História Motorcycle Boy - Imagine Christopher Bang - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá amores, tudo bem com vocês? Espero que sim! ♥️
Olha eu trazendo outro capítulo, e espero que gostem como sempre, certo? 🤗💕💞

Boa leitura =

Capítulo 6 - Chapter VI


Fanfic / Fanfiction Motorcycle Boy - Imagine Christopher Bang - Capítulo 6 - Chapter VI

VI

Finalmente a faculdade havia acabo de fato, fiquei tão feliz em saber disso, principalmente em sair ainda mais cedo daquele "inferno". Eu nunca fui de falar esse tipo de coisa, muito menos sobre a faculdade, era o lugar onde mais gostava de ficar durante a manhã – já que fazia a faculdade nesse horário agora –, realmente talvez eu seria a única pessoa que até então, gostava de passar horas e mais horas estudando e tentando entender melhor. Mas só que hoje, hoje eu não estava mais no clima para essa faculdade, muito menos queria levantar da minha cama, estava cansada, se sentindo culpada e com a minha cabeça quente, queria muito brigar com alguém, só não sabia exatamente quem poderia ser – Christopher Bang talvez –.

Minha noite ontem havia começado bem, Christopher Bang felizmente não havia dito nada para mim, estava sempre me tratando bem e até mesmo achei engraçado a forma como ele queria andar de bicicleta sem me derrubar, chegou a ser engraçado mesmo. Porém, depois disso começou a "palhaçada", ele queria me forçar a um beijo? Não forçado na verdade, eu até que estava gostando, não poderia mentir, queria muito mesmo provar dos seus lábios, mas aí lembrei de uma coisa… Ele já tinha namorada e eu não queria ser acusada de ser culpada disso tudo, então vamos deixar para lá. O spray de pimenta até que serviu para alguma coisa, eu queria realmente usar em alguém.

Depois que voltei para casa, minha mente ficou realmente muito pesada, não queria que tudo tivesse acabado daquela forma, principalmente sem pedir desculpas pelo que fiz. Quando cai na real, já havia sido tarde, eu já estava em casa, arrependida e querendo desculpa-lo. Christopher estava percebendo que eu também queria aquele beijo, que eu queria de fato, provar os lábios dele pela primeira vez, então, tentou fazer alguma coisa comigo – pois não tinha atitude como ele tinha –. E além de tudo isso, eu ainda joguei a culpa para cima dele, disse que aquilo era assédio, sendo que eu estava querendo mais do que ele mesmo. Obviamente que qualquer pessoa ficaria com a mente pesada percebendo o que eu fiz, eu dou a 'brecha' e quando ele percebe, tenta algo, no final o coitada quem foi acusado de alguma coisa.

Parabéns sua burra, agora ele nunca mais na vida irá falar com você.

Revirei meus olhos e me aproximei da minha florinda, peguei as chaves do seu cadeado e abri a mesma, logo pegando a corrente, cadeado e chave, jogando dentro da mochila de uma vez. Tirei a mesma dali e arrastei ela comigo para mais próximo da pista e faixa de ciclista. Foi exatamente nesse mesmo momento que avistei uma coisa grande, bonita, encantadora e que já estava olhando para mim há um tempo, não conseguia acreditar que ele estava aqui novamente. Na verdade, como Bang descobriu a faculdade onde frequentava? Eu havia dito para ele algum dia? Bom, isso era o de menos agora. Me aproximei dele novamente com a minha bicicleta e parei na sua frente, ainda estava sem acreditar nele, como parou aqui? Por deus.

— Christopher, o que você está fazendo aqui?

— Não posso mais vir na faculdade? — forçou uma risada fraca.

— Como sabia que meu curso era aqui? Eu te disse?

— Um mágico nunca revela seus truques. — piscou e em seguida mostrou suas mãos, tinha uma rosa em uma delas e uma caixa de chocolate na outra. — Trouxe para você.

— Para mim? Mais porque? Sua namorada por acaso negou e você lembrou de mim? — encostei a bicicleta na minha perna e peguei primeiro a rosa e depois o chocolate.

— Óbvio que não, porque eu daria essas coisas para ela? — levantei minha cabeça e olhei ele um pouco surpresa.

— Porque ela é sua namorada, você deveria dar esse tipo de coisa. São o que os namorados fazem. — tentei parecer meio óbvia e ele apenas riu fraco.

— Eu sei disso, vez ou outra dou alguns para ela, mas ela não gosta, diz que vai engordar.

— Bom, pois me dê que comigo não tem essas besteiras. — deixei a rosa bem arrumada na cestinha da frente para não correr o risco de amassar, logo mais, joguei a caixa de bombom lá também. — E onde está a sua moto?

— Não vim de moto, acabei vindo a pé mesmo aqui.

— Sério? — ele confirmou. — Preciso falar que realmente estou bastante surpresa com isso, você sempre gostou de motos. — soltei um sorriso.

— Me lembrei que preciso primeiro ganhar massa muscular e não gordura, a bicicleta seria a única maneira disso, posso pedalar sem medo algum. — novamente soltei uma pequena risada.

— Bom, e onde está a sua bicicleta nova?

— Que bicicleta nova o que, eu vou pedalando na sua florinda. — pegou a bicicleta e logo mais se montou em cima dela.

— O que? Você quer ir na minha bicicleta? A minha Florinda?

— Sobe logo aí na garupa e vai dizendo para onde fica o caminho da sua casa.

— Christopher…

— Vamos logo, garota. — revirei meus olhos, mas obviamente subi em cima da garupa, logo passando minhas mãos em volta da sua cintura. Christopher então, partiu da frente da faculdade e eu ainda olhei para trás, tinha algumas pessoas olhando para a gente e comentando; provavelmente sairia boatos de que ele era meu namorado, sei bem como era isso, amanhã mesmo estariam falando a respeito e até mesmo me perguntando. — Como foi a faculdade hoje?

— Péssima, não queria ter ido hoje, não posso mentir.

— É estranho eu te ouvir falando esse tipo de coisa. — soltou uma risada fraca. — Mas te entendo também, tem dias que não aguento aparecer no trabalho, não gostava muito de acordar cedo. Hoje em dia, já sou até mesmo acostumado em fazer esse tipo de coisa, não preciso mais nem de despertador como antes.

— É, eu também sou acostumada com esse tipo de coisa, acordar cedo já virou praticamente um hobby para mim. Mas confesso que também tem dias que não queria ter que levantar cedo, você me entende não é?

— Perfeitamente.

— Mas Christopher, e o seu trabalho hoje?

— Folga. Eu não trabalho vinte quatro horas por dia não. — novamente soltou uma risada baixa. — Tenho folgas também.

— Óh, isso é bom então, pelo menos não passa de segundas a sábado no mesmo lugar.

— O que você vem fazer aos finais de semana na faculdade?

— Trabalho na biblioteca vez ou outra, apenas aos finais de semana mesmo. Mas tem dias que ganhou algumas folgas como você.

— Legal.

— Vira na esquerda. — eu fui o caminho todo praticamente ensinando a ele em quais ruas entrarem e tudo mais, passamos até mesmo pela sua oficina já que pegava a mesma rua que aquela. Não demoramos tanto assim para chegarmos na minha casa, diferente de mim, Christopher Bang pedalava muito rápido já que tinha forças nas suas pernas. — E essa é a minha casa. Um kitnet na verdade.

— Parece bonita por dentro, ao lado de fora a decoração é ótima. — sorri para ele.

— Bom, agora que sabe da minha casa e onde exatamente eu moro, espero que não venha aqui nunca mais. — soltamos uma risada fraca. — Está com sede?

— Um pouco. — tirei as chaves da casa da mochila e abri a porta para o mesmo passar com minha bicicleta. 

— Ela fica aqui. — apontei para o espaço da mesma e ele colocou lá. — Vem, toma um pouco de água. — entrei para a cozinha enquanto trazia ele comigo, peguei um copo limpo e servir para ele tirar do gelágua.

— Sua casa é realmente muito bonita, mesmo sendo pequena. — forcei um sorriso.

— Obrigada!

— É alugada? — depois de já cheio, Christopher levou o copo até sua boca e começou a tomar um pouco. Confirmei para ele sobre a casa ser alugada e enchi um copo de água para mim também. — Cheguei a conclusão de que andar de bicicleta cansa demais.

— Você não tem costume, por isso fica cansado com mais frequência.

— É, pode ser isso mesmo. — quando terminei de tomar a minha água também, peguei os dois copos e deixei em cima da mesa. Christopher já esperto, andou até a saída da casa e eu acompanhei ele também. Não queria ficar com ele por muito tempo aqui, as vizinhas provavelmente pensariam outra coisa a respeito disso. — Te vejo quando agora?

— Não sei. — soltei uma risada. — Quando você quiser me ver talvez.

— Uh, amanhã então. — piscou e eu sorri. — Será que agora… eu posso? — ficou um pouco constrangido e eu entendi o que ele queria fazer.

— Tudo bem, agora eu também quero. — me aproximei dele lentamente e passei minhas mãos em volta do seu pescoço, foi então que Christopher não perdeu seu tempo e agarrou meus lábios com os seus. Percebi que ele realmente estava bastante desesperado em questão desse beijo.

Suas mãos tocaram apenas no meu rosto, onde ele não sabia exatamente onde pegar também; ele parecia bem nervoso. Não poderia mentir, eu estava adorando beijar ele pela primeira vez, realmente era muito bom, calmo e sem pressa alguma, ele queria tudo muito perfeito como agora. Soltei algumas risadas vez ou outra e ele fazia a mesma coisa também, não sabia explicar quem era o mais feliz, eu ou ele? Talvez os dois.

Cinco minutos depois do nosso beijo, ele realmente havia cansado disso tudo e resolveu parar um pouco mais. Me afastei do mesmo e olhei seu rosto, estava um pouco nervoso e sorridente ao mesmo tempo, isso significava que ele havia gostado certo? Bom, eu espero de coração que sim.

— Olha, eu não gostei do beijo.. podemos repetir para saber se agora posso gostar? — ele ditou e eu soltei uma risada fraca.

— Não, por hoje já está bom.. agora você precisa volta. — empurrei para sair de frente da porta e segurei a mesma atrás de mim. — Até outro dia, Christopher Bang.

— Até. — antes mesmo de ir, Bang se aproximou novamente do meu rosto e agora deixou um selinho em menos de dois segundos. — Gata.

— Christopher… — soltei uma risada fraca e então fechei a porta, logo trancando a mesma por dentro.

Encostei minhas costas da mesma e sorri de lado ao lembrar do nosso beijo. Aí deus, não me faça gostar do Bang, ele já tem uma namorada e eu não queria ser 'a outra'.l


Notas Finais


Sejam como Christopher Bang, nunca desistam do que realmente querem 👍🤗💕

~> Dêem uma olhada na minha two shot nova na conta secundária: 👇💞

Depois que uma senhora deu-lhe de presente um cordão mágico, você pediu muito para te ajudar com um dos seus trabalhos de filosofia.
Mas tudo que ele fez foi te levar até uma coisa misteriosamente linda(o), chamada de Hermafrodita ou Hwang Hyun Jin.
https://www.spiritfanfiction.com/historia/hermafrodita-imagine-hyunjin--stray-kids-18329248

Meu Perfil: @Sweetback
Perfil Secundário: @Justiny


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...