1. Spirit Fanfics >
  2. More Than Partners >
  3. Capítulo 8

História More Than Partners - Capítulo 8


Escrita por: e NSARMY


Capítulo 8 - Capítulo 8


Dois dias depois

— Beleza… Pode vir com tudo!— disse Julian, sorrindo para Doyle, desarmado.

Doyle sorriu de canto, com uma faca de treinamento mas mãos.

— Como desejar.— disse e avançou em direção ao platinado.

Ele dava golpes com a faca e o menor desviava e defendia. O loiro girou e surgiu atrás do platinado, colocando a faca em seu pescoço, segurando sua cintura, colocando o corpo do outro contra o seu, imobilizando-o.

O menor arfou, chegando um pouco para trás, buscando ficar mais afastado da lâmina, e encostou-se mais no maior, sentindo a respiração do mesmo em seu pescoço, o deixando um tanto arrepiado.

— Droga!— reclamou o platinado.

— Relaxe...— disse o loiro, em um tom baixo, com um sorriso de canto.— O que faria em uma situação dessas? 

O menor tentou pensar em uma forma de fuga e ergueu um pouco de sua perna, chutando o joelho do loiro, não com muita força, pois sabia que podia quebrar. Vendo o maior, um tanto desestabilizado, pegou a faca de sua mão, entortou o braço dele e empurrou seus joelhos, o fazendo se ajoelhar no chão e colocou a faca em seu pescoço.

— Bom...— disse Doyle, sorrindo, colocando um pouco a cabeça para trás, fazendo os fios caírem para trás, o olhando.— Realmente bom.

O menor sorriu, o olhando nos olhos.

— Eu sou demais.— disse sorrindo e deu um beijo em sua testa, tirando a faca de seu pescoço.

— Ah, mas é claro.— disse o loiro, sorrindo e pegou a faca do outro, jogando-a em um balcão.— Vamos lá, tente me imobilizar.

Enquanto estavam treinando, London estava no outro prédio, na penitenciária, conversado com Liam até que Julian e o outro pudessem ir até lá.

O platinado assentiu, indo para cima do maior. Quando ele conseguiu, estava sentado nas pernas do loiro, segurando os braços do outro sobre sua cabeça. 

— Te peguei.— disse sorrindo, o olhando nos olhos.

—  É, parece que...— disse o loiro sorrindo, girando os pulsos, soltando as mãos, envolvendo a cintura do outro, fazendo-o deitar-se no chão, ficando na mesma posição que o outro estava antes.— Nos pegamos.— disse o loiro, olhando nos olhos do outro, com seu rosto próximo ao do platinado.

O platinado arfou, bufando em seguida.

— Chatão.— disse e sorriu.— Pronto… Próximo aprendizado… 

— Você é mais bonito visto de perto.— disse com um sorriso de canto, apoiando-se em seu antebraço, próximo ao outro.— É tão confortável aqui.

— Isso é bem… Estranho...— disse, arqueando as sobrancelhas, encarando o loiro.

— O Que?— questionou, o olhando, levando uma das mãos à cintura do platinado, acariciando-a.— A situação ou a posição?

— Os dois.— disse, o olhando com uma expressão confusa.— Acho… Melhor nos levantarmos… 

— Por que? Não gosta que eu fique assim?— questionou o loiro, afastando-se um pouco.— Me desculpe se esse é o caso… Eu não queria te deixar desconfortável.

— Eu… Eu e o London somos parceiros e vocês são amigos...— disse, o olhando nos olhos.

— O que?! Você e o London estão realmente em um relacionamento? Não são só parceiros de trabalho?— questionou Doyle, com as sobrancelhas arqueadas, surpreso.

— Não… E eu espero que entenda isso...— Disse, suspirando, com receio.

— Hum… Certo… Eu não esperava isso.— disse levantando-se e estendeu a mão para o outro.— Então, vamos voltar a treinar normalmente.— disse o loiro, o olhando.

O ´platinado concordou, limpando a garganta com um pigarreio.

Doyle o levantou e voltou a passar mais alguns movimentos, até London chegar na sala e se encostar na parede os olhando, então o loiro deu um intervalo para Julian beber água.

— Então, vocês estão se relacionando? Ah é? Você nem para me dizer, não é? Seu infeliz— disse o loiro a London.

.— Ah, sim. Decepcionado?— questionou London, arqueando uma das sobrancelhas, sorrindo sarcástico.

— Seu inferno.— disse com os olhos semicerrados.

Julian os observava, bebendo sua água.

— Menos… Não é para tanto...— disse, indo até eles.

— Isso é porque ele sabia. Ele sabia que eu havia gostado de você, mas escolheu não dizer nada.— disse Doyle, olhando para London, suspirando.—  Eu vou deixar isso para lá…

— Eu apenas suspeitava…— disse London.

O platinado suspirou, pondo uma mão no ombro de cada um.

— Eu também sou responsável por isso e sinto muito, mesmo, Doyle.— disse, olhando para o loiro, nos olhos.— Mas não é para tanto… Eu… Olha… Ah, isso é estranho… — disse, suspirando.— Você não perde nada, por não estar comigo, Doyle.

— Perder, eu perco. Mas não vou fazer tempestade em copo d’água. Não se preocupe com isso. Estou bem. —disse o loiro, balançando as mãos como “deixe pra lá”. Ele olhou para London.— Pode treiná-lo agora, eu acabei por hoje.—disse e foi até Julian, beijando sua testa foi até o detetive, batendo em seu ombro, saindo da sala de treinamento.

— Ele só está frustrado.— disse London, olhando o platinado.

O menor suspirou, olhando para suas próprias mãos.

— Eu… Acho melhor irmos para casa.— disse, o olhando.— Estou cansado.

— Se você acha melhor...— disse o moreno, indo até o outro e segurou suas mãos com uma das suas, envolvendo sua cintura em seguida.— Hey, não olhe para baixo, olhe para mim. Está tudo bem.

O menor o olhou e negou.

— Não está tudo bem, ele tem razão. Não era necessário saber se ele gostava ou não de mim… Ele é seu companheiro, era justo contar para ele, assim como eu devo ao Alex.— disse, suspirando, o olhando nos olhos.

— Então, podemos considerar isso como um equívoco. Eu me desculpo com ele mais tarde, eu sei que você já o fez. E você fala com o Alex. Se quiser vir comigo falar com o Doyle, tudo bem.— disse o moreno, acariciando o outro.— Podemos fazer isso depois.

O platinado suspirou, concordando e os dois saíram, pegando o carro e foram para casa.

— Vou tomar banho.— disse, suspirando.

O moreno o seguiu e foi para o quarto.

— Quer um tempo para você ou devo ir junto?— questionou o detetive, olhando Julian.

O platinado suspirou e o deu um selinho.

— Não irei demorar… Pode ir preparando o jantar.— indicou, tirando sua roupa, indo para o banheiro e fechou a porta.

London ficou um tempo lá, olhando para a porta, então foi arrumar as coisas para preparar a comida.

Minutos depois o menor saiu, vestindo uma roupa no quarto e foi para a cozinha, abraçando o maior pela cintura.

— Está preparando o quê ?

— Panquecas com bife e mussarela. Eu pensei em fazer isso com as coisas que já tínhamos aqui.— disse, acariciando o braço do outro em sua cintura.

— Hum… Posso continuar, para você, enquanto você vai tomar banho.— disse, sorrindo de leve.

—  Faça isso, por favor.—  disse, retribuindo o sorriso e o selou. — Volto logo.—  disse e foi ao banheiro, deixando as coisas com o platinado.

O menor preparou todo o resto e levou para a mesa, com vinho rose.

Depois de um tempo, London voltou, vestindo apenas uma calça e foi para a mesa, beijando a testa do mais novo.

 — Obrigado.

— Não precisa agradecer. — disse sorrindo e começou a comer, bebendo um pouco do vinho.

O moreno fez o mesmo, o olhando com um sorriso.

—  Vou te levar a um stand de tiro amanhã.

— É sério?— questionou, animado.

— Sim. Você tem que ter um porte de arma também.— disse o moreno, sorrindo de leve, comendo.

— Legal!— disse animado, enquanto comia.— Mas e o Doyle… Quando vai falar com ele?— questionou.

— Acha melhor eu falar com ele agora ou amanhã?

— Amanhã, pessoalmente.— disse, sério, suspirando e terminou de comer.

— Certo… Vai querer ir comigo?— perguntou, olhando-o, também terminando. Se levantou e pegou as coisas, levando para a pia, lavando.

— Não, vou falar com o Al.— disse, arrumando a mesa, levando os panos para a cozinha e ajudou o outro a guardar tudo.

O detetive assentiu e quando eles terminaram foram para o quarto.

O moreno deitou-se e sorriu para o menor, chamando-o.

O platinado sorriu e foi até o maior, deitando ao seu lado, aconchegando-se  braços do mesmo.

— Boa noite, On.— disse sorrindo, relaxando e logo apagou.

O detetive sorriu e adormeceu também.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...