História Mostre-me a felicidade - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Chrollo Lucilfer, Hisoka, Kurapika
Visualizações 39
Palavras 2.931
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse capitulo contem estupro. O detalhamento não é nada tão hard, mas é sempre bom avisar para aqueles que não gostam dessa temática.

Capítulo 20 - Take me to Church 1


Fanfic / Fanfiction Mostre-me a felicidade - Capítulo 20 - Take me to Church 1

Sabe quando sua vida esta a mil maravilhas e tudo parece da certo?

Quando tudo no mundo é bonito e qualquer coisa é motivo para te deixar feliz?

A minha vida estava assim. Um mês já havia se passado desde o acampamento, meu namoro estava ótimo, minhas amizades estavam ótimas, minhas notas estavam ótimas, enfim, tudo era ótimo.

Ate as ligações começarem.

No inicio Hisoka as ignorava, depois, foram ficando cada vez mais insistentes.

-Por que você tem que atender?

-Porque sim, Kuroro.

-Porque sim não é resposta.

-Então é o que? Uma pergunta por acaso?

Era sempre assim a gente discutia e ele me deixava falando sozinho. Eu não conheço Illumi, nunca quis pergunta dele para Hisoka, olhando para trás eu deveria te feito isso, se eu tivesse o conhecido talvez pudesse especular o que ele queria com Hisoka.

Outra mudança na minha vida foi à vinda de dois caras para o andar de baixo.  Eu sempre os via quando andava pelo prédio e pelo visto também eram gays. Eles eram super simpáticos e me tratavam super bem.

-Três dias depois Hisoka falou que iria sair e ficou o final de semana inteiro fora.

My lover’s got humour

She’s the giggle at a funeral

Knows everybody’s disapproval

I should’ve worshipped her sooner

XXX

 -Não acho que ele esteja te traindo. Talvez ele esteja arrumando tudo com o ex.

-Por favor, Teddy quando ficou tão ingênuo? Obvio que ele está te traindo, gato.

-Não encha a cabeça dele com coisa Frederick!

-Quem esta colocando coisa na cabeça dele não é eu, é o boy dele.

-Fred!

-O que?

Frederick e Teddy eram o casal que haviam se mudado para o andar inferior. Eu falava com eles somente por educação e não mantinha nenhuma outra forma de contato, porém, quando Teddy me convidou para tomar um café na casa dele eu não recusei. Deveria, mas não fiz.

Teddy era moreno com cabelos ondulados até o ombro e possuía um corpo magro.

Frederick ou Fred era ruivo com cabelos água de salsicha, possuía uma barba rala era mais corpulento que Teddy e mais intimidador.

Teddy serviu bolo com café para gente e depois de um tempo eu contei o que estava havendo.

Teddy apoiou Hisoka enquanto Fred o acusou, e, por isso, os dois discutiram uma discursão saudável e engraçada. No fim voltei para minha casa, mas antes Fred pegou meu número do what zap para conversar.

Não vi mal nenhum nisso.

XXX

Kuroro quem é Fred? –Hisoka apareceu na minha frente segurando meu celular nas mãos.

-É o vizinho do andar de baixo. –Tentei pegar meu celular, mas Hisoka não deixou.

-Posso saber o porquê de ele mandar mensagens?

-Eu fui a casa dele nos conversamos ele pegou meu número e me  manda mensagens.

-Foi na casa dele? Sozinho?

-Pare de ser besta, ele tem namorado.  Agora devolve meu celular

-Me mostre às mensagens que ele te envia.

- Como é? Ta desconfiando de mim?

-Eu confio em você, mas não confio nele.

-Eu não vou mostra nada. Não porque estou escondendo algo, e sim porque você não merece.

-Não mereço?

-Seu hipócrita. Quer ver minhas mensagens, mas se eu perguntar das suas conversas com Illumi você me ignora e não me deixa ver.

-A situação é diferente.

-É diferente mesmo. Fred é um cara que eu acabei de conhecer. Acha mesmo que eu me deitaria com alguém que mal conheço? Mas você... Illumi é o seu ex  de nos dois aqui você tem mais chance de cometer um deslize.

Hisoka morde seu lábio inferior.  –Fique calado e me mostre às mensagens.

-Eu peguei meu celular e corri para me trancar no quarto. Passei o dia todo trancado lá, acordei de madrugada para comer alguma coisa e depois me tranquei de novo.

Hisoka desistiu da briga, mas ficava visivelmente incomodado quando eu recebia mensagens.

If the Heavens ever did speak

She is the last true mouthpiece

Every Sunday’s getting more bleak

A fresh poison each week

XXXX

Sai com Kurapika para o shopping da cidade para tentar esfriar a cabeça.

-Da para acreditar nele?

-Ele realmente exagerou.

-Que bom que você concorda Kurapika.

-Mas o que você acha desse vizinho novo?

-Pelo amor de deus eu não tenho nada com o vizinho novo. Ele só conversa comigo às vezes.

-Eu não quis te ofender, e que relacionamentos são complicados deveriam sair pra conversar.

-Eu já tentei, mas ele nega todo tempo, só sabe ficar conversando com o ex dele.

-Você fica fofo ciumento.  Que tal você tentar conversar com Illumi, ele sempre vai à escola conversar com Hisoka. Ele não entra, mas fica no portão.

-O Illumi conversa com o Hisoka na escola! ?

-Você não sabia? Acho que falei bobagem.

-Essa foi a gota d’agua se Hisoka não quer falar o que esta acontecendo eu...

Eu trombo com alguém no meio da rua.

-Desculpe não vi você. –Uma voz grave falou.

-Fred?

-Kuro, você por aqui? –Ele estendeu sua mão para me ajudar a levantar.

-O que faz aqui?

-Vim comprar um presente para Teddy, só não conta pra ele. Quem é o loirinho do seu lado?

-Esse aqui é o Kurapika meu amigo da escola.

-Prazer em conhecer.

Kurapika sorriu levemente em resposta.

-Estão de saída?

-Sim

-Querem carona?

-Aceitamos.

Depois de Fred deixar Kurapika em sua casa, ele dirigiu ate o prédio onde moramos.

-Como está seu relacionamento?

-A mesma coisa. –Menti

-Ele ainda tem se encontrado com o ex.

-Eu não quero falar sobre isso.

-Desculpe, mas e um café, aceita?

Sabia que Hisoka estava me esperando, só que eu, sinceramente não queria voltar para lá.

-Sim, vai ser bom para passar o tempo.

E o tempo realmente passou, entrei na casa era por volta de umas quatro da tarde e quando me dei conta já era oito da noite.

-Melhor eu ir embora.

-Tenta conversa com seu namorado de novo.

-Eu vou tentar Teddy, não vai adiantar nada, mas tentarei.

Alguém bateu na porta, Teddy se levantou para atender. Quando dei por mim so o vi sendo empurrado por Hisoka.

-Onde ele está?

-Hisoka! ?

-Sabia que você estaria aqui. Que porra é essa? Você sai de tarde e não da mais noticia.

-Abaixa a voz que você não esta na sua casa. –Falou Frederick

-Cale a boca. Isso é entre mim e meu namorado.

-Você entra de repente na minha casa e empurra meu namorado no chão, não tem mais o direito de exigir nada! –Frederick fala de uma forma mais alta que Hisoka.

-Vamos acalmar! Hisoka, por favor, saia.

-Não vou sair sem você.

-Eu já estou indo, vá embora.

Meu namorado olha para todos na sala e vai embora.

-Desculpe por ele. –Levanto Teddy do chão.

-Ele tem uma força.

-Ele tem.

-Aquele lá era seu namorado? É um babaca.

-Ele geralmente é um fofo, só está diferente nos últimos dias.

-Quando alguém muda perto de você é sinal para você também mudar.

Encarei Fred com um rosto confuso.

-Ele te machucou, amor?

-Não Fred.

-Eu vou embora tenho algo para fazer.

-Se acontecer alguma coisa venha para cá.

-Certo.

XXX

A briga não poderia ter sido pior. Quando cheguei a casa Hisoka já foi pulando em cima de mim, histérico, perguntando o que eu estava fazendo esse tempo todinho naquele apartamento.

Eu revidei dizendo que estava apenas conversando.

Ele não acreditou em mim, para ele era impossível eu esta lá esse tempo todinho apenas conversando.

Dei um tapa na cara dele e falei para ele me respeitar, joguei em sua cara tudo o que eu tinha sacrificado para ficar junto com ele, e que por isso, não permitiria que ele me acusa-se de traição.

Hisoka segurou meu braço e me prensou contra a parede. Disse que era eu quem devia a ele, por que se não fosse por ele ter voltado eu ainda estaria preso em um relacionamento merda e jamais teria confrontado meu pai, pois, nas palavras dele, eu era um covarde.

Não aguentei e chutei o meio das pernas deles.

Ele caiu no chão de dor enquanto sai correndo para o quarto e me tranquei de novo. Porém, dessa vez o meu truque não funcionou, Hisoka entrou furioso no quarto, ele deve ter feito copia das chaves, tentei fugir, mas ele me jogou de costas no colchão.

-Eu sei qual o seu problema, é falta de rola. – Ele disse enquanto tirava minha roupa.

-Não é nada disso, só acho estranha sua aproximação com o cara que te deu um pé na bunda.

Hisoka me da um soco no rosto e força  a minha cara contra o travesseiro. –Bobagem é falta de rola que eu sei.

Ele puxa meu quadril para cima e mete de uma vez.

Solto um grito abafado pelo travesseiro. Ele passa a dar entocadas cada vez mais violentas.

Tentei pedir para ele parar, mas tudo que ele sabia falar era que eu estava gostando e que no fundo queria mais. Ele gozou dentro de mim bem mais rápido que o normal, quando ele tirou apenas recolhi meu corpo e fiquei chorando no travesseiro. Eu podia sentir a presença dele no quarto, só que eu me recusei a virar, eu só queria ficar sozinho, e dessa vez ele atendeu minhas preces, pois logo escutei a porta bater.

We were born sick, you heard them say it

My church offers no absolutes

She tells me worship in the bedroom

The only heaven I’II be sent to

XXX

No outro dia fui sozinho para a escola, não queria conversar com Hisoka, entretanto, na sala tive que encarar a cara dele. Ele parecia triste, mas eu resolvi ignorar, na verdade eu ignorei tudo a minha volta naquele dia. No intervalo eu sai rapidamente da sala, acabei trombando com alguém da gangue de Neon, era a Elisa, ela me xingou de alguma coisa que eu não prestei atenção, resolvi pedir desculpa e segui o meu caminho.

Sentei num banco na parte de trás da escola, quase ninguém ia para lá. Fiquei sentando por não sei quanto tempo ate que ele sentou perto de mim.

-Kuroro?

-Hisoka falou meu nome de uma forma gentil, mas não teve nenhum efeito sobre mim. Ele me abraçou, mas quando fez isso, eu reagir por instinto e o empurrei de volta.

-Não toque em mim! –Falei alto

-Meu amor.

-Não me chame assim.

-Você tem todo o direito de ficar bravo comigo, mas eu realmente preciso falar sobre ontem.

-Não aconteceu nada ontem.

-Hisoka eleva sua sobrancelha em confusão.

-Sim, ontem não ouve nada. –Eu tapo meus ouvidos e abaixo a cabeça. –Nada, tudo aquilo que eu passei foi um sonho ruim, não pode ter sido verdade. Eu saí deixando Hisoka sozinho.

Voltei para casa e fui direto pra o quarto fiquei lá sem fazer nada até que me enviaram uma mensagem, era Fred, eu sorri e sem pensar fui para seu apartamento.

-Eu vi você cabisbaixo e resolvi te chamar. A briga foi ruim?

Lembro-me do que aconteceu. –Pior possível.

-Que me contar o que aconteceu?

-Ele me bateu. –Eu só tive coragem de falar isso.

-Sabe, no fim de semana Teddy e eu teremos nossa noite de jogos você quer vim?

-Noite de jogos?

-É. Basicamente nos jogamos vários jogos de tabuleiro, bebemos e comemos, parece chato, mas Teddy não é muito baladeiro e nos quase não saímos, temos que criar algo para passar os finais de semana.

-Eu quero.

-Que ótimo, eu vou avisar o Teddy ele vai ficar feliz, é tão bom fazer amigos.

-Se não for incomodar eu poderia dormir aqui no fim de semana?

Fred me olhou com hesitação. –Eu sei que eu sugeri isso, mas, eu só aceito se seu namorado...

-Não se preocupe, ele não vai fazer nada. Sorri

Esperei ansiosamente o fim de semana chegar, sai de casa era umas sete horas, falei que ia dormir fora, Hisoka fez gesto de falar alguma coisa, mas desistiu no caminho.

Toquei a campainha e Teddy me recebeu.

-Você veio! Quem bom

Passamos a noite toda jogando, comendo, bebendo e conversando, Fred e Teddy eram um casal adorável tudo parecia perfeito, porém, nem tudo que reluz é ouro.

Antes de dormir, Fred me ofereceu um ultimo copo de café. Eu já tinha tomado café naquela casa diversas vezes e por isso senti um gosto estranho.

-Você trocou o café?

-Sim. –Ele sorriu

-Ta com um gosto diferente.

-Eu já preparei o seu quarto, Kuroro.

-Obrigado

-Talvez você deva dormir com a gente. –Fala Teddy num tom sensual.

-Não de bola, ele fica muito agitado quando toma café antes de dormir.

-Boa noite, Kuroro, bons sonhos.

-Eu vou para meu quarto e deito na cama. Sinto o meu corpo ficar pesado, ouço alguns barulhos no quarto de Fred e Teddy, mas ignoro.

 

Is when I’m alone with you

I was born sick, but i love it

Command me to be well

Amen, Amen, Amen

XXX

Acordei nu com um cara com mascara de esqui em cima de mim

-Boa noite minha putinha linda

-Teddy?

Ele me deu um tapa na cara.

-Sabe o que vai acontecer agora?

Olhei ao meu redor, Fred estava ao meu lado com um riso cínico na cara.

-Que brincadeira é essa? –Tentei levantar, mas meus pulsos estavam amarrados na cama.

-Desculpe Kuroro, você é um cara muito legal, mas temos que fazer isso. –Fala Fred

-Frederick! –Eu clamei assustado

-Ele está muito falador. –Teddy tirou seu pênis para fora e socou em minha boca. –Enquanto Teddy alternava os movimentos de vai e vem na minha boca, Fred tirava fotos da situação. Mal tinha começado e a humilhação já era grande, dois estupros em tão pouco tempo de diferença?

-Vou gozar.

-Seu liquido preencheu minha boca. Não consegui engolir, virei minha cara e cuspi.

-Era para você ter engolido. –Teddy me dar um murro no peito.

-Não o machuque tanto, apenas termine com tudo. –Falou Fred que não parou de filmar.

-Ta com dó dele?

-Apenas não quero prolongar essa visão

-Já que virou amiguinho dele, porque não o estupra? O que acha Kuroro? Gostaria de ser estuprado por seu amiguinho?

Me mexi tentando sair debaixo de Teddy.

-Sabe que não farei isso, porque não sou gay.

Olhei para Fred no momento que ele falou.

-Surpreso? Isso ai, não somos um casal de verdade.

Comecei a pensar em que merda estava acontecendo. Quem eram aqueles caras?

Teddy me virou de costa pra cima, encostou a cabeça do seu pau em minha bunda e socou com toda força para dentro. Comecei a gritar desesperado, e tentava a todo custo me soltar.

-Adoro quando vocês lutam, me deixa com mais tesão. 

A dor foi enorme, mesmo não sendo a minha primeira vez e nem o meu primeiro estupro.

Teddy passou a meter cada vez mais firme. Em certo momento ele parou, achei que havia acabado mais ele simplesmente me colocou na posição de frango assado e voltou a meter em mim.

Essa posição era horrível, pois, eu podia ver claramente os olhos de Teddy. Eles estavam em êxtase, claramente ele estava gostando de me subjugar e estuprar.

Não sei quanto tempo durou a foda, mas quanto Teddy finalmente veio dentro de mim um alivio se instalou dentro de meu peito.

-Filmou tudo?

-Sim, vamos embora?

-Não posso repetir, ele é muito gato!

-Não.

Teddy saiu de cima de mim vestiu suas roupas e deixou o cômodo acompanhado de Frederick.

Assim que fiquei sozinho as lagrimas começaram a rolar.

Take me to church

I’II worship like a dog at the shrine of your lies

I’II tell you my sins and you can sharpen you knife

Offer me that deathless death

Good God, let me give you my life

XXX

-Kuroro!

Acordo com um Hisoka chorando ao meu lado

-Meu amor está tudo bem com você?

Eu olho para trás e vejo Genevive aterrorizada.

Hisoka me veste e me ajuda a levantar.

-Vamos para casa.

Chegando em casa eu fui colocado no sofá, Genevive me trouxe um copo d’agua.

-Estarei lá em cima caso precise.

Hisoka sentou ao meu lado. –Eles fugiram, eu vasculhei a casa inteira, nenhum sinal deles.

Não respondi nada.

-Eu vou ligar para a policia.

-Para que?

-Você  foi estuprado.

-Então nessa mesma logica eu tenho que te denunciar também?

Eu olhei no rosto dele e ele estava realmente triste.

-Se isso é o que você quer. Eu sei o que fiz e foi errado, o jeito que tenho te tratado é horrível. Se quiser me denunciar, terminar comigo, que seja, mas, vamos até a policia fazer um B.O

Eu coloquei minha cabeça em seu ombro, não sei direito o motivo, mas eu precisei. Ele me abraçou ate que seu celular tocou, pensei que ele iria atender, mas ele desligou o aparelho e voltou a me abraçar.

XXX

Não gostei de fazer o B.O na policia, os policias pareciam tirar uma com a minha cara toda vez que eu olhava para alguns deles. Hisoka percebendo que fiquei desconfortável deixou bem claro parar o delegado que queria o total sigilo nesse caso.

Parecia que meu relacionamento tinha voltado a ser o que era. Hisoka ainda estava um pouco estranho, mas ele tinha me ajudado na hora do B.O, e nem dormia mais no mesmo quarto que eu, esperando eu me recuperar dos dois traumas.

Tudo parecia lindo, até o dia em que voltando do mercado, eu vi Hisoka deixar Illumi no prédio em frente ao nosso. Eu estava pronto para ir tirar satisfações, mas o que aconteceu depois me deixou em choque.

Hisoka puxou Illumi e deu-lhe um beijo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-

 

 

 

 

 


Notas Finais


Frederick você é um merda
Teddy você é um merda
Hisoka você é um merda
Illumi você também é um merda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...