1. Spirit Fanfics >
  2. Moonsun- I Love You Baby >
  3. Seventeen

História Moonsun- I Love You Baby - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Oii cerejinhas💖🍒...
Eu sei, eu disse que ia atualizar na segunda vulgo, ontem. Porque, já é meia noite né ou seja, terça feira ;-;... Kakakakaka
O importante é que atualizei essa bagaça.
Tenham uma boa leitura 💖✨

Capítulo 17 - Seventeen


*Pov. Solar*

– Como assim? – Perguntei confusa.

– Tipo... A gente meio que vende essas mulheres, sabe? Mas... É de um modo diferente. – Ele disse sorrindo. – Chamo isso de "Money Woman"...

– Que?! – Perguntei mais confusa ainda.

– Money Woman, significa "Mulher dinheiro". Eu ganho dinheiro através dessas mulheres. – Ele disse sério.

– Mas se vocês às vendem, por que vocês as quase matam de tanto espancar? – Pergunto séria.

– Porque, o nosso objetivo não é vender elas vivas... E sim mortas. – Ele disse normal, eu fiquei tipo... "QUE?!"

– E quem compraria gente morta?! – Pergunto confusa, mas ainda assustada com o que eles estão falando.

– Alguns caras aí... Mas na real, a gente foca nos órgãos. Você faz ideia de quanto vale um fígado?! Ou um coração?! Cérebro?! – Ele Perguntava sério, me olhando e, eu só ficava assustada. – Vale milhões de dólares!

– Vocês são loucos... – Momo disse quase num sussurro.

– Então... Vocês iam matar a minha irmã?! – Pergunto brava, eles assentiu.

– Jackson... Estava devendo a gente mais de cem mil dólares. E ele disse que ia pagar a gente, com a namorada dele. – Jay Park disse normal.

– Então por que diabos, Jackson foi levar a Chae embora?! – Pergunto séria. Por mais que eu ODEIO o Jackson, eu acabo agradecendo ele por salvar minha irmã da morte... Isso se ele não fizesse isso depois de levar ela.

– Jackson, conseguiu arrumar uma grana pra nós. Então ele foi levar a Chae. – Jay Park disse normal.

– E vocês tem alguma ideia do porquê, ele quis levar a Chae? – Pergunto, o Félix me encara pensativo.

– Eu sei lá... O Jackson é muito misterioso... Não dá pra saber os movimentos deles, mas eu sei do que ele é capaz. – Félix disse sério. – Mesmo que várias pessoas sabem quem ele é, ninguém tem coragem de mexer com ele...

Realmente... Jackson é um cara muito sinistro, por mais que eu seja muito corajosa, eu não tenho certeza se eu teria coragem pra enfrenta-lo... Na verdade eu quase que bato nele na minha casa... Mas o que eu puder fazer pra salvar e ajudar, minhas irmã eu farei!

– E o Woojin??!!! Dele vocês sabem??!! – Pergunto brava, encarando eles.

– Ele foi atrás dessas garotas. – Felix disse normal. – Mas... Provavelmente ele não deve ter achado elas, então ele foi para a casa dele.

– Aonde é a casa dele?! – Pergunto.

– Fica em Busan, foi aonde Jackson mandou a Chaeyoung ir... – Félix disse normal.

– O endereço deve estar no celular dela... – digo baixo, pensando.

– E quanto aos nossos advogados? – Jay Park Pergunta, me olhando. – A gente precisa deles.

– Vocês sabem que menos de 20 anos de cadeia vocês não vão ter né? – Digo séria, eles assentiu.

– O lado bom, é que somos jovens ainda. – Felix disse normal, depois deu um sorriso de lado.

– Vocês merecem estar o resto da vida de vocês na cadeia! – Digo brava. – Pelo o tanto de mulheres que vocês mataram! E outra... Vocês são tipo um mercado negro.

– Toda forma de consegui dinheiro é válido. – Felix disse sério. – Senão fosse por esse esquema, eu não estaria vivo até hoje! Foi esse trabalho que me ajudou a sobreviver.

– E a gente vende, esses órgãos no mercado negro. – Jay Park disse normal.

Pelo amor de Deus! Esses caras têm que ir para um hospício!

– Vocês podem voltar para as celas... – Digo normal, e me levanto.

[...]

Já estou em casa, sentada no sofá vendo os noticiários. Enquanto Yerim, Sunmi e Joy estão conversando na cozinha.

Acredito eu, que tá tendo algo entre Joy e Yerim, se tiver espero que dê tudo certo. Yerim é um amor de pessoa, se preocupa muito com a Joy, e sempre dá atenção a ela. E a Joy... Merece muito alguém que a faça feliz.

Dês daquela conversa com o Félix e Jay Park, ainda a várias perguntas em minha mente... Acabei esquecendo de perguntar algumas coisas para eles.

Como por exemplo... "Por que eles só matam mulheres?! E não os homens também?!" "E o Bambam?! Aonde ele está?!"

MAS QUE PORRA VIU! Depois desse acidente que tive, passei a esquecer a merda das coisas! Eu deveria ter Perguntado sobre o Bambam!

Eu já não sei o que devo fazer... Minha irmã ainda está sumida, e ainda têm essa tal de Mina. Por que essas coisas acontecem só com a minha família?

Bom não só com a minha, acho que várias pessoas no mundo deve estar passando por problemas piores... Não posso ficar reclamando tanto.

Eu não sei, se chamo o Xiumin pra me ajudar... Pelo jeito que ele é, ele nem vai querer me ajudar! Ele é muito orgulhoso, e como nos tivemos uma briguinha, ele vai me cobrar algo...

Eu quando mais preciso dos meus cigarros, eles nunca estão aqui!

– Solar?! Solar?! Solar?! – Escuto Joy Perguntando preocupada, me sacudindo, olho para ela assustada. – Você está bem?!

– É... – Digo pensando no que falar... Eu nem sei o que sinto mais. – T-to bem.

– Não parece, você estava com uma expressão esquisita. – Yerim disse me olhando.

– São... Pensamentos meus... – Digo ainda pensativa.

"O que eu devo fazer???!!!" Só consigo Perguntar isso. Eu não posso fechar um caso, sendo que tem várias perguntas não respondidas. E dois criminosos para prender, não tem como! Eu preciso pensar em uma forma de achar a minha irmã!

– Solar? O que você tanto pensa? – Joy Pergunta, com uma de suas mãos em meus ombros. – Pode confiar na gente.

– É... Eu... – Quando Comecei a falar, alguém toca a campainha.

– Você chamou alguém Solar? – Joy Pergunta confusa, indo até porta.

– Não... – Digo normal.

Assim que Joy abre a porta, eu vejo a Seulgi e Irene. Elas depois de abraçar a Joy vieram até a mim, cumprimentou as meninas e se sentaram do meu lado.

– Você tá bem Solar? – Seulgi pergunta preocupada. Essa é a Pergunta que eu recebi mais de 5 vezes em um dia!

– Tô bem. – Digo normal. – Chato mesmo são essas muletas.

– Já, já você não irá precisar mais delas. – Seulgi disse sorrindo, ainda fico impressionada o como a Seulgi consegue ser tão fofa! Mas ela não é assim de características, essa daí é qualquer coisa, menos fofa. – E... Como que foi o caso? Achou a Chae?

– Não.... – Digo pensativa de novo. – Eu... Estou pensando muito sobre o que fazer...

– Sinto muito Solar... E Joy também. – Irene disse triste.

– Eu vou arrumar um jeito, de achar a Chae. – Digo séria. – Eu descobri uma coisa hoje Joy, e quero te contar. – Ela me encara, assim que falei seu nome.

– Oh... – Ela diz surpresa. – Pode contar.

Bom... Eu não iria falar nada disso na frente delas, mas eu não vejo tanto problema assim. São minhas amigas, acho que não vai dá em nada.

– Jackson e Mark, estão mortos. – Digo a olhando, ela ficou surpreendida. Bom... Eu já sabia dessa reação. – Eles morreram com tiros.

– Mas... – Eu sei que a Joy ia perguntar sobre a Chaeyoung, então interrompi ela.

– Joy, a Chae fugiu do Jackson. Só que não sabemos aonde ela está. – Digo séria. – O celular dela, está comigo.

– Mas... Ninguém ligou pelo número dela? – Seulgi Pergunta me olhando.

– Não... Só eu e a Joy quando ficamos ligando desesperadas para a Chaeyoung. – Digo séria. – Mas pelo menos vou conseguir encontrar, Woojin.

– Ainda não pegaram esse cara?! – Seulgi Perguntou surpresa.

– Ainda não. – Digo séria, a olhando. – Eu vou ir pra Busan amanhã.

– Seu rabo! – Joy fala brava me olhando. Eu olho pra ela um pouco surpresa, até porque, Joy não é de ficar falando essas coisas. – Você não vai ir pra lá!

– Por que não? – Pergunto a fitando.

– Simples... Você está com uma perna fraturada, e você não tem o que ir pra lá! Provavelmente vai ter caras que vão ir atrás de você! – Ela falava brava, mas eu via que ela tava com muito medo de algo acontecer comigo.

– Eu não vou ir sozinha Joy, vou ir com alguns policiais. – Digo normal.

– Pelo amor de Deus Yongsun! – Joy disse brava, quando ela fala o nome... – Você tá com uma perna fraturada! Você não pode trabalhar!

– Mas eu vou! E sabe por que?! – Pergunto brava, ela me olha esperando eu responder. – Porque, se eu voltar pra lá eu vou prender um cara que está sendo acusado de sequestro e tráfico. Além disso, eu vou ter mais chances de encontrar a Chae!

– Tudo bem Solar... – Joy disse cansada.

Eu super entendo ela está assim, eu e Chaeyoung somos como filhas para a Joy. Ela cuida tão bem de nós, ela se preocupa com a gente. Não tiro a razão dela está assim. Mas ela tem que entender, que é pelo o bem da humanidade e dela mesma.

Sem dizer nada, vou até ela e a abraço. Foi um ato meio inesperado de mim, pois é raros esses momentos de eu querer abraçar alguém.

Com isso, as meninas veio junto, e se abraçaram.

Depois que nós separamos do abraço, Sunmi gritou praticamente. Acabei assustando.

– O FRANGO VAI QUEIMAR! – Ela grita indo até a cozinha, acabamos rindo com o desespero dela.

Sentamos no sofá. Alguns minutinhos depois, Sunmi apareceu com uma bandeja com alguns cookies e xícaras de café.

– O que deu na Sunmi? – Perguntei meio confusa e as meninas riram.

– Eu não posso, ser gentil mais não? – Sunmi Perguntou meio brava, me olhando.

– Claro que pode, mas é estranho ver você sendo assim... – Digo irônica, indo pegar uma xícara.

– Hahaha... – Ela ri irônica. – Muito engraçado.

Rimos e cada uma pegou uma xícara, e alguns cookies. Estava tudo um silêncio, até a Joy Pergunta uma coisa.

– E como tá o bebê Irene? – Joy Pergunta olhando para Irene. Eu fiquei confusa.
 
  Bebê?!

– Está indo bem... – Ela disse sorrindo, os olhos dela brilhavam.

– Que?! – Perguntei, mais confusa que um cego no tiroteio. – Como assim?!

– VOCÊ NÃO SABE? – Sunmi gritou. Que mania é essa de ficar gritando?!

– Não... Eu não sei. O que tá acontecendo? – Pergunto confusa novamente.

– Solar... – Seulgi começa a falar, me encarando.

O meu Deus... Essa mania desses povo fazer suspense em mim, me deixa tão estressada...

– Fala! – Digo brava, a olhando. Ela suspirou antes de começar a falar.

– A Irene está esperando um bebê... Ou seja, ela tá grávida. – Seulgi disse séria, mas sorriu depois para a Irene. Acabei engasgando com o café.

  WHAT FUCK?!

– OI?! – Perguntei assustada, surpresa.

– É isso que você ouviu Solar... Por que? Você não gostou de saber disso?! – Seulgi Perguntava preocupada e triste.

– Não... Não é isso! – Digo tentando me defender. – É que ninguém me falou nada! E isso é chocante!

– Chocante por que? – Dessa vez Irene perguntou.

– Eu fiquei surpresa na verdade... Achei que vocês só iam ter filhos depois do casamento. Como vocês haviam falado para mim!

– A gente mudou de ideia, né meu bem? – Seulgi Perguntou, olhando a Irene que sorriu como resposta.

– Quando vocês iam me contar?! – Pergunto brava, mas com um tom de chateada.

– Você tava muito ocupada esses dias todos, nem deu tempo da gente ver você! – Seulgi disse séria. – A gente ia contar no mesmo dia que contamos pra Moonbyul.

– Moonbyul? – Pergunto confusa, elas assentiu.

– Mas fiquei sabendo que você tava fazendo uma busca, aí não deu pra te avisar... – Seulgi disse me olhando.

– Esses dias tá sendo uma merda! – Digo brava e exausta. – Mas... Eu fico muito feliz de saber disso Seulgi. – Digo sorrindo e, pude ver o brilho nos olhos das duas.

– Obrigada Solar... E você será a madrinha dele... – Irene disse alegre, Seulgi olhou pra ela confusa.

– "Dele"?! – Seulgi Pergunta confusa. – Vai ser ela!

– Como você sabe? – Yerim Pergunta surpresa, mas havia um tom engraçado.

– Eu sinto isso... – Seulgi disse, simplista. – Instinto de mãe, nunca erra.

– Não da pra saber, o sexo do bebê ainda não? – Perguntei tomando um pouco do café.

– Tá muito cedo pra isso. – Disse Irene, me fitando. – Só quando eu tiver nos quatro, cinco ou seis meses...

– E você tá com quantos? – Perguntei, curiosa.

– praticamente um mês. – Ela disse sorrindo, eu assenti.

Depois disso, as meninas ficaram em alguns assuntos aleatórios. Como eu não estava interessada, fiquei pensando sobre o como eu vou achar a Chae...

Por que isso está acontecendo com a minha irmã?! E não comigo?! Eu faria qualquer coisa pra tá no lugar da Chae...

Eu tava pensando nos momentos mais "legais" que eu tive com a Chaeyoung. Só quando ela era criança, que tínhamos uma relação boa.

Omma trabalhava muito, então eu como a irmã mais velha, tinha a responsabilidade de olhar as mais novas.

Joy, nunca deu trabalho, ela sempre foi quietinha e só queria saber de estudar. E tudo o que acontecia em casa ela queria saber todos os fatos e acontecimentos... Ou seja, ela já tinha o dom de ser advogada desde pequena.

Chae, era mais agitada. Só queria saber de brincar, de fazer zona... Ela era muito espertinha.

E... Por um momento, senti meus olhos encheram d'água... Eu não queria evitar aquilo, acho que eu segurei muito o meu choro. Por mais que eu ODEIO chorar na frente dos outros, eu não podia evitar... Eu precisava me livrar desse peso.

– Solar?! O que houve?! A sua perna tá doendo?! – Escuto Seulgi perguntando preocupada. Enquanto eu me derramava em lágrimas e mais lágrimas...

Eu não conseguia responder, era algo muito difícil. Eu só queria chorar, para esse peso horrível sair de mim. Eu... Estou me sentindo tão culpada por isso tudo... Chae pode estar morta! E se ela estiver eu nunca irei me perdoar por isso!

Consigo sentir, alguém me abraçando... Não consigo identificar e nem ver quem é, pois as minhas lágrimas impediam de ver.

*Pov. Chaeyoung*

Faz uma semana, que eu estou aqui. Eu preciso sair daqui! Faço ideia de como está a Solar... Por mais que eu ela não conversamos muito, eu acredito que ela está muito preocupada.

A Joy tenho nem duvidas... Ela é como uma mãe pra mim. Ela deve tá pirando em Seul.

– Chae?! – Escuto Mina me chamando, olho para ela. – Venha, Subin fez a janta.

Continuei no mesmo lugar, não estava com fome. Ainda pensando sobre o como as minhas irmãs devem estar, escuto passos vindo até mim. Mas continuei com a cabeça baixa.

– Chaeyoung... Você tá bem?! – Mina Perguntou preocupada. – Você precisa comer algo, você já tá dias sem comer...

– Eu não tô com fome Mina. – Digo normal.

– Chaeyoung, tá acontecendo alguma coisa? – Mina pergunta, um pouco preocupada. Eu a olhei e, senti os meus olhos encherem d'água.

– É que... Eu tô praticamente um mês sumida... Minhas irmãs devem estar preocupadas demais! – Digo quase chorando. – E... Lalisa e Dahyun, sumiram da casa! A gente faz nem ideia pra onde elas foram!

A Mina só me abraçou, na verdade... Era tudo o que queria. Essa é a terceira vez que a Mina me abraça, e eu me sinto mais segura... Não dá pra explicar exatamente.

– A gente vai sair da cabana... – Ela disse se afastando do abraço. – Só, que nessas condições que está eu e você. Não podemos sair...

É verdade, Mina e eu não conseguimos andar direito. E eu acho que peguei uma gripe também, sem contar que Subin e Minjae não sabem dirigir.

– Eu preciso tanto voltar pra casa... –Digo triste.

– A gente sabe... E você vai voltar pra lá, okay? – Mina pergunta, segurando a minha mão. Acho que a intenção dela foi passar confiança.

– Vocês... Não tem nenhum celular?! A gente podia ligar pra eles! – Digo um pouco estérica.

– Infelizmente não temos Chae! – Escuto Minjae gritando, por que estamos afastados. – E não sei como eu vou arrumar um também.

– Chaeyoung... A gente vai sair daqui, tenha calma. – Mina disse me olhando, seus olhos era como castanhas... Muito lindos.


Notas Finais


Gente, eu acho que já havia perguntado isso em algum cap anterior, mas não lembro ;-;...
Vocês querem um cap especial, de algum casal que passa aqui nessa fic?? Se quiser, comentem.
Eu sei que não faz tanto sentido, porque a história aqui é Moonsun né kakakakak, mas... Sei lá. Só digo que tem algumas coisas pra acontecer, até o Moonsun realmente rolar...
Eu tô enrolando demais, em Moonsun Vey kakakakaka preciso resolver isso ;–;......


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...