História Mozart, estrelas e infinitos. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Mina, Personagens Originais
Tags Chaeyoung, Kpop, Michaeng, Mina, Twice
Visualizações 37
Palavras 1.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Fluffy, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Prólogo


Mina morava sozinha há seis meses em um apartamento velho na cidade que fazia intercâmbio.


Ela gostava do Texas. Achava que talvez, assim que terminasse a faculdade, continuaria por lá. Por que não?


Apesar do ambiente pequeno e nada vasto, se sentia confortável com o silêncio que era preenchida, quase sendo abraçada pelo leve ruído que o vento muitas vezes fazia ao bater nas janelas fechadas.


Mina gostava.


A mulher não saberia responder caso alguém lhe vinhesse com a pergunta de como conseguira mudar-se de país com apenas dezenove anos. Onde havia arrumado coragem em abandonar todos que participavam de sua vida, para focar nos estudos; era arriscado aventurar-se em um lugar, sem ao menos saber falar outro idioma, sequer ter um lugar para dormir.


No entanto, o intercâmbio foi o empurrão que lhe era necessário para que tomasse coragem em pedir permissão aos pais em se arriscar. Não, tinha sido a alavanca para que se aproximasse do futuro promissor e honroso.


Myoui Mina queria ser alguém importante. Myoui Mina seria alguém importante. Ela simplemente tinha certeza que seria.


A morena se dedicava aos estudos, sempre dedicou-se, pois queria tornar-se uma médica que alguém apontaria e diria ser ótima no que fazia. Mina gostaria de receber um sorriso de total agradecimento ao salvar alguém; salvar a paz de uma família que, se não fosse por ela, estaria aos prantos pelo sofrimento plangente.


— Sabe que a mamãe ficará uma fera, né? 


Eu sei, Minari! Mas não foi proposital, você acha que a gente 'tava planejando?!


Mina revirou os olhos, retirando os óculos e se inclinando na cadeira, sabendo que seu estudo ficaria para mais tarde, uma vez que seu irmão não lhe deixaria em paz até que resolvesse o problema pessoal. 


Ela segurava o celular perto da orelha com uma mão firme, enquanto a outra dedilhava sobre as teclas do laptop, pesquisando o perfil do irmão no facebook.


— Existe inúmeros remédios que previnem uma gravidez indesejada, sem contar na droga da camisinha, Kwan!


Eu sei, eu sei... — O homem parou de falar por um momento, suspirando alto na outra linha. 


Mina sentiu-se culpada, pois o irmão precisava de ajuda – sendo este o motivo de ter ligado. Sua busca na rede social cessou por um breve período.


— Olha, eu vou ajudar, tá bom? — ela passou os olhos pelo apartamento, focando brevemente na televisão desligada. — Nem que eu tenha que mandar uma grana para que vocês possam comprar o que for preciso. Entendeu?


— Obrigado, maninha — ele respondeu.


Então a morena voltou sua busca no perfil do mais velho, seus olhos jamais abandonando a atenção dada no que era executado. Foi aí que encontrou o perfil da namorada rotulada como Sooyoung. Myoui nunca tinha visto a menina, pois era um relacionamento recente do irmão, sendo este o que causava nervosismo nos dois pois a mãe deles não queria tornar-se avó de alguém que não era sequer esposa do filho.


— Oh... — Mina comentou, seus lábios sendo repuxados em um sorrisinho trambiqueiro. — Se deu bem, cara.


A garota no qual o irmão havia dito, era mais velha que a Myoui, no entanto parecia ter a mesma idade. Seu cabelo loiro era igualmente atraente como seu rosto sensual, que se tinha mais contraste com seus lábios vermelhos e sedutores.


Tudo bem, seu irmão realmente havia tirado a sorte grande, se deu conta com somente as fotos publicadas da garota. 


— Isso não vem ao caso, Minari. Você vai me ajudar ou não? — Kwan indagou, ignorando o elogio. 


— E o que você quer que eu faça? 


— Que me ajude a contar à mamãe! Sooyoung está morrendo de medo em contar e disse que é minha responsabilidade, não dela.


Mina revirou os olhos, se remexendo na cadeira.


— Tá... Mas eu só vou dar uma forcinha. A responsabilidade é toda sua, porque eu não engravidei ninguém.


Myoui então franziu o cenho ao escutar uma batida na porta. Ela inclinou sua cabeça, focando no portal brevemente. Outra batida foi ouvida, sendo seguida da terceira, cessando por vez.


Ela se despediu rapidamente do irmão, encerrando a ligação e prometendo que resolveriam o problema dele mais tarde naquela noite.


Mina caminhou até a porta, sua confusão totalmente notória. A mulher não era tão sociável e, no tempo que estava na cidade falava somente o necessário, sendo com seus professores e as pessoas dos mercadinhos perto do prédio.


Embora o medo fosse sua sombra naquele momento, ela se inclinou, checando no olho mágico, se não era um tarado ou coisa relacionada. 


Seus olhos se arregalaram subitamente, assim que focou em uma garota. Apesar de sua vontade de notar todos os traços da pessoa que batera em sua porta – ignorando copiosamente a campainha –, o que realmente lhe chamou atenção, foi o que esta mulher segurava.


Seu gato.


Mina se apressou em abrir a porta, uma sobrancelha franzida e com os olhos fixos nos da menina. Nem havia reparado na ausência do felino.


— O que você está fazendo com a Mozart?


A mulher pressionou os olhos, sua boca se abrindo em indignação. Seus dedos dedilharam na pelagem cinza do animal, erguendo-o para que a dona pegasse.


— Primeiro: eu não peguei o seu gato, ela que entrou no meu apartamento — Mina escutou, pegando o felino, que ronronou em seus braços. — Segundo: Jura? A sua gata se chama Mozart?


Mina ergueu o queixo, constrangida: — É um nome. Não sou de rotular se é apropriado para fêmea ou macho.


A outra mulher deu de ombros, enfiando suas mãos nos bolsos traseiros de seu jeans claro.


Neste momento, Mina sentiu-se incomodada. Quem era aquela garota? Jamais tinha trombado com ela, sendo no elevador ou corredor.


O cabelo curto e claro que batia nos ombros, sendo seguido com os traços marcantes de seu rosto, com certeza seriam lembrados pela Myoui, caso a visse por aí.


— Eu me mudei recentemente — a outra mulher disse, arrancando Mina de seu devaneio. — E por conta da mudança, estou deixando a porta do meu apartamento aberta. Sua gata entrou lá por isso.


Myoui abaixou o olhar até o felino. Apenas abriu a porta do seu apartamento para deixar o lixo no estacionamento, assim como sempre fazia. Era habitual que sua porta ficasse aberta por um curto período; curto o suficiente para que Mozart saísse e fizesse visita à nova vizinha.


Assim que voltou a encarar a mulher, seus olhos focaram na porta em frente a sua: estava aberta e se tinha inúmeras caixas.


— Ah... — soltou baixinho, afagando o bichano. — Sinto muito. Pelo gato e pelo modo que tratei você. — riu envergonhada, seu sorriso gengival junto dos olhinhos repuxados. — Eu me chamo Mina. Myoui Mina. — ergueu uma mão, fazendo um tremendo de malabarismo para que Mozart não caísse. — E você...?


— Chaeyoung. — A mais baixa sorriu meio constrangida, sabendo que também não havia sido tão agradável. — Son Chaeyoung. 


×××




Notas Finais


é uma adaptação da minha fic lá no wattpad. espero que gostem :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...