História Morbius : The Dark Vampire King - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Dove Cameron, Homem-Aranha, Jared Leto, Madelaine Petsch, Margot Robbie, Mulher-Aranha, Riverdale, Stranger Things, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Alice Cooper, Archibald "Archie" Andrews, Billy Hargrove, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Dr. Curt Connors (Lagarto), Dr. Wesley "Wes" Maxfield, Edward "Eddie" Allen Brock (Venom), Elena Gilbert, Eleven (Onze), Elijah Mikaelson, Elizabeth "Betty" Cooper, Enzo, Eugene "Flash" Thompson (Venom / Agente Venom), Felicia Hardy (Gata Negra), Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Gwen Stacy, Harry Osborn (Duende Verde), Hope Mikaelson, John Gilbert II, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Malachai "Kai" Parker, Mary Jane Watson, Mulher-Aranha, Nancy Wheeler, Norman Osborn (Duende Verde), Personagens Originais, Peter Parker (Homem-Aranha), Stefan Salvatore, Steve Harrington, Veronica "Ronnie" Lodge
Tags Damon Salvatore, Drama, Homem Aranha, Jared Leto, Jargot, Katherine Pierce, Killian Jones, Margot Robbie, Marvel, Morbius Vampiros, Riverdale, The Originals, The Vampire Diaries, Tom Holland
Visualizações 23
Palavras 2.633
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Margareth : Morbius, a origem do vampiro vivo :Parte 2 final


Fanfic / Fanfiction Morbius : The Dark Vampire King - Capítulo 3 - Margareth : Morbius, a origem do vampiro vivo :Parte 2 final

Michael narrando :

Eu acordo assustado, mais morto do que vivo. Não era mais eu naquele corpo, eu era outra pessoa. Parecia que eu estava corpo, eu não respirava muito bem, eu me sentia gelado e eu também sentia uma terrível fome até se repete, eu ver a enfermeira do doutor :


- Senhor Morbius. Ela me disse para lhe dar isso. - Diz a enfermeira intacta enquanto pegava um bisturi da mesa


De repente, a enfia o bisturi em seu pescoço, minha reação era pra ser de ajudá-la, mas foi totalmente diferente. Quando eu percebo, eu me vejo bebendo litros do seu sangue, ela não gritava e nem tentava fugir, ela só ficava ali, parada. O que eu fiz ? O que eu era ? Eu precisava de informações então, após eu ter cuidado do corpo da enfermeira, eu vagava perdidamente pela casa, até eu avistar o doutor. Ele estava sentado na mesa de sei escritório, bebendo uma taça de vinho, como se estivesse comemorando uma vitória. Mas que vitória ?


- Ah, pelo visto já acordou ! Se alimentou? Pergunta ele se levantando da cadeira - O que você fez ? Eu acabei de matar uma mulher. Uma inocente ! Digo assustado

- Você é um vampiro, meu caro. E agora, eu o tornarei um escravo estripador ! Responde o doutor


De repente, o mesmo doutor pega uma seringa de sua mesa, ele iria injetar algo em mim. Até de repente, alguém enfiar uma adaga em seu estômago. Eu fico horrorizado, porém aliviado. Quando o doutor desmaia de tanto perder sangue, eu vejo meu suposto Salvador :


- Killian ? Pergunto surpreso - À quanto tempo meu amigo ! Responde o mesmo


( ... )


Eu e Killian ( interpretado por Colin O'Donough, o gancho de Ouat ) éramos amigos dês do colegial, mas nós nos separamos por causa da faculdade. Eu faria medicina e ele entraria para o colégio militar, mas hoje nos reencontramos após anos :


- Meu amigo ! Digo abraçando ele - Mais uma vez eu te salvo, me deve dois copos de tequila meu amigo. - Diz Killian

- Como sabia que eu estava aqui ? Pergunto - Eu estava a sua procura. Seus pais me contaram que você faria um procedimento para se curar, desta merda de doença. - Responde Killian


Eu me aproximo do sol e quando sinto os raios de Sol sob meu corpo, eu também sinto uma sensação de queimação :


- Ahh, mas que merda. O que que tá, acontecendo comigo ? Pergunto assustado - Você é um vampiro meu amigo. Sim, eles existem e você é um deles. - Responde Killian

- Eu achava que só, existiam vampiros nesses filmes melosos. Como sabe disso ? Pergunto - Porque meu pai, era um caçador de vampiros. Eu não sou igual à ele porque, você sabe que eu adoro provocar ele. Mas agora você está curado da doença, seu fator de cura está acelerado e você só pode ser morto ou com uma estaca no coração ou, queimando no sol. - Responde Killian


De repente, Killian joga um anel pra mim :


- Coloque, vai te proteger do sol. Agora meu amigo, vamos para Nova York. Lá eu tenho um amigo que é vampiro como você, ele vai te ajudar a controlar essa sede por sangue humano ! Diz Killian

- Tá, mas e as minhas coisas ? Pergunto - Estão aqui ! Diz Killian pegando uma mala

- Você tá preparado pra tudo ! Digo pegando uma roupa e indo em direção do banheiro

- Eu sempre estou ! Diz Killian


Depois que eu me troco, vamos para o navio que nos levava para Nova York, guardamos nossas coisas no nosso quarto e eu vou para o convés. Lá eu fico na beira do navio observando o mar, a cor do mar me lembrava a cor dos olhos da Margareth. Ela era tudo para mim :


Flashback onn :

À alguns anos atrás, no hospital. Eu estava confuso e sonolento, quando acordo do meu coma, eu vejo meu pai e minha mãe, Hermione e Hiram Lodge. Eles estavam tristes, e falando com o médico :


- Mãe, pai ? O que está acontecendo ? Pergunto 

- Morbius, onde você foi encontrado, havia uma seringa, examinamos o resíduo do líquido que havia na seringa e também examinamos seu sangue. O resultado do líquido, deu para saliva de morcego com saliva de lobo, uma combinação mortal. E o resultado do seu sangue, deu para uma doença muito rara, que é transmitida pelo lobo ou pelo Morcego. Está doença não há cura ! Responde o doutor, me deixando abalado


- Eu não vou deixar meu filho morrer. Eu vou pagar todos os tratamentos necessários, para manter meu herdeiro vivo ! Meu pai diz aquilo, parecendo que ele ia demolir céus e terras pra tentar me curar


Uma semana depois, eu recebi alta, mas eu não estava bem. Eu entrei em uma depressão profunda, nada iria me fazer melhorar. Com a doença, eu tive que finalizar a faculdade, mas eu trabalharia. Anos de passaram e um dia, meu pai decidiu me mandar para Nova York, lá eu teria o tratamento físico e psicológico necessário, para me manter bem :


- Eu preciso ir mesmo mãe ? Pergunto. Nós estávamos esperando o navio para Nova York chegar - É necessário Morbius, pelo seu próprio bem ! Ela estava com um olhar de esperança, mas eu continuava achando que uma hora ou outra eu morreria


Após nos desperdimos, eu entro no navio e parto para Nova York. Depois de quase um mês dentro de um navio, finalmente chego em Nova York, lá eu trabalharia num laboratório de um tal de Osbourne. Eu moraria num apartamento de luxo, mas eu nem ligava mais para isso, eu estaria morrendo mesmo é naquele mesmo dia, eu teria uma sessão com a pisicologa Alice Cooper. Quando chego, ela me manda me deitar naquelas típicas cadeiras de sessões pisicologas. Eu falo sobre minha doença e tudo que eu sentia ou pensava sobre aquilo. Depois de uma hora falando sobre mim:


- Bem, Morbius, pelo que eu analisei, você tem problemas com a sociedade, com as pessoas. Você precisa de alguém para desabafar, se você guardar essas sensações e pensamentos só pra você, isso te afetará ! Diz Alice se levantando de sua cadeira

- Obrigada Srta Cooper, por me ajudar. Quando será a próxima consulta ? Pergunto me levantando junto com ela

- Bem ...


Eu paro de escuta-la, quando vejo uma garota dos cabelos loiros e os olhos claros entrando na sala. Ela era linda. Parecia um anjo, que tinha entrado na minha vida. Eu estaria apaixonado ?


- Desculpe atrapalhar mãe ! Diz a moça se aproximando de Alice, que provavelmente, era sua mãe

- Tudo bem filha, aqui está o dinheiro para a passagem do seu ônibus ! Diz Alice dando 10 dólares para a moça

- Obrigada ! Diz a moça indo embora


Eu não podia deixar ela ir embora, então eu peguei minha próxima consulta com pressa e sai correndo atrás moça, com sorte, eu consigo acha-la :


- MOÇA ! Ela se vira para mim quando ouve eu gritando por ela

- Sim ? Pergunta a moça se aproximando de mim - Você quer carona ? Eu sou o paciente de sua mãe e gostaria de te levar até seu destino ! Pergunto

- Ah, tá legal ! Responde ela com um leve sorriso


Entramos no carro e fomos até seu destino, que era uma escola. No meio do caminho, eu queria tentar falar ou fazer alguma coisa, então eu começo com um elogio :


Qual é seu nome ? Pergunto - Margareth ! Responde ela com um olhar de " estou pouco me fudendo "

- Sou Morbius, mas por favor me chame de Michael. Eu vim de Atenas Grécia ! Digo - Legal ! Diz ela enquanto retocava sua maquiagem


- Você é filha única ? Pergunto - Não, tenho várias irmãs ! Responde Margareth - Devem ser lindas como você ! Digo enquanto eu colocava minha mão sob sua coxa


De repente ela me faz parar o carro quase atropelando os cidadões :


- Escuta aqui seu assediador estúpido ! Na próxima vez que você tentar me " flertar " ou encostar em mim, eu quebro sua mão pálida ! Diz Margareth segurando minha mão com força


Ela larga minha mão e vai embora, dando passos duros. Não foi certo o que eu fiz. Meses se passaram e minha depressão parecia estar indo embora aos poucos, mas nunca é bom criar muita expectativa :


Narrador narrando :

Num dia nublado e chuvoso, a jovem Margareth andava pelas ruas de Nova York, porém ela estava apressada para seu trabalho de garçonete. Então, ela resolve cortar caminho, passando por um beco escuro até de repente, ela é surpreendida por um ladrão :


- PARADA AÍ DONDOCA ! Grita o ladrão enquanto apontava uma arma para ela - T..tá ! Gaguejava a jovem de tão assustada


O ladrão pega todos os bens de Margareth, mas ele queria mais. De repente, ele agarra a moça :


Morbius narrando :

Eu andava pelas ruas de Nova York, eu tinha acabado de sair do meu trabalho, até se repente, eu ouso um grito de " socorro ". Eu corro até os gritos e descubro, que Margareth estava em perigo. Quando eu vejo aquele filho da puta, agarrando ela à força, meu sangue começa a ferver e quando eu noto, eu já estava enchendo a cara do porrada :


- Nunca mais, encosta num fio de cabelo dela ! Digo com a voz rouca, no pé do ouvido dele


- Agora, dá a bolsa dela ! Digo ainda com a voz rouca


Ele me dá a bolsa dela :


- Agora corre, antes que eu te leve até a polícia. Ou melhor. Eu te levarei pro cemitério, se não começar a correr ! Digo


Ele começa a correr e graças a Deus, ele sai dali. Quando eu noto, eu vejo Margareth em estado de choque :


- Está bem ? Pergunto me aproximando dela - Não. Mas obrigada por me ajudar ! Responde Margareth. De repente, ela me abraça

- Vem, vou te levar pra casa ! Digo levando ela em direção do meu carro


Fomos para casa dela e quando chegamos, eu a levo até a porta :


- Obrigada Morbius, se não fosse você eu ... Só Deus saberia o que teria acontecido ! Diz Margareth

- Que tal se amanhã, eu te levasse para relaxar um pouco ? Pergunto - Eu adoraria ! Responde Margareth

- Desculpa por aquele dia no carro, eu te assediei e não tem perdão para isso ! Digo - É tenho que admitir, você foi um babaca. Mas ... Você me salvou hoje, eu tenho que te agradecer ! Responde Margareth


De repente, ela me dá um selinho e entra em sua casa. Ai ai, eu estava nas nuvens ... Ela era tudo. No dia seguinte, saímos e no passeio, nos tornamos amigos e nos conhecemos melhor :


- Por que você anda com com esses óculos, chapéis e coletes todos os dias ? Pergunta Margareth enquanto andávamos pelo parque 

- Eu tenho uma doença, que está me matando aos poucos. Eu tenho que me proteger do sol, para prevenir de morrer mais rápido ! Respondo meio angustiado


Se passaram alguns meses e um dia, nos tornamos mais do que amigos :


No motel :


Por que você me trouxe para um, motel ? Pergunto - Eu tenho algo para confessar para você. Eu te amo Michael, com o passar do tempo, eu comecei a me apaixonar por você e eu quero estar ao seu lado. Até nos momentos difíceis ! Responde Margareth se aproximando de mim, com um sorriso tímido, as buchechas coradas e os olhos brilhando mais do que as estrelas daquela noite

- Eu também te amo ! Respondo com um enorme sorriso no rosto


Começamos à nos beijar, e depois o beijo se tornou cada vez mais íntimo :


Narradora narrando :

Katherine observava à cada dia a relação entre Michael e Margareth, até ela bolar um plano. Semanas depois, no apartamento de Margareth, ela ouve um barulho, achando ser seu namorado, Morbius ;


- Michael ? É você ? Pergunta a loira entrando na sala


De repente, quando ela se vira para trás, ela vê uma moça dos cabelos com cachos definidos e morenos, a pele cor de pêssego e os olhos negros :


- Deixe me apresentar. Sou Katherine ! Responde a estranha, deixando a loira espantada 

( ... )


- Sai da minha casa ! Eu vou chamar a polícia ! Diz Margareth assustada, indo em direção da porta. Katherine impede ela de passar, e joga ela contra a parede

- Escute aqui, Margareth. - Diz Katherine se aproximando dela - Você vai fazer tudo que eu mandar você fazer. - Diz Katherine, que já estava hipnotizando a mocinha

- Sim senhora ! Diz Margareth que tinha acabado de ser hipnotizada - Agora, você convidará Michael para dar um passeio pela floresta amanhã na floresta. No meio do " passeio ", você irá arranjar uma discussão com ele,fazendo ele ir embora e deixando você sozinha ! Diz Katherine hipnotizando Margareth

- Mas e o que irá acontecer depois ? Pergunta a loira


Katherine dá um sorriso e responde :


- Será surpresa !


( ... )


No dia seguinte :


Michael narrando :

A Mag tinha me convidado para dar uma caminhada no final da tarde pela floresta. Óbvio que eu aceitei. Deixei o carro no final da floresta, e fomos caminhando pela floresta :


- Que foi Mag ? Você tá quieta. - Pergunto - Nada, é que eu tava pensando num amigo do trabalho. Ele até que é bonitinho, ele é inteligente, carinhoso, engraçado ... - Responde Margareth me deixando com ciúmes. Ela sabe que eu sou ciumento

- Por que você fica falando desse cara ? Você sabe, que eu sou ciumento ! Pergunto bravo

- QUAL É O PROBLEMA ? E SE EU GOSTASSE DELE ? EU NÃO QUERO UM IDIOTA E CIUMENTO NA MINHA VIDA. Se tá incomodado, vai embora então ! Responde Margareth transtornada

- Tá bem. Você é mesmo uma idiota Margareth, eu fui um rolo ! Digo enfurecido


Eu vou embora, deixando ela lá, plantada no meio do nada :


Narrador narrando :

Quando Michael vai embora, Katherine aparece de repente :


- E agora ? O que vai fazer comigo ? Pergunta a loira - Você vai tomar isso ! Responde Katherine, que depois morde seu pulso. Margareth bebe um pouco de sangue de Katherine

- E agora ? Pergunta Margareth assustada - Você vai desmaiar e vai se esquecer de que me conheceu ... - Respondia Katherine


De repete, Katherine morde o pescoço de Margareth, fazendo Margareth gritar horrores :


Michael narrando :

Eu ouso som de gritos, então eu descubro, que eram os gritos da Margareth. Eu saio correndo de onde eu estava até onde eu deixei a Margareth e quando eu chego, noto que já era tarde demais :


- MARGARETH ! Grito indo em direção de seu corpo


Seu corpo estava jogado numa poça de sangue, havia uma mordida em seu pescoço. Eu verifico e ela não respirava. Ela estava morta. Tudo por minha culpa, eu a coloco em meu colo, e começo a chorar :


- NÃO ! Grito por um longo tempo


Flashback off :


Já era tarde da noite, e aquela sensação de classe me matava por dentro, junto com a sensação de sede por sangue. Eu queria me desligar, queria que aquela sensação fosse embora :


- Desliga ... Desliga .... Desliga ! Eu digo falando comigo mesmo, enquanto eu rodeava pelo quarto


De repente, eu sinto uma sensação de vazio, mas, eu não ligava mais, eu não ligava para mais nada, apenas para a sensação de fome. Eu andava pelo corredor do navio até eu ver um homem :


- Deseja algo senhor ? Pergunta o modormo - Não ... Eu só tô com muita fome ! Digo sentindo meus dentes virarem presas.


De repente, eu avanço nele e começo à beber seu sangue, enquanto ele gritava por ajuda. Esse era eu. Um estripador, que só queria sangue :



Continua ...


Notas Finais


Calma calma !!! O Killian não morreu beleza ? O Morbius matou quase todos da tripulação, menos o Killian. Mas enfim, gostaram do capítulo ? Deixem nos comentários, um beijo e Bye bye bye !!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...