História Morando com um pervertido - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Comedia, Comedia Romantica, J-hope, Jikook, Jimin, Jimin!bottom, Jin, Jungkook, Jungkook!top, Kookmin, Namjin, Namjoon, Romance, Suga, Taehyung, Taeyoonseok, Vhope, Yaoi
Visualizações 286
Palavras 3.317
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O que eu digo aqui é:
Mais um cap e esse, com um hotzin ;3

Capítulo 9 - 8. O novo amor do Tinder e "vadia por uma noite"


— Ok, qual foi a merda da vez? — perguntei logo ao me sentar na cadeira da mesa onde o casal se encontrava.

 

— Ah, finalmente você chegou. — Taehyung larga após parar de conversar com o namorado e me encarar.

 

— Demorou, hein Jimin? — Hoseok de pronúncia.

 

— Vocês me ligaram no meio da tarde. — digo pegando o cardápio do lugar de cima da mesa e passando meu olhar por ele. — Eu sou um homem ocupado, sabia?

 

— Ah tá. — Tae exclama sarcástico. — O máximo que você estava fazendo à essa hora era coçando o saco no sofá.

 

— Ou talvez Jungkook estivesse em casa e...

 

— Cala a boca. — interrompi Hoseok antes que ele falasse bosta. — E então, qual o motivo de terem acionado o código FG?

 

O código FG (Abreviação para "fodeu geral") é a sigla que eu, Taehyung e Hoseok usamos para indicar que fizemos alguma merda e precisamos da ajuda um dos outros. É como se fosse um alerta para dizer que algo deu ou vai dar muito errado e que não é brincadeira. Bom, ou pelo menos era pra ser isso.

 

Quando criamos o FG, na oitava série, depois de eu precisar faltar a aula por causa de um problema intestinal gravíssimo chamado diarreia e precisar que Taehyung e Hoseok inventassem algum tipo de desculpa para o professor que não envolvesse algo como "Jimin está cagando água" - que seria provavelmente o que eles iriam dizer - criamos o Fodeu Geral.

 

Nesse dia em específico eu não queria sair dizendo a eles que estava com diarreia, pelo mesmo motivo de não querer eles inventando desculpas com isso, então apenas disse algo do tipo: "Fodeu geral e eu vou ter que ficar em casa. Inventem alguma desculpa para os professores que depois eu conto a vocês o que aconteceu" e depois disso, sempre que precisávamos de ajuda, falávamos "fodeu geral" antes da frase.

 

Os tempos foram passando e acabamos abreviando para FG, pois não queríamos sair gritando "fodeu geral" em qualquer lugar. E com os tempos passando, a gravidade dos problemas também foi levada junto.

 

Antes só acionavamos o FG para caso previsasemos de algo urgente, de uma ajuda de imediato, mas hoje em dia uma barata voadora no apartamento já é motivo para ligarmos pedindo ajuda usando o código. Não estou nem brincando, Hoseok fez isso semana passada.

 

Acho que mesmo não levando tão a sério o Fodeu Geral como antes, ainda me sinto animado com a esperança de que em algum momentos realmente iremos usa-lo para algo importante. E vai que esse momento não seja agora?

 

— Ok, te chamamos aqui por causa que... — Taehyung parecia meio receoso de suas palavras. — Acho que estamos gostando de alguém.

 

— Quê? — volto o cardápio a mesa e os encaro sem entender.

 

Ok, talvez não seja hoje que usamos o código para algo importante.

 

— O que Tae está querendo dizer é que estamos apaixonados. — Hoseok tenha explicar.

 

— Acho que "apaixonados" é uma palavra meio forte. — Taehyung se dirige ao namorado.

 

— Apaixonados? Apaixonados entre si? Isso é normal, não é? Vocês são um casal, devem estar apaixonados um pelo outro. — afirmei.

 

— Não Jimin, não é um pelo outro. — Hobi fala calmamente.

 

— Não? Como assim não? Vocês não se amam mais? — pergunto já começando a me preocupar com a situação.

 

— Não! — Taehyung nega rapidamente. — Não é isso...

 

— Então expliquem direito cacete!

 

— Bom, tudo começou a duas semanas. — Hoseok começa a falar como se visse flashbacks em sua frente. — Eu e Taehyung resolvemos abaixar um aplicativo de encontro e namoro só por diversão, só pra... Sei lá.

 

— Só para testarmos algo diferente, sair da rotina, nada demais. — Taehyung completa. — E então achamos um cara nessa aplicativo. Começamos a conversar e tudo mais e acabamos achando o cara bem interessante.

 

— Então resolvemos marcar de se ver. — Hoseok começa novamente. — Nos encontramos em um parque, ele não achou problema em sermos um casal e tudo mais, então rolou. — Hoseok junto a Taehyung esboçou um sorriso um tanto quanto carregado de malícia enquanto olhavam para a mesa, provavelmente relembrando das cenas obscenas daquele dia.

 

— Depois disso acabamos nos envolvendo mais e nos encontravamos com ele todo dia. — Taehyung para de encarar a mesa e me olha com um sorriso meio abobado. — E sem nem ao mesmo perceber acabamos nos apegando a companhia dele.

 

Eu ainda estava processando as informações. Cruzei os braços, me escorei mais ao encosto da cadeira e ergui as sobrancelhas.

 

— Então o que estão querendo me dizer é que vocês entraram no Tinder procurando só alguém pra fazer uma suruba e acabaram achando o segundo amor das vidas de vocês? — pergunto vendo Taehyung concordar com a cabeça.

 

— Tipo isso.

 

— Mas e o amor que vocês — aponto para Hoseok e Taehyung. — sentem um pelo outro?

 

— Continua o mesmo. — Hobi responde simples, dando de ombros. — Ainda nos amamos, mas achamos que amamos esse novo cara também.

 

Mais alguns minutos em silêncio da minha parte, fazendo com que Hoseok e Taehyung me olhassem intrigados, esperando que eu falasse algo.

 

— Ta e aonde eu entro nessa merda? Aonde o código entra na suruba apaixonada de vocês? — quebrei o silêncio fazendo Taehyung bufar.

 

— Jimin, estamos sem saber o que fazer. Hoseok está gostando de outro alguém que não seja eu e eu estou gostando de outro alguém que não seja Hoseok. Mas ainda sentimos atracão um pelo outro. Ainda nos amamos. — Taehyung diz como se fosse óbvio.

 

— Estão dividindo o sentimento de amar com alguém e precisam de um conselho meu? — eles concordam com a cabeça. — Falem pro cara. Se ele transou com vocês e ainda continuaram saindo, quer dizer que talvez ele não queria só se divertir. — respondo simples.

 

— Acha mesmo? — pergunta Hobi. — Não acha meio estranho um casal estar apaixonado por alguém que não seja o seu parceiro?

 

— Não, não acho não. Não é como se fosse impossível amar duas pessoas ao mesmo tempo. — encaro novamente o cardápio.

 

— Não está surpreso?

 

— Taehyung eu não duvido nada de vocês. Se chegarem me dizendo que vão começar a frequentar a igreja e vão virar padres que oram por um mundo melhor, a única coisa que eu vou dizer é: vai com fé. — analiso um pouco o que acabei de dizer. — Tá, talvez eu duvide um pouco disso.

 

Os dois riem.

 

— Valeu Jimin, pensávamos que iria surtar quando contássemos. — Hobi fala, dando início a um silêncio no ambiente.

 

— Mas mudando de assunto, está estudando para a prova de sexta? — Taehyung quebra o silêncio logo depois e pega o cardápio da minha mão.

 

— Prova de sexta? — encosto meus braços novamente na mesa, sentindo meu coração começar a acelerar.

 

— Sim, o exame final do trimestre da faculdade. — Hoseok diz analisando o cardápio junto com Taehyung. — Vou pegar a torta de maçã, amo ela...

 

— É boa, né? Mas acho que vou experimentar a dê limão... — eles falavam baixo enquanto apontavam para o nome das comidas no cardápio do local.


Eu mal prestava atenção no que falavam, a única coisa que agora rodava minha cabeça no momento era o fato de que eu tomei no cu. Tem prova daqui a menos de uma semana e eu nem ao menos toquei no livro, não sei nem ao menos o que vai estar nessa merda de exame. E acredite, Park Jimin não é alguém que aprende rápido. Quando se trata de aula - e o resto - Park Jimin é alguém que nunca aprende.

♣(Quebra de tempo)♣

Praticamente uma semana. Uma semana com a cara enfiada no livro, uma semana trancado no quarto fazendo companhia aos livros didáticos e aos cadernos e anotações, uma semana saindo de dentro do quarto apenas para comer e ir à maldita faculdade.

 

Nessa semana inteira eu apenas estudei e estudei mais. Depois desses dias eu tenho ranço de qualquer tipo de livro, qualquer coisa que tenha mais de três linhas escritas explicando algo que eu paro de entender na metade da primeira palavra.

 

Uma semana estudando para no final, eu não lembrar de nada.

 

— Mas que merda! — falo jogando o caderno no chão do cômodo e passando a mão pelos cabelos, descontando o stress puxando os mesmo de leve. — Nunca vou conseguir aprender isso.

 

Alguns segundos em silêncio, esperando o choque de raiva passar enquanto observava o caderno no chão.

 

— Jimin? — o silêncio é quebrado pelo ranger da porta se abrindo e a voz de Jungkook logo em seguida. — Está tudo bem? Ouvi um barulho lá de baixo.

 

— Está tudo bem sim Kookie. — suspiro frustrado e me levando de minha cadeira, pegando o caderno do chão e colando em cima da escrivaninha novamente. — Apenas não consigo decorar essa coisa de conteúdo.

 

— Quer ajuda? — ele pergunta me fazendo pensar por alguns minutos.

 

— Não, obrigado.

 

Jungkook já havia me ajudado demais nesses últimos dias. Enquanto eu estudava ele fez tudo o que eu faria. Lavou a louça, fez a comida, colocou as roupas para lavar, até varrer a casa o homem varreu. Não queria abusar da sua vontade, até porque sei que ele também trabalha bastante e deve estar cansado.

 

— Tem certeza? — o moreno insiste.

 

— Tenho Jungkook. — falei mais rude. Estava irritado demais para qualquer coisa.

 

— Mesmo? — ele olha a pilha de anotações em cima da escrivaninha. — Parece que anda se esforçando demais. Faça uma pausa, descanse um pouco...

 

— Não Jungkook, você não tendende. Eu tenho que continuar, esse exame é importante. É um dos mais importantes do ano. — falo suspirando rudemente.

 

Eu sabia que Jungkook só queria ajudar, mas eu estava cansado já. Nem pensando direito no que falava eu estava, apenas o que tinha na minha cabeça era preocupação com esse exame.

 

— Mas...

 

— Ai que merda Jungkook! — o interrompi, quase berrando. — Apenas saia e deixe eu me concentrar, entendeu? — falei voltando a encarar os papéis a minha frente.

 

Jungkook suspira e olha para o chão, engolindo em seco e apenas concordando com a cabeça e soltando um "Tudo bem" antes de sair.

 

E assim eu segui estressado e irritado, estudando até tarde da noite.

 

Fui me tocar do que havia feito apenas depois e logo quando me toquei uma onda de arrependimento me atingiu. Eu havia brigado com alguém que me ajudou a semana inteira, com alguém que me ajudou dês de que pus os pés aqui. Eu gritei - mesmo não sendo a intenção - sem necessidade com Jungkook, que só queria mais uma uma vez ajudar.

 

Eu fui um completo idiota.

 

E me sentindo um completa idiota eu descia as escadas até a cozinha, vendo Jeon ali, acabando de lavar uma pilha de louça que na verdade eram para estarem sendo lavadas por mim.

 

Eu me aproximo por trás, ficando na ponta dos pés para poder abraçar totalmente seu pescoço.

 

— Desculpa por gritar com você aquela hora. — disse corado enquanto olhava para qualquer canto do cômodo.

 

— Tudo bem, você estava estressado, foi apenas um descontrole. — ele sorri minimamente e seca as mãos molhadas no pano de prato.

 

— Não Jungkook! Você vêm me ajudando a semana inteira e então eu faço isso. Nem agradecer eu agradeci direito. — falo enquanto vejo Jungkook se virar e me encarar.

 

— Me agradecer?

 

— É, obrigado por fazer as minhas tarefas. — digo me referindo aos serviços domesticos enquanto encarava fixamente meus pés.

 

Ouço Jungkook rir depois de alguns longos minutos em silêncio.

 

— Não fiz nada de mais Jimin. — ele levanta minha cabeça com o indicador. — Percebi o quanto estava agitado com essa função de prova e então apenas fiz por você. — ele sorri gentil.

 

— Mas de qualquer forma, obrigado. Eu estou realmente estressado... Não sei nem como te agradecer. — perguntei vendo Jungkook se aproximar e selar nossos lábios rapidamente.

 

— Como eu disse: não fiz nada mais que minha obrigação. — ele exclama e eu sorriu corado.

 

O moreno segura meu queixo levemente e aproxima mais seu rosto do meu, selando nossos lábios novamente, mas agora em um beijo demorado.

 

Eu relaxo por completo e sinto sua língua pedir passagem entre meus lábios, então os abro, sentindo as mãos do moreno descerem até minha cintura e a apertarem.

 

Jungkook explora minha boca enquanto me prensa contra o balcão da cozinha, me fazendo arfar entre o beijo.

 

— Quer me agradecer Mochi? — ele pergunta quase em um sussuro quando separa sua boca da minha.

 

Eu apenas concordo com a cabeça e fecho os olhos quando sinto sua boca vindo de encontro com o meu pescoço.

 

— Então seja meu essa noite. — ele fala entre um dos chupões que deixava em minha pele. — Seja minha vadia por algumas horas.

 

Me assusto com o pedido, mas a trilha de beijos e mordidas que Jungkook deixava em meu pescoço eram mais importantes que qualquer outra pergunta.

 

Minha resposta foi um gemido manhoso e uma mordida forte em meu lábio inferior, tentando segurar os outros sons de prazer que insistiam em ver.

 

— Jungkook, e-estamos na cozinha. — falei arrastado enquanto sentia sua mão deslizando de minha cintura até minha coxa, a levantando, dando sinal para que eu as enroscasse em sua cintura.

 

E foi isso que fiz.

 

— Eu gostaria de te foder aqui mesmo, em cima do balcão. — ele solta rouco, fazendo eu sentir cada pelo do meu corpo se eriçar. — O que acha? — era um pergunta retórica, então nem me dei o trabalho de responder e apenas aproveitei as alpapadas que o mesmo deixava em minha bunda.

 

Arfei quando o moreno beliscou minha nadega e me fez largar um gemido fino e nada másculo, enquanto me carregava em direção ao quarto em seu colo, com minhas pernas ainda em sua cintura.

 

Subi as escadas largando arfadas baixas pelos toques de Jungkook e sussurando roucamente o nome do moreno, que atacava meu pescoço sem dó ou preocupação das marcas que viriam posteriormente.

 

Quando entramos no quarto minhas costas são jogadas contra parede da porta, a trancando e me fazendo sorrir ladino, já sentindo minha cueca ficando apertada quando Jungkook tira minha camisa. Ele a joga em qualquer canto e desce os chupões do ombro para meu peito.

 

— J-Jungkook... — gemi ao sentir a boca do moreno em um dos meus mamilos, enquanto a mão deslizava até minha ereção e a apertava.

 

— Isso Jimin. Quero você gemendo meu nome alto e claro, para toda a vizinhança ouvir. — ele aperta meu membro ereto por cima da calça, me fazendo jogar a cabeça para trás.

 

Mordo meu lábio e volto a encarar o moreno que agora já me jogava em cima de seus lençóis macios e ficava em cima de mim, com seu joelho entre minha pernas.

 

O puxo para mais perto pela gola da camisa, logo a tirando e jogando ela pra puta que me pariu junto com a minha. Ataco seu pescoço, largando chupões fortes ali enquanto sentia o moreno descer sua trilha de beijos dos mamilos até o cós da minha calça, começando a tira-la com a boca.

 

— Kookie... — mais um gemido sai de minha boca enquanto agarro seus cabelos com as mãos os puxando de leve.

 

Ele arranca o resto que faltava da minha calça e me encara, botando a mão no cós de minha cueca.

 

— O que você quer que eu faça Mochi? — ele pergunta deslizando a mão para dentro da minha cueca.

 

Sinto suas mãos tocarem meu pênis já ereto e então mordo o lábio com mais força.

 

— Quero que me foda Jungkook. — aproximo minha boca de seu ouvido. — Me foda fundo e forte. Eu não quero andar amanhã. — sussurro em seu ouvido e o mesmo sorri.

 

Jungkook tira minha cueca e como num passe de magica o resto de suas roupas também são jogadas em qualquer lugar irrelevante.

 

— De quatro Jimin. — ele manda autoritário.

 

Obedeço e fico de quatro para Jungkook, sentindo a cabeça de seu membro já em minha entrada e um tapa estalado em minha bunda.

— Que vadia mais obediente essa minha.

 

Seguro os lençóis com força e abaixo a cabeça quando sinto Jungkook me penetrando. A dor era gigantesca, mas o prazer que ainda estava ali era maior.

 

Depois de entrar por completo e receber de resposta um gemido de dor da minha parte, o moreno começou a dar selinhos em minhas costas para aliviar a ardência que eu sentia percorrer pelo corpo inteiro. Suas mãos tocam o meu membro o segurando levemente e começando a fazer movimentos de masturbação lentos.

 

Alguns segundos depois que a dor e a ardência diminuíram e com os movimentos torturantes de tão lentos em meu membro o fogo aumentou, então dou sinal empurrando o quadril para frente em uma estocada, pedindo por mais contato.

 

Jeon sorri e então começa a me estocar devagar, aumentando o ritmo aos poucos junto com os movimentos em meu membro.

 

Eu gemia manhoso e claro, não me importando com quem ouvia ou deixaria de ouvir. Era uma onda de prazer enorme, que cada vez eu queria mais. Até Jungkook ir tão fundo, e acertar um lugar de estremo prazer.

 

— Aown J-Jungkookie... A-acerta ai de novo. — pedi arrastado entre os gemidos.

 

O moreno obedece e com força acerta o lugar novamente, me fazendo gritar seu nome de prazer.

 

— É aqui Mochi? — mais uma estocada forte é acertada no meu ponto de prazer. — Hm? — sua voz saia rouca e falhada, deixando tudo cada vez mais excitante.

 

Seus cabelos grudados na testa pelo suor e sua respiração descompassada só me faziam achar que eu estava no paraíso e poderia gozar apenas vendo essa cena.

 

Eu concordo com a cabeça mais uma vez e Jungkook acerta com brutalidade, fazendo eu sentir uma onda de prazer enorme percorrer o meu corpo, o amolecendo por completo e esparramando goza pelas mãos do moreno.

 

O mesmo dá mais uma estocada e eu sinto sua goza me preencher por dentro.

 

Ele cai ao meu lado na cama, ofegante e suado.

 

Eu estava com a boca aberta, puxando o ar que me faltava e ainda me recuperando da grande maré de prazer que tinha me atingido.

 

Sinto Jungkook abraçar minha cintura

e depositar um beijo em meus cabelos molhados. Eu sorri e encostei a cabeça em seu abdomen.

 

E naquele momento não precisávamos de palavras, ou sinas ou qualquer outro tipo de comunicação para saber que aquele momento foi um dos melhores que já havíamos vividos.

 

Adormeci alguns segundos depois com a respiração de Jungkook se acalmando aos poucos e me acalmando junto.

            ♣(Quebra de tempo)♣

E mais uma vez eu acordo com a merda de algo que não é o meu despertador. E pior, era Kim Taehyung me ligando quando faltava mais de 5 minutos para mim acordar.

 

Cinco minutos de sono perdido pra ouvir aquela criança falando merda.

 

Pego meu celular do criado mudo e atendo.

 

"Nós contamos." Ele solta animado.

 

— Que? Contaram o que? — perguntei baixo para não acordar Jungkook, que dormir igual a uma pedra ao meu lado.

 

"Contamos para o cara do Tinder que estamos a fim dele."

 

— Tá e por que raios tu me ligou a essa hora se eu vou te ver daqui a minutos? — digo tentando me sentar na cama e sentindo uma dor enorme no cu.

 

Sussurro um "merda" e me deito novamente, desistindo de tentar sentar e corando por lembrar o motivo de não conseguir.

 

"Porque contamos ontem à noite e não tive tempo de te falar. Queria contar logo, porque acho que estamos em um relacionamento a três." Eu juro que podia ver Taehyung esboçando seu sorriso quadrado do outro lado da linha.

 

— Que rápido. — sorriu também. Pelo jeito, isso era importante para eles. — E Hobi? O que está fazendo que não está aqui jogando sua felicidade na cara da sociedade?

 

"Está dormindo. Digamos que depois de nos abrimos para o cara, abrimos outra coisa para ele também..."

 

— Já entendi. — o interrompi para não ouvir merda. — Mas então, qual é o nome do novo namorado de vocês? Eu nem perguntei. — exclamo lembrando que não havia nem ao menos perguntado os dados básicos do cara que meus amigos estão pegando.

 

"Não é como se você fosse conhecer..." Tae diz brincalhão. "Min Yoongi é o nome dele."

 

E foi nesse momento que o meu queixo foi parar no centro da terra. 


Notas Finais


E esse taeyoonseok vindo? ASDORON

Perdão qualquer erro, eu realmente não sei escrever hot ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...