História Mudança de Destino - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Esgrima, França, Realeza, Romance
Visualizações 6
Palavras 1.865
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Luta, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpe qualquer erro.
Boa leitura :3

Capítulo 10 - 9 - Christine


Fanfic / Fanfiction Mudança de Destino - Capítulo 10 - 9 - Christine

- Até amanhã!- digo e fecho a porta.
Não aguento de curiosidade e encosto o rosto na porta para ver se ouvia algo.
- Até... - foi praticamente um sussurro, mas parecia ainda estar perto. Demora um pouco, mas consigo ouvir seus passos se afastando.
Minhas mãos tremem quando toco a espada, agora à mostra, dentro da bainha. O porquê de estarem assim, eu não sei. Será ansiedade? Ou porque esse cinto não é meu, e eu estaria pensando no dono? Eu realmente não sabia.
A única coisa que  eu tenho certeza é que estava cansada demais para treinar e tinha que esconder aquela espada.
Pego uma maleta que está embaixo de minha cama e abro. Antes de guarda-la avisto algo que há alguns dias não saía de lá. Meu diário permaneceu intacto, então porque não lhe contar as novidades.
��������������������������

Não sei porque, mas me sinto mais calma quando vejo algo da natureza florescer, nascer, se erguer. Algumas pessoas preferem procurar consolo em bebidas, jogos e até lutas. Porém, uma simples visão do nascer do sol, uma esfera brilhante, mas nítida, iluminando todo o ambiente, fazendo as nuvens em sua volta se tornarem alaranjadas, algumas mais distantes, rosadas, e algumas ainda mais distantes, arroxeadas. Uma combinação perfeita, laranja, rosa e roxo, cores, tecnicamente, opostas, mas que entram em contraste com o céu azulado do amanhecer.
Esta simples visão é capaz de me fazer relaxar no banco da sacada e deixar meus pensamentos mais nítidos e organizados. Afinal, esses últimos dias foram realmente confusos. "Alguém querendo me matar", "Casamento", "Aulas de esgrima", "Pretendente", esses pensamentos ressoavam em minha mente.
Meus devaneios são interrompidos por uma voz doce.
- Alteza?- chama Lisa.
- Estou aqui!- digo, sem tirar os olhos do céu. 
- Olá querida!- vem até mim e beija-me na face- Por que acordou tão cedo? Teve algum pesadelo?
- Não, apenas um sono agitado por conta das notícias de ontem- abaixo a cabeça e passo a encarar meus pés.
- Eu entendo... Seu café está sobre a cama. Coma e se vista, hoje você tem aula.
- Obrigada!- lhe dou um sorriso. Ela retribui e se retira.
Depois de comer minha salada de frutas e beber o suco, coloco meu vestido mais simples, se é que isso é possível uma princesa ter algum vestido simples. Opto por um vestido azul claro pouco chamativo.
Saio de meu quarto e me deparo com Stevan a minha espera.
- Bom dia, Alteza - diz, fazendo reverência.
- Bom dia- sorrio e ele retribui.
Começo a andar e ele me segue. O silêncio não é tão ruim, até porque estou afogada em pensamentos. Assim que chego à frente da sala. Bato algumas vezes até ela ser aberta por um Louis sorridente. Sinto sua alegria ir desaparecendo assim que encara a pessoa atrás de mim. Seu sorriso morre um pouco, mas se recompõe rápido.
- Podem entrar- diz Louis dando-nos passagem.
- Obrigada - entro e logo Louis me chama ao canto mais afastado da sala.
- Ele tem mesmo de ficar aqui?- diz, referindo-se à Stevan.
Meu olhar alcança a figura ereta perto da porta, fitando a paisagem pela janela, com uma expressão pensativa.
- Há algo errado com ele?- pergunto confusa, agora encarando Louis. 
Não há nada- fala inseguro- A verdade é que ele me dá medo...
- Sério mesmo?- rio- Não há o que temer, Stevan é uma pessoa.
- Como pode ter tanta certeza?- pergunta desconfiado.
- Confie em mim...
Me retiro e sento-me na cadeira em frente a uma mesa maior que provavelmente será de Louis. De súbito, desvio meu olhar para Stevan, que me encara. Solto um leve sorriso e ele sorri sem graça, logo voltando a sua expressão anterior quando vê Louis acomodar-se em sua mesa.
Sua mesa de madeira escura é grande e organizada. Em cima da mesma há vários livros empilhados, a maioria pode-se colocar nas categorias de história e geografia. Alguns papéis com anotações estão à frente de Louis, que atualmente está sentado analisando-os. Porém um globo um tanto envelhecido chama-me a atenção.
O reconheço quase de imediato, era do meu pai. Lembro-me de vezes em que ficava no escritório de meu pai, ouvindo as belas aventuras que ele vivia, navegando pelo mar atrás de terras. Ele girava aquele globo com alegria e encanto. 
- Alteza, está tudo bem?- Louis me fita com curiosidade. 
- Está sim, perdão eu me distrai- digo voltando à realidade.
- Certo. Vou colocar o mapa na parede para começar a explicar-lhe.
Apenas assinto e ele se levanta. Enquanto procura algo nas prateleiras de uma das estantes, meu olhar se volta para Stevan, que tem uma expressão serena e tranquila, quase consoladora, enquanto me encara com um sorrisinho, como se soubesse o que eu estava pensando e sentindo naquele momento. Senti-me transparente sob seu olhar, como se ele lesse meus pensamentos.
Abaixo um pouco o olhar na esperança de esconder a vergonha, o que não dá certo, já que percebo seu sorriso aumentar quando olho de relance.
- Pois bem, podemos começar, Alteza?- Louis pergunta.
- Claro que sim- minha voz sai distante e realmente, não estou concentrada como eu queria.
Louis começa a explicar como funciona a economia do reino, cada vila tinha algo que influencia, como gado, minérios, plantações, produção de roupa, entre outras coisas do tipo. Anoto o que cada vila produz e a influência de tais produtos na economia do reino. Não estou muito concentrada, já que de cinco em cinco minutos meu olhar alcança o rosto moreno de Stevan.
Depois de ele contar inúmeras histórias sobre suas viagens com seu pai, entramos em outra questão, que é sobre importação e exportação de produtos. Louis diz que há vilas específicas para esse tipo de produção, já que é em maior escala. E mais uma vez eu estou anotando. Já estou ficando entediada, numa hora dessas nós queríamos estar treinando, mas nem tudo é como queremos.
- Próximo assunto a ser tratado será: situações precárias e possíveis melhorias no reino- a voz de Louis ecoa pela sala, fazendo meus olhos o encarar e um sorriso aparecer em meu rosto.
- Será que eu poderia escrever minha ideia para discutirmos na próxima aula?- pergunto animada.
- Claro que sim, é uma ideia maravilhosa!- ele se levanta e retira um livro de uma das estantes- Este livro pode ajudá-lo a formar opiniões mais concretas sobre as melhorias.
Sorrio e pego o livro, folheando-o. Apenas as pequenas ilustrações já me dão ideia.
- Posso pedir um favor ao seu guarda pessoal? - Louis pergunta receoso.
- Stevan?- o encaro, mas não sei dizer se sua expressão está me dizendo para continuar ou se está incrédulo - Se importa?- Ele nega.
- Ótimo. Por favor, me traga um copo de água, minha garganta está seca- ele passa a mão no pescoço, fazendo drama.
Stevan apenas se curva e sai da sala. Encaro a porta por algum tempo e meu olhar volta-se para Louis. Este, ao me ver encarando-o, sorri graciosamente. Retribui com um sorriso simples. 
- Como vai Aramina?- pergunto quebrando o silêncio. Aramina é a noiva de Louis, os dois se conheceram quando jovens e se apaixonaram. A última vez que falei com ele, já estava noivo.
Louis me dá um sorriso sem graça e me encara:
- Não ficou sabendo, não é?- nego- Terminamos.
- Mas, como?- digo surpresa e assustada.
- Eu viajei durante algum tempo a trabalho com meu pai. Quando eu voltei, ela já estava noiva de outra pessoa- nesse momento Louis é interrompido por Stevan, que entra trazendo um copo com água.
- Perdão pela interrupção - diz.
- Continuando... - bebe um gole de água - Eu tentei achar uma explicação, os pais dela disseram que não podiam me esperar mais e que arranjaram outro casamento. Disseram-me que ela estava feliz, não havia nada que eu poderia fazer...
- Eu sinto muito!- digo automaticamente. Deve ser difícil perder alguém que ama em tais circunstâncias. Corrijo meu pensamento, Aramina "era" a noiva Louis.
- Não precisa se sentir assim! Afinal, notei que não era por ela que eu sempre fui apaixonado - seu olhar, que antes mirava a mesa, me alcança e aparece um sorriso meio presunçoso nos lábios.
Não consigo encara-lo, era uma informação que não conseguia assimilar. Será que eu havia entendido certo? Ele queria mesmo dizer que era por mim que sempre foi apaixonado? E Stevan? O que estaria pensando agora?
Olho para Stevan, na esperança de que ele me tire daquela situação. Não tenho certeza se ele entendeu o recado.
- Com licença, Alteza, a senhorita Lisa pediu-me para avisa-la que o almoço já será servido. - diz Stevan ainda sério, mas seu olhar me transmite tranquilidade. Mais uma vez ele me salvou.
- Claro- olho para Louis- Se importa se eu me retirar?
- Não, claro que não - fala chegando mais perto- Está liberada!- diz acariciando minha bochecha.
Coro instantaneamente. Ele se afasta e tento sair o mais rápido possível. Stevan abre a porta e me da passagem, assim que tinha segurado.
Começo a andar um tanto rápido optando por sair dali. Percebo meu desespero assim que quase tropeço no vestido. Olho para Stevan e não acredito no que vejo. Ele está com um sorriso debochado, se segurando para não evito uma risada que surge do nada. Stevan também ri junto a mim, mas seu riso é mais tímido, como se tivesse receio de rir.
- Obrigada, por me salvar- digo praticamente sem ar por conta dos risos.
- Aquilo não foi nada- diz sorrindo - Só achei que não devesse ficar em um lugar que não está se sentindo confortável.
- Está certo- sorrio- Vou guardar o livro e seguimos para a sala de jantar.
Ele apenas assente. Coloco o livro em cima da penteadeira e vamos para a sala de jantar.
- Não quer comer conosco?- pergunto simplesmente para Stevan, antes de adentrarmos o cômodo.
- Agradeço Alteza, mas não posso aceitar!- diz sem graça.
- Eu entendo- digo entrando na sala.
Enquanto almoço, conto a Lisa sobre a aula e sobre tudo o que Louis falou. De vez em quando, de relance, eu olhava o sorriso debochado de Stevan, nossa conversa, de certa forma, fazia-o lembrar de acontecimentos que ocorreram.
- Vou buscar a sobremesa, Nina está ocupada!- diz Lisa se levantando.
- Tem certeza de que não quer comer comigo?- pergunto novamente a Stevan que me olha atônito.
- Absoluta, Alteza - devia o olhar por vergonha, o que me faz soltar um sorriso.
- Pode ir almoçar Senhor Stevan, me encontre depois.
- Obrigado - se curva e sai.
Lisa volta logo em seguida. Continuamos a conversa, agora comendo uma salada de frutas. Ela fica surpresa ao saber da separação de Louis, mas não comento nada sobre certo fato ocorrido do qual Stevan ficou rindo.
Após o término da refeição sigo ao meu quarto. Deixo Stevan descansar um pouco, afinal ele também tem necessidade de comer e descansar. E enquanto isso, farei algo que esperei muito pra fazer, mas agora terei a chance de fazer sozinha. 
E aqui estou eu, andando só pelos corredores, rumo ao meu destino.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Até...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...