1. Spirit Fanfics >
  2. More Than Friends - Reddie >
  3. Light my fire

História More Than Friends - Reddie - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Light my fire


 

Ele estava estupidamente animado para aquela noite. Era tolice, afinal, seria apenas mais uma festa banal com jovens bêbados e drogados fazendo coisas imprudentes como se aquele fosse o último dia de suas malditas vidas. Mas não, ninguém podia culpá-lo, Eddie precisava de uma noite assim. Quando foi a última vez? Ele não tinha ideia.

Desde o fim do colegial, há cerca de um ano, Eddie se encontrava cada vez mais sufocado. Ele queria desesperadamente ingressar na faculdade, ter um plano em mãos para o futuro, mas simplesmente não conseguia decidir o que fazer. E considerando que até Richie, seu melhor amigo e pessoa mais imperturbável que ele conhecia, já havia encontrado sua vocação e estava de fato se preparando, Eddie podia dizer que estava decididamente no fundo do poço.

E era por isso que ele contava as horas para que a noite chegasse e ele pudesse finalmente se sentir livre e ser inconsequente ao menos por um dia sem se importar com o mundo ao seu redor.

Apenas para contrariá-lo, o dia passou devagar e Eddie tentou se distrair assistindo séries na Netflix e trocando mensagens com seus amigos no celular. Ele definitivamente não era o único animado.

Richie havia combinado de dar-lhe carona para a festa, já que ele era o único dos amigos que tinha um carro.

Quando o relógio marcou 7 da noite, Eddie se arrastou para o banheiro e deixou a água quente limpar e relaxar seu corpo.

A pontualidade era algo que Eddie admirava em um ser humano, e ele era certamente um modelo. Lá estava ele, observando seu reflexo no espelho de seu quarto, apreciando o resultado, 15 minutos antes de Richie chegar para buscá-lo.

O macacão jeans preto encaixava perfeitamente em seu corpo. Ele não fazia exercícios, mas sua boa alimentação diária fizeram um favor para ele no passar dos anos. Suas coxas eram levemente grossas e sua barriga suavemente tonificada. A blusa que ele usava por baixo do macacão era cor pastel e ele optou por um converse preto. Seu cabelo ondulava levemente nas pontas e estava comportado exatamente da maneira que ele gostava. Ele sorriu para sua imagem e depois se jogou na cama, já sabendo que Richie demoraria mais do que 15 minutos para buzinar em sua porta.

Eddie e Richie eram assustadoramente opostos em personalidade.

Às vezes, Eddie se pegava pensando em como eles acabaram se tornando melhores amigos. Claro, todos os outros membros de seu grupo eram considerados melhores amigos, mas Richie era diferente. Ele sabia como tirar Eddie do sério, sabia como fazê-lo rir como ninguém, sabia como animá-lo e deixá-lo se sentindo leve. Richie era mais.

Essa era a linha tênue que existia entre eles: suas personalidades completamente distintas. Richie, sempre impulsivo e atrevido e Eddie sempre pensando antes de fazer e analisando todos os riscos. Richie, sempre brilhante e despreocupado e Eddie prestes a explodir a qualquer momento com ele. Mas quando Eddie pensava em seus momentos juntos, como Richie estava sempre lá por ele e sempre o fazia se sentir bem, ele entendia porque Richie era seu melhor amigo.

Ele só não conseguia entender aquele calor agressivo que invadia seu peito sempre que o via, em toda a sua glória, cachos negros e rebeldes e sorriso radiante no rosto, inatingível.

Ele riu sarcasticamente para si mesmo com aquele pensamento.

Quem ele estava querendo enganar? Ele entendia perfeitamente o que sentia. Mas Eddie conseguia disfarçar, conseguia agir como se não estivesse estupidamente apaixonado por seu melhor amigo há anos e ele fazia isso bem. Ele havia feito uma boa caminhada até agora empurrando todos os seus sentimentos para o fundo de seu peito. Ele sabia que um dia iria superar. Eddie só torcia para que esse dia chegasse o mais depressa possível, porque honestamente, ele estava no limite.

Eddie checou suas mensagens mais uma vez, sendo informado por Beverly que todos os amigos já haviam chegado na festa, com exceção dele e de Richie. Ele revirou os olhos e bloqueou o telefone e nesse meio segundo a buzina do carro de Richie soou lá embaixo.

Dando uma rápida conferida em sua aparência pela última vez, ele saiu do quarto e desceu as escadas o mais silenciosamente possível. Sua mãe estava dormindo e ele não tinha avisado sobre a festa. Ela seria um problema pra depois.

Richie estava estacionado em frente à sua porta e tinha uma das mãos no volante, a outra rolava pela tela do celular. Eddie se aproximou da porta do passageiro e bateu levemente na janela.

"Espaguete!" Richie sorriu e inclinou a cabeça para olhar Eddie quando a janela terminou de se abrir.

"Você está atrasado." Eddie disse, cruzando os braços. "E eu já disse mil vezes pra você não me chamar assim."

"Você não aceita nenhum apelido que eu te dou!" Richie retrucou, os lábios torcidos em um biquinho.

"Eddie já é apelido." Ele revirou os olhos.

"Você está fazendo a gente se atrasar ainda mais." Richie riu quando Eddie lhe mostrou o dedo do meio e em seguida adentrou o carro. Ele prendeu o cinto e passou a mão pelos cabelos.

A colônia de Richie estava impregnada por todo o carro, uma fragrância delicadamente amadeirada. Eddie optou por deixar a janela aberta, mas garantiu a si mesmo que era apenas porque o ar naquela noite estava muito agradável.

"Pronto pra melhor noite da sua vida?" Richie ligou o carro de novo e olhou Eddie de soslaio. Ele usava seus óculos, hábito há um bom tempo deixado de lado desde que ele começou a usar lentes de contato. Eddie gostava dos óculos.

"Você é tão exagerado. É só mais uma festa, a gente só vai encher a cara e falar mais merda do que estamos acostumados normalmente."

Richie apenas balançou a cabeça, o sorriso sempre nos lábios enquanto ligava o som e escolhia uma música.

"Eu tenho um pressentimento bom sobre essa noite." Richie piscou para ele.

"Vamos logo, antes que a gente chegue lá quando a festa já tiver acabado." Eddie o apressou, se sentindo muito inquieto pelo atraso deles.

"Depois eu sou o exagerado." O moreno riu e começou a dirigir.

Ele observou Eddie por cima do ombro por alguns segundos, os olhos iluminados atrás dos óculos. Os cabelos de Eddie eram levemente bagunçados pelo vento agora.

"Você parece muito bem, a propósito." Richie voltou sua atenção para a estrada mas sentiu o sorriso tímido de Eddie ao seu lado.

"Obrigado, Rich. Você também."

O caminho até o endereço da festa foi tranquilo, os dois em um silêncio agradável sendo quebrado ocasionalmente com Richie cantarolando junto à música. Em poucos minutos, Richie estava estacionando seu Chevrolet na esquina da casa de Greta Keene.

O som vindo lá de dentro era alto e a casa estava lotada. Grupos aleatórios de pessoas fumando e conversando encontravam-se espalhados pelo jardim.

Quando entraram, mesmo em meio à multidão, eles imediatamente avistaram Beverly e ela acenou de longe, chamando-os.

"Minha queridíssima senhorita Marsh!" Richie fez uma reverência ao se aproximar. Stan, Mike, Bill e Ben estavam com ela.

"Richard Tozier, atrasado como sempre." Ela reclamou e ele a calou com um abraço apertado. Beverly sorriu.

"Não é uma surpresa pra mim." Stan disse, levando sua cerveja à boca.

"Sinceramente, você não perdeu nada até agora, Richie." Bill apertou a mão de Richie preguiçosamente e sorriu para ele.

"Eu sei que a festa nunca começa sem mim, mas aqui estou." Richie piscou e ignorou a risada debochada de Stan.

Eddie revirou os olhos.

"Esse seu ego ainda vai te matar, você sabe." Eddie cumprimentou Beverly brevemente com um abraço.

"Vestido para matar." Ela sussurrou no ouvido dele e ele riu, as bochechas ficando rosadas instantaneamente.

Eles entraram em uma conversa desleixada rapidamente. Em algum momento, Mike se afastou deles e voltou alguns minutos depois com duas cervejas na mão.

"Você é o melhor." Richie piscou para Mike, aceitando uma das cervejas enquanto Eddie pegava a outra. Ele tomou um gole e Mike sorriu para ele.

A música estava alta o suficiente para eles não conseguirem manter a conversa por muito tempo, então logo o grupo estava separado mais uma vez. Beverly e Ben dançavam na pista de dança, sendo frequentemente pressionados contra outras pessoas e Stan e Bill não estavam mais à vista. Mike se juntou a Eddie e Richie no sofá num canto da sala.

"Você ainda está saindo com a Greta?" Eddie perguntou, vendo Mike observar a multidão atentamente.

Mike o olhou e deu de ombros.

"Casualmente."

"Cara, você merece mais." Richie disse, olhando a garrafa de cerveja agora vazia em suas mãos. Eddie assentiu, ainda olhando Mike.

"A gente se diverte de vez em quando. Não é nada demais." O moreno voltou a beber sua própria cerveja.

"Se você diz." Richie se levantou do sofá. "Onde consigo mais disso?"

"Segundo corredor à esquerda." Mike apontou inutilmente com o dedo indicador entre todas as pessoas.

"Você quer mais, Eds?"

"Algo mais doce." Eddie disse e Richie assentiu, bagunçando levemente o cabelo do amigo. Eddie deu um tapa na mão dele. "E para de me chamar de Eds." Ele gritou quando viu Richie

lentamente desaparecer na multidão.

Ele olhou novamente para Mike, que estava sorrindo e tinha as bochechas coradas de vermelho, provavelmente já efeito do álcool.

"O que?" Eddie arqueou as sobrancelhas.

"Nada." Mike riu. "É só vocês dois."

"O que tem nós dois?" Ele franziu a testa, observando Mike apenas dar de ombros e desviar o olhar para longe.

"Vocês se implicam o tempo todo."

"Ele é quem implica comigo." Eddie retrucou e se esticou no sofá.

"Claro." Mike riu de novo.

"O que foi?" Eddie insistiu, cutucando o ombro de Mike. Ele queria dizer algo, Eddie podia sentir.

"Eu só acho que vocês..."

Mas o que quer que Mike tinha a dizer foi interrompido por uma Greta muito vibrante e sorridente puxando-o para longe. Ele encolheu os ombros e se arrastou atrás dela, como se não tivesse escolha a não ser segui-la. Eddie suspirou.

Ele olhou para a pista de dança e encontrou facilmente os cabelos avermelhados e esvoaçantes de Beverly entre tantas pessoas. Ela dançava com os braços em volta do pescoço de Ben e ele tentava segui-la, as mãos firmes na cintura dela. Eddie suspirou. Ele gostaria de estar assim naquele momento. Gostaria de ter mãos longas e firmes segurando-o e olhos escuros e cativantes olhando-o apaixonadamente, como Ben olhava para Beverly.

Ele jogou a cabeça para trás no sofá e fechou os olhos, permitindo que a imagem de Richie invadisse secretamente seus pensamentos.

"Aqui!" Richie apareceu subitamente ao lado dele, se espremendo contra Eddie no sofá e despertando-o de suas desilusões pessoais. O moreno tinha dois copos vermelho nas mãos e já estava bebendo o conteúdo de seu próprio copo.

"O que é isso?" Eddie observou o líquido transparente com as sobrancelhas arqueadas.

"Prova." Richie estendeu o copo e Eddie aceitou.

Ele arriscou um primeiro gole e fez uma careta instantânea.

"Ah, não é tão ruim!" Richie zombou.

"É muito forte." Eddie retrucou, mas bebeu mais um pouco. O álcool descia queimando a garganta.

"Não seja um bebê!"

Richie riu enquanto recebia um olhar furioso de Eddie. Ele jogou um dos braços nas costas do sofá, atrás do corpo de Eddie.

"E o Mike?" Richie o olhou de lado.

"Greta o sequestrou."

Richie gargalhou e Eddie observou os óculos dele escorregando sorrateiramente pelo nariz. Ele esticou a mão e os empurrou de volta, Richie olhando-o agora com um sorriso quente nos lábios.

"Essa festa tá muito chata." O moreno balançou as pernas, bufando.

"Acabamos de chegar!" Eddie riu da impaciência dele.

"Vamos dançar um pouco."

Richie se levantou e entornou o resto do álcool em sua garganta. Ele fez uma careta e sacudiu a cabeça. Eddie não achava justo o quão fofo e intenso ele parecia ao mesmo tempo.

"Não quero dançar agora." O menor disse, sob o olhar suplicante de Richie.

"Por favor, meu amor. Me conceda o prazer dessa dança. " Ele insistiu e estendeu a mão para Eddie, os olhos brilhando atrás dos óculos quadrados.

Eddie cogitou por um momento, só porque gostava de ver Richie sofrendo um pouco. Mas, assim como Mike, ele não tinha outra opção a não ser segui-lo para a pista de dança, o calor dos corpos da multidão e as mãos de Richie nas suas aquecendo seu próprio corpo por inteiro.

* * *

O corpo de Eddie se movia em uma sincronia perfeita com a batida da música. Ele era bom em dançar, mesmo sem nunca ter praticado. Sua percepção de tempo desapareceu horas atrás, porque ele não fazia ideia de que horas eram e de quanto tempo ele estava ali, balançando os quadris e sacudindo a cabeça freneticamente vendo Richie tentando imitá-lo em sua frente e sorrindo pra ele. Ele era empurrado e pressionado contra Richie mais vezes do que gostaria de admitir, e geralmente Eddie se irritaria com tanto tumulto e falta de espaço. Mas o álcool correndo em suas veias o deixava milagrosamente leve e despreocupado.

Ele também não fazia ideia de onde estava seus amigos. A última vez que pôs os olhos em Beverly, ela ainda estava dançando e beijando Ben ao mesmo tempo; Stan e Bill haviam desaparecido desde o começo da festa. Mike vez ou outra aparecia e trocava algumas palavras com Eddie e Richie, mas não ficava parado por muito tempo. O único que não havia saído de perto dele, era Richie.

Richie, já estupidamente bêbado e feliz. Ele dançava e puxava Eddie para se juntar a ele, derramava todo tipo de bebida em que podia colocar as mãos garganta a baixo e nunca tirava o sorriso do rosto. Ele era brilhante. Seus cachos estavam completamente desgrenhados e uma fina linha de suor escorria por seu pescoço agora, enquanto ele tinha os olhos fechados e a cabeça levemente inclinada para trás, destacando o pomo de Adão. Eddie o admirava em segredo.

Richie abriu os olhos e capturou o olhar de Eddie, que já estava vidrado nele. Ele sorriu, se aproximou do corpo de Eddie e disse:

"Você me surpreendeu essa noite, Eds"

"É? Por quê?" Eddie continuava se movendo no ritmo da música sem tirar os olhos dele.

"Você nunca se soltou tanto assim."

A camiseta preta de Richie havia subido um pouco e seu quadril estava levemente exposto, revelando a frase "light my fire" tatuada em letras negras e fortes na sua pele pálida e agora reluzente de suor.

"Hoje eu meio que meti o foda-se." Eddie deu de ombros e sorriu. Richie assentiu e balançou o corpo, embora muito mais desajeitado que Eddie.

"Eu gosto dessa sua versão." Ele percorreu o corpo inteiro de Eddie com os olhos brilhando e Eddie engoliu em seco.

"Você gosta de qualquer versão minha."

Richie voltou a olhá-lo nos olhos, ignorando a proximidade entre os dois. Talvez se aproximando mais, involuntariamente.

"Você tem razão." Ele sorriu levemente e os dois se encararam por tempo suficiente para Eddie sentir seu coração disparar e seus lábios entreabrirem involuntariamente quando Richie desceu os olhos para os lábios dele.

Eles foram subitamente interrompidos e Eddie pôde respirar novamente quando o corpo de Beverly bateu contra Richie, quase derrubando o líquido do copo que ele segurava.

"Filho da pu..." Richie se virou para olhar quem diabos era o sem educação daquela vez e se calou ao ver uma Beverly muito vermelha e muito descabelada olhando-os envergonhada. Richie viu Eddie se esforçando para segurar a risada.

"Desculpa, Richie." A respiração dela estava acelerada e ela tentava encontrar algo na multidão. "Vocês viram os outros?"

"Tá procurando seu namorado?" Richie arqueou as sobrancelhas.

"Ele não é meu namorado." Ela revirou os olhos e pegou o copo de Richie das mãos dele, virando o restante do álcool em sua boca.

"Ei!" Richie deu um tapa na mão dela, recuperando o copo vazio em seguida. Ele bufou.

"Já tentei achar a maldita cozinha umas três vezes. Você pode pegar mais bebida pra mim?" Beverly pediu, agitando os cílios para ele, seu mais velho e infalível truque para conseguir algo dos amigos.

"Você não acha que já teve o suficiente?" Eddie estudou-a, o rosto dela estava completamente corado e seu corpo balançava leve e involuntariamente. Completamente bêbada.

Mas ela continuou olhando-o com seus olhos brilhantes e suplicantes e merda, ela sempre conseguia o que queria, não é mesmo?

"Você não vale nada."Richie se rendeu e puxou Eddie pela mãos, levando-o para onde quer que a cozinha ficava naquela casa.

"Eu te amo!" Beverly gritou por cima da música alta e Richie apenas lançou o dedo do meio para ela. Ela riu e eles desapareceram de vista.

Eddie seguiu cegamente Richie pelo caminho, o ambiente escuro o suficiente para ele se perder entre as pessoas se a mão do amigo não estivesse firmemente agarrada em sua pulso. O toque praticamente queimava.

O coração dele ainda estava acelerado e sua mente nublada, porque ele tinha certeza que Richie estava olhando para sua boca antes de Beverly aparecer. Os olhos dele estavam escuros e ele estava muito próximo e Eddie podia sentir a respiração dele contra seu rosto e porra, Eddie estava prestes a perder a cabeça por um segundo.

E agora ele estava entrando na cozinha com Richie ainda segurando em seu pulso, os dedos firmes, a pele de Eddie formigando. Um casal se beijava desleixadamente ao lado da geladeira mas se afastaram e saíram dali no instante em que os dois apareceram.

A luz estava baixa e a música tocava abafada e distante. Richie finalmente soltou o pulso de Eddie e começou a procurar por diferentes bebidas na geladeira. Ele procurou atentamente enquanto Eddie se recostava no balcão, observando o amigo de costas para ele. Eddie o examinou de cima a baixo e pensou em como aqueles jeans rasgados ficavam bem em Richie. Ele respirou fundo.

"Você acha que a Bev está apaixonada pelo Ben?" Eddie perguntou, quebrando o silêncio. "Ele obviamente já está."

Richie escolheu uma garrafa de vodka e uma garrafa com um líquido vermelho que Eddie não reconheceu. Ele pegou dois copos e começou a misturar as bebidas.

"Eu não sei." Ele terminou de encher os copos e se virou totalmente, ficando de frente para Eddie mas a alguns centímetros de distância. "Às vezes eu acho que sim, às vezes eu acho que ela só quer se divertir."

"Eles já estão assim há uns bons meses, né? Sinto que o Ben quer algo a mais." Eddie disse e Richie apenas balançou a cabeça, assentindo. Eles estavam se olhando de novo e Eddie se sentia estupidamente nervoso.

Percebendo que Richie estava firme naquela troca de olhares, Eddie quebrou o contato - porque ele era fraco e não conseguia manter aquele jogo por muito mais tempo sem fazer uma besteira - e observou seu próprio copo em sua mão. Ele bebeu o resto do álcool e fez uma careta.

"Essa merda é horrível." Eddie sacudiu a cabeça e Richie riu. Ele continuou encarando Eddie por mais alguns segundos e então deixou o copo de Beverly sob o balcão e se aproximou de Eddie.

O coração traidor de Eddie estava disparado mais uma vez.

"Tenta isso aqui." Richie se aproximou o suficiente para erguer seu copo em direção aos lábios de Eddie e eles voltaram a se olhar fixamente antes de Eddie entreabrir a boca. Richie encostou o copo na boca dele e ele bebeu um pequeno gole. "Melhor?" Richie perguntou ao abaixar o copo e Eddiu sorriu levemente.

"Bem melhor."

Eles continuaram a se olhar e Eddie podia sentir o ar ficando mais pesado e mais quente. Não, ele não estava imaginando coisas só porque estava muito bêbado. Ele conhecia o olhar de Richie, ele conhecia Richie, e o jeito que o melhor amigo estava olhando para ele agora era diferente de qualquer outra vez que ele já o olhou antes.

E ele teve a sua prova no momento em que os olhos de Richie caíram em seus lábios novamente, lábios agora avermelhados pela bebida. Eddie respirou fundo e Richie parece ter percebido o que ele estava pensando, porque se afastou e coçou a nuca.

Mas Eddie não queria que ele se afastasse. Ele queria exatamente o mesmo que Richie naquele momento inconsequente, e ele não conseguia dar a mínima para os avisos que estavam percorrendo sua mente o tempo todo.

"Então..." Eddie observou Richie guardar os vidros de volta na geladeira. "você tem planos de ficar com alguém essa noite?"

Richie se virou e pareceu pensar um pouco por alguns segundos. Ele sorriu levemente e balançou a cabeça.

"Nah." Ele deu de ombros. "Não achei ninguém interessante."

"Tem centenas de pessoas aqui." Eddie riu, um pouco amargo porque ele estava bem ali e ele era interessante. E não, ele não estava mais pensando direito. "Você não achou ninguém interessante?"

Richie o olhou e lambeu os lábios. Um arrepio percorreu a pele de Eddie e ele se remexeu contra o balcão.

"Bem..." Richie abaixou o olhar para os próprios pés, empurrou os óculos no nariz e olhou para Eddie novamente. "tem uma pessoa que eu acho interessante aqui hoje."

O coração de Eddie estava batendo tão forte e Eddie podia sentir o quase sufocante com a tensão entre eles.

"Eu conheço?" Eddie mordeu levemente o lábio, olhando Richie nos olhos.

"Sim, você conhece." Richie se afastou da geladeira e lentamente se aproximou de Eddie.

"E você vai chegar nessa pessoa?"

Eles agora estavam frente a frente. Era tão óbvio o quanto eles se desejavam naquele momento, Eddie tinha certeza de que não era um sentimento unilateral.

"Eu quero muito." A voz de Richie estava subitamente mais baixa e mais rouca. Ótimo, o desgraçado estava provocando.

Eddie sentia o balcão frio de granito contra seu corpo quente, e Richie estava praticamente colado nele agora.

"Só tenho medo dele não querer também." Richie sussurrou e Eddie parou de respirar.

A mente dele continuava mostrando todos os piores resultados possíveis para aquele momento de fraqueza, porque Richie era seu melhor amigo e Eddie era apaixonado por ele desde sempre e ele não sabia se conseguiria continuar enganando a si mesmo depois disso. Não, ele sabia que não conseguiria, ele não conseguiria olhar Richie apenas como melhor amigo mais e ele lutou muito até aqui contra seus próprios sentimentos para perder tudo em uma noite de embriaguez. Mas a mente dele podia ir à merda, porque Richie estava bem ali olhando-o com tanto desejo e tudo que Eddie sempre quis era que ele o olhasse assim algum dia.

"Eu tenho certeza que ele quer." Eddie sussurrou de volta e Richie sorriu de lado antes de envolver Eddie pela nuca e colar seus lábios nos dele.

Se Eddie não estivesse encostado no balcão, ele teria se desequilibrado porque seus joelhos instantaneamente perderam as forças com aquele toque. Ele abriu a boca de bom grado e a língua de Richie encontrou a dele como um choque. Era quente e tinha o gosto forte de álcool e morango, e porra, era a melhor sensação que Eddie já provara.

Eddie segurou o pescoço de Richie enquanto as mãos do moreno desciam para a cintura dele, agarrando com força. Um som abafado e desesperado saiu da boca de alguém e Eddie tinha certeza que era da dele, mas isso só pareceu incentivar Richie ainda mais. Eddie sentia que poderia se desfazer ali mesmo.

"Rich..." Eddie separou os lábios quando precisou muito respirar.

"Eds..." Eles encostaram as testas e fecharam os olhos, respirando pesadamente.

"O que estamos fazendo?" O menor sussurrou, roçando levemente os lábios sobre os de Richie.

"Não faço ideia." Richie sussurrou de volta e as bocas voltaram a se encontrar majestosamente.

Por todas as vezes que Eddie imaginou aquele momento, ele não achava que sua imaginação sequer chegou perto de tudo o que ele estava sentindo. Ele chupava a língua de Richie e suas mãos estavam entre os cabelos dele e o moreno agarrava os quadris de Eddie com força. Com certeza ele deixaria marca ali. Só o pensamento disso fez Eddie estremecer.

Em um movimento rápido, Richie agarrou as coxas de Eddie e o colocou sentado sobre o balcão. As pernas de Eddie envolveram a cintura dele, puxando-o impossivelmente para mais perto. Os corpos estavam colados e agora as mãos de Richie estavam nas coxas de Eddie, apertando, arrancando suspiros pesados dele.

"Finalmente achei essa merda de..."

Os dois se separaram imediatamente ao ouvir uma voz muito familiar. Beverly parou na entrada, a mandíbula caída e os olhos arregalados. Ela olhou os dois por quase um minuto em completo choque. A boca de Richie estava inchada e vermelha e Eddie era uma bagunça eufórica.

"...cozinha." Ela conseguiu completar a frase depois de uma eternidade.

 


Notas Finais


Deixe-me saber a sua opinião :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...