1. Spirit Fanfics >
  2. Mudanças do Amor 2 Temporada-Uma Grande Familia. >
  3. Ativando os poderes.

História Mudanças do Amor 2 Temporada-Uma Grande Familia. - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Ativando os poderes.


Fanfic / Fanfiction Mudanças do Amor 2 Temporada-Uma Grande Familia. - Capítulo 5 - Ativando os poderes.

Ja era terça feira, as 2:40 da tarde. A base de estudos que Markus havia construido já estava pronta, o meteoro foi deslocado para lá para estudo, agora todos estavam indo até a base para ajudarem e participarem dos estudos e descobertas. Jiu estava estudando desde segunda feira, mas suas aulas eram somente na parte da manha,deixando sua tarde livre para acompanhar sua familia.

-Vai demorar muito?_Jiu perguntou chateado por não ter o que fazer.

-Não, estamos quase chegando..._Markus o responde calmo.

A base era consideravelmente longe do condominio onde a casa de Markus ficava, era um lugar estrategico...

...

-Chegamos..._Markus diz já entrando com o carro dentro da enorme construção. 

-Até que enfim. O que viemos fazer aqui?_Jiu dita um pouco mais animado.

-Estudar..._Markus dita simples com um sorriso de canto.

-Ah não... eu não quero estudar mais não... até fora da escola tenho que estudar? Isso não é justo._Jiu diz emburrado e choroso enquanto os demais riam de si.

-Não é esse tipo de estudo Jiu. Você vai gostar, espere e verá..._Chul diz risonho.

Assim que estacionaram o carro todos sairam do veiculo, Jiu continuava emburrado pois achava que estudaria como na escola. Chul ria do mais novo e cochichava com Lyn como ele ficava fofo fazendo biquinho, Jhu andava silenciosamente na frente junto de seu pai que os guiava ate o local certo.

Depois de alguns minutos entraram pela porta de entrada do local e passaram por um extenso corredor antes de entrarem por fim em uma sala enorme, toda branca com alguns aparelhos e algumas camaras de contenção esquisitas, tudo na sala era branco ou cinza metalico como os utensilios de laboratorio que tinham lá. O ar condicionado deixava a sala ainda mais fria do que parecia ser.

Tinham somente dois homens lá, antes da chegada de Markus e sua pequena familia. Um dos homens parecia um cientista e o outro um doutor comun. Markus os comprimentou e os apresentou, ai o cientista os olhou como se procurasse algo anormal antes de dizer.

-Eu sou o cientista Louis. Eu vim para cá  especialmente para estudar o caso de voces e o meteoro. Estou a par das poucas confirmações que existem até agora e quero descobrir mais sobre tudo que eu puder..._Disse arrunando os oculos e sorrindo.

-Vocês iram ajudar durante esse processo de descobertas não vão? Vai ser um prazer trabalhar com vocês, mas se forem colaborar conosco teram algumas regras. Vocês estaram sob nossa jurisdição e não poderam deixar o governo saber sobre nada, se não ele irá querer vocês para usa-los como armas se for o caso; não demonstrem seus poderes para outras pessoas em hipotese alguma e em nenhuma circunstancia, ou seja, nunca; qualquer avanço ou regressão  nos avisem de imediato._Disse gesticulando e andando na frente de todos.

-Nós seremos cobaias?_Lyn perguntou intrigado.

-Não queria dizer com essas palavras, mas já que você falou... sim. Nós não sabemos o que podemos fazer ou até onde poderemos ir, por isso vocês seram nosso material de estudo. Fiquem calmos que temos 50% de chance de dar tudo certo._O homem loiro diz sorrindo fascinado.

-Ele é louco._Lyn sussurrou para Chul ao seu lado .

-Isso está me assustando._Jhu diz agarrando o braço esquerdo do pai ao seu lado.

-Não se preocupem que temos um medico aqui para que tudo ocorra bem. _O loiro dita mostrando o outro homem com a mão.

-Não sei por que, mas isso não me da confiança?.  _Jhu dita baixo.

O cientista olha para Markus que suspira e dita.

-Não fiquem  assustados, eu estarei aqui e não vou deixar que machuquem vocês.  Disseram que me ajudariam nessa, vocês  não querem descobrir o que aconteceu?_Dita sorrindo minimo.

-Sim mas, é assustador._Jhu diz ainda agarrada ao pai.

-Pai quero ir ao banheiro._Jiu diz e olha o pai.

Markus sai para levar Jiu até  o banheiro deixando a sala com os demais ainda com receio da situação.

-Então quem vai ser o primeiro?_O homem loiro pergunta animado.

-Eu vou..._Chul dita meio incerto do que afirmava.

-Certo... o que é exatamente seu poder?_O loiro diz com a mão no queixo.

-Nós não sabemos se realmente temos algum poder, eu que tive um sonho a um tempo atras e nesse sonho aparecia nós quatro e cada um tinha uma parte propria do sonho. Na parte do Chul, aparecia ele e tinha uma fumaça que se assemelhava a espiritos que tomavam varias formas de animais, e no final se fundiam ao peito dele, como se ele tivesses absorvido elas._Jhu dizia mais tranqüila, talvez se explicasse direitinho os danos seriam menos.

-Ah, então pela logica o poder dele é se transformar em qualquer animal._O loiro diz com os olhos brilhando em animação.

-Eu não sei._Chul diz neutro.

-Mas você já tentou?_O loiro diz empolgado.

-Não..._Chul profere dando um passo para trás. 

-Tente... _Foi só isso que o cientista proferiu.

Chul ficou confuso, como tentaria uma coisa assim?

-Como? Como vou tentar me transformar assim do nada?_Diz Chul extremamente confuso.

-Tente se transformar em algo pequeno._Lyn diz calmo tentando tranquilizar o namorado.

Chul se acalmou um pouco mais e ficou um tempo parado, parecia raciocinar sobre toda essa historia. Se deslocou para o fundo da sala um pouco mais afastado e ficou parado, não mexia um musculo e nem parecia estar respirando, Lyn ficou preocupado e foi para perto confirmar se estava tudo bem.

Antes de Lyn chegar muito perto e falar algo ou o tocar, Chul começou a se transformar... pelos brancos tomavam seu corpo e ele diminuia e mudava suas afeições, no fim do processo que demou cerca de dois minutos,  Chul era um gatinho branco, parecia um filhote.

Lyn estava surpreso, não achou que realmente fosse funcionar, mas sorria orgulhoso por Chul ter conseguido. Demorou um pouco cair a fixa mas assim que terminou seu surto interno, se apressou e pegou o Chul no colo.

-Ainn... mas é tão fofinho... é uma gracinha!_Dizia fazendo carinho no gatinho em seu colo.

Lyn havia se sentado no chão para brincar com o gatinho em seu colo, Jhu e Louis os observavam mas não com a mesma reação. Louis estava orgulhoso, sorria grande, já Jhu estava chocada e preocupada .

-Ele vai ficar assim agora? Como ele vai voltar ao normal ?_Jhu perguntava ao lado de Louis.

-Do mesmo jeito que fez para se transformar. Eu acho... ele deve voltar logo não se preocupe tanto. É realmente fascinante, vocês são incriveis. Quem vai ser o proximo?_Louis diz sem tirar os olhos de onde está Lyn e o gatinho Chul.

-Pode ser eu. Lyn não parece dar atenção para mais nada agora._Jhu diz desanimada e o loiro afirma se virando para si.

-Na minha parte do sonho, eu era rodeada pelo simbolo dos elementos, eles dançavam ao meu redor e no fim sumiram em minhas mãos. _Relatou simples e o loiro sorriu novamente.

-Você pode controlar os elementos. Jorge traz uma vasilha com água  por favor._Louis diz e o doutir se levanta de onde estava e sai.

Lyn continua brincando com o Chul gatinho e Jhu fica com o coração apertado com a pissibilidade de ele não voltar ao normal. Louis olhava tudo e ficava feliz, ele amava o seu trabalho e para muitos era considerado um louco pois se arriscava demais para obter informação. Logo o doutor Kami trouxe a vasilha com agua e a deixou em uma mesa ali por perto.

-Tente mudar a água,  fazer ela trocar seu estado ou mexer com ela, coisas assim. Só use as mãos e não coloque a mão em contato com a água._Doutor Kami diz assim que retorna para a sala e vê Jhu indo até a vasilha.

-O proximo será o Lyn... me conte sobre ele._Louis diz indo para perto da menina.

-A parte dele para mim é a mais confusa.  Ele apareceu como a gente, mas um vapor aparece envolta da cabeça dele, enquanto a gente aparecia e era mostrado nossos  "poderes" ele foi um dos ultimos. Mas logo apareceu naquele vapor todos os pensamentos que tinhamos durante o sonho, só que escrito... ele ficou assim ate o final da apresentação de Jiu no sonho, depois o vapor foi sugado pela cabeça dele._Jhu relatou enquanto tentava mexer com a água.

-Oh, entendi... _Louis dita e se afasta.

Louis vai devagar até  metade da enorme sala e chama por Lyn, esse que se levanta ainda com o Chul gatinho nos braços, e vai até o cientista. Assim que chega perto o suficiente Louis diz.

-Você lê mentes. 

-An? _Lyn diz confuso.

-Você  lê mentes, o seu poder é esse. _O loiro diz calmo e sorrindo de lado.

-Não pode ser, eu nunca li nada na mente de ninguem..._Lyn diz intrigado.

-De novo, você já tentou? Se não, tente agora._O loiro dita simples.

-Mas como vou fazer isso?_Lyn dita meio irritado.

-Se concentra... tenta adivinhar, ou sei lá, ver atravez da mente de alguém..._Louis diz com a mão no queixo.

Lyn achou um absurdo tudo aquilo, mas com Chul havia funcionado então não custava tentar, Jhu não era um exemplo a ser usado pois nada havia saido ainda de seu treinamento com aquela água.  Lyn sorriu divertido e se afastou um pouco colocando o Chul gatinho no chão de seramica preta da sala.

Chul gatinho miou como se reprovasse a ação  de ficar no chão e olhou para ele, Lyn estava de olhos fechados se concentrando como havia sido pedido, talvez acontecesse algo. Mas tambem se não acontecesse nada, ele não iria reclamar.

-E o poder do Jiu, o que é?_Louis perguntou simples.

-No meu sonho só apareceu que ele teria asas e rabo. _Jhu diz sem olhar para o homem que falava consigo, estava consentrada tambem.-Mas até agora, nada disso apareceu.

Assim que pasos foram ouvidos entrando na sala, Lyn caiu no chão, ele estava com muito esforço sentado encima dos calcanhares e segurando a cabeça entre as duas mãos, ele gritava e gemia, parecia estar com muita dor.

-O que aconteceu com ele?_Markus perguntou desesperado.

-O Cientista Louis disse que ele pode ler mentes, e pediu para ele tentar, ele estava bem até agorinha..._Jhu diz irritada fechando as mãos em punho.

-Se acalmem, se acalmem.... vai ficar tudo bem._O louro profere retirando os óculos de grau tranquilo.

Lyn gemia de dor e se ergueu um pouco jogando a cabeça para trás,  estava se contorcendo tamanha era sua dor... Chul gatinho ficou agitado e correu ate o mesmo que gemia sem parar, tentou se esfregar nele no impeto de ajudar a melhorar, mas nada que o gatinho fizesse surtia efeito. Até que Lyn soltou um grito alto, mas alto que os outros e abriu os olhos instantaneamente, o gatinho se assustou tremeu de medo, mas mesmo assim se aninhou perto de Lyn. Naquele momento a vasilha com água de Jhu começou a flutuar levemente.

-Está flutuando... a vasilha._Kami dita espantado.

-Mas não sou eu que estou fazendo isso não._Jhu dita irritada com toda a situação.

-Telesinese... fantástico!_Louis dita animado.

-Meu Deus, o que está acontecendo? Como eu pude deixar isso acontecer?_Markus dizia em panico com as mãos no cabelo andando em circulos.

-O Chul tambem virou um gato. Não sei quando ele volta ao normal. SE ele volta ao normal._Jhu diz raivosa dando enfase no 'SE"

As mãos de Jhu estavam cerradas em punho, a menina exercia tamanha força que quase não tinha sangue em seus dedos. A situação não era nada boa. Lyn urrava de dor e se contorcia, o barulho causado por ele era agoniante. Chul ainda era gato e não parava de miar, parece que chamava por Lyn. Jhu não sabia se eles voltariam ao normal, se a dor de Lyn passaria... ela estava estressada e altamente irritada.

A água da vasilha congelou e Kami anotava tudo calado, ele deduziu que a água mudava de acordo com o que a garota estava sentindo. Se ela estivesse com raiva a água  congelaria como agora por causa tambem de seus punhos fechados. No fim a água voltou ao seu estado original de liquido, isso tambem foi devidamente e prontamente anotado.

-Como foi causado tudo isso so enquanto eu levei Jiu ao banheiro? Eu sou um irrespinsavel. Um pessimo pai._Markus quase chorava vendo o genro sem forças no cgão ajoelhado.

Lyn estava sem forças e suava mesmo a sala estando com o arcondicionado ligado, ele estava de quatro e gemia sofego, estava branco, um branco fora do normal para alguém saudavel. O gatinho o olhava com os olhos brilhando, em algum tempo Chul retornou a sua forma original, dando um pequeno alívio no coração de Jhu.

-LYN !!! LYN... O QUE ACONTECEU? AMOR, amor... me responde, você tá bem?_Chul dizia praticamente debruçado encima do corpo sem forças do namorado que gemia de dor sem parar, ele só tinha forças para gemer.

-Ele estava certo, usaram a gente como cobaias.... O QUE FIZERAM COM ELE?_Chul disse chorando e gritando ao fim.

Markus sentia seu coração doendo, ele era o culpado por os convencer a ajudar, mas não era o culpado sobre o que tinha acontecido pois nem ali estava. Jiu teve uma dor de barriga por isso demoraram. Jhu cerrava os punhos, seu olhar denuncia raiva e extremo odio do que acontecia, o culpado era aquele cientista louco, a água de sua vasilha começou a evaporar e Kami anotava tudo que acontecia. Ela esperava que alguém falasse alguma coisa.

-É assim? Ninguém vai dizer nada não? _Chul dizia mais para si do que para os outros enquanto chorava sentado ao lado do namorado o segurando.

-Calma filho... _Markus disse mas quando Chul olhou para ele se arrependeu na mesma hora.

-Como quer que eu fique  calmo, o Lyn esta aqui para morrer e ninguem fala nada. Eu não sei o que aconteceu... e ninguem fala nada. _Chul disse extremamente irritado, seus olhos estavam mudando para um vermelho intenso, mas ainda mesclavam o preto.

-C-Chul..._Lyn diz sofego e rapidamente Chul o encara, seus olhos tambem estavam totalmente vermelhos.

Ambos ficaram se encarando enquanto Louis tentava chegar perto para ver o que acontecia. Quando viu voltou correndo e disse. 

-Os olhos deles mudaram de cor, estão vermelhos... anote isso Kami!.

-Esta doendo._Lyn disse com os olhos vermelhos escorrendo lagrimas.

Chul queria fazer passar essa dor, queria ate tomar o lugar de Lyn para ele não sofrer. Mas não sabia o que fazer, palavras motivadoras não funcionariam ali. Quase nunca funcionavam para nada na verdade. Ele entia o sofrimento de Lyn, era como se partilhassem a mesma alma, ele entendia e expressava isso com o olhar.

-Eles parecem que conversam pelo olhar... _Jhu diz aleatoria, a essa altura ja desistiu de seu treino com a água.

-Eu sei amor... eu queria poder fazer parar, queria muito._Chul diz chorando e tirando o cabelo suado da testa do outro.

Markus não aguentava mais ver esse sofrimento e tomou uma atitude. Disse firme.

-Já chega. Vamos embira.

-Mas o estudo ainda não acabou, precisamos ver os poderes do Jiu._Louis disse tomando a frente, Markus não fez nenhuma expressão diante dele e Jhu foi até Jiu para o abraçar como proteção.

-Já chega por hoje... já fizeram demais até._Markus diz firme se referindo ao caso de Lyn que não parava de gritar, e Chul ao seu lado que chorava sem parar.

-Pai, como vamos fazer para levar ele? Ele não pode ir gritando assim._Jhu diz de longe  preocupada.

-Vamos dar um sedativo... arrumem um rapido._Markus disse grosso e Kami logo se aproximou com um em mãos.

Eles aplicaram o cedativo em Lyn que logo depois de alguns minutos apagou, e para Chul tiveram de dar um calnante. Eles foram colocados com cuidado no carro, e assim que todos estavam prontos sairam de volta para casa.

...

Ao chegarem em casa foi consideravelmente dificil levar Lyn desacordado ate seu quarto, escada acima, mas com um pouco a mais de força conseguiram. Todos da casa ficaram a par do que havia acontecido e Nona parecia irritada, ela estava com cara de quem sabia de algo. Chul estava meio mole pelo calmante e insistiu em ficar fazendo companhia para Lyn no quarto até que ele acordasse.

...

QDT

Chul ficou a todo tempo ali, sentado ao lado de Lyn ainda desacordado. O mesmo parecia dormir tranquilo diferente de sua versão de horas antes que gritava de dor. Chul fazia um carinho em sua mão direita o esperando despertar.

Lyn abriu os olhos vagarosamente e Chul logo percebeu que o outro estava acordado. Lyn quis se sentar e se ergueu mas Chul o segurou e o ajudou devagar a se sentar escorado na cabeceira da cama.

-Ah que bom... que bom que acordou. Esta se sentindo bem amor?_Chul disse enquanto ainda estava com as mãos encostadas no peito alheio.

-Ainda doi muito.... mas tirando isso, estou bem._Lyn disse simples e Chul forçou um sorriso mas este era triste.

-Como cheguei aqui?_Lyn perguntou confuso.

-Nós trouxemos você sedado, você gritava muito, foi agoniante te ver sofrendo e não poder fazer nada para te ajudar._Chul diz simoles e chora silenciosamente ainda encostado no maior.

Lyn não diz mais nada, sua cabeça martelava e latejava, era horrivel. Ele estava de mau humor e não queria descontar no outro e acabar o magoando. Por isso ficar calado era melhir opção.

-Aquele cientista disse que você pode ler mentes... é verdade? O que sente?_Chul diz se afastando um pouco mais ainda choroso.

Lyn estava de olhos fechados, ele suspira e diz.

-Dor, eu sinto dor... eu posso ler e é exatamente por isso que doi. Rs... não é como se eu realmente le-se..._Lyn diz seco.

Chul ate ficaria magoado se não entendesse o lado do namorado.

-O que acontece exatamente? Como é?_Chul diz baixo mas alto o suficiente para o outro ainda o escutar.

-É como se gritassem os pensamentos na minha cabeça. Eles aparecem mas eu não os leio, eles são lidos no automatico como se fossem vocês me falando eles exatamente como estamos conversando agora. É como vozes na minha cabeça, gritando lá dentro, é horrivel._Lyn dita ainda com os olhos fechados e suspirando.

-Entendi...  mas vicê consegue ler o pensamento de todos daqui de casa?_Chul pergunta curioso e vê o namorado suspirar alto. Talvez o assunto esteja o estressando.

-Consigo... sua irmã só pensa no Kilyn, seu irmão pensa em varias coisas de criança que não vale a pena contar, seu pai pensa em trabalho e em cuidar de vocês... aparentemente tem um limite até onde posso saber o que pensam, eles tem de estar relativamente perto de mim, ou seja, aqui nessa casa. Se sairem eu não escuto mais..._Lyn dita e abre os olhos encarando Chul parado sentado em sua frente o olhando.

-Ah... então quanto mais perto da pessoa você estiver, mais alto é o pensamento dela na sua cabeça... então eu vou sair e te deixar descansar._Chul dizia ja se levantando mas Lyn segura em sua mão o impedindo de proceguir.

-Não, fica...  você consegue controlar seus pensamentos, quase não escuto o que pensa... é ate engraçado o fato de eu não escutar seus pensamentos enquanto esta transformado. Não é certeza, mas naquela hora eu não escutei._Lyn diz sorrindo pequeno.

Chul concordou com a cabeça e Lyn o soltou, fechando novamente seus olhos em seguida. Chul queria permanecer ali para ter certeza de que Lyn não sofreria mais, como se ele pudesse o proteger. Mesmo sendo impotente para fazer qualquer coisa nesse momento, ele o daria sua companhia.

Chul decidiu se deitar ao lado de Lyn e aproveitar. Lyn o abraçou de lado um pouco de mau jeito e para melhorar a posição disse baixinho.

-Se transforma.

Chul entendeu o que o outro queria e rapidamente deu espaço para sua transformação de gato. O Chul gatinho miou fininho como se estivesse feliz por ver Lyn um pouco melhor, ele foi para o outro lado da cama e Lyn se deitou novamente ali onde Chul estava antes.

Chul não se lembrava de nada do que aconteceu antes no laboratorio da base onde se transformou pela primeira vez, mas agora talvez lembraria de tudo que viu, ouviu e sentiu enquanto estava transformado, Lyn o abraçou perto do peito e o gatinho podia ouvir os batimentos cardiacos do outro que estava sereno, parecia ter dormido de novo.

Quando Lyn dormia ele não escutava pensamento algum, sua cabeça parava de doer insistentemente e isso o acalmava. Ele fez u.. ns raciocinios rapidos e entendeu que em hipotese alguma sairia de casa, a rua era lotada de mentes pensantes e ele entraria em pane com tantos pensamentos assim. O seguro é permanecer em casa até aprender a controlar.

...

QDT

Eles dormiram a noite toda e agora Chul foi o primeiro a acordar, ele viu Lyn dormindo feito anjo e sofreu em ter de o acordar, ele sabia que o mesmo dormia para não ter a cabeça imundada de pensamentos que nem eram seus, ele era inteligente o suficiente para contastar isso.

Chul o acordou do melhor jeito que sabia, com beijinhos... quando sua missão estava completa disse bom dia e tentou o arrancar da cama para tomarem banho.

-Vamos tomar banho, não tomamos ontem lembra... vem!_Chul diz engatinhando de costas para sair da cama.

-Ah não... depois... to com preguiça. Depois._Lyn disse preguiçoso.

-Depois nada, vamos agora. Já para o banheiro seu porquinho. Vai rapido, rapido..._Chul diz com as mãos na cintura vendo o namorado se arrastando para o lado esquerdo da cama.

Quando finalmente Lyn passou ao seu lado direto para o banheiro, Chul não aguentou e lhe deu um tapa na bunda... Lyn o olhou indgnado por tras do ombro enquanto  Chul ria e caminhava atras de si.

-Vai tomando na frente enquanto eu arrumo suas roupas._Chul diz e sai do banheiro indo até o guarda roupa.

O guarda roupas deles era grande para caber todas as dezenas de roupas que ambos tinham. Mas a diferença era enorme entre a parte de um e a do outro, Lyn guardava suas coisas todas muito bem organizadas e dobradas, já Chul só jogava as roupas lá no maximo colocava nos cabides. A parte de Lyn era muito organizada em compensação a de Chul era uma zona.

Chul separou uma bermuda preta e uma regata branca para Lyn, quando foi pegar a cueca, ao abrir a gaveta viu as cuecas de Lyn todas dobradas e pensou como as suas eram bagunçadas, pegou a cueca e saiu para o banheiro. Quando chegou viu Lyn no mesmo lugar de antes.

-Se quiser depois te ajudo a organizar sua gaveta._Lyn ditou divertido vendo a cara de tacho do namorado.

-Como você? ... Ah... e por que o senhor não ta tomando banho até sgora?_Chul diz um tanto confuso no começo vendo o outro dando de ombros.

-Preguiça... _Disse simples e vago vendo Chul se aproximar.

Chul deixou as roupas limpas na pia e se virou para o namorado preguiçoso que tinha.

-Será que eu vou ter que te dar banho?_Disse retorico e Lyn confirmou.

-Eu mereço isso Lyn? Mereço..._Chul dita falsamente bravo com as mãos na cintura o encarando.

-Por favor amor... eu to dodoi._Lyn dita inocente fazendo biquinho, digno de oscar.

-Você tá é com pouca vergonha, isso sim... mas eu te amo demais para negar algo para você. _Chul diz e sorri, Lyn o rouba um selinho em seguida.

Com toda a paciencia que Chul tinha começou a despir o namorado, retirou primeiro sua camisa amarela com a "ajusa" de Lyn que somente levantou os braços, depois se agaxou e puxou a calça de moletom cinza que o outro usava. Quando faltava só a cueca Lyn sorriu lascivo e Chul o olhou intediado o fazendo alargar o sorriso.

Puxou a cueca de uma só vez e se levantou em seguida, Lyn terminou de se livrar da peça e fficou ali parado, esperando e presenciando o showzinho que Chul fazia só para si enquanto retirava suas roupas.

Quando estavam os dois despidos finalmente foram para o box tomar banho, Lyn não perdeu tempo em agarrar a cintura do namorado que gemeu surpreso, mas logo se tranquilizou e começou a apreciar os carinhos que o outro fazia em si. Chul se virou ficando abraçado ao corpo molhado do namorado que o retribuia cada contato de carinho. Lyn deixou um beijinho em seus cabelos e ficaram ali por varios minutos somente trocando caricias sem malicia até o fim do banho.

...

-Você não vai vestir a roupa que eu escolhi para você?_Chul dizia ao sair do banheiro já vestido atras do namorado, o encontrando deitado novamente.

-Eu vesti, to usando a cueca._Lyn dita tranqüilo  vendo o outro se aproximar.

-E o resto? _Chul diz chateado pela falta de consideração do rosado.

-Ah... assim é mais confortavel. _Lyn diz sorrindo vendo Chul estreitar os olhos para si.

-Você não pode ficar o dia todo de roupão... _Chul diz indignado.

-Eu posso sim... não só posso como vou._Lyn diz sorrindo convencido.

Chul poderia brigar, mas não faria diferença. Lyn não mudaria de ideia e ainda ficaria irritado, brigas não resolvem nada.

...

-Vamos almoçar?_Chul pergunta para um Lyn intertido mexendo em seus cabelos.

-Pede para trazer aqui, eu não quero sair ainda._Lyn dita neutro e o namorado concorda.

Chul pega seu celular e liga para Jhu.

-Oi irmão... aconteceu algo?

-Não, é que eu queria pedir um favor seu...

-Pode pedir irmão.

-Pedi para a Nona trazer nosso almoço aqui por favor?

-Claro, pide deixar... peço sim.

-Obrigado. Depois apareço ai.

-Relaxa irmão, pode cuidar do Lyn despreocupado. Aqui tá tudo bem...

-Certo, até.

-Até.


Alguns minutos depois a Nona bateu na porta e entrou com a bandeja de comida para os dois.

-Desculpe por te fazer vir até aqui Nona,  te dar tanto trabalho._Chul falava para a mulher à sua frente enquanto Lyn comia.

-Que isso, não é trabalho algum... é um prazer servir vocês. Virei quantas vezes forem preciso._Nona dita sorrindo.

-Talvez da proxima descemos não é Lyn?_Chul dita e Lyn o olha com a boca cheia.

-Não force ele Chul, seu pai nos contou o que aconteceu... aquele cientista louco é meu vizinho..._Nona dita simples.

-Então a senhoa me entende Nona...  ele é louco mesmo. Eu avisei... eu disse._Lyn dita depois de engolir a comida.

-Quando eu voltava para casa ele morava na casa da frente, ele é estranho e vive fazendo experiencias doidas. Eu não confiaria nele._A mulher dita e Lyn concorda freneticamente.

Depois de a mulher sair eles terminam de comer e logo se sentem cheios e sonolentos, Lyn queria dormir mais, mas Chul decidiu assistir um filme. Eles foram para a parte da TV do quarto e arrumaram o sofa cama para deitarem.

-Que filme coloco?_Chul pergunta para Lyn deitado ao seu lado esquerdo agarrado em si.

-O que quiser, eu não vou assistir só estou aqui para dormir com você._Lyn dita alheio a situação.

-Vou por terror então._Chul dita simples já escolhendo o filme.

...

Os filmes iam bem, Chul assistia atentamente enquanto Lyn dormia ao seu lado agarrado em si. Em um momento ele precisou ir ao banheiro, não queria acordar Lyn mas o garoto estava praticamente todo encima de si. Teve de o acirdar e saiu para o banheiro. Quando voltou viu uma das imagens mais fofas de sua vida. Lyn estava sentado no meio do sofá-cama  em posição de indio com os braços esticados no meio das pernas cruzadas, todo sonolento praticamente dormindo  sentado, os cabelos rosas todos bagunçados, e o roupão caido e mostrando  seu ombro do lado direito. Chul não resistiu a tamanha fofura e tirou uma foto.

Voltou a se deitar e puxou Lyn para si. Ficaram ali até o filme acabar.... Lyn continuava dormindo então  Chul saiu delicadamente e o deixou dormindo só.

Chul desceu até a sala encontrando sua familia.

-Irmão, aconteceu alguma coisa?_Jhu perguntou preocupada por só ver o outro essas horas.

Chul estava com a bandeja de comida do almoço em mãos, levaria tudo até a cozinha e procuraria algo para lanchar.

-Não. _Responde simples e saia até a cozinha.

-Estava de lua de mel filho? Rs..._Markus perguntou risonho.

-Como assim? Eles não casaram ainda. Ou casaram?_Jiu pergunta confuso se virando para o pai olhando confuso os três mais velhos.

-É só um jeito de falar... _Jhu explica rindo do desespero do menor.

-Mas por que fala assim?_Jiu pergunta ainda mais confuso.

-É que quando as pessoas se casam saem em lua de mel, ai elas querem ficar   juntas o tempo todo. Não se desgrudam mais._Jhu dita sorrindo divertida e Jiu assente mostrando que entendeu.

Chul volta para a sala e fica parado olhando o nada perto do segundo sofá.

-Está tudo bem com o Lyn filho?_Seu pai dita neutro perante a bagunça que Jhu e Jiu faziam ao seu lado.

-Sim, ele está dormindo agora.... _Chul responde e se senta no sofá vazio.

-Ele consegue mesmo ler mentes?_Jhu pergunta enquanto da um mata leão sem muita força no irmão menor.

-Sim, aparentemente enquanto esta dormindo não sente dor. Ele me explicou um pouco sobre isso. Os pensamentos aparecem na mente dele mas antes de ler, os proprios pensamentos são ditos como se você mesmo estivesse os contando, isso causa a dor, varios pensamentos sendo gritados na cabeça dele ao mesmo tempo... mas tem um limite até onde ele pode os ouvir, por exemplo, ele sabe se algum de nós sair de casa porque ai ele não escuta mais os pensamentos._Chul ditou tranquilo tentando explicar o que lhe foi dito.

-Incrivel! _Markus profere encantado na explicação do filho.

-Mas você ficar perto dele não causa dor nele? _Jhu pergunta fazendo uma expressão de duvida.

-Ele disse que quanto mais perto das pessoas mais intensos ficam os pensamentos. Mas no meu caso eu até tentei sair e deixa-lo sozinho para descansar, mas ele  insistiu que eu ficasse... disse que eu controlo meus pensamentos e que ele não consegue os ouvir enquanto  estou transformado._Chul explica e Jhu solta uma risada no final.

Todos conversavam calmamente entre si, o clima entre familia estava muito bom até Markus acusar algo.

-Filho o seu bebe chegou!_Disse divertido vendo o genro se aproximando do sofá e o filho se virar para ver quem vinha.

-O que faz aqui embaixo?_Chul perguntou cauteloso e abrindo um sorrisinho acolhedor.

-Eu acordei e não te achei, então vim te procurar..._Lyn diz indo até o menor calmamente.

-Ah... o lyn está nú._Jhu diz tampando seus olhos e os do irmão ao seu lado. Markus riu do desespero alheio.

-Não estou não, estou usando cueca... uhn._Lyn dita fazendo bico, ele já se encontrava sentado no colo de Chul com as pernas para a direita.

Chul estava sentado no segundo sofá, no canto direito e Lyn estava em seu colo com a cabeça deitada em seu ombro esquerdo.

-Ele não quis usar as roupas que eu escolhi. Achou que seria boa ideia ficar só de roupão._Chul profere com um ar divertido.

-Eu já disse que assim é mais confortavel..._Lyn profere manhoso.

Markus apenas observava tudo e ria vez ou outra. Ele amava ser plateia do casalzinho Chul e Lyn. Eles se amavam tanto que até quem via se sentia amado.

-Eu não vou brigar, voces sabem né.... se ele se sente bem assim, que fique só com roupão mas que fique feliz._Chul completa e Markus não segura um sorriso largo e orgulhoso.

-É verdade, de todos esses anos que eles estão juntos, nunca ouvi falar uma vez sequer que os dois brigaram serio._Jhu pontua calma e pisca para Chul que sorri em resposta.

Lyn parecia estar quase dormindo de novo, mas seu sono não durou muito pois seu sogro fez sua realidade mudar com uma simples frase.

-Ele esta quase dormindo de novo... não é melhor comer algo antes?

-É verdade.. . Vamos lanchar Lyn? Depois você dorme..._Chul diz passando a mão nas costas do outro aninhado em si.

-Nha... depois eu como...uh_Respondeu sonolento.

-Depois nada, vamos agora. Não quero você passando mal de fome. Vamos...._Chul diz serio e Lyn se ergue  não tendo escolha.

Os demais ficaram só vendo enquanto Chul arrastava pela mão um Lyn super sonolento até a cozinha. Markus estava imprecionado, já Jhu achava tudo muito divertido, como seu irmão dominava o maior. Tamanho não é documento.

-O que você vai querer comer?_Chul perguntou enquanto mexia nos armarios procurando algo para lancharem.

-Eu quero  dormir._Lyn diz baixo.

-Vai comer alguma coisa antes... ah olha, tem doce de coco._Chul diz achando um doce na geladeira.

Chul pegou a vasilha de doce e levou ao balcão, colocando um pouco para Lyn  que estava com a cabeça apoiada na palma da mão, quase dormindo sentado. Ele disse para o outro ir comendo que já voltava.

Chul foi ao banheiro e quando voltou  quis rir mas seu coração avisava que era errado. Lyn acabou dormindo enquanto comia, seu rosto estava quase dentro da vasilha com o doce, forá que seu rosto estava todo sujo. Em casos normais alguem ao ver isso ajudaria a arrumar tudo, mas como esse não é um caso normal, Chul pegou seu celular do bolso da calça e tirou mais uma foto. Ele não poderia perder a oportunidade jamais, Lyn fazia até biquinho, esse momento merecia ser registrado. E assim ele o fez antes de realmente o ajudar.

Chul arrumou tudo e carregou o namorado de volta para o wuarto, ficaram lá dormindo, não tinham mais o que fazerem.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...