1. Spirit Fanfics >
  2. More Than Partners >
  3. Epílogo

História More Than Partners - Capítulo 13


Escrita por: e NSARMY


Capítulo 13 - Epílogo


Um homem, vestido com um smoking, estava sentado em frente à várias câmeras e microfones, ele sorria, passando as mãos por seus fios longos, batendo em seu ombro, com as pontas azuis.

Ele respondia a perguntas feitas pelos repórteres.

— Então, é realmente sua vida? Você faz parte de um quarteto?— questionou um deles, com um sorriso.

— Sim, tudo real. — disse o homem sorrindo.

— Posso participar, senhor Jones?— questionou um deles, parecendo bem novo, com um sorriso.

— Acho que quatro já é mais que o suficiente.— respondeu Julian, rindo de leve, sorrindo, inclinando-se para frente.

Julian olhou mais para trás do salão e seus olhos encontraram o do homem de fios negros, um pouco maior naquele momento. O menor sorriu, vendo-o sorrir de volta. Logo um fios loiros chegou ao seu lado, junto com um asiático, os dois notando o olhar de Julian, sorrindo para ele.

Logo a entrevista acabou e o menor saiu do palco, indo em direção aos três e os selou, com carinho, cada um.

— Então, como eu fui?— questionou, sorrindo com carinho.

— Bem, como sempre.— disse o moreno de fios longos, London, acariciando o rosto de Julian.

— O pessoal adora como você é natural e verdadeiro.— disse o asiático, sorrindo de canto.

— Ele é escritor de uma história erótica com quatro homens, não há nada mais não convencional, então se fosse para julgar, já teriam julgado.— disse o loiro.

O menor riu, prendendo seus fios em um coque.

— Bom, nada seria possível se não fosse por vocês.— disse sorrindo e deu um selinho em Liam, rindo de leve.

Lembrou quando o asiático descobriu do relacionamento a três, há dois anos, e que ficou tão interessado que acabou se deixando levar, tornando-se parte de um poliamor.

— Bom, o Alex e o Thom nos chamaram para um jantar na casa deles, vamos?— questionou, Julian, os olhando.

Alex e Thomas haviam se conhecido a partir do Julian e logo o loiro colocou suas garras no jovem cientista, que, docemente, se deixou levar e pouco depois pediu Alex em casamento, estando há seis meses casados.

 — Comida de graça, ué.— disse Doyle sorrindo.

— Interesseiro...— disse Liam, olhando o loiro.

— Nem...— respondeu o loiro, rindo de leve.

O Jones riu, negando, enquanto eles iam em direção ao carro, o menor ficando com o loiro atrás e o selou, com carinho.

— Hum… Eu quero brincar à noite, podemos?— questionou Liam, olhando para London, depois para os de trás.

— Claro.— disse London, sorrindo de canto para o asiático.

— Você pareceu o loki agora...— disse Liam, acariciando a coxa de London, que riu de leve.

O menor riu, negando.

— Eu sempre estou disponível.— disse sorrindo, abraçando o loiro, deitando a cabeça em seu peito, mordendo seu pescoço, vez ou outra, sorrindo por suas reações.

Doyle o abraçou, mantendo-o perto.

— Amorzinho… A gente vai ver seus amigos agora, vamos colocar essa disponibilidade pra mais tarde, sim?...— pediu o loiro, acariciando o pescoço do outro.

Liam riu.

— Eu só estava querendo dar amor pro meu amorzinho loiro.— disse sorrindo, o dando selinhos.

— Dê, eu quero. Mas tenta não me excitar no processo...— disse rindo de leve, dando vários beijos suaves no menor.

— Vocês são muito doces...— disse London, chegando na casa dos outros, estacionando.

— Diabetes.— completou Liam .

— Somos o açúcar da nossa relação.— disse sorrindo, o olhando e desceu do carro, com os outros.

— Realmente, e eles são o chá.— disse Doyle, indo até a porta da casa com os outros.

London tocou na campainha.

Julian riu de leve.

Alex abriu a porta e sorriu para eles.

— Bem-vindos. Podem entrar.— disse sorrindo, abrindo espaço.

Os quatro entraram e encontraram Thom deitado no tapete da sala com um filhote de Husky no peito.

— Oi, gente.~ Olha o novo membro da família.— disse o cientista, mexendo as patinhas do filhote.

Julian deu um gritinho animado e correu para pegar o filhote.

— Bichinho~— disse fazendo carinho no cachorro, que tentou morder sua mão.

London riu de leve, negando.

— Não pode ver um bichinho desse…

— Ele fica doidinho...— disse Liam, olhando ele.

Thomas riu, se sentando.

— Oi para você também, Julian.— disse negando e se levantou, indo falar com os outros e abraçou Alex.

— Qual o nome?— Questionou o Jones.

— Arlec.— disse Alex, sorrindo.

— Oi, Arlec, você é muito fofo.— disse o menor para o filhote.

— Viram a entrevista?— perguntou Doyle.

Liam foi até London e ficou ao lado do mesmo, com o detetive envolvendo sua cintura.

— Sim, aquele repórter dando em cima do Julian… — comentou Alex, rindo.

— Não é qualquer um que pode.— disse London, sorrindo de canto, sentando-se no sofá, trazendo Liam consigo.

Liam sorriu de leve e se encostou no moreno.

Julian riu, negando, brincando com o cachorro.

— Chamei vocês para almoçar. Bora, meu povo, venham comer.— chamou Alex, negando.

Julian fez beicinho, triste, deixando Arlec no chão. O Jones puxou Doyle para si, o selando com gosto e o levou para a cozinha.

London levantou-se novamente e ofereceu a mão ao mais novo, que a segurou e foi com o outro para a cozinha.

Thomas serviu a mesa e se sentou com os outros.

— Espero que gostem.— disse o moreno.

— Ele cozinha muito bem.— disse Alex, sorrindo, fazendo carinho na mão do marido.

—Realmente, no laboratório, ele levava uns lanches e eu roubava. Eu adorava uma tal de coxinha.— disse London.

— Ah, eu já comi uma dessa que ele fez.— disse Doyle, sorrindo enquanto comia.— Ele é muito bom.

— Realmente, vai cozinhar lá em casa.— brincou o Jones, sorrindo divertido.

— Tadinho...— disse Liam.

O filhote entrou no lugar e sentou ao lado da cadeira de Doyle, cheirando sua calça.

— Está cheirando o Ango, É?— disse o loiro, sorrindo.

— Ele vai sentir a presença macabra daquele cachorro...— disse London.

Alex riu, negando.

— Sua comida está ali, filho.— disse, indicando o pote de ração do filhote.

O filhote latiu, deu voltas na mesa e depois correu, desengonçado, até sua ração e começou a comer.

— Ownt… — fez o Jones, olhando para o filhote, achando fofo.

— Filhotes...— murmurou London, rindo de leve.

Eles continuaram jantando e conversando até chegar a hora do quarteto ir embora.

— Vou sentir saudade.— disse Julian, choramingando.

Alex cruzou os braços, olhando para o azulado.

— Vai se fude! — disse, empurrando o mesmo, que estava abaixado, brincando com Arlec.

Thom riu, negando, se despedindo dos outros.

Eles foram para o carro, sentando-se da mesma forma que estavam antes.

— Vou te dar um filhote, assim.— disse Liam, olhando o menor pelo espelho do carro.

— Oba!~— disse o menor, animado.

O loiro riu de leve e envolveu a cintura do menor, acariciando sua barriga.

— Sua alegria é tão fofa...

O menor sorriu, o selando, passando suas mãos por dentro da camisa do maior.

 O loiro o puxou para perto, fazendo com que sentasse em seu colo.

— Eles não sabem nada de segurança no carro...— disse London, sorrindo de leve.

O azulado riu, tomando os lábios do loiro.

— Acho que tem alguém que quer brincar, aqui… — disse o mesmo, sorrindo, rebolando no colo do maior.

— Ah… Quero sim.— concordou o policial, com um sorriso de canto, apertando aa coxas do outro.

O menor gemeu, sorrindo malicioso.

— Hum… — murmurou, continuando a se mover, o estimulando.

Liam sentiu um arrepio com os gemidos do azulado e os observou pelo espelho.

— Você fica animadinho fácil também, não É?— disse London, observando Liam com um leve sorriso, colocando a mão em sua coxa.

O asiático mordeu o lábio, sorrindo para London.

— Não, mas é que… O Julian geme de forma tão sexy… — disse, com um sorrisinho.

Julian riu, de leve, então se voltou para Liam e beijou seu pescoço, gemendo em seu ouvido, enquanto Doyle lhe provocava.

O detetive sorriu de canto, acariciando a coxa do asiático.

— Já estamos chegando.

Não demorou muito para chegarem em sua casa nova, maior,e que Ango estava deitado no gramado quando eles entraram pelos portões e foram em direção à casa.

O menor sorriu, puxando os três para o quarto e se agarrou em Doyle, o selando com fervor.

Doyle agarrou o menor, o puxando para a cama, deitando-o na mesma enquanto ficava por cima, passando suas mãos por ele entre o beijo.

London olhou para Liam e sorriu, puxando-o pela mão para um beijo, unindo seus corpos. Envolveu sua cintura, fazendo-o caminhar para trás até cair na cama, com o detetive por cima.

Julian sorriu, sentindo o loiro descer os beijos por seu pescoço e deu mais espaço. Liam suspirou, retribuindo o beijo,que era menos fogoso que o dos outros dois.

O azulado gemia baixinho e logo trocou de posição com o loiro, jogando suas roupas pelo quarto e ficou rebolando no colo do loiro.

— Assim você me enlouquece, pequeno...— disse o loiro, sorrindo enquanto o observava e se sentou, ainda com o outro no colo, retirando sua camisa.

London enfiou a mão na calça do asiático tocando seu membro, massageando-o.

— Como quer hoje, Liam? Algum brinquedo para enfeitar nossa brincadeira?

O asiático tremeu de leve, suspirando.

— O que quiser… — disse sorrindo, gemendo.

Julian sorriu para o loiro e o selou.

— Essa é a intenção, amor.— respondeu, tirando a calça e cueca do outro, se penetrando.

London sorriu e o selou, desabotoando sua camisa, o despindo, para depois se despir também e pegar o lubrificante, colocando em seu membro, depois voltou ao asiático e o envolveu, penetrando-o com um tanto de força.

Doyle gemeu rouco e apertou as nádegas do mais novo, estimulando-o a se mover.

Liam gemeu alto pela estocada do outro, que o fez perder o ar.

Julian sorriu, ao escutar o gemido de Liam e os olhou, se movendo, suspirando por tal ação. Ele puxou London para um beijo, suspirando, pelo loiro começar o estimular.

O detetive retribuiu ao beijo, sem parar as estocadas em Liam e sorriu ao cessá-lo, olhando para Liam, que gemia em um tom manhoso e tinha as bochechas coradas.

— Eu adoro como seu corpo reage...— disse o detetive, inclinando-se sobre o mais novo, selando-o com paixão.

Doyle puxou Julian pela nuca, selando-o, empurrando seu quadril para cima, intensificando os movimentos.

O azulado não manteve o beijo, tendo que buscar fôlego, enquanto gemia alto. Liam retribuiu o beijo.

London cessou o beijo e mudou a posição, deixando Liam de bruços, com o rosto no travesseiro enquanto o estocava.

Doyle também mudou de posição e deitou Julian na cama, envolvendo suas pernas ao redor do quadril.

Liam gemeu alto, arfando, empinando sua bunda, para o outro continuar.

Julian sorriu, gemendo e o puxou para si, logo gozando, junto com o loiro.

Doyle sorriu, selando Julian e olhou para o outro casal.

 —Eles até podem ser chamados de adoráveis...— disse o loiro, acariciando as costas nuas de Liam, enquanto London o penetrava.

Doyle saiu de dentro de Julian, que sorriu, se sentando, observando outros dois, ficando excitado.

— Hum...— gemeu London, baixo, beijando as costas de Liam e chupando seu pescoço.— Meu garoto está tão relaxado…

Julian sorriu, negando o comentário. Liam gemeu mais e logo gozou, arfando.

London sorriu de leve, penetrando-o um pouco mais até também gozar e abraçar o corpo de Liam.

— Fofos.— disse Doyle.

Julian riu, e puxou Doyle para um beijo, ficando por cima dele, enquanto já havia voltado a ficar excitado.

O loiro retribuiu ao beijo, abraçando o corpo do menor, acariciando seu membro.

London abraçou a cintura de Liam.

— Está bom pra você? 

O azulado retribuiu o beijo.

— Posso lhe penetrar?— questionou o azulado, sorrindo de canto, o olhando nos olhos, de forma ferina.

Liam sorriu para London, concordando.

— Claro.— respondeu Doyle a Julian, o dando um selinho.

London saiu do interior de Liam e o pegou no colo, sentando-o no mesmo, selando-o.

O azulado sorriu e abriu as pernas de Doyle, então o penetrou, com força e rapidez, sorrindo ao vê-lo arfar e arquear as costas.

— Ah… Julian...— gemeu, mordendo o lábio, o olhando, sentindo seu membro excitado novamente.

O menor começou a o estocar, no ritmo que o maior gostava, segurando sua coxa com uma das mãos e o pênis do mesmo com a outra, o masturbando.

— Hum…~— gemia o loiro.

London acariciava o asiático, beijando seu pescoço.

Liam sorriu de leve e ficou observando os outros dois. Julian arfou e logo ambos gozaram de novo, gemendo mais alto e Julian riu, feliz, saindo do interior do outro e o selou.

— Agora podemos tomar banho.— disse sorrindo, animadinho.

— Eu estou mortinho...— disse Doyle, relaxado, com os olhos fechados.— Hum.. .~ Me deixe descansar...

London riu de leve.

Julian riu, negando e pegou o loiro no colo, o levando para o chuveiro, sentando-o em um banquinho que havia dentro do box.

London fez o mesmo com Liam, levando-o para o banheiro.

— Pode me pôr no chão, Lon.— disse Liam, sorrindo de leve.

O detetive o fez e o loiro sorriu para o asiático, beijando sua mão.

Julian ligou o chuveiro e ficou embaixo da água, observando os três homens a sua frente, sorrindo.

Certamente, depois de tanto sofrimento, Julian não esperava amar e ser amado de volta,  mas ali estava ele, sendo amado por três belos homens e ele os retribuía com paixão e muitos sentimentos.

Ele olhou para eles sorrindo.

— Eu amo vocês!

 

FIM!

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...