1. Spirit Fanfics >
  2. Motoqueiros inglórios >
  3. Capítulo único.

História Motoqueiros inglórios - Capítulo 1


Escrita por: e Starchild-


Notas do Autor


IRRA! Espero que gostem, boa leitura

Capítulo 1 - Capítulo único.


Revirou os olhos ao ver o melhor amigo, este que caminha na sua direção, ignorando o professor que o chama. Seus olhos pareciam brilhar ao ver Jeon Jungkook, um universitário com uma forte paixão por Park Jimin, melhor amigo de Taehyung, que vive em um confuso e melodramático namoro com Min Yoongi.

— Jungkook, vamos, Taehyung nos chamou para a corrida que acontecerá hoje à noite — Yoongi comenta animado.

Sentia saudades das férias, dos dias de paz que foi capaz de desfrutar ao lado do namorado. Foram momentos felizes, onde sexo era frequente e as corridas, no pequeno clube chamado “Motoqueiros Inglórios” complementavam o seu dia, deixando-o em extassê! Ficou viciado na adrenalina causada pelo vento batendo contra a sua pele, da mesma forma que se tornou louco pelos toques do namorado. Yoongi sempre se julgou estragado, mas ao conhecer Taehyung tudo ficou pior.

Acostumou-se com isso, uma época rodeada de sexo, corridas e Kim Taehyung. Só não mais do que Jungkook, seu melhor amigo, um dos melhores da turma; um homem dono de olhos gentis e uma personalidade agradável que, apesar da estatura física, sempre demonstrou gentileza e “ingenuidade” — em especial para assuntos do coração.

— Tenho prova. Prova! Preciso estudar, Yoon, pois, diferente de vocês, sou bolsista! Não posso sair com vocês, ainda mais sabendo que, no momento em que eu me distrair, vocês irão transar e eu ficarei a ver navios. Não irei passar por isso novamente, por isso desiste disso, Min Yoongi.

— Oras, Jungkook, dessa vez será diferente, Jimin irá correr esta noite — disse sorridente, tentando convencer o amigo. — Sabe, o seu crush, aquele que quase te deu um soco. 

— Jimin? Aquele Jimin?

— Sim. Park Jimin, o carinha que você quase fodeu no meu quarto, o homem que quase te deu um soco sem “querer”, está lembrado dele?

O rosto do Jeon aqueceu, os óculos foram colocados de lado, o livro fechado com força e as mãos grandes bateram contra a mesa de madeira, assustando a Yoongi que parou de rir.

Observando o amigo, o jovem Min conteve as suas reações, sua garganta e estômago doeu, segurar o riso e a língua nunca foi tão complicado. Quer falar um pouco mais, dizer ao amigo tudo o que acha, as coisas que não passam da sua humilde e sincera opinião.

— Não brinque com a minha cara, Min Yoongi.

— Nossa, consegui mesmo te irritar! — riu, inclinando o corpo para frente. — Mas pode ficar em paz, sinto que ele também ficará feliz em te ver, afinal você é um alguém memorável.

Sorriu se lembrando do passado, de como ele e Jungkook, movidos pela curiosidade se envolveram, resultando em uma amizade colorida, cheia de beijos e toques extras. Tudo começou com um comentário, uma coisa boba, que despertou o instinto travesso de Yoongi, na qual tomou a iniciativa desencadeando tudo o que aconteceu depois. Uma noite que se prolongou por horas, que fez com que a simples amizade desse um pequeno avanço.

Isso até o Jeon se apaixonar por Jimin, e Yoongi se relacionar com Taehyung, um calouro da faculdade de arte.

— Yoongi, vamos mudar de assunto! Você estudou para a prova?

— Não, Jungkook, eu quero uma resposta: você vai ou não? — perguntou, ignorando a tentativa fajuta de distração.

— Não… sei.

Jungkook se viu em um beco sem saída, onde as opções são curtas, limitadas pelo mau humor de Yoongi. Contudo, precisava de uma distração, sair um pouco e respirar outros ares, não poderia continuar enfurnado dentro do quarto, namorando um livro e vivendo de miojo, vez ou outra alimentos moles, vindos diretamente de embalagens plásticas e da loja do mercadinho mais próximo. Fazia tempo desde a última festa, da última vez que correu.

Gosta da sensação causada pela moto, da emoção a cada curva, embora também gostasse de se perder em Jimin, no homem que o fez de refém com um mísero sorriso. As palavras astutas, a forma sutil como deixou claro as suas intenções, a maneira como o instigou a crer nas palavras doces, na cantada barata improvisada.

Foi Jimin quem se aproximou, aquele a parabenizar, dando ao jovem um copo vermelho, líquido amarelo amargo, que riu com a careta feita, da maneira como Jungkook reagiu. Também foi Jimin a puxá-lo, ficando na ponta dos pés, beijando o homem de cabelos escuros e boca rosada, dando-lhe carinho ao tocar com gentileza nos fios sedosos, antes de tatear o corpo masculino, tirando a blusa de manga e brincando com o cós da calça justa. Jungkook sentiu o corpo quente, seus dedos apertaram o corpo do outro, trazendo-o para perto.

Gostou de sentir a temperatura do corpo de Jimin, o cheiro cítrico vindo de sua pele, de observar o delineado chamativo sobre as pálpebras pigmentadas de preto.

Sensual. Tão memorável quanto a corrida, onde Jungkook competiu pela primeira vez, deixando as suas habilidades à mostra, usando a moto de Taehyung, perdendo-se em meio a adrenalina, ao sorriso ladino, entregando-se ao misto de sensações, os sentimentos turbulentos, o cheiro de borracha queimada, do combustível, a eclosão de sentimentos. Apesar do resultado final ter desencadeado uma briga entre Jungkook e Jimin, essa foi apartada por Yoongi, impedindo o Park de lhe acertar um soco. 

— Vamos, Jeon, não ficará mais burro se sair para se divertir! — Yoongi puxou a sua blusa, fazendo com que ele o encarasse. — Posso pedir para Taehyung te deixar correr!

— Não, Yoongi, por favor, não insista mais nesse assunto!

— Jeon Jungkook, deixa de ser teimoso, pelo menos dessa vez me escuta… — disse, tentando tocar no braço do amigo.

— Quase fui preso, não posso ser fichado e eu não vou perder meu réu-primário por causa dos seus negócios. Se eu for preso, a minha mãe me dá uma surra, e eu tenho medo dela. E na realidade meu objetivo de vida é nunca ter o meu nome no banco de dados da polícia!

— Que lindo objetivo de vida — ironizou.

— Acho que todos deveríamos ter um assim.

— Mas foca aqui, aquilo foi um acidente e a polícia nem te viu! Já eu e o Taehyung… — murmurou. — Não deixaram nem a gente trepar, e o cômico é que estávamos em casa!

— O quê?!

— É, nem sempre as corridas são ilegais, a maioria das pessoas tem autorização, permissão do dono da pista e da polícia para fazer, por qual motivo você acha que menor de idade não passa nem na porta! É um evento honesto e autorizado, mas por algum motivo, por um motivo muito fodido, aquele oficial filho da mãe apareceu lá!

— Yoongi, por Deus, seja mais objetivo! Que policial? Pelo que eu saiba você arrumou briga com dois oficiais e o antigo delegado, por isso seja específico e me diga qual! — exclamou, estava curioso, pois desde sempre Yoongi sempre foi muito expressivo.

Com uma língua solta e hábitos ruins constantemente ao seu lado, tentou corrigir isso um vez, ganhando um Min irritado, com tesão e ódio acumulado.

— O filho do delegado, éramos, se prenda nessa expressão: éramos amantes! Ficamos algumas vezes, mas nunca passou disso, foi só dois beijos e ele gamou, e na época nós dois estávamos nos descobrindo, e por conta disso deixei ele de lado. Por isso, ele te odeia e tem ranço do Taehyung.

“Isso explica muita coisa, na realidade quase tudo.”

— Então em uma escala de um a dez, qual a chance dele aparecer lá hoje?

— Onze. Jungkook, ele não suporta nem a visão minha com o Taehyung, e piora quando envolve o Jimin.

— Como assim? Min Yoongi explica isso direito!

— O oficial é irmão mais velho do Jimin. — Yoongi forçou um sorriso. — Mesmo com ele morando sozinho, o irmão dele nunca deu paz, principalmente depois de saber que ele começou a correr, aí que o ódio dele por mim duplicou! Mas não tem muito o que fazer, Jimin é amigo de Taehyung, era inevitável a gente não se esbarrar, não virar amigo e vocês foderem! 

— Por Deus, Yoongi, mantenha a sua índole e controle a sua boca, estamos em público, dentro de uma sala de aula, não é o momento para falar sobre sexo e seus afins.

— Do jeito que fala parece até que é virgem!

— Yoongi! — bravejou.

— Certo, certo! Espero às nove, não esqueça da jaqueta e do capacete, hoje você irá distrair a mente, Jungkook.

[...]

Jungkook se sentiu um grande mentiroso, um com moral e honra questionáveis, havia se arrumado, escolhido uma roupa agradável ao corpo, uma similar a que usou para correr a última vez. Os óculos de grau foram trocados por lentes de contato, temendo quebrar a armação novamente. 

De longe, pôde ver o Min parado, tendo o corpo apoiado no do namorado, este que segurou a cintura masculina, aquecendo o corpo que nunca se deu bem com baixas temperaturas. Ao seu lado, Park Jimin, usando uma roupa justa, recostado sobre a moto preta. 

— Merda coração, sem acelerar, é só um cara, é só um cara!

“Não é só um cara, é Park Jimin”, Jungkook respirou fundo ao se aproximar dos amigos, sendo ignorado pelo jovem, que se virou caminhando na direção oposta. Deixado-o confuso, pois não se lembra de ter feito algo que o deixasse ofendido, não se lembra de ter feito nada que o deixasse irritado, sendo que a única vez que se viram foi após a última corrida e depois disso Jimin passou a ignorá-lo friamente.

— Aconteceu algo com vocês? — Taehyung perguntou. — Cara, ele nunca fez isso com ninguém, nem mesmo com os adversários dele.

— Não, a última vez que a gente se viu, ele também me ignorou. Droga! O que diabos eu fiz pra ele?! — questionou indignado.

— Deve ter sido uma merda bem grande para ele nem olhar na sua cara! — Taehyung comentou pensativo.

— Realmente não falei com ele depois daquele dia, até tentei mandar mensagem, mas ele nunca respondeu — disse, fazendo beicinho. — Vou perguntar para ele depois.

— Então faça depois da corrida, hoje vocês dois irão competir — Yoongi sorriu, afastando-se do namorado e empurrando Jungkook.

Esse que apenas se deixou ser guiado pelo amigo, pois seus olhos estavam focados no homem a sua frente, que parecia imerso dentro da sua bolha de amor, onde os olhos de Jimin, a beleza existente no corpo masculino, tanto que nem ao menos prestou atenção no pequeno trajeto feito.

Queria entender o motivo dele o ignorar, embora estivesse preso nos detalhes, na mistura favorita existente nos seus olhos. Queria tocá-lo, afagar os fios sedosos, provar da boca carnuda, borrar o delineado perfeito.

— Droga, Jimin, você não deveria me bagunçar tanto assim.

— Jungkook, seu filho da mãe está me ouvindo? — Yoongi perguntou impaciente.

Está sentindo frio, mas devido ao estado de desorientação de Jungkook, viu-se obrigado a guiá-lo até a linha de partida. Sabia do motivo de Jimin estar bravo, embora tudo não passasse de um mal entendido, mas queria ver até onde os dois iriam.

— O que você disse?

— Para de comer o Jimin com os olhos e me escuta, dessa vez presta atenção: você vai competir, dar uma volta no circuito todo, sem socar a moto no feno e muito menos nas barricadas! Presta atenção dessa vez, Jeon Jungkook! — bravejou, segurando as bochechas de Jungkook.

— Yoongi, acho que estou apaixonado — comentou risonho.

— Também estou apaixonado, Jungkook, e o meu namorado está olhando para nós e a sua paixonite parece pronta para me socar. Por isso foca aqui, e repete tudo aquilo que eu te disse.

— O que você disse? — perguntou, fazendo Yoongi respirar fundo.

Ele se afastou, ficando a poucos passos de distância de Jungkook, seu corpo tremeu. Sentiu ódio, uma vontade absurda de socá-lo, como ele pôde ignorá-lo duas vezes em menos de cinco minutos? Seu simpático e fofo Kookie pareceu ter evaporado! Puff! Deve ser o efeito Park Jimin, um que o deixa com uma cara de bobo e com a boca salivando.

Jungkook só voltou a prestar atenção no amigo quando o ouviu espirrar, fazendo com que seus olhos focassem na figura que voltou a tremer.

— Yoongi, está com frio?

— Óbvio! Não posso ficar doente, merda — murmurou.

Jungkook ficou preocupado ao vê-lo se encolher, tentando aquecer o corpo gelado.

— Irei tomar cuidado, portanto fique ao lado de Taehyung.

Seus dedos automaticamente tocaram nos fios pretos, escondendo-os atrás da orelha vermelha. Seu instinto mandou que arrumasse o gorro na cabeça do amigo e que fechasse a blusa de manga longa, verificasse a ponta dos dedos e o questionasse sobre as duas meias em seus pés e roupas internas.

Um Yoongi saudável já dá dor de cabeça. Um doente acaba com a sua paciência.

— Assim eu vou cozinhar, está querendo comer um assado de Min Yoongi?

Bufou irritado, sentindo o corpo se aquecer, cessando os tremores em seu corpo. Quentinho, do jeito que sempre gostou. 

— Não, mas da última vez que ficou doente, tive que estudar por dois, pois você não estava conseguindo nem segurar a caneta!

Yoongi revirou os olhos, foram dias sombrios, onde só comeu sopas e seus banhos foram dados por Taehyung e Jungkook, pois não tinha forças para garantir que conseguiria ficar em pé. Uma situação humilhante, em especial para um alguém que sempre foi tão orgulhoso.

— Não precisa ficar me lembrando disso, mas irei me cuidar.

— Certo, agora irei me preparar.

Yoongi assentiu e passou a caminhar em direção ao namorado.

Afinal já havia lançado a última isca. Bastava Jimin ler por trás das suas intenções.

[...]

Jungkook quase causou um acidente. Não conseguiu focar, sua mente se manteve presa no corpo de Jimin, queria beijá-lo novamente, embora ele o tivesse ignorado completamente.

Isso até a curva acentuada, quando por falta de atenção passou a jogar a moto para cima do Park, que desviou enquanto amaldiçoava ao adversário e ao irmão, que novamente invadiu a pista, fazendo ele e Jungkook iniciarem uma corrida louca até os amigos. Taehyung fez questão de cobrir Yoongi por completo antes de empurrá-lo para a garupa da moto que estava com o Jeon, enquanto ele estava com Jimin.

— Odeio o meu irmão, sempre a mesma coisa! — disse irritado, enquanto tomava um gole generoso do milk shake.

— Cara, poderia ser pior, da última vez ele viu o Yoongi nu, pois ele praticamente invadiu o nosso apartamento! — Taehyung bravejou. — Ele sabe que eu tenho autorização e fica fazendo isso!

— Isso já está virando palhaçada, como se já não bastasse todo o resto.

— Esse resto se refere ao Jungkook?

Haviam fugido para uma lanchonete, uma longe da pista, quase do outro lado da cidade, já passava das onze da noite. A dupla de amigos estava no banheiro, Yoongi não se sentiu bem e fez Jungkook acompanhá-lo, temeu que Taehyung começasse a lhe fazer questionamentos demais, portanto resolveu levar somente o melhor amigo para lhe fazer companhia. Sabia que ele não seria invasivo, não perguntaria nada demais e lhe daria privacidade para esvaziar o estômago.

Deixando Jimin com ciúme do relacionamento de ambos.

— Sim… Droga! Taehyung, ele me deixa confuso, uma hora parece que me quer e na outra só fica atrás do Yoongi, isso é muito frustrante!

— No começo, demorei um pouco para entender, mas eles são amigos desde sempre. Assim como nós dois somos amigos — respondeu sorridente. — Além do mais, o Jungkook sempre viu o Yoon como amigo.

— E desde quando amigos fodem? — questionou irritado.

— Desde que sejam solteiros e sem qualquer limitação; conheço o meu namorado e sei que ele jamais me trairia e, se o Jungkook gosta de você, certamente não irá traí-lo também.

— Como pode ter certeza?

— Jungkook é um cara simpático, sincero e que gosta de levar uma vida direita; ele é um cara bem simples. Pra você ter uma noção, ele só deu o primeiro beijo por causa do meu gatinho, assim como todo o resto… nossa, se formos ver por esse ângulo quem quase o estragou foi Yoongi. — Taehyung riu, tentando animar o amigo. — Sei que você está com ciúme, mas é normal, não ignore o Jungkook, ele está tão afim de você que nem notou as tentativas de flerte do Yoon.

— Flerte? Como você deixou o seu namorado… ah! Eu vou…

— Você não pode bater nele, pelo menos não agora, espere um tempo, por favor. Mas ele me disse sobre o plano e eu concordei, portanto não há motivo para ficar com raiva.

— Vocês são loucos!

— Se você ouvisse o Jungkook suspirar a cada meio minuto, ficasse vendo as suas fotos no Instagram e usando o perfil “secreto” dele para deixar comentários, também tomaria medidas drásticas! — desabafou, contando ao amigo tudo o que aconteceu.

De como Jungkook parecia fora de órbita, da maneira como isso irritou a Yoongi, pois o jovem havia entrado em um estranho relacionamento com os livros, um amor interminável com a biblioteca, que até intrigou a bibliotecária, que começou a deixar o lugar onde Jungkook senta reservado somente para ele. 

Narrou também os momentos de tristeza, quando o via se arrastar até o mercadinho, comprando sorvete e roubando o namorado, pois para chorar precisava de um alguém que lhe desse sermão e ninguém melhor que o jovem Min, que jamais gostou da aura depreciativa do amigo, sempre o empurrando para festas, em especial as festas que sabia que Jimin estaria, embora nunca tenha dito isso em voz alta.

Tanto que arrumaram uma corrida somente para juntar a dupla.

— Taehyung, não sei o que fazer… droga! Ele me deixa confuso, e a mistura de carinha de bebê e testosterona, ele é muito lindo, isso eu não nego, mas sei lá… isso me deixa confuso! 

— É o amor, ele te fode de tantas formas que você fica sem reação. Quando comecei a namorar o Yoongi também achava estranho, ele beijava o melhor amigo na boca, distraía e eles estavam… droga, você sabe!

— Não, não sei e nem quero saber. Mas como você se acostumou? — questionou curioso.

— Bem, conforme eu fui deixando os meus sentimentos claros eles foram parando, a amizade deles é algo fácil de se ler. Eles dão suporte um para o outro sempre — sorriu. — Quando o Jungkook disse que gostava de você, ele começou a fazer mil e uma coisas para tentar juntar vocês. 

— Sério?

— Hm… — Taehyung se aproximou de Jimin. — Ele criou planos mirabolantes, a corrida de hoje e quase tudo o que aconteceu hoje, exceto o seu irmão saindo do inferno, fazia parte do plano final dele. Ou deveria já que tudo foi para o ralo.

Jimin observou, vendo e ouvindo o amigo narrar todo o plano, a maneira como o homem havia planejado juntar os dois.

— Seu namorado me dá medo, ele pensou até mesmo no que poderia dar errado, no que daria certo e no que fazer caso eu recuasse. — Chocado, Jimin viu o amigo sorrir.

— Meu gatinho é um gênio! Mas dê uma chance para o Jungkook, ele é um rapaz legal… Vamos mudar de assunto, eles estão vindo.

Comentou, afastando-se de Jimin, vendo os dois se aprimorarem lentamente. Jungkook segurava o braço de Yoongi que está mole.

— Yoongi, aconteceu alguma coisa?

— O cheiro de hambúrguer e fritura, isso em deixa enjoado — respondeu, sentando-se ao lado do Kim. — Jimin, dá uma chance para o Jungkook, apesar de estar fedendo a vômito é um homem legal, fiel e está disposto a ser seu por um mísero: “aceita namorar comigo?”. Contendo um alegre e emocionado: “Sim!”

— O quê?! — Taehyung encarou o namorado indignado.

Enquanto o dono da declaração nada romântica, somente acenou com a cabeça, concordando com a fala do amigo. 

— Agora use a imaginação para colocar a voz do Jungkook, pois nem para fazer o pedido essa peste serviu, usando a mim, esse pobre enfermo como correio elegante. Deplorável.

— Jungkook, isso é sério? — Jimin perguntou esperançoso. — Se não for, juro que te dou um soco!

— É sim, mas sou ruim com palavras e também um pouco tímido… gosto muito de você, te acho um cara legal e quando te vejo me sinto um bobo — sua voz foi ficando cada vez mais baixa.

Não sabe da onde está tirando a coragem, a motivação final para dizer a ele todos os seus sentimentos. Jimin é um cara libertino, que preza por prazeres mundanos, enquanto Jungkook é só um universitário, um homem comum, com problemas, vida tediosa e um melhor amigo excêntrico.

— Você gosta de mim? — O Jeon assentiu. — Você sabe que sou um homem difícil, né?

— Sei, mas não me importo, só quero ficar contigo… você aceita namorar comigo? 

— Sem aliança? 

— Não… digo, pois eu compro, Yoongi quem me apressou, disse que se eu não tomasse vergonha na cara, ele ia apanhar — respondeu sem pensar, ganhando um tapa em resposta.

— Jungkook, menos, menos! — o homem sussurrou. 

— Ata… mas eu aceito.

— O quê?! — Os três se levantaram ao mesmo tempo.

— Ué, aceito, como dizer não para ele, olha esses olhos! O biquinho... — Jimin afinou a voz enquanto apertava as bochechas do namorado. — Você é muito fofo, lindo, pilota bem pra caralho, estudioso e fode bem! Melhor namorado, além do principal: gosta de mim, só de mim.

Yoongi observou o casal, que deixou o milk shake de lado. Taehyung o puxou para perto, querendo beijar o homem que o evitou.

Afinal a noite pertencia a eles. Somente a eles.

 


Notas Finais


Queria agradecer a @lamborminie pelo plot, a @orniyoon pela capa e a @Korigami pela betagem! Obrigada por terem ajudado, e a vocês por terem lido ah


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...