1. Spirit Fanfics >
  2. More Than Friends - Dramione >
  3. Terceiro Capítulo

História More Than Friends - Dramione - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Boa tarde meus amores... 😍

Como estão a quarentena de vocês?! Por favor, respeitem o Decreto de sua cidade e fiquem em casa para sua segurança e do próximo! 😷🙏

📌 Leiam as notas finas!

Aqui vai o mais um capítulo! ✨🤩

Favoritem, comentem e compartilhem muitooo! 😘

~ I solemnly swear I am up to no good. ⚡

Capítulo 3 - Terceiro Capítulo


 

Terceiro Capítulo

 

O restante do café-da-manhã foi tão produtivo quanto poderia e agora eles estavam do lado de fora do restaurante, parado na rua, Lucius Malfoy passou a mão pelos longos cabelos loiros, seu cenho estava franzido e ele parecia desconcertado. Talvez a bomba que Draco soltou no café fosse o que o está afetando. Garret se despediu dos três Malfoy’s informando que estaria indo visitar a loja no beco diagonal e aguardaria por Lucius lá. Lucius confirmou dizendo que se juntaria a ele em breve. Mas antes de qualquer coisa, ele queria que Draco lhe desse algumas respostas. O que era perfeitamente compreensível.

- Quando é que você pretendia me contar tudo, filho? – Foi a primeira pergunta que Lucius Malfoy fez quando Garret Guillaume saiu de vista. Draco não podia revelar aos pais que inventou toda a história do noivado para ajudá-lo.

Se seus pais soubessem que ele não tinha um relacionamento com Hermione coisa nenhuma, que toda essa conversa surgiu do nada e não passava de uma farsa para ajudar nos negócios, eles iriam achar que não teriam escolha a não ser pedir desculpa ao homem. Sua mãe obrigaria seu pai ir até Garret Guillaume e dizer a ele que sentia muito, mas seu filho estava apenas brincando. Esse era o tipo de mulher que sua mãe era. E se fosse um pedido dela seu pai iria, com o rabo entre as pernas, até o comprador que custou tanto a encontrar para lhe confessar que seu filho inconsequente mentiu e sua grande venda iria por água abaixo num piscar de olhos.

Não! Draco não deixaria que isso acontecesse. Ele não queria envolver seus pais nesse noivado falso. Jamais passou pela cabeça dele colocá-los nessa situação. Mas o fato é que o pai dele precisava que ele estivesse noivo. Ele viu a satisfação no olhar do Sr. Guillaume quando ele revelou que estava comprometido e com ninguém menos que Hermione Granger. Colocar um anel de noivado no dedo de Hermione o tornou uma pessoa respeitável aos olhos de Garret. Por esse motivo Draco seguiu em frente e fez uma coisa que ele não queria fazer, mas precisava. Ele incrementou a mentira, para torná-la incontestável.

- Aconteceu só ontem à noite, quando eu propus o noivado a ela. – Ele falou alegremente olhando para os pais.

- Draco meu filho, como você não me contou que estavam namorando? – Perguntou Narcisa. – Você, mais do que ninguém sabia o quanto eu desejei que isso acontecesse ao longo dos anos. – Disse sua mãe se queixando e passando os braços pela cintura dele o abraçando.

- Eu ia contar a vocês o quanto antes e... bem, "o quanto antes" foi esta manhã. – Ele disse passando os braços pelos ombros da mãe e devolvendo o abraço.

- Há quanto tempo vocês estão juntos? – Perguntou Lucius e Draco olhou para o pai pensando por alguns segundos: "Faça parecer simples. Não complique."

- Tudo aconteceu rápido demais, pai. – Ele disse adotando uma expressão apaixonada, cheia de admiração e amor por sua cara-metade. – Após a guerra eu e Hermione resolvemos todas as nossas pendências, como vocês bem sabem, e nos tornamos grandes amigos desde então. Eu acho que foi um desses casos em que a pessoa certa estava bem diante do seu nariz o tempo todo, mas nós demoramos anos para perceber. Até que... Aconteceu. Uma noite, algumas semanas atrás, a gente admitiu que sentia algo um pelo outro, e... bum. O resto você já sabe. – Draco disse sorrindo, ficando impressionado como soou convincente até para seus próprios ouvidos.

- Mais devagar, Draco. – Lucius falou erguendo a mão. – Como assim, "o resto você já sabe"? Como você fez a proposta? E pelo amor de Deus, de onde saiu o seu anel de noivado? – Ele perguntou ainda estupefato com a notícia. – Se eu e sua mãe não sabíamos disso até agora, eu acredito que ela não tem um anel dos Malfoy’s e isso é inadmissível, juro que se você deu uma joia qualquer para Hermione eu deserdo você. – Ele disse ainda se recuperando de toda revelação. Mas seu pai tinha razão. Ele precisava de um anel, para ontem! E um dos grandes. O herdeiro dos Malfoy’s não poderia presentear sua mulher com nada inferior a incrível. E Hermione merecia o melhor, mesmo que fosse por pouco tempo.

- Nós nos apaixonamos muito rápido, pai. – Ele falou se explicando. – Namoramos só por algumas semanas. – Ele disse o que achava que soava plausível. Mas ele sabia que poderia desenvolver melhor a história. – E nós só precisamos de umas poucas semanas de namoro, porque é um relacionamento construído em cima de anos de amizade. Bem, nós estamos indo mais ou menos por esse caminho. Não é o que os trouxas costumam dizer? "Case com o seu melhor amigo"? – Ele só disse isso porque escutou Hermione falando isso uma vez para uma das suas primas trouxas que ia casar com seu amigo dos tempos de escola. Mas quando viu o olhar dos seus pais ele sabia que tinha acertado em cheio com essa citação, porque os dois pareciam bem impressionados. Narcisa limpou uma lágrima, emocionada com as palavras de Draco e Lucius acenou concordando com Draco. – Quando você percebe que não consegue mais passar um dia sem ter a mulher que você adora ao seu lado, é preciso torná-la sua, não importa que estejam namorando há poucas semanas ou se faz anos que está apaixonado por ela. Então, eu fiz o pedido ontem à noite. Eu simplesmente não podia mais esperar. – Ele disse antes de dar a cartada final. – Quando a felicidade surge em nosso caminho, nós devemos agarrá-la, não acha? – Ele perguntou por fim, orgulhoso por falar tão sinceramente sobre seu caso de amor imaginário com sua melhor amiga.  

- Isso é lindo, Draco. – Narcisa falou puxando ele para um abraço novamente. – Hermione deve ter ficado tão emocionada. – Ela falou dando um beijo na bochecha do filho que sorriu timidamente e acenou concordando.

- Realmente Draco, foram belas palavras. Eu mesmo não teria dito isso melhor. – Elogiou Lucius. Draco pensou que seu pai poderia inclusive contratá-lo para escrever os anúncios das suas joalherias.

- E respondendo sua pergunta: não, eu ainda não tenho um anel. – Draco disse e piscou para o pai. – Por acaso vocês conhecem algum lugar onde eu possa arranjar um imediatamente? – Draco perguntou fazendo seus pais sorrirem e ele pôde relaxar um pouco.

- Ah, sim, acho que posso indicar um bom lugar. – Disse Lucius rindo da própria piada. – Passe à tarde lá na loja e eu vou abrir o nosso cofre pessoal para você escolher o anel perfeito para Hermione. – Ele falou e Draco assentiu.

- Tem toda razão... – Draco disse sendo interrompido pelo toque do telefone. Era Hermione novamente, ela devia estar curiosa sobre o telefonema da manhã e não resistiu ligar para ele novamente. – É Hermione. – Ele avisou aos pais olhando para o nome da amiga na tela e uma súbita ansiedade tomou conta dele. E se Hermione não quisesse participar desse plano estúpido? E se ela desse risada da cara dele? Na verdade, era o que é o que ele merecia por colocá-la nessa situação. E se ela dissesse que essa é a ideia mais maluca que ela já ouviu, que de jeito nenhum topará fazer isso? Draco respirou fundo, e disse a si mesmo para não entrar em pânico antes da hora. Afinal, amigos fazem coisas malucas uns pelos outros às vezes. Olha o tanto de loucura em que ela se meteu pelo Potter. Ele não precisava surtar. Com certeza, Hermione não se negará a fingir que eles vão se casar para ajudá-lo.

- Você devia atender agora. – Disse Lucius interrompendo os pensamentos de Draco. – Mulheres não gostam de esperar. – Disse Lucius e Draco se preparou, atendeu a chamada e entrou no personagem.

- Bom dia, amor da minha vida. – Falou Draco com a voz suave e romântica e escutou Hermione gargalhar do outro lado da linha, mas pelo visto não era para ele, porque ela falou com outra pessoa antes de voltar sua atenção para a ligação, mesmo sem dar ideia para o que ele estava falando ela ainda fez graça para o que ele tinha falado.

- Não é cedo demais pra você já está fazendo piada, Draco? – Ela brincou. – É a segunda vez que eu falo com você em duas horas e você está cada vez mais louco. – Apontou Hermione. – Você já está tomando umas? Não me diga que está bêbado a essa hora da manhã?! – Perguntou Hermione sem entender porque Draco estava tão fora do personagem hoje.

- Só se eu estiver embriagado de amor por você. – Ele brincou fazendo Hermione bufar. – O que você precisa que eu faça por você, baby? – Perguntou Draco e Hermione respondeu ignorando as merdas que Draco estava falando. Baby?! Sério? Quem era esse Draco e o que fizeram com o amigo dela?

- Eu consegui conversar com aquele fornecedor de veneno de acromântula. – Ela contou. – E adivinha? Eu consegui um negócio bem vantajoso. Sim, sei que sou demais, não precisa exagerar nos agradecimentos. – Ela falou brincando e Draco riu. – Mas por que está agindo como um bobo apaixonado? – Ela perguntou ainda na tentativa de entender.

- Escuta, coração. – Draco falou e olhou para seus pais. Sua mãe mostrava todo seu contentamento colocando o polegar para cima enquanto ele fazia todo esse teatro em benefício deles. – Eu te vejo em breve e você pode me contar tudo pessoalmente. – Ele falou para a amiga.

- Tudo bem... eu acho. – Hermione respondeu com hesitação. – Mas o negócio é perfeito, Draco. Nós precisamos nos reunir e ler o contrato, mas antes eu preciso lhe dar os pormenores pessoalmente, não posso falar isso por telefone. Bem, agora tenho de ir correndo lá em casa, porque eu esqueci uns documentos que eu vou precisar para esse negócio. – Ela falou e Draco conseguiu escutar enquanto ela literalmente corria, seus saltos estalando no chão de mármore da empresa.

- Claro amor, o que você quiser... Eu te encontro na sua casa em vinte minutos. Sim, eu também mal posso esperar para te ver! – Ele diz docemente e por pouco ele não disse “docinho”, mas ele engoliu a palavra antes que ela saísse, seria demais. Draco rapidamente desligou a ligação antes de Hermione protestar. – Pois é, ela precisa de mim. – Ele falou para os pais que estavam observando ele atentamente.

- Não a deixe esperando. – Disse Lucius mexendo as sobrancelhas e esfregando a mão em pura alegria. – Sabe, faz tempo que não tenho uma notícia tão boa. – Ele confessou para Draco.

- Nem eu. – Disse Narcisa. – Eu não poderia estar mais feliz. – Ela falou animadamente. – Sempre gostei da Hermione. – Ela diz sorrindo para o filho. – Merlin! Um casamento de inverno ficaria lindo na Mansão. – Ela falou empolgada e Draco riu. Era a única coisa que ele podia fazer no momento.

Draco não poderia se sentir mais culpado. Ele raramente mentia para os pais quando era criança e ele tinha certeza absoluta de que nunca tinha feito isso na idade adulta. A sensação de culpa era nova para ele e bem desagradável. Mas tudo isso era por uma ótima causa e iria valer a pena. O contrato seria assinado em breve. Essa pequena mentira iria fazer todo o processo de negociação caminhar mais tranquilamente. Seus pais se despediram entrando no carro deles que o motorista particular dos seus pais dirigia e em seguida ele entrou no seu carro que o manobrista tinha trazido. Ele dirigiu em direção ao apartamento de Hermione. No caminho, enviou uma mensagem de texto para Theo, avisando que eles precisavam cancelar a comemoração deles. "Tenho assuntos de família neste fim de semana. Vou precisar furar com você sábado. Marcamos outro dia?". Ele provavelmente iria levar horas para responder. Theo era um medibruxo e então ele não podia ficar grudado ao celular, então só respondia nas horas vagas. Mas não era na diversão de fim de semana que ele perderia que ele estava pensando enquanto se dirigia para a casa da sua amiga. Ele estava pensando como em nome de Merlin ele convenceria sua melhor amiga a ajudá-lo. Sua melhor amiga que nesse momento estava atrás de um enorme buquê de... Corações?

 


Notas Finais


Vamos aproveitar que temos que ficar em casa e vamos indicar filmes, livros e séries para os coleguinhas, assim, mesmo distante estaremos juntos!

Minhas dicas:
Livro: Maybe Someday - Colleen Hoover (Eu panfleto esse livro porque ele está no meu top 3, apesar de que todos os livros dessa autora são muito perfeitos, fica a dica) 😉
Filme: A Escolha (É baseado em um livro de Nicholas Sparks, mas esse é um dos que tem final feliz) Eu sei que ele está na Netflix... aproveitem! 😎
Série: Black Mirror ( Eu amo muito essa série e em um momento como esse que estamos passando, tem uns episodios que fazem a gente parar para refletir) 👀

Deixem as dicas de vocês nos comentários, eu vou amar! ❤

Não deixem de ler minhas outras fics! 😉

Comentem, por favor! 🥰

Beijos... 💋

Fiquem seguros! 🏠

~ Mischief Managed


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...