História Mr. Kiss (Malec Hot) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Catarina Loss, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane
Tags Alec Lightwood, Amor, Beijo, Magnus Bane, Malec, Shadowhunters
Visualizações 640
Palavras 1.683
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii, voltei!!!

Voltando com as pastagens semanais.

Desculpem a ausência na semana passada.

Nas notas finais coloquei o link da minha nova oneshot Malec.

Boa leitura!♡♡♡♡♡

Capítulo 8 - Invisible to the eyes (Invisível aos olhos)


Fanfic / Fanfiction Mr. Kiss (Malec Hot) - Capítulo 8 - Invisible to the eyes (Invisível aos olhos)

Capítulo 8 • Invisible to the eyes

(Invisível aos olhos)


Eu precisava conversar com alguém antes que eu explodisse, por isso liguei um tanto quanto desesperado para a Catarina. Afinal, ela é a minha melhor amiga e a pessoa que eu mais confio nesse mundo.

Quando cheguei ao restaurante onde nós combinamos de nos encontrar para almoçar e conversar, Cat já me aguardava sentada em uma mesa próxima a janela. 

Assim que eu sentei o garçon se aproximou e eu pedi uma dose dupla de whisky. Cat, é claro, tratou de chamar minha atenção com se eu fosse uma criança.

- Magnus Bane isso não é hora de beber. Ainda não são nem duas da tarde. 

 Eu com meu jeitinho nada debochado a respondi - Cat minha queria é sempre Happy hour em algum lugar do mundo. - Ela revirou os olhos em protesto, mas não falou mais nada.

Não demorou para o garçom voltar com o meu whisky e nós aproveitamos e já fizemos nosso pedidos, pois sei que Cat tem hora para voltar para o hospital onde trabalha. Eu uso minha amiga, mas tenho consciência de que não posso abusar muito. 

Assim que o garçom se afastou Catarina, direta como sempre, falou:

- Então Magnus, o que você está aprontando ou vai aprontar? - Eu sempre me impressiono o quanto Cat me conhece. 

Mesmo sabendo que vou tomar um "esporro" por ter sido imprudente, conto tudo sobre o Mr. Kiss para ela. Contei sobre ele ter me enviado o celular para nós mantermos contato e principalmente sobre o meu encontro as cegas com ele.

Cat só faltou me matar, me deu um "baita" sermão sobre o quanto fui irresponsável por me encontrar com um cara que eu não conheço e principalmente o quanto fui louco em deixá-lo me vendar e algemar. Por fim ela gritou...

- MAGNUS IDIOTA BANE, você poderia estar morto uma hora dessas e seu corpo estar apodrecendo dentro daquele quarto de hotel sem que ninguém soubesse. - Por mais que eu mal conheça o Mr. Kiss e não saiba quem ele é, precisei defendê-lo da fúria de Catarina. 

- Cat, ele não é um serial killer ou um psicopata. Ele é bom. É confiável.  

- E como você tem tanta certeza disso? 

- Eu não sei. Não sei porque, mas eu confio nele. Eu sei que pode parecer loucura, mas algo em sua voz e em suas atitudes me fazem ter certeza de que ele jamais me faria mal. Cat, eu não tenho um motivo pra pensar assim ou uma prova de que isso é verdade, mas meu coração acredita nisso sem qualquer tipo de hesitação ou dúvida. Então, pela primeira vez na vida eu resolvi segui-lo ao invés de seguir minha razão. 

-Magnus Bane, eu não acredito. Você está apaixonado? - Cat falou com os olhos tão arregalados que eu achei que eles saltariam de seu rosto.

- Eu não estou apaixonado! Pois eu não quebro a minha regra número 1,   NÃO ME APAIXONAR. Você melhor do que ninguém sabe que eu não acredito no amor. Mas não posso negar que eu me sinto muito envolvido pelo Mr. Kiss. Ele me faz sentir coisas que eu jamais senti antes. Até os orgasmos que ele me proporcionou apenas usanso a boca e as mãos foram os melhores e mais intensos da minha vida. Sem falar no beijo dele que é algo indescritível. 

- Ah Magnus! Se você não está apaixonado ainda, você está muito perto de ficar. Acho que esse tal de Mr. Kiss vai conseguir derrubar os muros que você contruiu ao redor do seu coração e não vai demorar muito para que isso aconteça, meu amigo. - Cat me encarava sério enquanto falava e eu podia ver em seus olhos que ela realmente acreditava no que estava dizendo. 

-Não se iluda, Cat. Eu adoro estar com o Mr. Kiss, mas é apenas carnal. Afinal ele tem o melhor beijo de todos e provoca orgarmos muito mais do que sensacionais, mas é só isso. - Cat revirou os olhos com as minhas palavras, provavelmente indignada pela minha teimosia e insistência em não me apaixonar de jeito nenhum. Mas o que eu posso fazer, eu sou assim. Um homem que não se apaixona por ninguém, apenas usa e é usado, nada mais.

Após almoçarmos, enquanto saíamos do restaurante, Cat segura minha mão e olhando em meus olhos diz. 

- Meu amigo, não vou pedir para você não se encontrar com o Mr. Kiss, pois sei que você o fará de qualquer forma. Afinal você está muito envolvido, mesmo não se dando conta do quanto ainda. Mas por favor eu te peço, tome cuidado para não se machucar com essa história louca. - Eu não sabia o que responder, então apenas assenti e deu um beijo na bochecha da minha amiga antes de me despedir e partir rumo a empresa. 


***


Depois de meu almoço com Catarina, eu voltei para empresa pois na parte da tarde eu teria uma reunião com um cliente para discutir a retirada de uma das cláusulas do nosso contrato. 

Enquanto eu analisava a alteração que o cliente pediu, me surgiu uma certa dúvida sobre os benefícios e os prejuízos do que está sendo solicitado. Então achei por bem esclarecer minhas dúvidas antes da reunião.  

-Izabelle, por favor solicite a presença do Dr. Alexander Lightwood aqui na minha sala o mais breve possível, de preferência agora. Preciso esclarecer alguns pontos com ele antes da reunião. - Liguei do meu ramal para o de Izabelle dando a ordem. 

- Pois não Magnus, farei isso imediatamente.  

-Ok. Estarei no aguardo - Falei e em seguida desliguei a ligação.

Em menos de 10 minutos o ramal interno toca e Izabelle me avisa.

- O Dr. Alexander já se encontra aqui. 

- Por favor Izabelle, mande-o entrar. 

Assim que Alexander entra em minha sala fico impressionado com sua beleza. Eu não me lembrava que o filho de Robert, que eu conheci ainda moleque, havia se tornado um homem tão bonito. Apesar do seu jeito tímido, engomadinho e de seus óculos de grau não fazerem muito meu estilo, pois eu prefiro homens com um ar mais rebelde, não posso negar que ele é realmente lindo, um verdadeiro pedaço de mal caminho. Porém mesmo que ele tivesse o jeito rebelde que eu tanto gosto e não esse jeito sério, tímidos e arrumadinho, eu jamais teria algo com ele. Afinal, sempre cumpro minha regra número 2.


"Nunca me envolver com um funcionário ou cliente. Não vale a pena perder um ótimo funcionário ou cliente por causa de um boa foda. Boas fodas eu posso conseguir facilmente, já bons clientes e principalmente ótimos funcionários são muito difíceis. Portanto valorize-os e não se envolva com eles." 


- Boa tarde, Sr. Bane! Mandou me chamar? - O timbre da voz dele me soa familiar, apesar do jeito de falar ser diferente. Por mais que eu tente me lembrar quem possui esse timbre de voz não consigo. Mas não posso negar que é um timbre rouco muito sedutor e marcante. Sou retirado de meus devaneios ao sentir o Dr. Alexander me encarando com seus olhos azuis por trás daquele óculos. Por um momento ao olhar seus olhos azuis me lembro de Mr. Kiss, mas imediatamente afasto o pensamento, pois Alexander e Mr. Kiss têm posturas e personalidades muito diferentes. 

- Sente-se. - Falo apontando a cadeira a minha frente. Alexander apenas assenti e se senta - Eu preciso saber no que implica a exclusão desta cláusula, que está sublinhada, do nosso contrato - Falo jogando o contrato sobre a mesa. Alexander pega o contrato e lê atentamente e em poucos segundos começa a falar de forma séria, imponente e direta que me surpreendeu. 

- Sr. Bane, esta cláusula jamais pode ser retirada ou modificada de nossos contratos. Eu a inseri justamente para que as campanhas criadas por nós não possam ser utilizadas por qualquer outra empresa e até mesmo pelos próprios clientes. Essa cláusula mantém a propriedade das campanhas que criamos. Ou seja, o cliente só poderá fazer uso de uma campanha criada por nós enquanto ele tiver um contrato ativo conosco. - Realmente eu estava surpreso e muito impressionado. Ele havia inserido uma cláusula impedindo que clientes "metidos a espertos" nos contratassem para criar uma campanha de sucesso e depois cancelassem o contrato ficando com o direito de uso da campanha, podendo divulgá-la através de outras empresas com um custo menor. 

- Muito astuto de sua parte a criação e inclusão desta cláusula - Me perco me pensando... "Esse garoto é realmente um excelente profissional, não é a toa que ele foi eleito pelo New York Times o melhor advogado de Nova York. Viu a importância da regra 2, entenderam o por que de eu não me envolver com funcionário. Eu jamais poderia correr o risco de perder um funcionário competente como ele por causa de apenas uma foda, por mais gostosa que essa foda seja" Era só isso que eu precisava saber, Dr. Alexander.

- Obrigado, Sr. Bane. Mas eu cumpri apenas com o meu trabalho, que é dar toda a segurança e proteção jurídica a Bane's Advertising and Marketing. - Alexander fala e em seguida se retira da minha sala, me deixando de queixo caído com a sua segurança e seriedade ao se portar e ao falar.

Sou trazido de volta a realidade  ao sentir o celular do Mr. Kiss vibrar em meu bolso. Imediatamente o pego torcendo para que seja uma mensagem dele querendo um novo encontro. Afinal já se passaram 3 dias desde que nos encontramos pela primeira vez. 

Um imenso e malicioso sorriso brotou instantaneamente em meu rosto enquanto eu lia a mensagem.  



**** Troca de mensagens ****


De: Mr. Kiss

Para: Sr. Bane


Quero ver você hoje novamente. Precisamos terminar o que começamos em nosso encontro anterior. 

O encontro será no mesmo Hotel. Às 19:00 te enviarei o número do apartamento. Chegue impreterivelmente até as 19:30.

• Lembre-se:

As regras continuam as mesmas.

Bjs 

Mr. Kiss 


**x**



De: Sr. Bane

Para: Mr. Kiss


Ok.  

Bjs 

MB


**x**


Sigo para minha reunião sorrindo e torcendo que o tempo passe bem rápido para que finalmente chegue a hora de me encontrar novamente com o Mr. Kiss.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado. Esse foi só um rápido encontro entre o Alexander e o Magnus, ainda teremos outros.

No próximo capítulo teremos o segundo encontro entre Mr. Kiss e Magnus Bane, preparem-se

Nova oneshot Malec: Meu Destino...
https://www.spiritfanfiction.com/historia/meu-destino-malec-13850255


Desculpe se passou algum erro.

Beijos e obrigada
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...