1. Spirit Fanfics >
  2. More And More (SaTzu) >
  3. Primeira Vez (Hot)

História More And More (SaTzu) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Hi Guys, vim agradecer todos vocês por estarem lendo a minha fic, antes de eu postar o capítulo 3, eu estava pensando em desistir da fic e excluir, porque eu estava com problemas pessoais. Mas sem muita enrolação traga a vocês meus queridos leitores o 4° capítulo, Boa leitura 😁. Não esqueçam de me seguir. Obg.

Capítulo 4 - Primeira Vez (Hot)


Fanfic / Fanfiction More And More (SaTzu) - Capítulo 4 - Primeira Vez (Hot)

Eu não sabia o que fazer, fiquei estética. Minha mãe havia sumido junto com seu novo marido e me abandonou com meu pai, sabemos que essa não foi a melhor decisão, pra pior de tudo e que ela não avisou que voltaria, e apareceu logo na casa da Tzuyu. Será que ela sabe do relacionamento do meu pai com Jessica?

— O que faz aqui? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙪𝙚𝙞).

𝙈ã𝙚:— Sana! Seja mas educada comigo! (𝙈𝙚 𝙖𝙗𝙧𝙖ç𝙤𝙪). — Não foi essa educação que lhe dei! Como está? (𝙎𝙤𝙧𝙧𝙞𝙪 𝙞𝙧ô𝙣𝙞𝙘𝙖).

— Ha Ha Ha (𝙄𝙧𝙤𝙣𝙞𝙯𝙚𝙞). — Você sumiu, é me pergunta como eu estou? Tá brincando né?

𝙈ã𝙚:— Aí filha! Deixa de ser debochada, mamãe sentiu sua falta boba.

Sentiu minha falta? Hahahaha, ela sumiu do mapa com um macho qualquer. Aliás, como ela sabia onde eu estava?

— Como você descobriu onde eu estava? (𝘿𝙞𝙨𝙨𝙚 𝙘𝙪𝙧𝙞𝙤𝙨𝙖).

𝙈ã𝙚:— Isso e uma longa história, outra hora explico. Mas cadê Tzuyu?

— Foi no banheiro... Como você entrou aqui? (𝙁𝙖𝙡𝙚𝙞 𝙖𝙨𝙨𝙪𝙩𝙖𝙙𝙖).

𝙈ã𝙚:— Bom... Vi vocês saindo, então pensei, por que não esperar sentada na porta? Só que daí na curiosidade tentei abrir a porta, e ela estava aberta, avise Tzuyu de trancar a porta quando sair.

Antes de continuar a falar ouvi a voz de Tzuyu:

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Sana? Está aí? (𝙋𝙖𝙧𝙤𝙪 𝙣𝙖 𝙥𝙤𝙧𝙩𝙖 𝙦𝙪𝙚 𝙙á 𝙖𝙘𝙚𝙨𝙨𝙤 𝙖𝙤 𝙦𝙪𝙞𝙣𝙩𝙖𝙡). — Quem é essa? (𝙁𝙖𝙡𝙤𝙪 𝙘𝙤𝙣𝙛𝙪𝙨𝙖).

𝙈ã𝙚:— Tzuyu! Não lembra de mim?

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Senhora Minatozaki? (𝘼𝙧𝙧𝙚𝙜𝙖𝙡𝙤𝙪 𝙤𝙨 𝙤𝙡𝙝𝙤𝙨).

𝙈ã𝙚:— Uau! Você se tornou uma bela mulher Tzuyu, mas bonita do que a ex de Sana. (𝙍𝙞𝙪).

— Mãe!

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Ex? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙤𝙪).

𝙈ã𝙚:— Sim, Sana teve uma namorada quando esteve no Japão, qual o nome dela? Hã... Mina! Lembrei Mina.

— MÃE!

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Sana não havia me dito que já namorou. (𝙊𝙡𝙝𝙤𝙪 𝙛𝙚𝙞𝙤 𝙥𝙧𝙖 𝙢𝙞𝙢).

𝙈ã𝙚:— Sana deve ter esquecido.

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:—E... Deve mesmo... (𝙊𝙡𝙝𝙤𝙪 𝙥𝙖𝙧𝙖 𝙤 𝙡𝙖𝙙𝙤).

𝙈ã𝙚:— Bom, preciso ir embora, foi bom ver vocês.

[ ... ]

P. O. V. (Sana off)

░░░░░░░░░

𝙋. 𝙊. 𝙑. (𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪 𝙤𝙣)

Sana não havia me dito que já namorou, na realidade Sana não me falou nada sobre sua vida do Japão, acabei descobrindo várias coisas por acaso. Desde quando Sana voltou minha vida mudou, sei que estou apaixonada por ela, mas quero saber de tudo o que aconteceu com ela longe.

Depois que sua mãe foi embora, Sana foi em direção ao banheiro para tomar banho, fui em direção ao meu quarto para arrumar o resto da bagunça. Fui em direção ao guarda-roupas procurar um pijama para vestir, peguei uma calcinha e uma camiseta masculina aparentemente grande, gosto de roupas confortáveis, amo dormir de calcinha. Abri uma gaveta a procura se uma das minhas calcinha box, mas percebi que uma estava faltando... A minha fio dental vermelho de renda.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Está a procura disso?

Me viro e vejo Sana soltando a toalha que cobria seu corpo, ela usava apenas o fio dental vermelho de renda.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Estou sexy? (𝙈𝙤𝙧𝙙𝙚𝙪 𝙨𝙚𝙪 𝙡á𝙗𝙞𝙤).

Revirei meus olhos.

— Vou tomar banho. (𝙄𝙜𝙣𝙤𝙧𝙚𝙞 𝙨𝙚𝙪 𝙘𝙤𝙢𝙚𝙩á𝙧𝙞𝙤).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Hey! Está com raiva de mim?

— Não... Só estou cansada.

Me retirei do cômodo e fui em direção ao banheiro. Retirei minhas roupas, abri o registro e molhei meu corpo, aquela sensação de água morna caindo sobre meu corpo me fazia relaxar, molhei meu cabelo e fechei meus olhos. Mesmo em um momento bom e calmo, me lembrei das palavras do pai da Sana, mesmo que parece sem sentido isso me machucou demais, e pra piorar ele não apoio nosso "relacionamento", as vezes acho que Sana é eu não deveríamos namorar, somos apenas amigas... Mas o que sinto por Sana vai além da amizade, as vezes penso que Sana está apenas brincando comigo. 𝘖 𝘲𝘶𝘦 𝘦𝘶 𝘧𝘢ç𝘰?

Pego o shampoo e passo em meus cabelos, massageio suavidade. Escuto a porta do banheiro ser aberto:

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Tzuyu, você está com raiva?

— Não Sana, só estou cansada.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Eu estava pensando... Se amanhã você gostaria se sair comigo?

Tirei o sabão do meu cabelo.

— Tipo um encontro?

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Hum... Tipo isso.

Interessante, desde que Sana chegou não saímos para passear, só fomos mesmo pra escola. Será bom pra Sana sair e ver pessoas.

— Ok, podemos.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— EBAAA!

Ri com sua atitude.

[ ... ]

Já era sábado, Sana é eu já havíamos acordados, Sana estava fazendo ovos mexidos para o café da manhã, é eu estava arrumando a sala que estava bagunçada.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— o café já está pronto! (𝙂𝙧𝙞𝙩𝙤𝙪 𝙙𝙖 𝙘𝙤𝙯𝙞𝙣𝙝𝙖).

— Já estou indo.

Continuei arrumando a bagunça, até que quando fui arrumar o sofá encontro a calcinha rosa da Sana ali. Lembrei do dia que transamos a primeira vez, lembrei da sensação boa de ficar com ela nua, mas me dei conta fazia muito tempo que não arrumava o sofá. Derepente sinto minha cintura ser abraçada.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Uis, você achou minha calcinha. (𝙁𝙖𝙡𝙤𝙪 𝙧𝙞𝙣𝙙𝙤).

— Faz um bom tempo que eu não arrumava aqui.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Uhum...

Sana tirou alguns fios de cabelo que estava no meu pescoço e beijou o mesmo.

— Sana... Não e hora pra isso. (𝙎𝙪𝙨𝙪𝙧𝙧𝙚𝙞).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Tzuyu... Por favor... (𝙋𝙚𝙙𝙞𝙪).

— Não! (𝘿𝙚𝙞 𝙪𝙢 𝙨𝙚𝙡𝙞𝙣𝙝𝙤 𝙚 𝙛𝙪𝙞 𝙚𝙢 𝙙𝙞𝙧𝙚çã𝙤 𝙖 𝙘𝙤𝙯𝙞𝙣𝙝𝙖).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Aigoo!

[ ... ]

Eram 14:00 da tarde, Sana disse que queria ir no cinema comigo assistir um filme novo, já como fazia muito tempo que eu não ia no cinema aceitei. Ao chegarmos lá, vi pessoas conhecidas.

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Ora quem apareceu. (𝘿𝙚𝙪 𝙪𝙢 𝙩𝙖𝙥𝙖 𝙣𝙖 𝙢𝙞𝙣𝙝𝙖 𝙗𝙪𝙣𝙙𝙖).

— Hey! (𝙏𝙤𝙙𝙖𝙨 𝙧𝙞𝙧𝙖𝙢).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— O que fazem aqui?

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Viemos assistir um novo filme se terror que acabou de lançar.

𝙍𝙤𝙨é:— Exatamente! E vocês também vieram assistir algum filme? (𝙋𝙚𝙧𝙜𝙪𝙣𝙩𝙤𝙪 𝙜𝙚𝙣𝙩𝙞𝙡𝙢𝙚𝙣𝙩𝙚).

— Sim. (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙪𝙚𝙞).

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Querem assistir o filme conosco? (𝘾𝙤𝙣𝙫𝙞𝙙𝙤𝙪).

— Claro! Amo filme de terror! (𝘼𝙛𝙞𝙧𝙢𝙚𝙞).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Não sei... Eu tenho medo.

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Relaxa Sana, estou com você! (𝘽𝙚𝙞𝙟𝙤𝙪 𝙨𝙪𝙖 𝙩𝙚𝙨𝙩𝙖).

No instante que Lisa fez isso senti ciúmes de Sana. Sei que e estúpido mas gosto de Sana, e sinto ciúmes quando alguém toca nela... 𝘚𝘰𝘶 𝘶𝘮𝘢 𝘣𝘰𝘣𝘢.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Eu queria saber se vocês podem dormir lá em casa hoje?

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— E! Vai ser divertido (𝙁𝙖𝙡𝙤𝙪 𝙖𝙣𝙞𝙢𝙖𝙙𝙖).

Sana olhou para mim como se estivesse implorando para irmos.

— Claro que podemos. (𝘾𝙤𝙣𝙛𝙞𝙧𝙢𝙚𝙞).

Sana me abraçou com força. Olhei para Rosé é ela parecia desconfortável com algo. Jisoo é Jennie estavam de mãos dadas e praticamente abraçadas.

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Pode vocês não namoram? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙤𝙪).

Fiquei extremamente corada com seu comentário.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Vocês formam um belo casal, deveriam namorar, acho que vocês duas combinam.

Antes que eu fosse responder Rosé disse:

𝙍𝙤𝙨é:— Hey! Chega disso, daqui a 5 minutos começa o filme e a gente não comprou os Ingressos. (𝘿𝙞𝙨𝙨𝙚).

Fomos rapidamente para a fila para comprarmos os ingressos.

[ ... ]

P. O. V. (Tzuyu)

░░░░░░░░

𝙋. 𝙊. 𝙑. (𝙎𝙖𝙣𝙖 𝙤𝙣)

Fomos em direção a sala onde o filme iria passar, Tzuyu parecia acanhada, fui em sua direção peguei em sua mão e andamos até lá, quando chegamos as luzes estavam todas apagadas. Guiei Tzuyu até a parte de cima no escuro, lá e melhor para assistir, nós sentamos na segunda fileira, as poltronas tinham cheiro de manteiga derretida. Provavelmente as outras garotas devem ter sentado mas pra baixo.

Quando começou as propagandas antes do filme, Tzuyu é eu demos risadas pelo o susto que a luz nós deu.

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Está com medo? (𝙁𝙖𝙡𝙤𝙪 𝙨𝙪𝙨𝙨𝙪𝙧𝙧𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙚𝙢 𝙢𝙚𝙪 𝙤𝙪𝙫𝙞𝙣𝙙𝙤).

— Estou nervosa. (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙪𝙚𝙞).

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Relaxa. (𝙋𝙚𝙜𝙤𝙪 𝙚𝙢 𝙢𝙞𝙣𝙝𝙖 𝙢ã𝙤).

Nós primeiros minutos estava tudo bem, mas a pior parte do filme estáva acontecendo, o personagem principal era um menino de aproximadamente 10 anos, ele saiu do quarto para pegar um copo de água, mas ouviu um barulho. Eu já estava com medo, eu sei que e clichê essa história que daqui a pouco mas aparecer um vulto e tals, mas meu coração batia freneticamente, enquando Tzuyu estava apenas assistindo tranquilamente sem sinais de medo.

— Você não está com medo? (𝘿𝙞𝙨𝙨𝙚 𝙗𝙖𝙞𝙭𝙞𝙣𝙝𝙤).

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— E apenas um filme. (𝙍𝙚𝙨𝙥𝙤𝙣𝙙𝙚𝙪).

Até que a pior parte acontece o menino vê sangue por toda parte, e deixa cair o copo no chão fazendo um bagulho que ecoou na cozinha, até que ele virá que vê o espírito atrás dele. Eu já estava ofegante por essa cena, até que sinto a mão de Tzuyu descendo até minha coxa.

— O que você está fazendo? (𝙁𝙖𝙡𝙚𝙞 𝙣𝙚𝙧𝙫𝙤𝙨𝙖).

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Fazendo você relaxar... (𝘽𝙚𝙞𝙟𝙤𝙪 𝙢𝙞𝙣𝙝𝙖 𝙗𝙤𝙘𝙝𝙚𝙘𝙝𝙖 𝙞𝙣𝙙𝙤 𝙚𝙢 𝙙𝙞𝙧𝙚çã𝙤 𝙖𝙤 𝙢𝙚𝙪 𝙥𝙚𝙨𝙘𝙤ç𝙤 𝙚 𝙙𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙪𝙢 𝙘𝙝𝙪𝙥ã𝙤 𝙙𝙤 𝙢𝙚𝙨𝙢𝙤). — Já como não pude fazer você tirar a tensão antes, vou fazer agora. (𝙈𝙚 𝙗𝙚𝙞𝙟𝙤𝙪).

Começamos a batalhar espaço em nossas bocas, mordi levemente seu lábio, Tzuyu fazia carinho em minha coxa, e o apertava. Mas estava encomodando o braço da poltrona, estava difícil para agarrar Tzuyu.

— Aii... (𝙍𝙚𝙘𝙡𝙖𝙢𝙚𝙞 𝙙𝙤 𝙚𝙣𝙘𝙤𝙢𝙤𝙙𝙤).

Rapidamente, Tzuyu levantou o braço da poltrona.

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Melhorou? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙤𝙪).

— Uhum! (𝙑𝙤𝙡𝙩𝙚𝙞 𝙖 𝙗𝙚𝙞𝙟á-𝙡𝙖).

Continuamos a pegação, Tzuyu colocou-o seu dedo indicador na minha boca para que eu o chupa-se, sorte que eu estava usando saia, Tzuyu colocou minha calcinha para o lado e em seguido enfiou em minha entradinha molhada. Gemi baixinho com a sensação, Tzuyu tocava levemente em meu clitóris, enquando continuamos nosso beijo quente, Tzuyu enfiou seu segundo dedo em minha entrada, e fazia movimentos de vai e vem.

Não sabíamos nem o que estava acontecendo no filme, perdi totalmente a cabeça com a sensação de prazer que Tzuyu me proporcionava naquele instante. Em uma rápida fração de segundos, Tzuyu estava ajoelhada entre minha pernas, e abaixava minha calcinha.

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Tenta não gemer auto. (𝘿𝙞𝙨𝙨𝙚 𝙗𝙖𝙞𝙭𝙞𝙣𝙝𝙤).

Em seguida, Tzuyu meteu sua língua na minha entrada que estava enxaqueca de pré gozo, Tzuyu lambia minha bucetinha com muita vontade, logo em seguida Tzuyu começou a sugar meu clitóris com vontade, eu soltava gemidos involuntários, ela enfiou dois dedo em mim enquando me chupava. Eu passei minha mão por baixo da camisa e invadi dentro do meu sutiã dando acesso ao meu seio. Apertei meu biquinho que também me proporcionava um prazer inigualável. Não demorou muito para chegar ao meu épice, gozei em sua boca que infelizmente acabou sujando a poltrona.

— Awnnn.... (𝙂𝙚𝙢𝙞 𝙗𝙖𝙞𝙭𝙞𝙣𝙝𝙤).

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Shiu! Sem barulhos. (𝙎𝙪𝙨𝙨𝙪𝙧𝙧𝙤𝙪).

Tzuyu terminou de lembrer todo o gozo, deixando praticamente minha buceta sem vestígios dele, porém continuo molhadinha. Tzuyu subiu lentamente e me deu um selinho, e um belo chupão no pescoço.

[ ... ]

Depois que o filme havia acabado, fui em direção ao banheiro para ver como eu estava, observei que não havia ninguém no banheiro, então prontamente fui em direção ao banheiro para ajeitar minha roupa.

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Oi gata! (𝘽𝙚𝙞𝙟𝙤𝙪 𝙢𝙞𝙣𝙝𝙖 𝙗𝙤𝙘𝙝𝙚𝙘𝙝𝙖).

— Oi! (𝙍𝙚𝙨𝙥𝙤𝙣𝙙𝙞 𝙨𝙤𝙧𝙧𝙞𝙣𝙙𝙤).

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Então, gostou do filme? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙤𝙪).

— Uhum. (𝘾𝙤𝙣𝙛𝙞𝙧𝙢𝙚𝙞).

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Deixa de ser mentirosa Sana, eu vi Tzuyu chupando você. (𝙊𝙡𝙝𝙤𝙪 𝙥𝙧𝙖 𝙢𝙞𝙢).

— Hã? (𝙁𝙖𝙡𝙚𝙞 𝙖𝙨𝙨𝙪𝙨𝙩𝙖𝙙𝙖).

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Relaxa Sana! Tá tudo bem, enquando você estava sentido prazer, a mamãe aqui tava metendo uma dedada. (𝘿𝙞𝙨𝙨𝙚 𝙘𝙤𝙣𝙛𝙞𝙖𝙣𝙩𝙚).

— Em quem? (𝙋𝙚𝙧𝙜𝙪𝙣𝙩𝙚𝙞 𝙨𝙪𝙧𝙥𝙧𝙚𝙨𝙖).

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Hihi! Na Rosé. (𝙍𝙞𝙪).

— Uau! Não creio!! Conta mas! (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙪𝙚𝙞).

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Eu é ela, nós conhecemos faz um três anos, estávamos em uma festa e eu senti tesão ao ver ela dançando, resumindo a gente transou na festa, e depois viramos melhores amigas e nos tempos livres transamos escondidas.

Ri com seu cometário, mas ela estava certa, sexo e algo extremamente bom.

— Por que vocês duas não namoram? (𝙋𝙚𝙧𝙜𝙪𝙣𝙩𝙚𝙞 𝙘𝙪𝙧𝙞𝙤𝙨𝙖).

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Já pedi ela, mas ela não me ama para isso, vê só sexo em nossa relação. (𝘿𝙞𝙨𝙨𝙚 𝙙𝙚𝙨𝙖𝙣𝙞𝙢𝙖𝙙𝙖).

— Ei! Não fica assim, você e maravilhosa Lisa, você vai ver que ela está perdendo uma pessoa fantástica, se ela não quer tem quem queira. (𝙋𝙞𝙨𝙦𝙪𝙚𝙞 𝙥𝙖𝙧𝙖 𝙚𝙡𝙖).

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Obrigada Lisa, não sei como agradecer você... (𝙈𝙚 𝙚𝙣𝙘𝙖𝙧𝙤𝙪).

— Ah Lisa, você e incrível... (𝙁𝙪𝙞 𝙞𝙣𝙩𝙚𝙧𝙧𝙤𝙢𝙥𝙞𝙙𝙖 𝙥𝙤𝙧 𝙇𝙞𝙨𝙖... 𝙈𝙚 𝙗𝙚𝙞𝙟𝙤𝙪).

Fiquei parada com sua atitude, Lisa rapidamente saiu correndo do banheiro, fiquei parada tentando entender tudo o que havia acontecido ali dentro.

[ ... ]

P. O. V. (Sana off)

░░░░░░░░░

𝙋. 𝙊. 𝙑. (𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪 𝙤𝙣)

Depois de tudo que aconteceu dentro da sala do cinema, senti um pouco de vergonha, nunca imaginei fazer isso em um local público, mas admito que foi excitante ver Sana controlando o gemido, senti minha calcinha molhada ao pensar nela.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— O que tanto pensa? (𝙋𝙚𝙧𝙜𝙪𝙣𝙩𝙤𝙪-𝙢𝙚).

— Nada de importante. (𝙁𝙖𝙡𝙚𝙞).

Lisa veio rapidamente correndo em nossa direção, ela parecia triste.

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Oi! (𝘿𝙞𝙨𝙨𝙚 𝙙𝙚𝙨𝙖𝙣𝙞𝙢𝙖).

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— O que houve? Parece triste? (𝙇𝙝𝙚 𝙙𝙚𝙪 𝙪𝙢 𝙖𝙗𝙧𝙖ç𝙤).

𝙇𝙞𝙨𝙖:— Nada, só estou cansada. (𝙁𝙖𝙡𝙤𝙪 𝙘𝙖𝙗𝙞𝙨𝙗𝙖𝙞𝙭𝙖).

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Entendi.

Senti alguém me abraçando por trás, abri um enorme sorriso, então me virei:

𝙍𝙤𝙨é:— Oi Tzuyu. (𝙎𝙤𝙧𝙧𝙞𝙪).

Por um estante achei que fosse Sana me abraçando. Desfiz o sorriso.

— Olá Rosé. (𝙁𝙖𝙡𝙚𝙞 𝙨𝙚𝙢 𝙜𝙧𝙖ç𝙖).

Rosé parou de me abraçar ao ver Sana olhar feio para ela. 𝘚𝘦𝘳á 𝘲𝘶𝘦 𝘚𝘢𝘯𝘢 𝘦𝘴𝘵á 𝘤𝘰𝘮 𝘤𝘪ú𝘮𝘦𝘴?

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Olá Rosé. (𝙁𝙖𝙡𝙤𝙪 𝙨𝙚𝙘𝙖).

𝙍𝙤𝙨é:— Oi Sana. (𝙎𝙤𝙧𝙧𝙞𝙪 𝙘𝙤𝙢 𝙞𝙧ô𝙣𝙞𝙖).

O clima ficou tenso, Lisa olhava com medo para Rosé, Jisoo estava me encarando... Mas o que fiz para ela? Sana apertava os olhos para Rosé, Jennie estava desconfortável com a situação, é eu fiquei parada olhando para elas. 𝘈𝘭𝘨𝘰 𝘥𝘦 𝘦𝘳𝘳𝘢𝘥𝘰, 𝘯ã𝘰 𝘦𝘴𝘵á 𝘤𝘦𝘳𝘵𝘰.

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Então... Vamos embora? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙤𝙪).

𝙍𝙤𝙨é:— Sim! Vamos. (𝙋𝙞𝙨𝙘𝙤𝙪 𝙥𝙖𝙧𝙖 𝙢𝙞𝙢).

Fiquei vermelha, Sana parecia com raiva de sua atitude, mas não fez nada.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Vocês vão pra festa do pijama? (𝙎𝙤𝙧𝙧𝙞𝙪).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Vamos! (𝙈𝙚 𝙖𝙗𝙧𝙖ç𝙤𝙪 𝙥𝙤𝙧 𝙩𝙧á𝙨 𝙙𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙪𝙢 𝙗𝙚𝙞𝙟𝙤 𝙚𝙢 𝙢𝙚𝙪 𝙤𝙪𝙩𝙧𝙤).

Rosé olhou para ela com raiva, Sana apertou mas minha cintura. 𝘚𝘢𝘯𝘢 𝘳𝘦𝘢𝘭𝘮𝘦 𝘦𝘴𝘵á 𝘤𝘰𝘮 𝘤𝘪ú𝘮𝘦𝘴.

— Só vamos ter que passar em casa para separarmos tudo o que iremos levar.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— OK! (𝘾𝙤𝙣𝙘𝙤𝙧𝙙𝙤𝙪).

[ ... ]

Antes de chegarmos em casa, Sana é eu passamos em uma loja de conveniência para comprarmos lanches e doces para levarmos para casa de Jisoo. Quando chegamos em casa, percebi que Sana estava quieta, ela parecia pensativa.

— Aconteceu alguma coisa Sana? Você parece incomodada. (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙪𝙚𝙞).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Não e nada, só estou com fome mesmo. (𝙎𝙤𝙧𝙧𝙞𝙪 𝙨𝙚𝙢 𝙢𝙤𝙨𝙩𝙧𝙖𝙧 𝙤𝙨 𝙙𝙚𝙣𝙩𝙚𝙨).

— Quer me ajudar a fazer Zong Zi? (𝙋𝙚𝙧𝙜𝙪𝙣𝙩𝙚𝙞).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Sério? E minha comida favorita! (𝙁𝙖𝙡𝙤𝙪 𝙖𝙣𝙞𝙢𝙖𝙙𝙖).

Zong Zi, é um prato tradicional chinês, mas aqui em Taiwan comemos bastante, seu principal ingrediente e o arroz e o gengibre. Quando éramos mas novas minha mãe fazia vários desses pastelzinho de arroz, Sana amava, vivíamos comendo juntas. Sinto saudades da minha infância, era menos dolorido, e mas fácil de viver.

[ ... ]

Ficamos a tarde inteira preparando vários Zong Zi, Sana teve a idéia de levarmos alguns para casa de Jisoo, em sinal de respeito.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Finalmente acabamos. (𝙅𝙤𝙜𝙤𝙪-𝙨𝙚 𝙣𝙤 𝙨𝙤𝙛á). — Cansei, fizemos bastante.

Me deixei ao seu lado, e coloquei minha cabeça em seu braço.

— Realmente, estou cansada. (𝙑𝙞𝙧𝙚𝙞 𝙢𝙚𝙪 𝙧𝙤𝙨𝙩𝙤 𝙥𝙧ó𝙭𝙞𝙢𝙤 𝙖𝙤 𝙙𝙚𝙡𝙖).

Observei seu rosto, olhei eu seus olhos e tomei coragem para falar:

— Sana... Eu gosto de você.

Não sabia o que fazer, Sana olhou no fundo dos meus olhos... E me beijou, pediu passagem com a língua é eu cedi. Aquele beijo foi diferente, era calmo e lento, Sana inseriu sua mão em meus cabelos, estávamos de olhos fechados apreciando aquela sensação, 𝘦𝘳𝘢 𝘣𝘰𝘢.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Tzuyu... Você é virgem? (𝙈𝙚 𝙚𝙣𝙘𝙖𝙧𝙤𝙪).

— Não... Já fiz sexo com você.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Não Tzuyu, você já fez sexo com penetração?

Não... Óbvio que eu não fiz, sempre tive a certeza que não gostava de garotos. Então por que eu iria fazer?

— Nunca fiz... (𝙊𝙡𝙝𝙚𝙞 𝙥𝙖𝙧𝙖 𝙗𝙖𝙞𝙭𝙤).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Ei, está tudo bem! Não tem problema. Só quero fazer uma pergunta, posso tirar sua virgindade?

— T-tirar minha virgindade-e? (𝙊𝙡𝙝𝙚𝙞 𝙨𝙚𝙧𝙞𝙖). — Mas você não tem pau. (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙪𝙚𝙞).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Tzuyu! Como você e boba, eu tenho vibrador.

Ri com seu cometário.

𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪:— Tudo bem... Eu quero.

[ ... ]

Nunca estive tão certa em toda a minha vida, mas era realmente aquilo que eu queria, Sana é a única que amo, mesmo que não temos nada sério, espero tomar coragem para entregar meu corpo, alma, e coração. Estou me entregando para Sana de um jeito que não conseguiria entregar-me para ninguém.

Estávamos em meu quarto, Sana estava entre minhas pernas me fazendo uma oral, revirava meus olhos com a sensação, sua língua quente traçava meu lábios maiores e eu clitóris de um jeito delicioso, Sana sugava meu clitóris com vontade e olhava para mim com desejo, eu puxava sem muita força seus cabelos. Eu estava prestes a gozar, Sana enfiou dois dedo em minha entrada, ela os metia de uma forma devagar e dava mas atenção ao meu clitóris, em poucos minutos já havia gozado em seus lábios, mas meu desejo por sexo só aumentou.

— Sana... (𝙁𝙖𝙡𝙚𝙞 𝙨𝙤𝙛𝙧𝙚𝙜𝙖). — Eu quero mas.

Pedi manhosa, Sana subiu lambendo toda a intenção de minha barriga indo em direção ao meu seio esquerdo e em seguida mamando nele, era delicioso sentir prazer, mas Sana continuou a tocar na minha vagina, ela me chupava e esfregava meu clitóris rapidamente.

— Awnnnnn.... Sana... Eu vou gozar de novo. (𝙂𝙚𝙢𝙞 𝙖𝙡𝙩𝙤).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Vai e? (𝙊𝙡𝙝𝙤𝙪 𝙘𝙤𝙢 𝙢𝙖𝙡í𝙘𝙞𝙖).

Ela aumentou a velocidade em seus dedo, e coloca um pouco de força para me masturbar, não demorou muito até que gozo... Mas não foi um simples gozo, eu tive um squirting, a famosa ejaculação feminina. Segurei com força seus cabelos quando gozei, Sana mordeu levemente meu biquinho.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Ainda não acabou. (𝙈𝙚 𝙙𝙚𝙪 𝙪𝙢 𝙨𝙚𝙡𝙞𝙣𝙝𝙤).

Sana foi em direção ao guarda-roupa, abriu a gaveta onde ficava nossas calcinhas, e tirou de lá um vibrador roxo, e duas camisinhas, e uma embalagem azul pequena.

— Como eu não vi que aí tinha um vibrador? (𝙁𝙖𝙡𝙚𝙞 𝙞𝙣𝙙𝙞𝙜𝙣𝙖𝙙𝙖).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Hihi, talvez seja porque você não presta atenção. (𝘿𝙞𝙨𝙨𝙚 𝙙𝙚𝙗𝙤𝙘𝙝𝙖𝙙𝙖).

Subiu na cama e veio até mim, em seguida me beijou. O beijo estava mas quente, Sana passava sua mão em minha coxa e foi em direção a minha cintura onde lá apertava delicadamente.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Pronta?

— Uhum. (𝘾𝙤𝙣𝙛𝙄𝙧𝙢𝙚𝙞 𝙖𝙣𝙨𝙞𝙤𝙨𝙖).

Sana pegou o vibrador, colocou ele entre suas pernas, em seguida abriu o pacote de camisinha usando sua boca, logo depois abriu a embalagem azul, que nada mas era que um lubrificante de menta.

— Lubrificante de mente? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙪𝙚𝙞).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Sim, não e só o gosto, a sensação e gostosa. (𝙍𝙚𝙨𝙥𝙤𝙣𝙙𝙚𝙪). — Pronta?

— Sim!

Sana não meteu com brutalidade, mas colocou devagar, já como eu estava bastante lubrificada, Sana não teve problemas para introduzir o vibrador que também estava bastante molhado. A sensação não era de dor, mas também não era uma das melhores, era estranho, tinha algo dentro de você, Sana olhava para mim com preocupação, eu verquei minhas costas ao sentir o frescor.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Está doendo?

— Não... Só e estranho... Pode ir mas rápido? (𝙋𝙚𝙧𝙜𝙪𝙣𝙩𝙚𝙞).

No mesmo instante, Sana apertou no botão que ficava em baixo no objeto sexual... (Autora: ui ui ui). Que no mesmo instante começou a vibrar dentro de mim, comecei a gemer com a nova sensação tomando meu corpo, Sana estava aumentando os níveis de velocidade do vibrador, isso me deixava mas excitada, era gostoso sentir prazer Sana aproveitou a cena para se masturbar, ela tocava seu clitóris com rapidez e gemia de uma força sexy, aquilo me deixou mas excitada ainda. Não demorou para meu orgasmo, o terceiro daquela tarde. O lençol estava completamente sujo pelo meu gozo, Sana retirou o vibrador de dentro de mim após meu orgasmo.

Eu estava completamente exausta, nunca cansei meu corpo de tal maneira, mas confesso que foi uma delicia sentir prazer dessa forma. Sana deitou-se ao meu lado, já que estávamos nuas, Sana nós cobriu com o lençol.

— Você não gozou né?

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Tzuyu, ver você se sentindo bem e melhor do que gozar. (𝙍𝙚𝙨𝙥𝙤𝙣𝙙𝙚𝙪).

— Sana, eu... (𝙈𝙚 𝙙𝙚𝙪 𝙪𝙢 𝙨𝙚𝙡𝙞𝙣𝙝𝙤).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Tzuyu, você não tem que se preocupar, eu gozei quando estavamos no cinema, você também merece sentir prazer.

Sorri, Sana não e egoísta ao ponte de deixar alguém passando vontade, mas também sabe provocar alguém, mas também cuida daqueles que se importa, eu amo ela.

— Sana... Eu amo você...

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Eu também te amo Chewy. (𝘽𝙚𝙞𝙟𝙤𝙪 𝙢𝙞𝙣𝙝𝙖 𝙗𝙤𝙘𝙝𝙚𝙘𝙝𝙖). — Agora descansa, mas tarde temos compromisso.

— Eu não sei se quero ir. (𝘼𝙥𝙚𝙧𝙩𝙚𝙞 𝙨𝙚𝙪 𝙘𝙤𝙧𝙥𝙤).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Você quer sim! (𝙍𝙞𝙪).

— Ok... Obrigada.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Por?

— Existir.

Fechei meus olhos, me sentia segura perto dela, me sentia amada, me sentia especial, Sana e a unica pessoa que quero amar pelo resto da minha vida, se eu puder eu vou atrás dela até os confins da Terra só para tê-la ao meu lado.

[ ... ]

P. O. V. (Tzuyu off)

░░░░░░░░░

𝙋. 𝙊. 𝙑. (𝙎𝙖𝙣𝙖 𝙤𝙣)

💭Eu não acredito, mas Tzuyu disse que me ama, não posso acreditar nisso. Mas o problema agora e... Como vou contar para ela que Lisa me beijou?💭

Saiu dos meus pensamentos com alguém ligando para mim, fui até o criado mudo onde meu celular está, saí rapidamente do quarto para não acordar Tzuyu, sim! Fui pelada mesmo.

— Alô?

:— Olha ela está viva...

Não pode ser.

:— Achou mesmo que iria fugir de mim?

Não posso acreditar.

:— Eu deixei claro que iria atrás de você...

Não pode ser ela.

:— Você não pode fugir de mim Sana... Você é minha! (𝘿𝙚𝙨𝙡𝙞𝙜𝙤𝙪).

Por favor não... Não quero passar por todo aquele sofrimento novamente, não estou bem, fugi do Japão por conta disso, não quero sofrer de novo, o pior de tudo que ela sabe onde estou... Ela provavelmente sabe até com quem estou... Isso e ruim... Logo agora que está dando tudo certo para mim é Tzuyu. Tzuyu não pode saber disso!

[ ... ]

P. O. V. ( Sana off)

░░░░░░░░░

𝙋. 𝙊. 𝙑. (𝙏𝙯𝙪𝙮𝙪 𝙤𝙣)

Já eram 19:00 da noite, Sana é eu chegamos a casa de Jisoo, Sana havia tocado a campainha.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Finalmente! (𝘿𝙞𝙨𝙨𝙚 𝙖𝙗𝙧𝙞𝙣𝙙𝙤 𝙖 𝙥𝙤𝙧𝙩𝙖). — Achei que não viam mas. (𝙁𝙚𝙯 𝙗𝙞𝙘𝙤).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Por que não viriamos?

Jisoo sorriu dando espaço para que pudéssemos passar, ao entrar tive a visão da sala de sua casa, ela era grande, as paredes tinham tons pastéis, e um enorme sofá branco, e uma escada com degraus de vidro, simplesmente lindo.

— Aqui! (𝙀𝙣𝙩𝙧𝙚𝙜𝙪𝙚𝙞 𝙪𝙢𝙖 𝙨𝙖𝙘𝙤𝙡𝙖 𝙘𝙝𝙚𝙞𝙖 𝙙𝙚 𝙡𝙖𝙣𝙘𝙝𝙚𝙨 𝙙𝙚 𝙙𝙤𝙘𝙚, 𝙚 𝙘𝙤𝙢 𝙤𝙨 𝙕𝙤𝙣𝙜 𝙕𝙞 𝙚𝙢 𝙪𝙢 𝙥𝙤𝙩𝙚.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Muito obrigada Tzuyu. (𝙍𝙚𝙫𝙚𝙧𝙚𝙣𝙘𝙞𝙤𝙪). — Podem deixar suas coisas em cima do sofá.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Ok.

[ ... ]

Jisoo nós levou para o andar de cima, onde encontramos todas lá reunidas.

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Olham quem chegou? (𝙎𝙤𝙧𝙧𝙞𝙪).

𝙍𝙤𝙨é:— Oi Tzuyu. (𝙋𝙞𝙨𝙘𝙤𝙪 𝙥𝙖𝙧𝙖 𝙢𝙞𝙢).

— Oi... (𝙁𝙖𝙡𝙚𝙞 𝙘𝙤𝙢 𝙫𝙚𝙧𝙜𝙤𝙣𝙝𝙖).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Cadê a Lisa? (𝙋𝙚𝙧𝙜𝙪𝙣𝙩𝙤𝙪 𝙘𝙪𝙧𝙞𝙤𝙨𝙖).

𝙍𝙤𝙨é:— Não pode vir, teve alguns problemas. (𝙍𝙚𝙨𝙥𝙤𝙣𝙙𝙚𝙪).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Entendi...

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Bom, o que vocês querem fazer? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙤𝙪).

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Que tal... Verdade ou desafio?

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Uhum. (𝘾𝙤𝙣𝙘𝙤𝙧𝙙𝙤𝙪).

𝙍𝙤𝙨é:— Eu topo!

No mesmo instante, Sana revirou os olhos, ri com sua atitude.

— Eu também topo.

[ ... ]

Sentamos em círculo, no meio havia uma garrafa de suju um tipo de bebida alcoólica Sul coreana, que e até normal porque Jennie é Jisoo são coreanas. Quem começou a foi Jennie, a garrafa parou na Jisoo.

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Ok, verdade ou desafio?

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Verdade... (𝙎𝙤𝙧𝙧𝙞𝙪 𝙣𝙚𝙧𝙫𝙤𝙨𝙖).

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Vou pegar leve com você. Já fez sexo anal? (𝘾𝙤𝙢𝙚ç𝙤𝙪 𝙖 𝙧𝙞𝙧).

Todas rimos com a pergunta.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Disso e "pegar leve"? (𝙁𝙚𝙯 𝙖𝙨𝙥𝙖𝙨 𝙘𝙤𝙢 𝙤𝙨 𝙙𝙚𝙙𝙤𝙨). — Ok... Já fiz. (𝙀𝙨𝙘𝙤𝙣𝙙𝙚𝙪 𝙨𝙚𝙪 𝙧𝙤𝙨𝙩𝙤 𝙚𝙣𝙩𝙧𝙚 𝙖𝙨 𝙢ã𝙤𝙨 𝙚𝙢 𝙨𝙞𝙣𝙖𝙡 𝙙𝙚 𝙫𝙚𝙧𝙜𝙤𝙣𝙝𝙖).

𝙍𝙤𝙨é:— Meu Deus! Você deu o cu. (𝙍𝙞𝙪).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Mas você gostou? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙤𝙪).

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Da primeira vez não... Mas nas outras sim, depois você se acostuma, e uma delícia. (𝙈𝙤𝙧𝙙𝙚𝙪 𝙤𝙨 𝙡á𝙗𝙞𝙤𝙨).

— Mas você fez com um homem? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙪𝙚𝙞).

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Uhum, eu sou bissexual, antigamente eu tinha um namorado, então fiz com ele. (𝙁𝙖𝙡𝙤𝙪).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Por que terminaram?

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Ele me traiu, mas pelo menos eu namoro a mulher mas linda do mundo. (𝙍𝙚𝙛𝙚𝙧𝙞𝙪-𝙨𝙚 𝙖 𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚).

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Own... (𝘿𝙚𝙧𝙖𝙢 𝙪𝙢 𝙨𝙚𝙡𝙞𝙣𝙝𝙤). — Agora e a vez de Jisoo.

Jisoo girou a garafa, e ela parou em mim.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Verdade ou desafio? (𝙋𝙚𝙧𝙜𝙪𝙣𝙩𝙤𝙪).

— Verdade...

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— E verdade que você gosta da Sana? (𝙈𝙚 𝙚𝙣𝙘𝙖𝙧𝙤𝙪).

— Sim, e verdade!

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Sana você gosta da Tzuyu? (𝙄𝙣𝙙𝙖𝙜𝙤𝙪).

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Gosto.

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Então namorem logo caralho!

Todas rimos. Eu girei a garafa e ela parou entre a Sana é a Rosé, quem iria perguntar era a Sana.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— Verdade ou desafio?

𝙍𝙤𝙨é:— Verdade.

𝙎𝙖𝙣𝙖:— E verdade que você quer pegar a Tzuyu?

Arregalei meus olhos.

𝙍𝙤𝙨é:— Sim, e verdade. (𝙈𝙤𝙧𝙙𝙚𝙪 𝙨𝙚𝙪𝙨 𝙡á𝙗𝙞𝙤𝙨.

Sana olhou com indignação para Rosé, Rosé sabe que Sana tem ciúmes, e continua de propósito.

𝙅𝙚𝙣𝙣𝙞𝙚:— Tzuyu bem cobiçada. (𝘽𝙧𝙞𝙣𝙘𝙤𝙪).

Sorri, mas no fundo estava desconfortável.

Sana girou a garafa, agora quem iria me fazer a pergunta seria Rosé:

𝙍𝙤𝙨é:— Verdade ou desafio?

— Desafio... (𝙍𝙚𝙨𝙥𝙤𝙣𝙙𝙞).

𝙅𝙞𝙨𝙤𝙤:— Corajosa!

Sana me encarou.

𝙍𝙤𝙨é:— Eu desafio você a ficar... Nua. (𝙊𝙡𝙝𝙤𝙪 𝙘𝙤𝙢 𝙞𝙧ô𝙣𝙞𝙖).

Todas olharam surpresas para mim.

— An... Tirar a roupa-a? (𝙁𝙖𝙡𝙚𝙞 𝙣𝙚𝙧𝙫𝙤𝙨𝙖).

𝙍𝙤𝙨é:— Todinha... (𝙈𝙤𝙧𝙙𝙚𝙪 𝙤𝙨 𝙡á𝙗𝙞𝙤𝙨).

𝘈𝘨𝘰𝘳𝘢 𝘰 𝘲𝘶𝘦 𝘦𝘶 𝘧𝘢ç𝘰?


Notas Finais


Isso foi tudo, eu sei que esse capítulo não foi tão longo, eu quis dar uma boa resumida pra não ter inrolação e mas ação. Caso vocês queiram fazer algum pedido de one shot de algum shippe, de qualquer grupo ou da própria Twice, só perdir aqui nos comentários. Obrigada❤ bebam água e se cuidem! 🥰 Se puderem favoritem ou adicionem na biblioteca.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...