1. Spirit Fanfics >
  2. Motivos Para Me Amar (com ou sem você) - (Chaennie-Chaelisa) >
  3. Término.

História Motivos Para Me Amar (com ou sem você) - (Chaennie-Chaelisa) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Disse que não ia mais postar de noite e cá estou eu postando :#)
Não se assustem com o título! Vocês já vão descobrir porque esse capítulo é denominado assim.
E não, a história ainda não acabou kkkk tem muita coisa pra acontecer ainda.

Capítulo 9 - Término.


De dentro do banheiro o que eu mais escutava eram os latidos desesperados do meu cachorro e não fazia ideia sequer do motivo, Marley nunca havia dado uma “crise” como essa antes.

- Eu estou bem, amigão! – gritei de dentro do box aonde tomava meu banho na intenção de tentar acalmá-lo, mas de nada adiantou. Saí depois de alguns minutos e ele ainda continuava inquieto.

Peguei-o no colo e o levei até a minha cama, deitando-me abraçada junto e fazendo carinho em seu focinho. Isso logo o deixou mais tranquilo, mas ainda assim continuava tremendo e abanando o rabo.

- O que está acontecendo com você, Marley?

Em seu olhar dava pra perceber que estava amedrontado, mas com o quê? Não tinha nada em casa que pudesse lhe oferecer algum risco, deduzi que estaria incomodado em ter que ficar sozinho novamente, já que no dia anterior eu tinha passado a tarde toda longe dele. Nesse instante o meu celular vibrou com o toque de notificação e fui até a bancada olhar o que era.

- É o Luka. – falei sem despregar os olhos da pequena tela. – Ele me mandou o endereço do restaurante.

Marley voltou a latir desenfreadamente.

- Você deve estar com medo de ficar sozinho novamente, vou pedir para a Lara cuidar de você enquanto eu estiver fora. – passei uma mensagem para a minha amiga pedindo o pequeno-grande favor e lhe explicando toda a situação. Segundos depois ela respondeu e disse que tudo bem eu deixa-lo em sua casa antes de ir, apenas pediu que eu levasse sua comida e uma coleira. Olhei novamente para a cama e o grandão já não estava mais lá.

Dei uma breve olhada no relógio e já era 11:25 e o almoço estava marcado para 12:00 em ponto, foi o tempo certinho de escolher uma roupa, me trocar rapidamente e fazer um delineado, passar um rímel e um batom vermelho.

- Marley! – desci as escadas correndo para a cozinha. – Já está na hora de irmos!

Ele apareceu cheirando meus pés pouco tempo depois e parecia estar bem mais calmo.

- É bom te ver assim de novo, amigão. – alisei levemente a sua cabeça. – Agora vá pegar a sua coleira e me espera no carro.

Ele saiu apressado enquanto eu fiquei ali para separar um pouco de ração para levar. Destranquei o carro ainda de longe e abri a porta para ele, que pulou no banco do passageiro e fiz a volta e me sentei do outro lado. Dei partida e saí de casa o mais rápido possível.

Para a minha sorte, o trânsito estava tranquilo naquele dia, o que jogou a favor do meu atraso. Corri para deixar o Marley com a Lara e em questão de segundos já estava indo em direção ao restaurante. Luka já estava me esperando na porta.

- Um pouco de atraso é elegante, no dia do casamento. – ele bateu levemente no vidro da minha janela antes mesmo de eu sair.

- É, mas hoje eu não sou a noiva. Não ainda. – disse enquanto trancava meu carro. – E eu só estou... – me interrompi para olhar as horas no meu relógio de pulso. – 3 minutos atrasada.

- Não deixa de ser um atraso. – ele fez uma pequena reverência e me estendeu o braço. – Está na hora de entrarmos.

Como uma boa “donzela perdida”, aceitei o seu convite e entramos no restaurante.

- Já providenciei uma mesa para nós. – ele disse enquanto me guiava até o local. Era uma mesa dupla, ficava embaixo de uma grande janela com a vista para a rua e ainda era na frente, aonde eu sempre gostei de me sentar.

Nos aconchegamos em nossos assentos e eu peguei o cardápio para olhar enquanto o garçom não vinha. Fui interrompida pela voz rouca do rapaz.

- Então... O que você falou para a sua namorada?

- Como assim? – respondi ainda sem abaixar o folheto.

- Para ela te deixar vir...

- A Josie não é dessas. Nós não nos prendemos como se fôssemos dois canarinhos, temos a liberdade de ir e vir. Eu confio nela e ela confia em mim, é isso.

- Entendi...

- Já acabei. – abaixei o folheto e o estendi na direção do mais velho. Ele estava observando a rua, com uma das mãos apoiando seu queixo, e o seu olhar era meio cabisbaixo. Ele não estava assim quando cheguei, parecia alegre, e logo veio à minha cabeça o pensamento “o que aconteceu com ele? Está muito sentimental hoje.”

- Obrigado. – ele não olhou nos meus olhos, apenas pegou o cardápio e começou a analisa-lo.

“Ótimo, Rosie, conseguiu assustar uma pessoa que parecia legal”, pensei.

Poucos minutos depois o garçom estava em pé ao nosso lado, anotando os nossos pedidos. O restaurante não era chique, tinha comida caseira, o que aumentava o meu apetite. Pedi um strogonoff de frango com nuggets e fritas e ele pediu frango com quiabo e ketchup. Até hoje não consigo me decidir quem é o vencedor na categoria “comida mais louca”.

Assim que o garçom saiu, meu celular vibrou com o toque de uma nova mensagem e o peguei para olhar. Era a Lara. Queria saber se eu ia demorar porque queria sair com o Marley.

- Há algum problema?

- Oi? – despertei da pequena tela. Acho que realmente estava demonstrando preocupação, nunca havia deixado o meu cachorro sair com ninguém.

- Você está fazendo várias caras estranhas, pensei que estava tendo um ataque.

- Há, há, há, o senhor é engraçadinho viu? – ri ironicamente. – Não é nada demais, é que eu deixei o meu cachorro com uma amiga para ela tomar conta enquanto estava fora e agora ela quer dar um rolê com ele.

- Saquei, - ele ajeitou a sua postura. – mas qual o problema disso?

- Nenhum, eu apenas não o deixei sair com ninguém antes.

- A donzela está com medo de que seu cão de guarda possa escolher uma nova dona?

- O Marley não faria isso, ele não é atirado que nem você. – dei uma piscadela e ele riu sarcasticamente.

- Eu não sou “atirado”, oh bela dama, apenas me amarro em você.

Senti minhas bochechas corarem e o meu rosto arder. Envergonhada, fechei os olhos e ajeitei minha postura, respirei fundo para conseguir controlar minhas emoções novamente. Alguns segundos tentando sem sucesso, o ouvi soltando uma gargalhada e depositei o meu olhar nada contente sobre o seu rosto vermelho de tanto rir.

- Me desculpa, hahaha, – ele tentava se controlar. – mas a sua reação foi muito engraçada.

- Engraçado vai ser quando eu rasgar a sua cara com o meu salto! – me exaltei, mas ainda assim o mais velho continuava rindo e a sua risada era bem contagiante. Logo me peguei tendo a mesma crise, ficando até sem ar, conseguindo o retomar apenas para balbuciar uma megera palavra. – Idiota.

Parecíamos duas crianças rindo alto no meio de um restaurante. Assim que nossos pratos chegaram é que conseguimos nos controlar para comer em paz. Foi nesse momento que recebi uma nova mensagem da Lara e fui verificar.

L<3: menina, como assim????

Eu: como assim o quê?

L<3: você sabe do que estou falando.

Eu: eu acho que não porque estou começando a ficar preocupada.

L<3: é algo sério, bem sério. você não está atualizando os portais de notícias?

Eu: por que eu faria isso justo agora?

L<3: não quero estragar seu encontro, só o faça quando estiver sozinha.

Eu: lara, o que tá acontecendo?

L<3: só siga o meu conselho.

Ótimo, minha melhor amiga havia conseguido me colocar desesperada justo no meu primeiro encontro com o Luka. Ah, mas ela ia escutar umas quando eu voltasse...

Bom, eu estava enganada, quem ia escutar umas era eu, naquele momento.

Fingi que nada havia acontecido e desliguei o meu celular, o guardando novamente dentro da minha bolsa. Minutos depois a Josie entrou naquele mesmo restaurante com o rosto todo amassado e vermelho de tanto chorar.

Ela não me viu de primeira e olhava bruscamente ao seu redor, em prantos, procurando por mim. Não me contive, pedi licença ao Luka e fui até ela discretamente, a abraçando por trás. Levei um empurrão tão forte que me desequilibrei e caí no chão.

- VOCÊ! – ela se virou à mim e gritou. – O QUE VOCÊ FEZ!?

- Josie...! – fiquei assustada com o seu tom, estava conhecendo uma nova Josie. – O que aconteceu?

Assustado, o Luka veio até mim e segurou a minha mão, ajudando-me a levantar sem dizer nada.

- NÃO OUSE DIRIGIR UMA PALAVRA SEQUER À MIM, ROSEANNE, NUNCA MAIS!

Eu estava perplexa. Aquela não era a minha Josie, era uma garota louca que havia tomado o seu lugar.

- Josie, vem aqui, me dá um abraço... Me explica o que tá acontecendo! – tentei me aproximar, mas ela deu três passos para trás.

- Não se aproxime de mim ou senão eu vou GRITAR POR SOCORRO!

Levantei as minhas duas mãos para cima e recuei um pouco. Ela continuou:

- Eu confiei em você, Roseanne, e você me fez de trouxa!

- O quê? Mas... Como assim? Do que você está falando?

Ela soltou uma alta gargalhada genérica, a qual me fez estremecer todinha.

- HAHAHAHA, vai mesmo fingir que não sabe?

- Josie, eu não sei de nada! – meu olhar estava suplicando por uma resposta, o desespero havia começado a subir pelo meu corpo novamente.

- Tudo bem, eu te mostro. – ela retirou o celular da bolsa e me mostrou uma notícia.

A princípio, não acreditei no que estava lendo. Pedi para levar um beliscão e ela me deu.

- E agora, Rosie, você vai continuar dizendo que não sabe do que eu estou falando?

Logo no título da notícia estava escrito em letras bem grandes e destacadas “CHOI ROSIE, EX-BBB20, É VISTA EM RESTAURANTE TENDO MOMENTOS BEM QUENTES COM GAROTO: seria um término com Josie ou uma possível traição?”

- Puta que pariu... – eu e Luka respondemos em uníssono.

- Josie, não é nada disso...

- É o que então, Rosie? – ela me interrompeu. – Hein? Pode me explicar?

- Josie, você sabe que agora somos figuras públicas! A todo momento vão surgir notícias e fake news sobre nós!

- Sim, isso é verdade, mas eu pude constar com meus próprios olhos que essa notícia não era!

- O que você viu de demais, senhorita? – o Luka se intrometeu. – Nós não estávamos fazendo nada de tão ensurdecedor, estávamos almoçando apenas.

- Como você tem a coragem de entrar no meio da nossa briga, seu seboso? – ela o encarou de uma forma mortal. – Não vê que você é o motivo?

- JOSIE, JÁ CHEGA! – foi a minha vez de me alterar. – Você está nos acusando de algo que não fizemos! O Luka é meu AMIGO, eu o conheci ONTEM e já deixei BEM CLARO que tenho namorada e em momento algum eu dei bola pra ele. Eu só queria almoçar com um amigo meu, o que tem de demais nisso?

Ela me encarou incrédula, mas eu estava mais incrédula do que ela. O resto do restaurante ficou totalmente em silêncio, estavam prestando total atenção na nossa briga e algumas pessoas até gravavam. A Josie decidiu quebrar o silêncio:

- Eu não sei se confio mais em você, Rosie.

- Por que não? Você realmente acha que eu iria lhe trair?

- Eu não tenho certeza.

- Eu não te trai, Josie, você me traiu no momento em que deu em cima de uma amiga minha e ficou com ela para me atingir.

- O quê? Garota, o que você tá louca?

- Sim, Josie, eu estou ficando louquinha da silva. Louca de raiva, nojo e desconfiança de você. Você me conhece, conhece os meus sentimentos, sabe que eu os vivo intensamente e ainda duvida de mim. Eu não esperava conhecer um lado assim de você.

Ela abaixou a cabeça e pôs-se a chorar ainda mais. Continuei:

- Uma das coisas que eu tinha certeza que não restava dúvidas era sobre a minha lealdade, Josie, mas parece que você não confia em mim o suficiente para deixar com que eu saia para almoçar fora com um amigo. Você chegou aqui chorando e gritando, me empurrou, fez tudo o que julga errado e ainda afirmou que eu não era fiel ao nosso relacionamento.

Ela tentou fungar e secar as lágrimas, mas ainda assim não disse nenhuma palavra. Prossegui:

- Me desculpa, Josie, mas se você não confia em mim, temo que não poderemos continuar em um relacionamento.

- Rosie...! – de repente a sua expressão triste mudou para uma espantada.

- Sinto muito. – retirei a minha aliança do dedo e a entreguei em sua mão. – Eu te amo muito, mas não posso aceitar que faça isso comigo.

Sem esperar pela sua resposta, fui até a mesa e peguei minha bolsa. Fui até o caixa e deixei um dinheiro em cima do mesmo, dizendo para a moça ficar com o troco. Em seguida entrei no meu carro e fui embora dali o mais rápido possível.

Eu: lara, estou indo embora agora.

L<3: oh amiga, eu e o marley saímos. estamos almoçando ao ar livre.

Eu: tudo bem, você me avisa quando voltar. eu quero conversar com você também.

L<3: você leu o noticiário?

Eu: pior do que isso. im died. 


Notas Finais


O que acharam do capítulo de hoje? Será que a Rosie tomou uma decisão definitiva ou será que ela e a Josie ainda vão voltar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...