História More... - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Chanbaek, Pwp
Visualizações 2.217
Palavras 1.138
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Baekhyun ainda podia sentir um restinho do líquido quente lhe escorrer pelas pernas enquanto caminhava pelo apartamento pequeno, vestindo só uma camisa social branca e grande que não o pertencia. O cheiro de café estava forte e não foi difícil achar o professor de literatura na pequena cozinha. O abraçou pelas costas, fungando contra as costas largas e recebendo um carinho na palma da mão.

– Chanyeol… – clamou propositalmente lento, mordendo o próprio lábio inferior ao sentir sua entradinha pulsar, cuja ainda estava avermelhada e melada pelo uso recente. Esfregou seu membro semi desperto contra o mais velho.

– O que há? Já quer repetir tudo de novo? – questionou arqueando as sombrancelhas diante dos atos do moreno, virando-se para o mesmo e sutilmente acariciando o bumbum empinado em suas mãos, ainda não disposto a dar o que ele queria.

– Repetir não! Eu quero ainda mais forte, professor… – ditou profano, apertando o membro do maior por cima da calça e massageando, querendo deixá-lo duro assim como ele. Seus lábios foram capturados num beijo lascivo e a saliva escorria, assim como era possível ver as línguas se enroscando por fora das bocas. O mais novo estava praticamente entorpecido, de olhos fechados e retribuindo o selar preguiçosamente, gemendo ao ter os glúteos apertados pelas mãos grandes. Retribuía o massageando pela calça, esfregando como podia e sentindo-o já duro.

Grunhiu manhoso ao ter o lábio inferior mordido e o ósculo partido, entretanto não protestou quando a língua deslizou por sua bochecha, deixando um rastro molhado até seu pescoço, onde foi deixado um chupão. Foi pego no colo e rapidamente enlaçou suas pernas ao redor do quadril dele, sendo levado até o balcão e se debruçando sobre o mesmo. Pôs seus pezinhos sobre os ombros do maior e ganhou um olhar divertido.

– Chupa, professor… Por favor? Me lambe bem gostoso, Channie. – pediu sensual demais, ganhando a aprovação do maior que no mesmo instante lhe bateu na bunda antes de se inclinar até envolver seu falo com os lábios. A boca quente e macia subiu e desceu por seu membro num ritmo lento e gostoso, sendo sugado e lambido ainda melhor do que pediu. Gemeu dengoso quando a felação foi interrompida, porém, ele encostou seus joelhos contra o peito logo após, voltando a explorar e beijar sua entradinha fodida, lambendo o rastro da própria por que escorria devido a transa de apenas uns 15 minutos atrás.

– Hmm… – arfou, contraindo seu Buraquinho involuntariamente mas repetindo o ato assim que recebeu mais uma sugada forte na área. Seu membro latejava forte conforme as lambidas se intensificavam. A língua quente era comprida, melando sua entradinha da melhor maneira e chupando logo depois.

Gemeu em protesto quando os toques cessaram, mas partiu os lábios num gemido arrastado ao sentir os dedos compridos rodearam sua entrada, afundando-se lentamente antes de sair e começarem uma massagem indecente.

– Olha isso… Está tão Vermelhinho ainda, Hyunnie, tão bem fodido o seu buraquinho, amor. E você ainda vem implorando mais pra mim. Você é realmente uma putinha, não acha? – disse com um sorriso devasso de canto, provocando a entradinha com sua glande inchada e rindo baixo ao ver o menor choramingar manhoso. Forçou a penetração apenas um pouco, escorregando a cabeça avermelhada e sentindo de imediato um aperto forte. Não se aguentou e liberou um gemido arrastado. Saiu de dentro dele e voltou a provocá-lo deliberadamente, muita das vezes ameaçando começar a fodê-lo.

– Cala a boca, C-Chanyeol. Só mete, hmm?

E ele obedeceu, com um bendito sorriso cafajeste, mas fez. Estocou o menor num ritmo veloz, ouvindo o som de suas bolas se chocando contra a pele alheia e reverberando pela cozinha pequena. Estava molhado e quente pelo curto espaço de tempo de folga entre as atividades, um pouco de porra se juntava a saliva e fazia uma bagunça que na verdade só ajudava para que continuasse entrando e saindo rapidamente, penetrando o aluno com força, curtindo o aperto macio ao redor de sua ereção.

Era divino contemplar a expressão do menor enquanto o fodia, era um careta tão bonitinha e fodivel que só contribuía para dar tudo de si nos movimentos, masturbando ao mesmo tempo o falo duro do mesmo que sujava a camisa social. Os gemidos baixos porém bonitos lhe prendiam a atenção. E sim, Baekhyun gostava de quando os olhos alheios estavam caídos sobre si. Ele amava toda a atenção e não tinha vergonha de ser tão transparente. O Provocava quase involuntariamente por estar corado e gemendo bem devassamente, sabia que era bonito e erótico, portanto não se importava ao ser assistido.

Seus olhos estavam fechados e era incontrolável não se contrair ao redor do mais velho, justo quando ele acertava sua próstata tantas vezes seguidas. O aperto em suas coxas era também tão gostoso e o jeito que ele judiava de sua carne com as unhas era melhor ainda. Era sexo, e ambos amavam o ato.

Já era a terceira vez só nessa manhã. Já estava todo cheio de chupões e sua entrada já estava levemente dolorida, mas era bom demais para parar tão cedo. Ainda mas quando haviam compromissos mais tarde.

O maior cessou os movimentos gradualmente, permanecendo dentro do menor e movimentando o quadril em movimentos giratórios, fazendo o moreno gemer quase sem pausa ao sentir a próstata massageada. Bastou um vai e vem no falo duro e rosado para que gozasse forte, sujando a si e a camisa leve.

_ Hmm… Foi bom, muito bom. – elogiou sorridente, ainda no torpor do orgasmo enquanto se sentava no balcão com a ajuda do mais velho, punhetando o pau ainda pulsante do mesmo com a maior rapidez que podia depois de um orgasmo forte. O sentia latejar entre suas mãos, as veias grossas pulsando. Lambeu os lábios ao olhar para o mesmo, capturado um pouco da pré porra com os dedos e chupando devagar. Quando apertou a glande redonda com força e desceu seus dedos sobre ele, a porra veio forte e o gemido rouco lhe agraciou os ouvidos.

O maior sorriu ao ver a mãozinha coberta de esperma lhe extraindo a últimas gotas, e assistiu com deleite ele limpar a própria mão usando a língua. O roubou um beijo rápido e partiu para um banho com o mesmo, e assim que limpinhos, foram para o sofá espaçoso, onde ficaram de preguiça, assistiram séries e comeram fast food.

No final do dia o moreno foi entregue na porta da casa com um beijo intenso e sem malícia, onde sorriram bonitinho logo depois.

– Até amanhã?

– Até.

Trocaram um selinho maroto e o menor suspirou como bobo ao vê-lo partindo no carro esporte preto. Quando entrou, sua irmazinha de 13 anos logo veio pra cima, tagarelando com a voz quase estridente.

– Baekhyun! Baekhyun! Você já estava na casa do oppa bonitão de novo? O que fizeram? Se beijaram muito? Ele é tão lindo, gost- Ai, ai! Não me bate, oppa!!!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...