítulo, e acho que irão gostar bastante.

dream house: https://www.spiritfanfiction.com/historia/dream-house--longfic-nct-and-onlyonof-19761570

grupo:
https://chat.whatsapp.com/EoRLoeK4qTjHX41eyz5naa

2 beijos bye bye ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...